No Campus com Helder Coelho

Controvérsia e Interdisciplinaridade

Helder Coelho

Quando Leibniz e Newton se enfrentaram no século XVII, sobre a origem do Cálculo, criaram um espaço para exercerem o contraditório, argumentando e criticando, em defesa dos seus argumentos. Esse exercício chama-se controvérsia (debate ou polémica), considerada por muitos como a máquina do progresso intelectual e prático. Cada um dos lados apresenta a sua explicação (causa) das suas razões, como factos (pro ou contra), e os quais sustentam e justificam a sua posição.

Expressar opiniões diferentes, de forma racional, constrói a defesa de um dos lados em oposição, eventualmente com o apoio de críticas, e constitui o núcleo duro de uma discussão, a qual pode-se desenvolver ainda como negociação e juntar-se de seguida, por exemplo, em política ou em negócios. No entanto, na ciência, onde a dissidência é habitual, o choque faz parte da confirmação da oposição e dos avanços que em geral se seguem. Por exemplo, na Inteligência Artificial (IA), as controvérsias dos anos 60 a 80 (Weizenbaum, Searle, Dreyfus, Penrose) denotaram desejos muitas vezes ambiciosos e pouco consequentes, enquanto as mais recentes (Gates, Hawking, Musk, Bostrom) em torno dos riscos existenciais para a humanidade, e do lado da tese mais dura, permitiram o regresso à reflexão e ao estudo, ao aprofundamento e à descoberta de saídas para consolidar conhecimentos e facilitar a utilidade de aproximações entre as posições em disputa. Muitas vezes, implicaram o recurso a outras disciplinas, capazes de servirem de melhores argumentos de defesa.

A polémica sobre o tempo, entre Einstein e Bergson (6 de abril de 1925), envolvendo a Física e a Filosofia, foi bem diferente. A impossibilidade de chegarem a um acordo, dada a radicalidade das posições assumidas, fez estalar o bom senso, impossibilitando a aproximação das posições e o aparecimento da resignação. Muitas vezes, quando o fantástico surge e as explicações deixam de ser razoáveis, existe o perigo de entrarmos no irracional e no não plausível.

Atualmente, na Física Teórica, a confiança na contra intuição e irracionalidade criou também resignação e indiferença. Este é o resultado, e a consequência, da falta de controle sobre a tolerância, quase sempre corrente em ciência (veja-se a posição de Helmut Tributsch na Euroscientist Newsletter de 11 de janeiro de 2017). Curiosamente, e mais uma vez, trata-se do esforço na compreensão do tempo. Na natureza, o tempo é orientado numa só direção e é irreversível.

Outras controvérsias são também famosas como as da Filosofia, em volta de Derrida, e as da Filosofia da Mente. A própria ideia de controvérsia constitui só por si um desafio, e no caso de Derrida o termo adotado é a desconstrução (método de análise de textos) e visa a posição hegemónica. A estratégia usada é interpretativa, partindo-se de uma posição mais fraca para se iniciar o embate, e só depois se amplia o campo do que está em jogo. Em geral, são visados os pilares estabelecidos, e tendo em linha os limites do discurso. Opta-se por questionar a autoridade, sabendo-se que isso não vai diminuir a ação ética, mas, eventualmente, promove-la.

No caso da Filosofia da Mente existem várias controvérsias interessantes, a da mente-corpo (Stoljar versus Pereboom), a da cognição encorpada (Shapiro versus Goldman), a da consciência sobre os temperamentos (Kind versus Mendalovici), a da representação mental (Kriegel versus Rupert), e a da natureza da mente (Siewert versus Lee).

A desconstrução, uma matéria bem controversa, introduz a crítica, a estrutura, o mecanismo, e sobrevaloriza certos conceitos como a influência, a opressão, a moralidade ou a justiça (direito), aumentando a escala do que pode ser colocado em causa e, certamente, a responsabilidade associada dos indivíduos, assim como as suas obrigações éticas. No entanto, embora certas teorias tenham sucesso, nem sempre a sua importância está assegurada. No caso da desconstrução, sabe-se que a sua penetração em outras disciplinas, além da Filosofia, tem sido enorme, e isso permite concluir que a interdisciplinaridade foi atingida. Terá sido pela própria força dessas controvérsias?

