Prémios Científicos ULisboa/CGD 2020

Cientistas reconhecidos pelo seu trabalho de investigação

Bernardo Duarte, Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Francisco Malta Romeiras, Diana Prata, Rui Cardoso Ferreira e Sara Madeira estão de parabéns

Aula Magna

A entrega dos prémios e menções honrosas decorreu na Aula Magna, no dia 26 de julho de 2021

Reitoria da ULisboa
Em 2020, foram entregues 18 prémios e 23 menções honrosas a cientistas da ULisboa. Neste ano, Ciências ULisboa somou quatro prémios e quatro menções honrosas. Estas 41 distinções juntam-se a uma extensa lista de galardoados.

Os Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD) 2020 existem desde 2016. Até 2020 já foram concedidos 83 prémios e 87 menções honrosas a cientistas da Universidade, ao todo 170 distinções. Desses, 14 prémios e 16 menções honrosas foram entregues a cientistas da Ciências ULisboa, ao todo 30 galardões.

Bernardo Duarte, Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Francisco Malta Romeiras, Diana Prata, Rui Cardoso Ferreira e Sara Madeira foram as personalidades da "casa" a serem distinguidas este ano, no passado dia 26 de julho, durante o Dia da Universidade.

Em seguida fique a conhecer as áreas em que trabalham e o que simbolizou para alguns deles a atribuição do galardão.

Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Bernardo Duarte
Pedro Matos Soares, Mykola Tasinkevych, Davide Vecchi, Bernardo Duarte são os premiados da edição de 2020
Imagens cedidas pelos cientistas

Bernardo Duarte, investigador do DBV Ciências ULisboa e do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), foi premiado pela atividade que realiza na área da Biologia, Engenharia Biológica, Bioquímica e Biotecnologia. O seu trabalho traduz-se na investigação focada na Ecotoxicologia e Fisiologia do stress dos organismos marinhos expostos a poluentes. Através do desenvolvimento de biomarcadores explica que é possível avaliar o impacto de contaminastes - cujas concentrações têm aumentado nos organismos marinhos - e, assim, antecipar e/ou prever os impactos destas novas substâncias no ambiente.

Para Bernardo Duarte, que foi um dos entrevistados do projeto - O que faço aqui? – lançado durante a pandemia, este é um prémio como qualquer outro, “decorrente do trabalho e esforço enquanto investigador e que foi recebido com orgulho e um sentido de reconhecimento pelos pares e de que o trabalho tem de facto relevância, impacto e é reconhecido pela comunidade científica.”

Na área das Ciências da Terra e Geofísica, Pedro Matos Soares, professor do DEGGE Ciências ULisboa e colíder do grupo de investigação Alterações Climáticas, Processos na Atmosfera Terra Oceanos e Extremos do Instituto Dom Luiz (IDL), destacou-se precisamente por tudo aquilo que tem vindo a realizar no domínio das Alterações Climáticas. A sua investigação parte de uma perspetiva de compreensão dos processos físicos e que definem o sistema climático. O investigador explica: “o objetivo fundamental é conseguir compreender e simular o sistema climático o melhor possível e a resoluções espaciais crescentes”. Desta forma é possível, na sua opinião, perceber e projetar a evolução futura do clima, no contexto das alterações climáticas de origem antropogénica; e fornecer dados e ferramentas importantes, permitindo, por um lado, quantificar e projetar os diferentes cenários de alterações climáticas e, por outro, estimar o seu impacto em diferentes sectores como o da Energia, Saúde ou Economia. Para Pedro Matos Soares, que teve a honra de ser um dos oradores no Dia da Universidade, este prémio representa um reconhecimento do trabalho de investigação realizado em conjunto com os seus colegas, aos quais agradece a respetiva colaboração.

