Encontro Ciência 2021

À conversa com Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa

Dezoito medalhas de mérito científico, três delas para membros da Ciências ULisboa

Encontro Ciência 2021 - Dezoito cientistas recebem as medalhas de mérito científico

Dezoito medalhas de mérito científico, três delas para membros da Ciências ULisboa

Encontro Ciência 2021

O Ciência 2021 aconteceu nos dias 28, 29 e 30 de junho e juntou 860 pessoas presencialmente e 9496 online. “A Ciência que faz o Amanhã e transforma a Economia” foi o tema desta edição que contou com seis sessões plenárias, cerca de 70 sessões temáticas, 18 demonstrações, 26 posters e a atribuição de 18 medalhas de mérito científico, destaque para os professores cientistas da Faculdade - Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa (Zita). Por ocasião deste importante acontecimento surgiram três conversas com os membros da Faculdade: "a cereja em cima do bolo". 

Fernando Catarino com o Ministro
"Este tipo de encontro é muito importante”, diz Fernando Catarino, que recebeu a medalha pela mão do Ministro
Fonte Encontro Ciência 2021

Esperança foi a palavra escolhida para o futuro por Fernando Catarino, surpreendido com esta distinção, que agraciou também a sua antiga aluna Zita. Foi muito bom voltar a ouvir a sua voz ao telefone. Essa voz que um dia, em Alcobaça, alguém reconheceu. Fernando Catarino realçou essa memória para destacar essa característica – a empatia – que fazia com que os alunos o estimassem. E como disse em conversa, não era o único, realçando nomes como Carlos Almaça e Galopim de Carvalho, que não tinham medo de abordar assuntos difíceis, mas importantes.

Foi muitas vezes à Praça da Alegria – divulgar ciência foi, é e será sempre fundamental. Quando se jubilou esteve muito tempo sem voltar à Faculdade, o que não quer dizer com isso que não tenha estado atento. Enche-se de vaidade por saber que antigos alunos da Faculdade estão hoje um pouco por todo o mundo. Se voltasse ao passado não faria tudo igual, certamente seria, ou, pelo menos gostaria de ser empreendedor, e continuaria, certamente fascinado por Biologia, teria provavelmente as mesmas e outras experiências, acompanhado pela esposa e pelos dois filhos.

O Encontro Nacional com a Ciência e a Tecnologia pretendeu discutir os desafios do futuro e reunir investigadores e peritos de diferentes áreas científicas e sectores sociais e económicos, para projetar a recuperação de Portugal na próxima década.

Quem quiser e puder, pode visitar o site e assistir às sessões, que estão disponíveis no youtube. Da Ciências ULisboa destaca-se a presença dos oradores Alexandre Cabral, Vanda Brotas e Gonçalo Cosme; a demonstração do Instituto de Astrofísica e de Ciências do Espaço (IA) a propósito das 45000 observações do telescópio espacial Euclid e muitos posters submetidos por investigadores do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c), Centro de Química Estrutural, Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB), Instituto Dom Luiz (IDL), LASIGE, Centro de Ciências do Mar e Ambiente (MARE) e Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI).

“Este tipo de encontro é muito importante”, diz Fernando Catarino, cujo país convidado este ano foi a França – “pioneiro no estudo dos mares” – acrescentando que foi com muita satisfação que ouviu o nome do MARE referenciado pelo seu importante papel nesta área da ciência. A conversa com Fernando Catarino teve direito a anedotas e até uma sugestão de leitura -“Arrumar a Casa antes dos 80”, de Victor Gil.

Esperança e estímulo: palavras que inspiram o futuro

Sem falsas modéstias, com humildade. De resto parece ser uma característica das grandes pessoas. Isabel Âmbar não estava à espera da distinção e muito menos do telefonema de Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a dar conta da atribuição do galardão. Isabel Âmbar é só a primeira oceanógrafa física portuguesa.

