Prémios Científicos ULisboa/CGD 2020

Cientistas reconhecidos pelo seu trabalho de investigação

Bernardo Duarte, Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Francisco Malta Romeiras, Diana Prata, Rui Cardoso Ferreira e Sara Madeira estão de parabéns

Aula Magna

A entrega dos prémios e menções honrosas decorreu na Aula Magna, no dia 26 de julho de 2021

Reitoria da ULisboa
Em 2020, foram entregues 18 prémios e 23 menções honrosas a cientistas da ULisboa. Neste ano, Ciências ULisboa somou quatro prémios e quatro menções honrosas. Estas 41 distinções juntam-se a uma extensa lista de galardoados.

Os Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD) 2020 existem desde 2016. Até 2020 já foram concedidos 83 prémios e 87 menções honrosas a cientistas da Universidade, ao todo 170 distinções. Desses, 14 prémios e 16 menções honrosas foram entregues a cientistas da Ciências ULisboa, ao todo 30 galardões.

Bernardo Duarte, Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Francisco Malta Romeiras, Diana Prata, Rui Cardoso Ferreira e Sara Madeira foram as personalidades da "casa" a serem distinguidas este ano, no passado dia 26 de julho, durante o Dia da Universidade.

Em seguida fique a conhecer as áreas em que trabalham e o que simbolizou para alguns deles a atribuição do galardão.

Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Bernardo Duarte
Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Bernardo Duarte são os premiados da edição de 2020
Imagens cedidas pelos cientistas

Bernardo Duarte, investigador do DBV Ciências ULisboa e do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), foi premiado pela atividade que realiza na área da Biologia, Engenharia Biológica, Bioquímica e Biotecnologia. O seu trabalho traduz-se na investigação focada na Ecotoxicologia e Fisiologia do stress dos organismos marinhos expostos a poluentes. Através do desenvolvimento de biomarcadores explica que é possível avaliar o impacto de contaminastes - cujas concentrações têm aumentado nos organismos marinhos - e, assim, antecipar e/ou prever os impactos destas novas substâncias no ambiente.

Para Bernardo Duarte, que foi um dos entrevistados do projeto - O que faço aqui? – lançado durante a pandemia, este é um prémio como qualquer outro, “decorrente do trabalho e esforço enquanto investigador e que foi recebido com orgulho e um sentido de reconhecimento pelos pares e de que o trabalho tem de facto relevância, impacto e é reconhecido pela comunidade científica.”

Na área das Ciências da Terra e Geofísica, Pedro Matos Soares, professor do DEGGE Ciências ULisboa e colíder do grupo de investigação Alterações Climáticas, Processos na Atmosfera Terra Oceanos e Extremos do Instituto Dom Luiz (IDL), destacou-se precisamente por tudo aquilo que tem vindo a realizar no domínio das Alterações Climáticas. A sua investigação parte de uma perspetiva de compreensão dos processos físicos e que definem o sistema climático. O investigador explica: “o objetivo fundamental é conseguir compreender e simular o sistema climático o melhor possível e a resoluções espaciais crescentes”. Desta forma é possível, na sua opinião, perceber e projetar a evolução futura do clima, no contexto das alterações climáticas de origem antropogénica; e fornecer dados e ferramentas importantes, permitindo, por um lado, quantificar e projetar os diferentes cenários de alterações climáticas e, por outro, estimar o seu impacto em diferentes sectores como o da Energia, Saúde ou Economia. Para Pedro Matos Soares, que teve a honra de ser um dos oradores no Dia da Universidade, este prémio representa um reconhecimento do trabalho de investigação realizado em conjunto com os seus colegas, aos quais agradece a respetiva colaboração.

Outro dos premiados desta edição foi Mykola Tasinkevych, investigador do DF Ciências ULisboa e a trabalhar no Centro de Física Teórica e Computacional (CFTC) desde 2017, local onde está a liderar uma linha de pesquisa independente sobre partículas coloidais ativas sob confinamento e em meios complexos. A sua investigação na área da Física e Materiais é centrada na compreensão do comportamento coletivo de partículas coloidais de forma e topologia não triviais dispersas em cristais líquidos. Mykola Tasinkevych espera conseguir fornecer a base para desenvolver materiais reconfiguráveis para, por exemplo, microengenharia de alta tecnologia e aplicações biológicas.

