Projeto facilita o acesso à informação geográfica por parte do cidadão e incentiva a utilização de dados abertos e de mobilidade sustentável

Estudante de Engenharia Geoespacial da Ciências ULisboa vence Esri Young Scholars Award 2024

CicLisboa disponibiliza cinco itinerários cicláveis na capital portuguesa

Imagem do Miguel Pires durante a competição ocorrida em videoconferência

O projeto Dashboard CicLisboa facilita o acesso à informação geográfica por parte do cidadão e incentiva a utilização de dados abertos e de mobilidade sustentável

Esri Portugal
Miguel Pires
Fonte GJ DCI Ciências ULisboa

No primeiro semestre de 2025/2026, se tudo correr como previsto, Miguel Pires vai ter uma experiência de Erasmus no Karlsruhe Institute of Technology, na Alemanha.
Quando terminar a licenciatura, o aluno da Ciências ULisboa pretende prosseguir os estudos no estrangeiro, gostava de fazer um mestrado na área da Engenharia Geoespacial, na Suíça ou na Alemanha. Ainda não sabe que carreira vai ter, mas pensa nisso e na sua opinião há muitas opções em aberto, que podem passar pela investigação ou por trabalhar numa empresa, por exemplo.
Até ao 12.ª ano, Miguel Pires queria estudar Física, mas nesse último ano do ensino secundário ficou com dúvidas... Quando se apercebeu que faltavam apenas duas semanas para entregar a candidatura ao ensino superior, entrou em pânico e começou a pesquisar outros cursos. Foi a mãe que recomendou a licenciatura em Engenharia Geoespacial, porque achou que era “a cara do filho”.
Miguel Pires concorreu a esta licenciatura em primeira opção e entrou. “Estes dois anos letivos na Faculdade têm sido muito bons. Eu gosto muito da parte social e das pessoas que conheci aqui. Tenho muitos amigos que nem sequer são da faculdade e vêm estudar comigo na biblioteca do C8, porque gostam muito do ambiente da Faculdade. Também gosto muito dos conhecimentos que os professores dão, especialmente em Engenharia Geoespacial. Somos poucos e os professores dão muita atenção aos alunos e estão sempre disponíveis. Para mim isso é muito importante”, conta.
Na sua opinião, a Faculdade tem um enorme potencial porque a sua oferta educativa e professores são muito bons. “A Engenharia Geoespacial é o curso da Faculdade com mais empregabilidade. É um curso muito interessante. Alguns dos meus colegas entraram no curso, em quarta ou quinta opção e, agora, adoram o curso. As pessoas adoram o curso mesmo sem terem escolhido como 1.ª opção”, declara.
Miguel Pires está no segundo ano letivo. Por ser atleta de alto rendimento está a fazer o curso em quatro anos. Começou a treinar Badminton aos dez anos e nunca mais parou. E apesar de nem sempre ser fácil conciliar as aulas com os horários dos treinos, diz que a prática desportiva é muito importante e até lhe dá outras competências, como a resiliência.
“O desporto não me afeta nada o desempenho escolar. Faço 20/25 créditos por semestre, em vez de 30, e tudo somado vai dar os quatro anos. É um conselho que dou a muita gente, mesmo que não estejam no desporto, que tenham qualquer outra atividade”, conclui.
Em dezembro de 2023, Miguel Pires juntamente com Ricardo Pereira e Tiago Ferreira, ambos estudantes da licenciatura de Engenharia Geoespacial, na Ciências ULisboa, também venceram o NextOcean hackathon, com um trabalho relacionado com a atividade de pesca ilegal.

Miguel Pires, estudante do 2.º ano da licenciatura de Engenharia Geoespacial da Ciências ULisboa, venceu a edição portuguesa do Esri Young Scholars Award e que lhe dá a oportunidade de apresentar o seu projeto Dashboard CicLisboa no maior evento de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) a nível mundial - o Esri User Conference e a Education Summit -, ambos a decorrer no próximo mês de julho, em San Diego, na Califórnia (EUA).

Após passar o verão de 2023 a percorrer as ciclovias de Lisboa, Miguel Pires criou o projeto Dashboard CicLisboa, apresentado nesta competição no passado dia 19 de março. O aluno da Ciências ULisboa é atleta de alto rendimento de badminton pelo Clube Raquete Estrelas das Avenidas e usa diariamente a sua bicicleta. O seu projeto tem como público alvo os turistas e residentes de Lisboa, amantes do ciclismo, que desta forma têm acesso a cinco itinerários cicláveis, com diferentes pontos de interesse sobre a capital portuguesa.