Toda esta temática vai estar em cima da mesa durante o IASC International Conference, em Lisboa, na FCUL, nos dias 1 e 2 de junho de 2017. A conferência sobre “Crossing Borderlines: Controversies and Interdisciplinarity” é organizada pelo CFCUL.

Helder Coelho, professor do Departamento de Informática de Ciências
Uma aplicação mais recente da fotogrametria é a robótica com base em câmaras estéreo, usada em veículos autónomos terrestres e espaciais, como é o caso do Perseverance

"Não é de mais dizer, que hoje em dia, a fotogrametria é indispensável na cartografia da Terra e que leva a Engenharia Geoespacial até à superfície de Marte", escreve Paula Redweik, professora do DEGGE Ciências ULisboa, por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial.

Mulher a escrever num quadro e homem ao lado

"A comunicação tem múltiplas funções num organismo. Uma boa prática, por exemplo, passa por acautelar a reputação dessa estrutura, e para que tal aconteça quem trabalha numa organização deve conhecer esse organismo, nomeadamente a sua missão, visão e lema; e o conjunto de pessoas que constituem esse grupo de trabalho", escreve Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Cumprimento entre Bernardo Duarte e o Reitor da ULisboa

A 26 de julho comemorou-se o Dia da ULisboa. A sessão decorreu na Aula Magna, e contou com a Cerimónia de Entrega de Prémios Científicos ULisboa/CGD das edições de 20219 e 2020. Num conjunto de 18 prémios e 23 menções honrosas, nesta edição de 2020, foram atribuídos quatro prémios e quatro menções honrosas a docentes e investigadores da Ciências ULisboa.

Trabalho a decorrer no âmbito da campanha oceanográfica EMSO-PT Leg 1

O Instituto Dom Luiz (IDL) da Ciências ULisboa é responsável pelo desenvolvimento e construção de estações sísmicas de fundo oceânico (OBS).

A aluna está a centrifugar amostras de ácidos nucleicos no âmbito do fluxograma experimental da atividade de sequenciação.

Mónica Vieira Cunha, professora do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa, investigadora do cE3c e coordenadora científica do projeto COVIDETECT, foi uma das oradoras da sessão “COVIDETECT – Deteção e quantificação de SARS-CoV-2 em águas residuais, como alerta precoce para a disseminação do vírus na comunidade”, organizada pela Águas do Norte, em formato online, no passado dia 13 de julho.

Mão a segurar num telemóvel com o google maps em fundo

Mais uma crónica por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial, desta vez da autoria de Ana Cristina Navarro Ferreira, professora do DEGGE Ciências ULisboa.

Jorge Relvas

Jorge Relvas, professor do Departamento de Geologia da Ciências ULisboa e investigador do Instituto Dom Luiz, é o primeiro português a ser distinguido com a medalha da Society for Geology Applied to Mineral Deposits.

Faleceu no passado dia 28 de junho de 2021 Maria da Conceição Vieira de Carvalho, professora do DM Ciências ULisboa, investigadora do CMAFcIO e investigadora visitante permanente na Rutgers University, nos USA. Ciências ULisboa lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Encontro Ciência 2021 - Dezoito cientistas recebem as medalhas de mérito científico

O Ciência 2021 atribuiu 18 medalhas de mérito científico, destaque para os professores cientistas da Faculdade - Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa (Zita). Por ocasião deste importante acontecimento surgiram três conversas com os membros da Faculdade: "a cereja em cima do bolo". 

Logotipo Radar

Décima sétima rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade.

engenheiro a operar com digitalização a laser 3D

Mais uma crónica por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial, desta vez da autoria de João Calvão Rodrigues, professor do DEGGE Ciências ULisboa.