“Como motor essencial dessa consciencialização, desejo ver Ciências ULisboa empenhada seriamente neste processo, promovendo ativamente, por exemplo, uma compreensão da ciência à luz das suas dimensões histórica, conceptual e bioética.”
Davide Vecchi

Já na área da História e Filosofia das Ciências o mérito foi para Davide Vecchi, com um prémio, e Francisco Malta Romeiras, com uma menção honrosa.

O trabalho de Davide Vecchi, investigador do DHFC Ciências ULisboa e do Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL), visa estabelecer uma ponte entre a Biologia, especialmente a Biologia Molecular, e a Filosofia. Davide Vecchi defende que conhecer a História da Biologia é crucial para entender muitos dos conceitos veiculados nesta área de estudo, como em tantas outras áreas do conhecimento. E dá exemplos: o que significam conceitos como aleatoriedade, informação e senciência, quando se tenta entender, respetivamente, a natureza da mutação, o papel causal do DNA no desenvolvimento ou a natureza do sofrimento animal?; como definir tais conceitos de uma forma adequada? “A História e a Filosofia da Biologia são extremamente relevantes para quem queira dar uma resposta a tais questões”, comenta o cientista, realçando o papel crucial da ciência na sociedade, sendo a atual pandemia o mais recente e visível exemplo. “Como motor essencial dessa consciencialização, desejo ver Ciências ULisboa empenhada seriamente neste processo, promovendo ativamente, por exemplo, uma compreensão da ciência à luz das suas dimensões histórica, conceptual e bioética”, diz Davide Vecchi, chamando ainda a atenção para a precariedade profissional que existe no seio da comunidade de investigadores. Ainda assim, para Davide Vecchi receber um prémio é um prazer e um incentivo para continuar a trabalhar arduamente.

Na mesma área, Francisco Malta Romeiras, investigador do DHFC Ciências ULisboa e do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), destacou-se pelo seu contributo no estudo da história científica dos jesuítas em Portugal, em particular a história do ensino e prática das ciências nos colégios jesuítas, nos séculos XIX e XX e que em 2015 recebeu uma menção honrosa no âmbito do Prémio Victor de Sá de História Contemporânea.

Na área das Ciências Biomédicas, Diana Prata, professora do DF Ciências ULisboa e investigadora do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB) na Faculdade, recebeu uma menção honrosa pelo seu trabalho na área da neurociência. A cientista, antiga aluna da “casa”, procura compreender as bases biológicas das emoções, capacidades cognitivas e do comportamento humano, em particular a componente social. Atualmente tem um laboratório de investigação em neurociência biomédica em seu nome - Diana Prata’s Lab -, sediado no referido Instituto, na Faculdade.

“De facto, encontrar o nicho certo para o meu trabalho, dentro da ULisboa, não foi imediato, mas tem sido um prazer estar na Ciências ULisboa, e ter o privilégio de colaborar com tantos colegas, vizinhos no mesmo campus."
Diana Prata

Apesar do desafio que diz ter sido criar um laboratório de raiz, considera que esta menção honrosa é um reconhecimento bem-vindo da Universidade, que dá alento. “De facto, encontrar o nicho certo para o meu trabalho, dentro da ULisboa, não foi imediato, mas tem sido um prazer estar na Ciências ULisboa, e ter o privilégio de colaborar com tantos colegas, vizinhos no mesmo campus, nomeadamente na Faculdade de Farmácia da ULisboa, no Instituto Superior Técnico, na Faculdade de Psicologia da ULisboa, bem como com outros parceiros, Iscte Instituto Universitário de Lisboa, CUF, SAMS, entre outros, o que de certo é facilitado por conhecerem, e em boa conta, a ULisboa”, conclui.

As restantes duas menções honrosas atribuídas a cientistas da Faculdade foram na área da Matemática Pura e Aplicada e na área das Ciências da Computação e Engenharia Informática, respetivamente, a Rui Cardoso Ferreira, investigador do DM Ciências ULisboa e do Grupo de Física Matemática da ULisboa e que na sua página pessoal refere que a Matemática é a maior construção da humanidade; e a Sara Madeira, professora do DI Ciências ULisboa, investigadora do LASIGE e membro do consórcio Brainteaser.