O projeto Dashboard CicLisboa facilita o acesso à informação geográfica por parte do cidadão e incentiva a utilização de dados abertos e de mobilidade sustentável. Todos os itinerários podem ser feitos usando o serviço da Câmara Municipal de Lisboa Gira - Bicicletas de Lisboa.

“A Engenharia Geoespacial está muito relacionada com os SIG. Nas nossas aulas usamos muito a tecnologia ArcGIS por isso achei que era adequado concorrer a esta iniciativa. O meu primeiro desafio/motivação é aproximar os SIG da sociedade. Os SIG têm como objetivo tratar informação complicada e permitir a sua visualização de forma simples e isso é uma vantagem, porque qualquer pessoa pode visualizar essa informação de forma intuitiva. Não faz sentido os SIG ficarem apenas no domínio das academias e das empresas”, diz Miguel Pires.

CicLisboa distinguido na 1.ª edição do Dashboard Challenge 2023

Este é o segundo prémio atribuído ao Dashboard CicLisboa. Em outubro de 2023, o projeto de Miguel Pires também conquistou o prémio de "Melhor Visualização" e "Melhor Storytelling", no âmbito da 1.ª edição do Dashboard Challenge 2023. A professora de SIG na Ciências ULisboa - Cristina Catita - incentivou-o a concorrer a esta iniciativa. A este propósito, Cristina Catita refere ainda que pela terceira vez um aluno da Ciências ULisboa ganha o Esri Young Scholars Award, em 2018, foi a Carolina Rocha, e em 2023, foi a Vanessa Ferreira. "Os nossos alunos são mesmo top", diz Cristina Catita.

Miguel Pires pensou em realizar este projeto por várias razões. Por um lado, gosta muito de explorar a cidade de bicicleta. Faz cerca de cinco viagens de bicicleta por dia. Por outro, tem preocupações ambientais: não gosta de ver a sua cidade cheia de trânsito, especialmente em dias de sol.

“Antes de escolher o tema analisei se ia ter algum constrangimento de dados porque normalmente é o maior constrangimento que se tem. por causa dessa pré-análise vi que não iria ter problemas”, refere acrescentando que o tempo foi o principal constrangimento. “Tinha dois meses para fazer isto e tive que trabalhar muitas horas. Basicamente peguei na minha bicicleta e no bloco de notas e fui pelas ciclovias de Lisboa para escolher uns percursos que achasse mais interessantes. Depois juntei tudo num software e com os dados da Câmara Municipal de Lisboa construí o dashboard e a plataforma”, explica.

No futuro, Miguel Pires pretende continuar a desenvolver este projeto colaborativo com o envolvimento do cidadão, proporcionando mais itinerários, com novos pontos de interesse.

O programa Esri Young Scholars Award existe desde 2012 e visa reconhecer o trabalho exemplar de estudantes do ensino superior e investigadores de todo o mundo nas áreas das Ciências Geoespaciais. A Esri Portugal - Sistemas e Informação Geográfica organiza a edição portuguesa desta competição. Esta empresa é desde 1987 a única distribuidora em Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé da tecnologia ArcGIS, líder mundial na tecnologia SIG.

“A Engenharia Geoespacial está muito relacionada com os SIG. Nas nossas aulas usamos muito a tecnologia ArcGIS por isso achei que era adequado concorrer a esta iniciativa.

O meu primeiro desafio/motivação é aproximar os SIG da sociedade. Os SIG têm como objetivo tratar informação complicada e permitir a sua visualização de forma simples e isso é uma vantagem, porque qualquer pessoa pode visualizar essa informação de forma intuitiva. Não faz sentido os SIG ficarem apenas no domínio das academias e das empresas.”
Miguel Pires

Miguel Pires na biblioteca do C8
“Tenho muitos amigos que nem sequer são da faculdade e vêm estudar comigo na biblioteca do C8, porque gostam muito do ambiente da Faculdade”, diz Miguel Pires
Fonte GJ DCI Ciências ULisboa

 