Pessoa com a mão no ar

"Será que a sociedade portuguesa reconhece a excelência da investigação científica produzida em Portugal? Não basta produzir conhecimento científico de elevada qualidade, para que este seja reconhecido pelo público como tal", escreve Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Rui Gonçalvez Deus fardado

Rui Gonçalves Deus, oficial da Marinha e especialista em Investigação Operacional, dá-nos a conhecer o seu percurso académico e profissional, e conta-nos de que forma a passagem pela Faculdade o ajudou a alcançar o sucesso profissional.

 Estrutura molecular

Os compostos alílicos de Mo(II) têm sido estudados na Ciências ULisboa há vários anos, tendo sido demonstrada a sua atividade como precursores de catálise na oxidação de olefinas.

Seringa

Num estudo recentemente publicado na revista Nature Communications uma equipa de investigadores liderada por Ganna Rozhnova, professora na University Medical Center Utrecht e colaboradora do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI) na Ciências ULisboa, analisou diferentes cenários de relaxamento das medidas de contenção da pandemia enquanto progredia o processo de vacinação para o SARS-CoV-2 em Portugal.

José Cordeiro

A 1.ª edição do concurso à Bolsa Fulbright para Investigação com o apoio da FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento para o ano académico de 2021/2022 selecionou quatro candidatos. Entrevista com José Cordeiro, mestrando em Estatística e Investigação Operacional na Ciências ULisboa.

Atividade realizada no âmbito da Higrografia

"A Hidrografia sofreu drásticas mudanças de desenvolvimento e progresso desde o advento do posicionamento por satélite (GPS) e dos sistemas acústicos de varrimento (multifeixe)", escreve Carlos Antunes, professor do DEGGE Ciências ULisboa, por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial.

relógios

As professoras Ana Nunes e Ana Simões apresentam em entrevista os objetivos do repositório digital de cursos e apontamentos de antigos professores da Ciências ULisboa, nomeadamente João Andrade e Silva, Noémio Macias Marques, José Vassalo Pereira, António Almeida Costa e José Sebastião e Silva.

Simulação de larga escala do Universo

Andrew Liddle, investigador do Departamento de Física da Ciências ULisboa e do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, integra a colaboração internacional Dark Energy Survey (DES), que catalogou quase um oitavo de todo o céu, ao longo de seis anos, com o intuito de revelar a natureza da energia escura, responsável pela expansão acelerada do Universo.

Sumário gráfico do trabalho

Um grupo de investigadores utilizou gânglios linfáticos, amígdalas e sangue para mostrar como as células que controlam a produção de anticorpos são formadas e atuam. Estes dados permitirão desenhar estratégias que controlem a regulação do sistema, podendo contribuir para a resolução de doenças autoimunes ou alergias.

Logotipo Radar

Décima sexta rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade.

Pessoa lendo um jornal

A agenda temática avalia a importância que os meios de comunicação de massas têm quando distribuem determinados temas, dando atenção a certos assuntos e esquecendo outros.

lagoas de filtração

As águas residuais podem ser usadas para identificar precocemente novos surtos da COVID-19 e investigar a diversidade dos genomas do vírus SARS-CoV-2 que circulam numa comunidade, segundo comunicado de imprensa emitido pela Águas de Portugal. Os resultados do projeto de investigação COVIDETECT foram apresentados a 26 de maio.

Combinação de imagens de técnicas e aplicações da Geodesia

"Um dos marcos interessantes da contribuição da Geodesia para a sociedade foi a definição do metro formulada em 1791 , que teve como base a medição do arco de meridiano entre Dunkerque e Barcelona, efetuada ao longo de sete penosos anos (em plena revolução francesa)", escreve Virgilio de Brito Mendes, professor do DEGGE Ciências ULisboa, por ocasião do centenário do curso.

Fluviário de Mora

A exposição permanente do Fluviário de Mora inclui “Sons dos Peixes” produzida no âmbito do projeto de investigação “Deteção de Peixes Invasores em Ecossistemas Dulciaquícolas através de Acústica Passiva - Sonicinvaders”, liderado pelo polo da Faculdade do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente.

Páginas