Dictum et factum

Ana Subtil Simões

Ana Subtil Simões

Ana Subtil Simões

ACI Ciências ULisboa

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências ULisboa? O Dictum et factum de novembro é com Ana Subtil Simões, técnica superior da Área de Comunicação e Imagem (ACI) de Ciências ULisboa.

Quando era criança já sabia que profissão gostaria de ter no futuro?

Ana Subtil Simões (ASS) – Em criança queria ser bailarina e ainda hoje gosto de dançar, tanto que este ano, juntamente com um grupo de amigas, preparámos um espetáculo em colaboração com a Sociedade Recreativa e Musical de Almoçageme em homenagem à nossa professora de dança Ângela Maia. Profissionalmente foi no início do ensino secundário que descobri que um dia gostaria de ser jornalista para contar boas histórias.

Qual foi o 1.º emprego?

ASS – O meu primeiro emprego foi em part-time na Loja Chança e Neves. Como só tinha aulas de manhã, em Lisboa, ocupava as tardes com o atendimento ao público e às vezes ajudava a Lena com a decoração da montra, gostava particularmente desse momento criativo. Nessa época também cheguei a escrever para o jornal “A Pena”, como correspondente da minha aldeia, mas aí não tinha ordenado.

 Como surgiu a hipótese de trabalhar em Ciências ULisboa?

ASS – Vi um anúncio no jornal e nem queria acreditar que a Faculdade estava à procura de jornalistas!!! Naquele momento estava a trabalhar na Loja de Informação da Câmara Municipal de Oeiras (CMO), coordenada por Luís Macedo e Sousa. Talvez um dia pudesse escrever para a CMO, mas aquele anúncio possibilitava voltar a redigir notícias e reportagens a curto prazo... Tinha interrompido a colaboração que mantinha como correspondente de Sintra para o jornal "A Capital" e estava um pouco triste por abdicar do meu sonho. O recrutamento para a Faculdade implicou a redação de algumas notícias e quando soube que tinha sido escolhida fiquei verdadeiramente feliz.

Há quantos anos trabalha na Faculdade?

ASS – Comecei a trabalhar em março de 2001 na Divisão de Organização e Gestão da Informação (DOGI), atualmente, ACI.

O que começou por fazer quando aqui chegou?

ASS - Juntamente com Ana Bela Rocha, na época chefe de divisão da DOGI, editava a info-Ciências – Folha informativa da Faculdade, uma publicação quinzenal, com uma tiragem de 850 exemplares e que mais tarde passou a mensal, com uma tiragem de 2000 exemplares. Entre outras tarefas, também editava a info-Semana, uma newsletter de eventos que passou para o formato digital em 2002.

E agora como é o seu dia-a-dia?

ASS – Muitas vezes o meu dia-a-dia é passado à secretária a responder a emails, a escrever ou a rever géneros jornalísticos, assim como a redigir e a rever comunicados de imprensa. Também edito a Newsletter de Ciências todas as semanas e a área de recortes de imprensa do nosso site, procurando articular sempre que necessário a comunicação entre jornalistas e os nossos professores, cientistas. Existem ainda outras tarefas, como a divulgação destes assuntos nas redes sociais, os Sons de Ciências, a preparação de alguns documentos relacionados com a missão da nossa unidade, etc..

O que é que mais gosta de fazer na unidade onde está inserida?

ASS – Gosto muito de me sentir útil. Neste trabalho conhecemos pessoas e projetos que fazem a diferença e quando assim é crescemos todos! Também gosto muito da nossa equipa: é um grupo muito empenhado e todos "vestem a camisola"!

Há alguma coisa que não aprecia na sua rotina profissional?

ASS – Sim, há. Quando não consigo gerir de forma eficaz e eficiente o tempo fico ansiosa e stressada.

Na sua opinião o melhor da Faculdade é…?

ASS – As pessoas, sempre as pessoas e são muitas… A Faculdade é centenária e por ela já passaram (e vão continuar a passar) muitas personalidades que ajudaram (e vão continuar a ajudar) a construir a história de Portugal, uma história muito rica e que também coloca o país no centro do mundo. Além disso, aqui fiz grandes amigos, uns ainda cá estão, outros já não.

E o melhor da Administração Pública, o que é?

ASS – Acho que o melhor se resume a duas palavras: serviço público.

Se tivesse que escolher um adjetivo para se descrever, qual seria a palavra escolhida?

ASS – Talvez escolha apaixonada…

Porquê?

ASS – Sou completamente apaixonada pelas pessoas da minha vida: os meus filhos e marido, a minha família e amigos. Também vibro de forma entusiástica quando me deparo com boas ideias e pessoas. Por isso acho que sou apaixonada pelos sonhos que comandam as nossas vidas.

ACI Ciências ULisboa
Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

Páginas