Isabel Âmbar
Para Isabel Âmbar é fundamental continuar a investir na Oceanografia Física
Fonte Encontro Ciência 2021

“Eu, o meu marido e outros colegas conseguimos arranjar financiamento para construir o Instituto de Oceanografia, que hoje é o MARE (…) Foi muito importante para a Faculdade e não só”, comenta, mencionando que é muito importante continuar a investir nesta área, sobretudo, na observação, na modelação física, que é muito dispendiosa, diz Isabel Âmbar, cujas principais áreas de investigação passaram pela hidrologia e pela dinâmica das águas da vertente continental portuguesa, em especial no que diz respeito à água mediterrânica e aos vórtices a ela associados. Também por isso este tipo de encontro é essencial. A cientista acredita que o público, sobretudo o mais jovem, necessita de ter conhecimento do real impacto da ciência e do seu valor, talvez por isso, quando pensa numa palavra para o futuro escolha estímulo. Curiosamente, ainda que já esteja aposentada, diariamente recebe notificações a dar conta de investigadores, que continuam a ler os seus artigos.

Meta: igualdade de direitos na ciência

Terminar a semana útil ao telefone com professores que nos inspiram é outra coisa. A última conversa foi com Zita, como carinhosamente gosta de ser apelidada, e os minutos passaram sem dar conta, como sempre acontece quando se conversa com pessoas especiais. Não estava à espera da medalha, mas reconheceu o Ministro ao telefone. Esta é uma medalha que simboliza o culminar da sua carreira, de alguém que deixa uma escola e que está encantada e feliz. Mas, mesmo de coração cheio, continua a preocupar-se com os seus: “O Pedro Raposo é catedrático na Universidade de Évora. Ligou-me ontem!”, conta, entusiasmada.

Zita com o Ministro
Esta é uma medalha que simboliza o culminar da sua carreira, de alguém que deixa uma escola e que está encantada e feliz
Fonte Encontro Ciência 2021

Apesar de reformada, Zita continua muito ativa e a fazer aquilo que gosta: divulgação de ciência, sentindo-se de certa forma até mais livre. A Edições Afrontamento publicou em abril de 2021 o seu livro “Estuário do Tejo – Onde o Rio Encontra o Mar” e que motivou um workshop no passado dia 22 de junho, que contou com a sua participação, dedicado ao estuário do Tejo e às zonas oceânicas adjacentes, incluindo o Canhão de Lisboa, e às medidas de salvaguarda destes ecossistemas para a criação de projetos-piloto de intervenção a desenvolver nos próximos anos.

Quanto ao futuro da sua área de investigação na Faculdade é uma otimista, por isso quando lhe pedi uma palavra para o que há-de vir, também escolheu esperança. “Eu vejo um futuro muito promissor. Temos pessoas excelentes e em qualquer área do mundo”, conclui, deixando no entanto alguns alertas.

A fundadora e presidente da AMONET - Associação de Mulheres Cientistas diz que é preciso promover a igualdade e participação completa das mulheres cientistas residentes em Portugal em todos os aspetos da ciência, incluindo ciência, ensino, indústria e administração, sobretudo em tempos de pandemia. Paralelamente, ainda são muito poucas as empresas que empregam doutorados.

Nem de propósito, também Manuel Heitor, no seu discurso de abertura do Encontro e alinhado com a Presidência Portuguesa da União Europeia, introduziu três questões principais, consideradas cruciais na área da investigação e inovação em Portugal e na Europa: criação de emprego qualificado; ciência fundamental, “aberta” e colaborativa; carreiras de investigação.

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Ciência 2019
Joana Ribeiro, Bárbara Henriques e Filipa Carvalho no simpósio

A Sociedade Portuguesa de Doenças Metabólicas (SPDM) atribuiu uma bolsa de apoio à investigação Dr. Aguinaldo Cabral, no valor de 10.000€, a Bárbara Henriques, investigadora do Departamento de Química e Bioquímica e investigadora principal do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI), polo da Ciências ULisboa. É a primeira vez que um investigador da Ciências ULisboa recebe este prémio.

