Ciências ULisboa apresenta à Aquila Clean Energy primeiros resultados do estudo pioneiro

Avaliação detalhada de impactes da construção da central fotovoltaica do Cercal na biodiversidade

Imagem do Cercal num portátil com pessoas desfocadas

A apresentação de resultados do trabalho científico que a equipa da Ciências ULisboa tem vindo a desenvolver na área onde vai ser implementada a central fotovoltaica do Cercal, em Santiago do Cacém, ocorreu no dia 1 de março

Ricardo Ruella

A  Aquila Clean Energy foi distinguida com o prémio IJGlobal ESG Renewable Energy, pelo seu conceito EcoSolar na central fotovoltaica do Cercal, um reconhecimento que se deve em grande parte à implementação de estudos de I&D como o que está a ser realizado pela Ciências ULisboa ao abrigo desta parceria.

A Ciências ULisboa já tem os primeiros resultados do trabalho científico que tem vindo a desenvolver na área onde vai ser implementada a central fotovoltaica do Cercal, em Santiago do Cacém, resultado do protocolo estabelecido, em outubro de 2022, entre a Faculdade, a Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências (FCiências.ID) e a Aquila Clean Energy.

“Neste momento temos a informação de referência, antes da construção da central, e que permite fazer quase tudo. Raramente estes projetos avaliam tantas componentes de biodiversidade como o nosso e em tantos locais de observação (50). Fizemos uma análise exaustiva aos solos, que além de análises físico-químicas, inclui uma análise genética ao ADN ambiental (eDNA) que deteta todos os organismos presentes no solo. Analisamos a diversidade das plantas, e analisamos os invertebrados, nomeadamente os polinizadores. Identificamos as aves, os mamíferos, os anfíbios e os répteis”, diz Cristina Branquinho, professora da Ciências ULisboa, investigadora no Centro de Ecologia, Evolução a Alterações Ambientais (cE3c) e coordenadora geral do projeto.

Cristina Branquinho a falar para os participantes da reunião
Cristina Branquinho espera que este know-how possa contribuir para o desenvolvimento sustentável do planeta e para a internacionalização deste tipo de estudo científico
Fonte Ricardo Ruella

“Neste momento temos a informação de referência, antes da construção da central, e que permite fazer quase tudo. Raramente estes projetos avaliam tantas componentes de biodiversidade como o nosso e em tantos locais de observação (50). Fizemos uma análise exaustiva aos solos, que além de análises físico-químicas, inclui uma análise genética ao ADN ambiental (eDNA) que deteta todos os organismos presentes no solo. Analisamos a diversidade das plantas, e analisamos os invertebrados, nomeadamente os polinizadores. Identificamos as aves, os mamíferos, os anfíbios e os répteis.”
Cristina Branquinho

O trabalho realizado pela equipa da Ciências ULisboa e do cE3c identificou mais de 200 espécies de plantas. Em Portugal há cerca de três mil espécies.

Este processo permitiu identificar nesta região espécies muito importantes ao nível de biodiversidade e que não foi possível identificar previamente. “O facto de termos estudado tão bem este território já trouxe valor acrescentado ao conhecimento da biodiversidade” , adianta Cristina Branquinho. A cientista espera inclusivamente que este know-how possa ser aplicado noutros projetos semelhantes, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do planeta e para a internacionalização deste tipo de estudo científico, considerado pioneiro pela integração de tantas componentes biológicas e pelo detalhe espacial que foi usado.

Os cientistas Cristina Branquinho, Helena Serrano, Sergio Chozas e Fernando Ascensão apresentaram os principais indicadores obtidos até ao momento e que permitem caracterizar o solo, a fauna e a flora daquela região, com um detalhe não alcançado antes, no passado dia 1 de março, no campus da Faculdade.

Helena Serrano, Sérgio Chozas e Fernando Ascensão
Helena Serrano, Sergio Chozas e Fernando Ascensão apresentaram os principais indicadores obtidos até ao momento e que permitem caracterizar o solo, a flora e a fauna daquela região
Fonte Ricardo Ruella

A reunião contou com a presença de representantes da Aquila Clean Energy – Manuel Fonseca e Silva, Virgínia Agostinho e Cristina Santiago. Luís Carriço, diretor da Ciências ULisboa e José Manuel Rebordão, presidente do Conselho de Administração da FCiências.ID, também participaram neste encontro. Para ambos este tipo de parceria é fundamental e é para manter, se possível, numa estratégia de longo prazo.

Através de metodologias de investigação científica tem sido possível caracterizar a qualidade do solo em termos de fertilidade, bem como da sua biodiversidade, e a riqueza da fauna e flora. Este estudo permite compreender a situação atual e apoiar a definição de estratégias para preservação da biodiversidade local. O objetivo desta parceria é avaliar os impactes da construção e apresentar estratégias para mitigar os possíveis efeitos e se possível encontrar oportunidades para potenciar alguns aspetos da biodiversidade.

"A parceria que definimos com a Ciências ULisboa permite-nos obter um maior conhecimento da biodiversidade presente no local. Isto permitir-nos-á definir a melhor estratégia de implementação da nossa central fotovoltaica, com um mínimo de efeitos associados a esta construção e que permita, ao mesmo tempo, proteger a fauna e flora do Cercal. Este é um passo integrado na nossa metodologia, através da qual promovemos o desenvolvimento de ativos renováveis sem que os mesmos resultem em alterações aos ecossistemas próprios de cada região", Manuel Silva, diretor do Departamento de Desenvolvimento e Construção de Projetos da Aquila Clean Energy em Portugal, acrescentando ainda que “ desta forma, priorizando a análise e a proteção da biodiversidade e das caraterísticas únicas de cada local, conseguimos acelerar a transição energética do país sem colocar em causa a sustentabilidade de cada local".

Membros da Faculdade e da Aquila Clean Energy
O objetivo desta parceria é avaliar os impactes da construção e apresentar estratégias para mitigar os possíveis efeitos e se possível encontrar oportunidades para potenciar alguns aspetos da biodiversidade
Fonte Ricardo Ruella

Ana Subtil Simões, Gabinete de Jornalismo da DCI Ciências ULisboa com Gonçalo Bofill
noticias@ciencias.ulisboa.pt
Equipa do CSD Lab do BioISI

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Estrutura e Dinâmica Celular (CSD Lab) do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioIS

Diogo Rodrigues Fernandes

Diogo Rodrigues Fernandes, doutorando de CIÊNCIAS e investigador no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (

Banner O Planeta Vivo

“Temos este mundo, ou nada. E temos um grande problema se não entendermos o planeta que queremos salvar.” Esta citação de Carl Sagan é o mote do documentário ‘O Planeta Vivo’, que estreou no passado dia 3 de julho na RTP.

Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025 um telescópio made in Portugal para observar o Sol.

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Vanessa Fonseca, Catarina Frazão Santos, Rita Cardoso, Cláudio Gomes, Ana Duarte Rodrigues e Paulo J. Costa posam com os prémios para uma foto numas escadas

A faculdade conseguiu obter o segundo lugar entre as Escolas da Universidade de Lisboa mais galardoadas.

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Páginas