Criar laços


"Só quem trabalha na área da investigação sabe o que é passar por momentos como estes em que não vemos a luz ao fundo do túnel, mas é aliciante e faz-nos desenvolver muitas das nossas hard e soft skills aos mais diversos níveis"
Fonte IBEB de Ciências da ULisboa

A dissertação de mestrado de Pedro Ferreira, engenheiro biomédico, de 23 anos, ganhou recentemente o primeiro prémio na Worldwide Academic Competition 2015, na categoria Future of Health, uma iniciativa promovida pela Future Ideas.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido pela Faculdade de Ciências da ULisboa, a metodologia apresentada por este jovem de 23 anos poderá levar à utilização massiva de algoritmos matemáticos através do recurso à computação em placas gráficas. Além das vantagens para o diagnóstico do cancro da mama, estes algoritmos podem ainda permitir reduzir a quantidade de radiação a que são submetidos os pacientes hoje em dia.

Pedro Ferreira realizou este trabalho no Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB) da Faculdade de Ciências da ULisboa, integrado num projeto de investigação financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, em parceria com o NOVA LINCS, um laboratório de investigação em Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. Saiba como começou esta “aventura” na entrevista que se segue e conheça ainda a opinião de Nuno Matela, professor e investigador da Faculdade de Ciências da ULisboa e um dos seus orientadores.

Como surgiu a hipótese de realizar este trabalho no IBEB?

Pedro Ferreira (PF) - Foi a partir de uma outra investigadora do IBEB, a Raquel Conceição, que me deu a conhecer o professor Nuno Matela, o meu orientador no IBEB, que então me apresentou o projeto em questão.


Fonte Cedida por NM

Ciências da ULisboa - Em que datas o concretizou?

PF – Iniciei-me como investigador no IBEB em fevereiro de 2014. Terminei em setembro de 2014, apesar de continuar ligado e a apoiar a realização deste projeto de forma ativa.

O que é que mais gostou de fazer no âmbito desta experiência?

PF - Penso que o facto de ter de aprender sobre um assunto novo sem quaisquer bases profundas, principalmente no que diz respeito à computação paralela, foi um desafio interessante e por isso uma satisfação enorme de hoje em dia ser reconhecido pelo trabalho e por ter tido a oportunidade de divulgar o que temos vindo a realizar em duas conferências internacionais. Orgulho-me também de ter conseguido criar laços entre a minha instituição de origem (a Universidade Nova de Lisboa), e em particular o NOVA LINCS, e o IBEB, pois penso que tal trará certamente frutos tanto para o lado da Universidade de Lisboa, como para a Universidade Nova de Lisboa.

Teve contratempos no âmbito deste trabalho? Se sim, como os ultrapassou?

PF - Sim, diversas vezes... Trabalhar enquanto investigador envolve alturas más e boas, como em tudo... Só quem trabalha na área da investigação sabe o que é passar por momentos como estes em que não vemos a luz ao fundo do túnel, mas é aliciante e faz-nos desenvolver muitas das nossas hard e soft skills aos mais diversos níveis. De qualquer forma é nessas alturas que nos apoiamos dos nossos orientadores que nos ajudam muitas vezes a traçar um caminho.

Porque concorreu a esta competição?

PF – Concorri pois já tinha ouvido falar da competição e visto considerar esta uma ideia original e adequada para o tipo de competição que é o Future Ideas; penso que o feedback que fui obtendo nas diversas conferências me influenciou a dar este passo em frente.

Estava à espera de ganhar?

PF – No início não, mas assim que chegou ao top 10 comecei a aperceber-me do potencial da ideia e de como a mesma estava a ser bem recebida.

O que está a fazer neste momento?

PF – Trabalho atualmente na Cerner Portugal (empresa recém criada após a aquisição da Siemens Health Services por parte da Cerner Corporation) na área de soluções clínicas e tecnologias de informação.Também dou apoio - como monitor - a uma disciplina de programação a estudantes de Engenharia Biomédica, Física e Matemática na Faculdade de Ciências da Universidade Nova de Lisboa.

E no futuro, o que pretende fazer?

PF – Pretendo possivelmente concluir o mestrado em Engenharia Informática e enveredar muito em breve por uma carreira internacional na área das Tecnologias de Informação.

Comentário de Nuno Matela
Professor do Departamento de Física e investigador do IBEB da Faculdade de Ciências da ULisboa

“Foi um enorme prazer ter tido a oportunidade de orientar o trabalho de mestrado de um aluno como o Pedro Ferreira e muito gratificante ver agora o mérito do seu trabalho reconhecido. O Pedro demonstrou ao longo do período que trabalhou connosco uma capacidade de trabalho e conhecimentos que não são comuns num aluno de mestrado, o que tornou ainda mais motivante esta orientação.
O Pedro entrou num projeto que já decorria há aproximadamente um ano e os resultados preliminares que obtivemos já nos davam uma forte indicação que os algoritmos que tínhamos desenvolvido poderiam ser uma mais-valia no diagnóstico do cancro da mama. Porém, sabíamos que o seu tempo de computação seria uma forte limitação à sua utilização em prática clínica. O Pedro atacou este problema com um enorme empenho e conseguiu, recorrendo à programação em placas gráficas, acelerar enormemente o processo e assim aumentar bastante o potencial que esta metodologia poderá ter num tópico tão relevante. Além disso, conseguiu fazê-lo com uma solução extremamente barata pois as placas gráficas são um componente de custo reduzido e existente em todos os computadores.
Além deste empenho, o Pedro demonstrou sempre uma enorme humildade. Ao perceber que os conhecimentos que trazia do seu curso eram sólidos em Engenharia Biomédica, mas que podiam não ser suficientes para um projeto de programação em placas gráficas, o Pedro foi complementando o seu trabalho com a realização disciplinas extracurriculares e com um curso especificamente sobre este tema em Barcelona.
Enquanto orientador, não posso deixar de dizer que é motivo de enorme satisfação ver a valorização que uma instituição internacional faz do trabalho realizado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e, em particular, no Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica e de mais uma vez endereçar os meus parabéns ao Pedro.”

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura de Ciências da ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Cientista Ana Russo Regressa à Escola

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Páginas