Ana Subtil Simões, Gabinete de Jornalismo da DCI CIências ULisboa com Gonçalo Bofill
noticias@ciencias.ulisboa.pt
pessoas sentadas a escrever ao computador e em post its

Decorreu de 11 a 15 de julho na Ciências ULisboa a WideHealth Summer School sob o tema “Human Factors in Pervasive Health”. O evento foi organizado pelo LASIGE, tendo acolhido participantes de toda a Europa.

rapariga no laboratorio

Já são conhecidos os resultados do Concurso de Projetos de I&D em Todos os Domínios Científicos de 2022, da FCT. Do total de projetos aprovados para financiamento, 33 contam com a participação da Ciências ULisboa.

grupo de alunos do programa

"Na Ciências ULisboa temo-nos esforçado ao longo dos anos para desenvolver um programa que trará uma semana inesquecível a estes jovens", escreve Ana Sofia Santos, monitora central do Verão na ULisboa, no artigo de opinião sobre o programa.

rapariga a rir

"A ideia de que o sentido de humor pode facilitar o ajustamento, a gestão e a regulação emocional parece ter bastante fundamento. Mas, como, onde e como entram os limites do humor nesta questão?", escreve Samuel Silva, psicólogo no GAPsi Ciências ULisboa.

Instalações do Quake

Os cientistas Susana Custódio e Luís Matias escrevem sobre o Centro do Terramoto de Lisboa, que nasceu de uma vontade de contar a fascinante história do sismo de 1755. A Faculdade e o IDL Ciências ULisboa são parceiros do Quake. 

mar

Novo artigo científico publicado na Frontiers in Marine Science alerta para a necessidade de uma visão global para o oceano no acordo internacional atualmente em elaboração no quadro das Nações Unidas. Artigo conta com a participação de dois professores e investigadores da Ciências ULisboa.

imagem ilustrativa do prémio

O Prémio DHFC 2021 foi atribuído a Daniele Molinini, investigador do CFCUL, membro do grupo de investigação Filosofia das Ciências Formais, Metodologia e Epistemologia.

Hugo Duminil-Copin

"Hugo Duminil-Copin é um físico-matemático que trabalha em teoria das probabilidades. Um daqueles que, durante os vinte últimos anos, regressou à fonte histórica de inspiração das matemáticas, a física teórica", escreve Jean-Claude Zambrini, professor do DM Ciências ULisboa, no ensaio dedicado ao matemático galardoado com a medalha Fields.

posters afixados

“Jovens investigadores” é o projeto da EBS Alfredo da Silva, no Barreiro, que permite aos alunos estabelecerem uma relação de proximidade com professores e investigadores do ensino superior, nomeadamente da Ciências ULisboa.

Pessoa a trabalhar na FCULresta

Já existem mais três miniflorestas plantadas na AML e muitas outras estão a germinar. “A FCULresta cumpre assim um outro objetivo, o de inspirar e apoiar a plantação de mais florestas urbanas biodiversas”, escrevem David Avelar, António Alexandre e Diogo Mendes.

June Huh

"O que motiva June Huh é a busca da beleza na Matemática, e a descoberta de ligações entre diferentes áreas desta disciplina", escreve Carlos A. A. Florentino, professor do DM Ciências ULisboa, no ensaio dedicado ao matemático galardoado com a medalha Fields.

Alina Shchepetkina com outra investigadora

A expedição South Atlantic Transect II (IODP 393) zarpou a 11 de junho de 2022 da Cidade do Cabo, na África do Sul, e tem uma duração de 61 dias. A equipa a bordo tem cientistas de várias partes do globo na expectativa de obter respostas para algumas questões apaixonantes e relacionadas com alterações nos ambientes da Terra durante os últimos 61 milhões de anos. Uma dessas cientistas é Alina Shchepetkina, investigadora do Instituto Dom Luiz da Ciências ULisboa.

Membros da direção da Faculdade, Conselho de Escola e Reitor da ULisboa

Luís Carriço, professor do Departamento de Informática e investigador do LASIGE, tomou posse como diretor da Ciências ULisboa, esta quarta-feira, dia 20 de julho, numa cerimónia que juntou vários membros da Faculdade e Universidade, na sala de atos, sita no edifício C6. A boa disposição imperou no ato solene, durante o qual os professores Margarida Santos-Reis, Hugo Miranda, Jorge Relvas, Maria João Gouveia e Pedro Almeida foram indigitados subdiretores da Faculdade.