Outro dos premiados desta edição foi Mykola Tasinkevych, investigador do DF Ciências ULisboa e a trabalhar no Centro de Física Teórica e Computacional (CFTC) desde 2017, local onde está a liderar uma linha de pesquisa independente sobre partículas coloidais ativas sob confinamento e em meios complexos. A sua investigação na área da Física e Materiais é centrada na compreensão do comportamento coletivo de partículas coloidais de forma e topologia não triviais dispersas em cristais líquidos. Mykola Tasinkevych espera conseguir fornecer a base para desenvolver materiais reconfiguráveis para, por exemplo, microengenharia de alta tecnologia e aplicações biológicas.

“Como motor essencial dessa consciencialização, desejo ver Ciências ULisboa empenhada seriamente neste processo, promovendo ativamente, por exemplo, uma compreensão da ciência à luz das suas dimensões histórica, conceptual e bioética.”
Davide Vecchi

Já na área da História e Filosofia das Ciências o mérito foi para Davide Vecchi, com um prémio, e Francisco Malta Romeiras, com uma menção honrosa.

O trabalho de Davide Vecchi, investigador do DHFC Ciências ULisboa e do Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL), visa estabelecer uma ponte entre a Biologia, especialmente a Biologia Molecular, e a Filosofia. Davide Vecchi defende que conhecer a História da Biologia é crucial para entender muitos dos conceitos veiculados nesta área de estudo, como em tantas outras áreas do conhecimento. E dá exemplos: o que significam conceitos como aleatoriedade, informação e senciência, quando se tenta entender, respetivamente, a natureza da mutação, o papel causal do DNA no desenvolvimento ou a natureza do sofrimento animal?; como definir tais conceitos de uma forma adequada? “A História e a Filosofia da Biologia são extremamente relevantes para quem queira dar uma resposta a tais questões”, comenta o cientista, realçando o papel crucial da ciência na sociedade, sendo a atual pandemia o mais recente e visível exemplo. “Como motor essencial dessa consciencialização, desejo ver Ciências ULisboa empenhada seriamente neste processo, promovendo ativamente, por exemplo, uma compreensão da ciência à luz das suas dimensões histórica, conceptual e bioética”, diz Davide Vecchi, chamando ainda a atenção para a precariedade profissional que existe no seio da comunidade de investigadores. Ainda assim, para Davide Vecchi receber um prémio é um prazer e um incentivo para continuar a trabalhar arduamente.

Na mesma área, Francisco Malta Romeiras, investigador do DHFC Ciências ULisboa e do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), destacou-se pelo seu contributo no estudo da história científica dos jesuítas em Portugal, em particular a história do ensino e prática das ciências nos colégios jesuítas, nos séculos XIX e XX e que em 2015 recebeu uma menção honrosa no âmbito do Prémio Victor de Sá de História Contemporânea.

Na área das Ciências Biomédicas, Diana Prata, professora do DF Ciências ULisboa e investigadora do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB) na Faculdade, recebeu uma menção honrosa pelo seu trabalho na área da neurociência. A cientista, antiga aluna da “casa”, procura compreender as bases biológicas das emoções, capacidades cognitivas e do comportamento humano, em particular a componente social. Atualmente tem um laboratório de investigação em neurociência biomédica em seu nome - Diana Prata’s Lab -, sediado no referido Instituto, na Faculdade.

“De facto, encontrar o nicho certo para o meu trabalho, dentro da ULisboa, não foi imediato, mas tem sido um prazer estar na Ciências ULisboa, e ter o privilégio de colaborar com tantos colegas, vizinhos no mesmo campus."
Diana Prata

Apesar do desafio que diz ter sido criar um laboratório de raiz, considera que esta menção honrosa é um reconhecimento bem-vindo da Universidade, que dá alento. “De facto, encontrar o nicho certo para o meu trabalho, dentro da ULisboa, não foi imediato, mas tem sido um prazer estar na Ciências ULisboa, e ter o privilégio de colaborar com tantos colegas, vizinhos no mesmo campus, nomeadamente na Faculdade de Farmácia da ULisboa, no Instituto Superior Técnico, na Faculdade de Psicologia da ULisboa, bem como com outros parceiros, Iscte Instituto Universitário de Lisboa, CUF, SAMS, entre outros, o que de certo é facilitado por conhecerem, e em boa conta, a ULisboa”, conclui.

