Encontro Ciência 2021

À conversa com Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa

Dezoito medalhas de mérito científico, três delas para membros da Ciências ULisboa

Encontro Ciência 2021 - Dezoito cientistas recebem as medalhas de mérito científico

Dezoito medalhas de mérito científico, três delas para membros da Ciências ULisboa

Encontro Ciência 2021

O Ciência 2021 aconteceu nos dias 28, 29 e 30 de junho e juntou 860 pessoas presencialmente e 9496 online. “A Ciência que faz o Amanhã e transforma a Economia” foi o tema desta edição que contou com seis sessões plenárias, cerca de 70 sessões temáticas, 18 demonstrações, 26 posters e a atribuição de 18 medalhas de mérito científico, destaque para os professores cientistas da Faculdade - Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa (Zita). Por ocasião deste importante acontecimento surgiram três conversas com os membros da Faculdade: "a cereja em cima do bolo". 

Fernando Catarino com o Ministro
"Este tipo de encontro é muito importante”, diz Fernando Catarino, que recebeu a medalha pela mão do Ministro
Fonte Encontro Ciência 2021

Esperança foi a palavra escolhida para o futuro por Fernando Catarino, surpreendido com esta distinção, que agraciou também a sua antiga aluna Zita. Foi muito bom voltar a ouvir a sua voz ao telefone. Essa voz que um dia, em Alcobaça, alguém reconheceu. Fernando Catarino realçou essa memória para destacar essa característica – a empatia – que fazia com que os alunos o estimassem. E como disse em conversa, não era o único, realçando nomes como Carlos Almaça e Galopim de Carvalho, que não tinham medo de abordar assuntos difíceis, mas importantes.

Foi muitas vezes à Praça da Alegria – divulgar ciência foi, é e será sempre fundamental. Quando se jubilou esteve muito tempo sem voltar à Faculdade, o que não quer dizer com isso que não tenha estado atento. Enche-se de vaidade por saber que antigos alunos da Faculdade estão hoje um pouco por todo o mundo. Se voltasse ao passado não faria tudo igual, certamente seria, ou, pelo menos gostaria de ser empreendedor, e continuaria, certamente fascinado por Biologia, teria provavelmente as mesmas e outras experiências, acompanhado pela esposa e pelos dois filhos.

O Encontro Nacional com a Ciência e a Tecnologia pretendeu discutir os desafios do futuro e reunir investigadores e peritos de diferentes áreas científicas e sectores sociais e económicos, para projetar a recuperação de Portugal na próxima década.

Quem quiser e puder, pode visitar o site e assistir às sessões, que estão disponíveis no youtube. Da Ciências ULisboa destaca-se a presença dos oradores Alexandre Cabral, Vanda Brotas e Gonçalo Cosme; a demonstração do Instituto de Astrofísica e de Ciências do Espaço (IA) a propósito das 45000 observações do telescópio espacial Euclid e muitos posters submetidos por investigadores do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c), Centro de Química Estrutural, Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB), Instituto Dom Luiz (IDL), LASIGE, Centro de Ciências do Mar e Ambiente (MARE) e Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI).

“Este tipo de encontro é muito importante”, diz Fernando Catarino, cujo país convidado este ano foi a França – “pioneiro no estudo dos mares” – acrescentando que foi com muita satisfação que ouviu o nome do MARE referenciado pelo seu importante papel nesta área da ciência. A conversa com Fernando Catarino teve direito a anedotas e até uma sugestão de leitura -“Arrumar a Casa antes dos 80”, de Victor Gil.

Esperança e estímulo: palavras que inspiram o futuro

Sem falsas modéstias, com humildade. De resto parece ser uma característica das grandes pessoas. Isabel Âmbar não estava à espera da distinção e muito menos do telefonema de Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a dar conta da atribuição do galardão. Isabel Âmbar é só a primeira oceanógrafa física portuguesa.

Isabel Âmbar
Para Isabel Âmbar é fundamental continuar a investir na Oceanografia Física
Fonte Encontro Ciência 2021

“Eu, o meu marido e outros colegas conseguimos arranjar financiamento para construir o Instituto de Oceanografia, que hoje é o MARE (…) Foi muito importante para a Faculdade e não só”, comenta, mencionando que é muito importante continuar a investir nesta área, sobretudo, na observação, na modelação física, que é muito dispendiosa, diz Isabel Âmbar, cujas principais áreas de investigação passaram pela hidrologia e pela dinâmica das águas da vertente continental portuguesa, em especial no que diz respeito à água mediterrânica e aos vórtices a ela associados. Também por isso este tipo de encontro é essencial. A cientista acredita que o público, sobretudo o mais jovem, necessita de ter conhecimento do real impacto da ciência e do seu valor, talvez por isso, quando pensa numa palavra para o futuro escolha estímulo. Curiosamente, ainda que já esteja aposentada, diariamente recebe notificações a dar conta de investigadores, que continuam a ler os seus artigos.

Meta: igualdade de direitos na ciência

Terminar a semana útil ao telefone com professores que nos inspiram é outra coisa. A última conversa foi com Zita, como carinhosamente gosta de ser apelidada, e os minutos passaram sem dar conta, como sempre acontece quando se conversa com pessoas especiais. Não estava à espera da medalha, mas reconheceu o Ministro ao telefone. Esta é uma medalha que simboliza o culminar da sua carreira, de alguém que deixa uma escola e que está encantada e feliz. Mas, mesmo de coração cheio, continua a preocupar-se com os seus: “O Pedro Raposo é catedrático na Universidade de Évora. Ligou-me ontem!”, conta, entusiasmada.

Zita com o Ministro
Esta é uma medalha que simboliza o culminar da sua carreira, de alguém que deixa uma escola e que está encantada e feliz
Fonte Encontro Ciência 2021

Apesar de reformada, Zita continua muito ativa e a fazer aquilo que gosta: divulgação de ciência, sentindo-se de certa forma até mais livre. A Edições Afrontamento publicou em abril de 2021 o seu livro “Estuário do Tejo – Onde o Rio Encontra o Mar” e que motivou um workshop no passado dia 22 de junho, que contou com a sua participação, dedicado ao estuário do Tejo e às zonas oceânicas adjacentes, incluindo o Canhão de Lisboa, e às medidas de salvaguarda destes ecossistemas para a criação de projetos-piloto de intervenção a desenvolver nos próximos anos.

Quanto ao futuro da sua área de investigação na Faculdade é uma otimista, por isso quando lhe pedi uma palavra para o que há-de vir, também escolheu esperança. “Eu vejo um futuro muito promissor. Temos pessoas excelentes e em qualquer área do mundo”, conclui, deixando no entanto alguns alertas.

A fundadora e presidente da AMONET - Associação de Mulheres Cientistas diz que é preciso promover a igualdade e participação completa das mulheres cientistas residentes em Portugal em todos os aspetos da ciência, incluindo ciência, ensino, indústria e administração, sobretudo em tempos de pandemia. Paralelamente, ainda são muito poucas as empresas que empregam doutorados.

Nem de propósito, também Manuel Heitor, no seu discurso de abertura do Encontro e alinhado com a Presidência Portuguesa da União Europeia, introduziu três questões principais, consideradas cruciais na área da investigação e inovação em Portugal e na Europa: criação de emprego qualificado; ciência fundamental, “aberta” e colaborativa; carreiras de investigação.

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Ciência 2019
Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Páginas