No Campus com Helder Coelho

Teoria da Imitação

Janela triangular

A teoria mimética envolve três elementos: o outro, o modelo, e a relação, e pode ser descrita através de uma forma, o triângulo

unsplash Florian Pérennès
Helder Coelho
Helder Coelho
Imagem cedida por HC

“A questão, crucialmente metafísica, é esta: a verdade, o que é e como se reconhece?” 
Hirokazu Koreeda, 2018

Desde os primeiros momentos de vida que nós (e os animais) imitamos os outros e copiamos os desejos dos outros, transformando-os em nossos (ações, emoções, hábitos).

A teoria mimética, proposta pelo antropólogo e filósofo francês  René Girard (1923-2015), parece ser o grande motor dos seres humanos, para o melhor ou para o pior. A violência das multidões, e os conflitos sociais em geral, pode ser explicada por esta teoria: inspirar-se no desejo do outro permite comunicar e sentir empatia pelo outro, e ao mesmo tempo disparar ciúmes e rivalidades (para ter um brinquedo). A teoria mimética envolve três elementos: o outro, o modelo, e a relação, e pode ser descrita através de uma forma, o triângulo.

Girard inspirou-se nos romances de Shakespeare, Cervantes, Stendhal, Balzac, Flaubert, Dostoiévski e Proust, onde as triangulações constituem o modo de desenvolvimento e animação das narrativas (mecanismo). Por exemplo, a ideia de bode expiatório deve ser considerada uma solução para promover o retorno da ordem social. Aquele que impede a satisfação de um desejo, que ele próprio despertou, torna-se objeto de ódio (ciúme, inveja: mediação interna).

Em Cervantes (caso da personagem de D. Quixote de La Mancha), Sancho Pança imita D. Quixote, e usa-o como modelo, isto é os seus desejos são miméticos. A publicidade (dos relógios e perfumes) recorre a atrizes do cinema (bem conhecidas) e explora as armadilhas dos nossos desejos.

Aristóteles explicou que uma criança adquire todos os seus conhecimentos imitando os adultos. No caso da linguagem, um bebé começa por repetir os sons que ouve, melhorando aqui e ali, até que atinge a perfeição. Aprende com exemplos. O que lemos nos jornais, e o que ouvimos e vemos na televisão e cinema, permitem também reproduzir e figurar (mimésis), e, com certeza, influenciar os nossos desejos e sonhos.

É o mecanismo mimético que nos permite interatuar uns com os outros, compreender os sentimentos dos amigos, e viver a compaixão e a empatia. Como se gera a rivalidade entre dois clubes de futebol? Graças à exploração da inveja, passa-se pela frustração, às expetativas e aos desejos, e mais tarde surge a perda das intenções. Ficam reunidas as condições mínimas, e depois há uma escalada até se revelar alguma crise. Basta a ativação de um rastilho, a repetição de ignições até se fazer explodir a amargura.

O desejo mimético é um impulso, instintivo, constitui a lei geral que governa a espécie humana (e animal), e aplica-se a indivíduos e multidões (veja-se o ritmo do discurso político, as pausas e a escolha das palavras). Qual é a origem da tendência instintiva da imitação? A descoberta dos neurónios espelho, em 1990, pela equipa de Giacomo Rizzolatti da Universidade de Parma, confirmou a existência do mecanismo mimético.

A palavra espelho corresponde ao aparecimento de uma atividade elétrica que se inicia quando um indivíduo executa uma dada ação porque observou o outro a executar a mesma ação. E, curiosamente, estes neurónios são também solicitados quando alguém se imagina a realizar aquela ação. Estes neurónios têm uma outra faceta, a seletividade: cada um só responde a um tipo de ação, e não responde quando se trata de outro gesto.

Os neurónios espelho são os grandes responsáveis pelos nossos êxitos sociais (interações, empatias) e pela formação de grupos, equipes ou amizades. No entanto, a imitação levanta vários problemas, que só se podem controlar com a vontade e a razão.

A nossa sociedade de consumo (com várias empresas atentas e municiadas das técnicas de marketing) explora até à exaustão este conhecimento, através da criação de dias de compras especiais (dia do pai, da mãe, natal, black friday, boxing day), ou via as épocas de saldos (primavera, verão, outono e inverno). Como enfrentar este frenesim consumista? Com a razão, o raciocínio e o pensamento.

Referência

Antunes, L., Nunes, D. e Coelho, H. Geometry of Desire, Proceedings of AAMAS2014, Paris, May 5-9, ACM Press, 2014

 

Helder Coelho, professor do Departamento de Informática de Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Sobre Namoros e Casamentos

Jorge Buescu

Quinta-feira, dia 12 de Abril de 2012, às 18h30, na sala 6.1.36

Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Páginas