No Campus com Helder Coelho

Olhem para os Dados

Helder Coelho

Os três termos “Big Data”, “Deep Learning” e “Social Analytics” tornaram-se populares nos meios da comunicação social, graças à Google e ao Facebook. Antes falava-se mais de Aprendizagem (“Machine Learning”), Redes Neuronais (“Neural Nets”), Algoritmos Genéticos (“Genetic Algorithms”), ou de Programação Evolucionária (“Evolutionary Programming”), embora o alvo nem sempre fosse o mesmo.

Com o avanço da velocidade de processamento, da facilidade de armazenamento e do paralelismo computacional não teria sido possível construir o filme Avatar, em 2009. James Cameron, o seu realizador, falou dos 10 anos em que lutou para obter recursos computacionais, para a feitura da batalha final, em computador.

Desde o início deste século que se lamentava e sentiam as montanhas dos dados e a dificuldade em fazer algo com eles (por exemplo, descobrir padrões com a Análise de Dados, (“Analytics”), principalmente em Economia, Urbanismo, e nas Ciências Sociais e Políticas. No MIT, nomeadamente no Media Lab, Alex Pentland, e os seus alunos, vinham desbravando os caminhos para abordar o comportamento humano (veja-se o livro recente “Social Physics” de 2014) e pensar a empresa ou a cidade de forma a torná-la atraente (esperta), agradável e cómoda para os seus habitantes, graças a políticas que levassem em consideração os seus desejos e necessidades. Em Lisboa quanto tempo se perdeu, com discussões sem fim quanto à articulação dos seus transportes públicos e para retirar os automóveis do seu centro? Ou seja, resolver os problemas organizacionais e sociais pode ser estimulante (graças à Simulação Social), e mais interessante do que se pensava, sobretudo se isso facilitar depois a atração de criativos e inovadores!

O que é a Física Social, avançada por Pentland, e assente na proposta de Auguste Comte, um sociólogo do século XIX? Apenas uma nova disciplina que visa a compreensão, a previsão e a influência do comportamento humano recorrendo a equações matemáticas e à computação. Claro que há algo mais como a análise do acompanhamento das comunicações entre as pessoas (numa rede social), o recurso a sensores para capturar dados, e a exploração das ligações sociais (Teoria das Redes). E, ainda as consequências benéficas, tais como tornar as organizações mais produtivas, os governos mais eficazes quanto ao bem-estar público (veja-se o indicador “well being” (o da felicidade) dos países da OCDE introduzido há poucos anos). Os seres humanos são entidades sociais e os seus hábitos estão ligados via a coordenação dos seus grupos. As ideias fluem através das redes sociais e viram em ações e depois, mais tarde, em comportamentos, que acabam por nos afetar a todos.

Uma câmara municipal tem de prever o que irá passar-se nos próximos anos (demografia, transportes, cultura, ciência, inundações) sob pena de não se pensarem os riscos e evitar os desastres, criando políticas para acomodarem possíveis mudanças. Viver com tantos dados significa também que existem negócios (interesses da Defesa, de empresas) que farão pressões para se violar a privacidade de uma série de pessoas, o que implica uma nova consciência de cidadania que forçosamente exigirá que todos nós procuremos compreender em que mundo queremos de facto viver.

Helder Coelho, professor do Departamento de Informática de Ciências
Tecnologia na educação
Cientista Ana Russo Regressa à Escola

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Páginas