Marta Tavares, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Satélite

"Com a Engenharia Geográfica/Geoespacial sabemos de onde vimos, para onde vamos, qual o melhor caminho e ainda o que vamos encontrar", escreve Paula Redweik, professora do DEGGE por acasião do centenário do curso.

Exposição “Empty space of the Unknown/ Nothing Is Right Now”

Catarina Pombo Nabais coordena o SAP Lab - Laboratório Ciência-Arte-Filosofia do Centro de Filosofia das Ciências da ULisboa e em entrevista dá conta da importância da relação interdisciplinar entre ciência e arte e dos projetos futuros.

Pepino do mar

Os pepinos do mar - espécies de equinodermes ainda muito desconhecidas - cumprem uma importante função ecológica: reciclam a matéria orgânica dos sedimentos e redistribuem nutrientes. O grupo de Pedro Félix, investigador do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e da Ciências ULisboa, é o único atualmente a trabalhar na ecologia e aquacultura de pepinos do mar em Portugal.

Anfiteatro com várias cadeiras e uma pessoa sentada a ler

O Grupo de Fala e Linguagem Natural dedica-se à Inteligência Artificial com enfoque especial no Processamento de Linguagem Natural e é o coordenador da PORTULAN CLARIN Infraestrutura de Investigação para a Ciência e Tecnologia da Linguagem.

cientista ao microscópio

Maria Helena Garcia, professora do DQB Ciências ULisboa e Andreia Valente, investigadora do DQB Ciências ULisboa, lideram A Something in Hands – Investigação Científica, Lda, uma spin-off desta Faculdade, que recebeu 100 mil euros da Portugal Ventures e que visa desenvolver novos medicamentos para o tratamento dos cancros metastáticos.

Centro de Testes Ciências ULisboa

O Centro de Testes Ciências ULisboa recebeu o primeiro lote de 110 zaragatoas a 1 de maio de 2020, provenientes de um conjunto de cinco lares de terceira idade do concelho de Mafra, no que viriam a ser os primeiros de várias dezenas de milhar de testes de diagnóstico molecular da COVID-19.

Logotipo Radar

Décima quinta rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque volta a ser a Nevaro.

Há um conjunto de normas e princípios legais que regulam as relações dos indivíduos em sociedade. O direito de autor é um deles. Todo o conteúdo produzido e publicado em órgãos de comunicação social é considerado conteúdo editorial. Estas obras coletivas estão protegidas pelos direitos de autor.

Iris Silva

Iris Silva, investigadora do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI) na Ciências ULisboa, venceu pela segunda vez o Best Young Investigator Award da Sociedade Europeia de Fibrose Quística (ECFS), segundo comunicado de imprensa emitido esta sexta-feira pela Faculdade. O galardão será atribuído durante o 44th European Cystic Fibrosis Conference, que se realiza online entre 9 e 12 de junho de 2021.

Margarida Ribeiro e Hugo Anjos, alunos de Ciências ULisboa do mestrado em Bioestatística

Em reunião do Infarmed, os alunos Margarida Ribeiro e Hugo Anjos, do mestrado em Bioestatística, receberam palavras de agradecimento da DGS pelo trabalho desenvolvido em contexto COVID-19.

Pessoas a trabalhar numa mesa

O projeto SKIES (SKilled, Innovative and Entrepreneurial Scientists), iniciado em março passado e com a duração de 18 meses, pretende fornecer a estudantes de doutoramento e jovens investigadores doutorados na área da Astronomia um conjunto de competências ao nível da ciência aberta, inovação e empreendedorismo.

Tachydromia stenoptera

Ana Rita Gonçalves concluiu o mestrado em Biologia da Conservação na Ciências ULisboa e no âmbito da sua tese estudou a morfologia de todas as moscas-formiga conhecidas da Península Ibérica e de Itália - dez espécies no total. Quatro delas são novas para a Ciência e uma apenas existe em Portugal.

Imagem gráfica das comemorações do aniversário da Faculdade

Esta segunda-feira, dia 19 de abril, a Faculdade celebra 110 anos. Para acompanhar a cerimónia comemorativa que será realizada uma vez mais online no próximo dia 21 de abril, a partir das 14h00, deverá ligar-se ao canal YouTube.