As restantes duas menções honrosas atribuídas a cientistas da Faculdade foram na área da Matemática Pura e Aplicada e na área das Ciências da Computação e Engenharia Informática, respetivamente, a Rui Cardoso Ferreira, investigador do DM Ciências ULisboa e do Grupo de Física Matemática da ULisboa e que na sua página pessoal refere que a Matemática é a maior construção da humanidade; e a Sara Madeira, professora do DI Ciências ULisboa, investigadora do LASIGE e membro do consórcio Brainteaser.

Marta Tavares, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Fotografia de participantes na Training School

CLEANFOREST na vanguarda da compreensão dos efeitos dos extremos climáticos e poluição nas florestas Europeias

Participantes no Dia Aberto

O campus ganhou vida, cor e energia proveniente do entusiasmo dos cerca de 2000 alunos de 170 escolas de norte a sul do País.

CIÊNCIAS esteve presente nesta edição, com a participação dos docentes do Departamento de Física: Alexandre Cabral, no painel de abertura “À conversa sobre carreiras espaciais” e

Semana Internacional da Compostagem

Uma das transformações necessárias às entidades que querem progredir pelo caminho da sustentabilidade é fecharem os seus ciclos de materiais, nomeadamente o orgânico.

A VicenTuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - completou 30 anos em janeiro de 2024. Para comemorar, realizou no dia 30 de abril de 2024, a Festa da Primavera, um espetáculo de música e divertimento dedicado à comunidade de CIÊNCIAS e ao público em geral.

Celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974 da Academia das Ciências de Lisboa

A 9 de maio realiza-se a segunda de duas jornadas de debate académico e científico organizadas pela Academia das Ciências de Lisboa, que tem por objetivo ‘analisar e discutir a evolução do panorama científico português de forma prospetiv

Lançamento do projeto Barrocal-Cave marca um novo capítulo na Conservação da Biodiversidade em Portugal

O prestigiado Palácio Gama Lobo foi o cenário escolhido para o lançamento do projeto Barrocal-Cave, financiado pelo Prémio Fundação Belmiro de Azevedo 2023.

No passado dia 10 de abril, tivemos a honra de receber um grupo de estudantes e dois professores da Universidade de Leiden, na Holanda. Com um total de 40 estudantes, todos da área das bio farmacêuticas, a visita prometia ser entusiástica.

Miguel Pinto

No dia 29 de abril, Miguel Pinto visitou a Escola Básica Professora Aida Vieira, no Bairro Padre Cruz em Lisboa, para realizar oficinas de divulgação científica e atividades didáticas.

Fotografia de alguns dos oradores

O que é a sustentabilidade? Como podemos agir a nível local, procurando um impacto global? Estas e muitas outras questões marcaram a segunda edição da Semana da Sustentabilidade CIÊNCIAS, entre 15 e 19 de abril de 2024.

Grande Auditório durante a celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS

Mais de 500 pessoas assistiram no Grande Auditório à celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS, na passada terça-feira, 23 de abril, numa cerimónia marcada por distinções, homenagens e um balanço dos últimos meses, com os olhos postos no futuro. 

Buracos negros Gaia

Um grupo de cientistas descobriu um grande buraco negro, com uma massa quase 33 vezes superior à massa do Sol, escondido na constelação de Aquila, a menos de 2000 anos-luz da Terra, ao analisar a grande quantidade de dados da missão Gaia da ESA.

Alunos com mãoes no ar num sala de aula

É possível brincar com a Matemática e prova disso foram as várias atividades que se realizaram na Faculdade nos dias 13 e 14 de março de 2024. Março foi um mês dedicado a esta ciência, motor da sociedade. Leia a opinião de quem participou nestas atividades e ainda nas Jornadas de Matemática.

Páginas