ímanes moleculares

Nuno A. G. Bandeira, investigador do DQB e do BioISI Ciências ULisboa, escreve sobre um estudo, que constitui um marco na evolução do conhecimento e na busca de melhores materiais para aplicação na spintrónica e computação à escala quântica.

Foto do instrumento NIRPS

O espectrógrafo NIRPS, a sigla inglesa para Near-Infrared high resolution spectrograph, ou espectrógrafo no infravermelho próximo de alta resolução, cujo desenvolvimento e construção contou com a participação do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), observa na banda do infravermelho, no Telescópio ESO de 3,6 metros do Observatório de La Silla, no Chile, complementando assim espectrógrafos como o HARPS e o ESPRESSO. 

fundo marinho

Novo artigo publicado na Nature Ecology and Evolution, por uma equipa de 30 investigadores de todo o mundo, da qual fazem parte dois investigadores portugueses com ligação à Ciências ULisboa, resulta da consulta prévia de cerca de 680 especialistas e outros profissionais ligados ao meio marinho.

Anfiteatro no C8 e paryicipantes do evento

"A Conferência Internacional Hi-Phi teve um sucesso muito para além do expectável e mostrou a vitalidade do diálogo entre a História e a Filosofia das Ciências", escrevem Ana Duarte Rodrigues e João L. Cordovil, coordenadores científicos respetivamente do CIUHCT e do CFCUL, na crónica sobre o importante acontecimento.

3 alunos no labotarório

Dois anos depois de um interregno, “Ser Cientista” está de volta de 25 a 29 de julho e propõe a jovens alunos que experimentem a “vida” de um investigador.

Pedreira

O mestrado em Geologia tem como objetivo formar profissionais com uma formação sólida em áreas chave das Ciências da Terra e que possam responder aos desafios da sociedade do século XXI. Artigo de opinião do Departamento de Geologia a propósito deste novo plano de estudos.

saída de campo da Geologia

A Faculdade tem um novo ciclo de estudos acreditado pela  Agência e Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES), para substituição dos mestrados na área da Geologia com 90 ECTS. O novo mestrado em Geologia tem a duração de dois anos, com 120 ECTS.

Mesa com vários oradores no grande auditório da Faculdade

A sessão de abertura do 30th International Carbohydrate Symposium foi antecipada e presencial, tendo sido gravada em Ciências ULisboa, para ser apresentada internacionalmente a 10 de julho, primeiro dia do simpósio. A cientista Amélia Pilar Rauter, nesta crónica, descreve o que aconteceu nessa sessão, o antes e depois… O simpósio termina a 15 de julho e segundo a presidente da International Carbohydrate Organisation  serão apresentadas as invenções e descobertas mais recentes, muitas delas relevantes para a sociedade.

dois alunos no laboratório

Doze alunos do Clube Ciência Viva da Escola Secundária Padre António Vieira visitaram um dos laboratórios da Faculdade. A visita foi organizada pelo professor Octávio Paulo, orientada por dois alunos da Faculdade.

Imagem do palco do evento com oradores em destaque

“A iniciativa alcançou o sucesso científico desejado, prontamente reconhecido pela maioria dos seus participantes, (...) o que confirma o interesse crescente que os temas dos riscos urbanos têm vindo a suscitar, no seio da comunidade técnica e científica internacional”, escreve Paula Teves-Costa, presidente da Comissão Organizadora da ICUR2022.

evento da ECFS com pormenor para sigla da sociedade

Carlos M. Farinha, professor do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa e investigador do Grupo de Investigação em Fibrose Quística, incluído no Grupo de Genómica Funcional e Proteostase do BioISI, foi eleito membro do Conselho de Direção da Sociedade Europeia de Fibrose Quística (ECFS sigla em inglês).

Dua jovens observam espécies no campus da Faculdade

"O BioBlitz é uma metodologia para realizar uma avaliação rápida da biodiversidade de um local num determinado período de tempo", escrevem Patrícia Tiago e Sergio Chozas, coordenadores do +Biodiversidade @CIÊNCIAS. Há cerca de um mês dinamizaram um BioBlitz no campus da Faculdade. Leia a crónica dos cientistas sobre o assunto.

Páginas