Cinco alumni e logotipo da rubrica

Esta foi a pergunta feita a cinco alumni da Ciências ULisboa durante o mês de maio. A primeira série de lives transmitidas em direto no Instagram também está disponível no canal YouTube da Faculdade. Estas primeiras cinco conversas descontraídas e enriquecedoras contaram com a presença de Eduardo Matos, Dário Hipólito, Ana Prata, Margarida Ribeiro e João Graça Gomes.

Planta de tomate

“O efeito da competição e simbiose na virulência de um parasita de plantas" - um projeto coordenado pelas cientistas Alison Duncan e Sara Magalhães - é um dos quatro projetos vencedores da 1.ª edição do Prémio Tremplin Mariano Gago.

Paisagem antártica na zona de estudo

As alterações climáticas amplificam as ondas de calor no continente antártico. Esta é a conclusão apresentada pelos cientistas Sergi González-Herrero, David Barriopedro, Ricardo M. Trigo, Joan Albert López-Bustins e Marc Oliva num artigo publicado na Communications Earth & Environment.

Alexandre M. Ramos, Francisco S. N. Lobo, Margarida D. Amaral e Sara C. Madeira

Alexandre M. Ramos, Francisco S. N. Lobo, Margarida D. Amaral e Sara C. Madeira são as personalidades da Faculdade distinguidas com os Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD) 2021. Os seus colegas Cláudio M. Gomes e Francisco Malta Romeiras também são agraciados nesta edição com menções honrosas. A cerimónia de atribuição destes prémios e menções honrosas acontece no próximo dia 28 de junho, no salão nobre da Reitoria da ULisboa.

Fernando Antunes, João Pires da Silva e Fadhil Musa

A Delox, a spin-off do Tec Labs – Centro de Inovação da Ciências ULisboa, acaba de anunciar a angariação de 750 mil euros de financiamento para desenvolver as etapas necessárias até ao início da comercialização do novo sistema de biodescontaminação.

Estrelas

Qual é o nosso lugar no Universo? A resposta a esta e tantas outras questões encontra-se no livro do astrofísico David Sobral, que em 2015 descobriu a galáxia CR7, a mais brilhante do Universo, e que está disponível nas livrarias a partir desta terça-feira e tem lançamento marcado para esta quinta-feira, 19 de maio, pelas 18h30, no campus da Faculdade, no edifício C6, anfiteatro 6.1.36.

grande auditório da Faculddade com pessoas

O livro “ESPRESSO: Uma Aventura no Deserto de Atacama”, da autoria dos cientistas Alexandre Cabral  e Nuno Cardoso Santos, foi apresentado ao público numa cerimónia ocorrida no grande auditório da Faculdade no passado dia 14 de maio. A obra bilingue e gratuita dá a conhecer a aventura tecnológica e humana da construção do ESPRESSO, com fotografias e memórias criadas no deserto mais seco no mundo, no Chile.

logotipo radar

Vigésima terceira rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a NBI – Natural Business Intelligence.

pessoas observam a exposição

“De Lisboa para os Trópicos” é o nome da mais recente exposição da Ciências ULisboa, patente no átrio do edifício C6 desde 21 de abril e que vai estar em exibição até ao próximo dia 21 de junho. A mostra itinerante de fotografias assinala o 2.º aniversário do Colégio Tropical, uma unidade transversal da ULisboa.

Logotipo CHI 2022

A principal conferência internacional dedicada aos fatores humanos em sistemas computacionais distinguiu com a classificação de melhor apresentação 25 papers, destaque para o paper "Investigating the Tradeoffs of Everyday Text-Entry Collection Methods" sobre as vantagens e desvantagens de vários métodos de introdução de texto.

Margarida Amaral

Margarida Duarte Amaral dirigiu o Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI) durante oito anos. Esta entrevista é sobre o passado, o presente e o futuro e como “o todo é maior do que a simples soma das suas partes”.

pin sobre palavra credit

Conceição Freitas, presidente do Conselho Científico da Ciências ULisboa, escreve sobre a prestigiante subida da ULisboa no Center for World University Rankings e no SCImago Institutions Rankings.