Exposição Variações Naturais – uma viagem pelas paisagens de Portugal

Após 18 meses de desenvolvimento de projeto e montagem, Variações Naturais – uma viagem pelas paisagens de Portugal abriu portas ao público em novembro passado e vai estar em exibição até 25 de novembro de 2022.

ferramenta de saída de campo

Ícaro Dias da Silva recebeu uma menção honrosa na última edição (2019) dos Prémios Científicos ULisboa / Caixa Geral de Depósitos. O investigador do IDL Ciências ULisboa estuda a geodinâmica das margens continentais relacionadas com a abertura e fecho de oceanos no Paleozoico.

Barcos de pesca em Almograve, Portugal

No âmbito do projeto MarCODE já foram recolhidas mais de 1000 amostras de pescado e marisco - robalo, dourada, raia-lenga, pescada, carapau, polvo, cavala, ouriço e percebes. A amostragem decorreu nas lotas nacionais da DOCAPESCA. As amostras encontram-se a ser processadas analiticamente nos laboratórios do MARE e do BioISI, nos polos da Faculdade.

Imagem de mãos dadas

Até ao próximo mês de julho, cerca de 70 famílias de cuidadores informais no território continental português participam no programa “Famílias Seguras – Cuidar de quem Cuida” lançado pela Ciências ULisboa, através do seu Centro de Testes, em parceria com a Associação Nacional de Cuidados Informais.

Logotipo Radar

Décima quarta rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade.

Sala com microfone

O jornalismo científico tem a responsabilidade de tornar a mensagem científica compreensível para o público leigo. Jornalistas e cientistas têm o dever cívico de contribuir para a qualidade da informação.

Trajeto de transferência eletrónica num óxido metálico misto de molibdénio e tungsténio

Os fenómenos de transferência de eletrões são omnipresentes em toda a natureza e em Biologia Molecular representam ainda a “transdução de energia”, isto é o transporte de eletrões através de uma enzima ou proteína. Os resultados desta investigação podem ajudar a melhorar a compreensão de como os eletrões se movem nas junções moleculares em dispositivos eletrónicos, ou na transferência de eletrões em biomoléculas com mediação de espécies metálicas.

Pormenor da conceção artística do interior do futuro telescópio espacial de raios X Athena, da ESA

A componente ótica portuguesa, liderada pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, e que irá integrar o futuro telescópio espacial europeu nos raios X, passou na revisão de requisitos e entra agora na fase de projeto. O IA lidera o conceito e desenho de um sistema de metrologia, ou OBM (do inglês “Onboard Metrology System”), que permitirá orientar com exatidão o espelho do Athena, um telescópio espacial nos raios X, para o sensor de cada um dos dois instrumentos científicos desta missão.

Alunos e professor no campus da Faculdade

A equipa CGD/MATHFCUL ficou classificada em 5.º lugar na final nacional do Global Management Challenge 2020. Exigência foi a palavra escolhida pela equipa para classificar esta experiência. "Fico muito satisfeito e grato pela dedicação e crescimento destes meus alunos", diz João Telhada, professor do DEIO Ciências ULisboa e mentor da equipa.

Mulher esconde rosto com relógio

"O efeito da mudança de hora no consumo de energia é cada vez menos relevante nas nossas sociedades desenvolvidas e, por isso, a avaliação da sua premência deve valorizar sobretudo outros efeitos, como o impacto na saúde, na economia ou no bem-estar dos cidadãos", escreve Miguel Centeno Brito, professor do DEGGE Ciências ULisboa e investigador do IDL.

A distribuição potencial dos continentes no Arcaico e a profundidade do oceano em metros

Mattias Green, professor da Bangor University (BU), no Reino Unido, coorientador de Hannah Davies, estudante do programa doutoral Earthsystems, ganhou uma Bolsa Leverhulme no valor de 245.884,00 £, equivalente a 287.331,58 €, para estudar o clima da Terra no Arcaico, juntamente com João C Duarte, professor do Departamento de Geologia da Ciências ULisboa, investigador do Instituto Dom Luiz e membro da comissão coordenadora do referido programa. 

Pernas de crianças

Inês Lima, Leonor Pires, Mariana Oliveira e Raquel Sales Rebordão, estudantes de Engenharia Biomédica e Biofísica da Ciências ULisboa, classificaram-se em 2. º lugar na 3ª edição do BioMind – Make it in 24 hours! com o produto IMAGI, um projeto que conjuga técnicas de hipnoterapia e realidade virtual com o objetivo de reduzir e controlar a dor crónica em crianças.

Páginas