4 fotografias da envolução do terreno

Life Ribermine é o nome de um projeto ibérico responsável pelo restauro geomorfológico de minas em Portugal e Espanha. A  Associação Centro Ciência Viva do Lousal, da qual Ciências ULisboa é associada fundadora, é o único parceiro português do projeto.

Saco com logotipo da jobshop em destaque

A XII edição da Jobshop Ciências 2022 - a feira anual de emprego da Ciências ULisboa realiza-se nos próximos dias 11 e 12 de maio, no campus da Faculdade, no Campo Grande. Cerca de 80 entidades participam nesta edição e poderão contactar diretamente os estudantes, graduados e pós-graduados da Faculdade em stands, workshops e sessões de recrutamento. Além de empresas, também participam no acontecimento unidades de I&D da Faculdade.

Vários edificos - imagem com duas cores

Com foco na posição de Portugal em comparação com os restantes países europeus, a rubrica "Dados Contados" abordou temas como educação, desigualdade salarial, direitos LGBTQ+, impostos e imigração, entre outros, através de diversos indicadores estatísticos. Durante toda a produção, a autenticidade das fontes e a correta representação dos dados foram as duas principais preocupações.

duas pessoas a fazerem uma experiencia, e um monitor do Dia Aberto ao fundo a observar

Depois de duas edições com atividades online, o Dia Aberto em Ciências regressa este ano às atividades presenciais. A investigação científica e o ensino vão estar no centro da programação, abrangendo todas as áreas científicas. São mais de 70 as atividades disponíveis, entre visitas a laboratórios, atividades científicas, palestras, speed dating com cientistas, visitas ao campus e conversas rápidas sobre os cursos.

Henrique Leitão e Gracinda Gomes

Os cientistas da Faculdade foram eleitos sócios honorários da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM), juntamente com outras quatro personalidades, duas delas da ULisboa. Atualmente a SPM tem nove sócios honorários.

Jaime A. S. Coelho, professor convidado do Departamento de Química e Bioquímica e investigador do polo desta faculdade do Centro de Química Estrutural, foi distinguido pela Sociedade Portuguesa de Química (SPQ) com o Prémio para Melhor Químico Orgânico Jovem 2021.

Alunos na biblioteca do C8

Os artigos da revista Astronomy & Astrophysics (A&A), uma das principais revistas científicas de Astronomia do mundo, já são publicados em acesso aberto, através do subscribe-to-open (S2O), um modelo de ciência aberta por assinatura.

5 quitones

Artigo científico publicado no Journal of Paleontology dá conta da descoberta em Portugal de duas novas espécies de moluscos marinhos do Pliocénico (há cerca de 3,6 Ma) . O cientista Carlos Marques da Silva é um dos autores deste trabalho.

pessoa a ver uma fotografia da exposição

Crónica sobre a exposição “De Lisboa para os Trópicos”, da autoria de Rúben Oliveira e Teresa Vaz, curadores da mostra e que a partir de 21 de abril e até 21 de junho vai estar em exibição no átrio do edifício C6, no campus da Faculdade.

Cinco oradores e vários alunos a assistir

A Matemática une. O tema das comemorações do Dia Internacional da Matemática 2022 reflete o espírito de quem organiza atividades de divulgação científica, na Faculdade e fora dela, e também de quem participa. Fique a par das atividades do IDM, e conheça a opinião de estudantes e professores.

Logotipo das comemorações do Dia da Faculdade

Após dois anos a comemorar um aniversário de forma remota, em 2022, a comunidade da Faculdade volta a reunir-se no grande auditório da Ciências ULisboa para celebrar os 111 anos da instituição, criada por decreto a 19 de abril de 1911. A cerimónia comemorativa acontece no próximo dia 27 de abril, a partir das 14h00.

Logotipo da olimpíadas

A semifinal das Olimpíadas de Química Mais (OQ+) e a semifinal das Olimpíadas de Química (OQ) Júnior acontecem, respetivamente, nos próximos dias 30 de abril e 7 de maio, no campus da Faculdade. Professores e estudantes do Departamento de Química e Bioquímica colaboram em ambos os eventos.

Páginas