Dictum et factum

Assunção Bispo

Assunção Bispo

Dictum et factum com Assunção Bispo

ACI Ciências ULisboa

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de maio é com Assunção Bispo, assistente técnica do Departamento de História e Filosofia das Ciências (DHFC).

Quando era criança já sabia que profissão gostaria de ter no futuro?

Assunção Bispo (AB) - Enquanto criança, na escola primária, só pensava em brincadeiras como o lencinho vai na mão, “às apanhadas”, andar de patins, jogar com berlindes, com as “saquinhas” ou “piorras”, além de outras coisas que inventava. Como quase todas as crianças, gostava de animais e lembro-me de ter lá em casa um ou dois animais, primeiro um cão e, mais tarde, também um gato, com os quais brincava muito. Esta foi uma fase muito boa da minha vida que relembro com alguma nostalgia.
Já mais crescida, pensei então em profissões tais como professora de Ginástica, de Desenho, de Lavores, de Trabalhos Manuais…

Como surgiu a hipótese de trabalhar em Ciências?

AB - Tinha regressado dos EUA, havia pouco tempo, e estava à procura de trabalho quando alguém me informou que o Departamento de Química e Bioquímica (DQB) da FCUL, necessitava de uma pessoa para realizar vários trabalhos na secretaria e no laboratório de computadores.

Foi o 1.º emprego?

AB - O meu primeiro emprego, a partir dos 16 anos, foi com o meu pai, cuja principal profissão era a de fotógrafo e que complementava, também, com o negócio de papelaria e livraria. Aprendi a profissão de fotógrafo com muito gosto e também trabalhei com o meu pai na nossa papelaria/livraria. Entretanto o meu pai emigrou para os EUA e eu acompanhei-o, tendo aí residido seis meses, período durante o qual trabalhei numa fábrica de componentes eletrónicos. Contudo, considero que, em Portugal, foi na FCUL que tive o meu primeiro emprego fora de “casa”.

Há quantos anos trabalha em Ciências?

AB - Comecei a trabalhar na Faculdade a 28 de fevereiro de 1989, ou seja há 28 anos.

O que começou por fazer quando aqui chegou?

AB - Auxiliava os professores do DQB. Ajudava na manutenção e organização do Laboratório de Computadores, onde durante alguns anos fui responsável pela instalação de software para as aulas (sistemas operativos DOS e Windows e outros programas), recebia os trabalhos dos alunos e mantinha o laboratório aberto aos alunos em horários extra aulas. Na Secretaria do departamento, realizava trabalho administrativo inerente a uma secretária.

E agora como é o seu dia-a-dia?

AB - Neste momento estou no DHFC, faço o trabalho que diz respeito ao secretariado, trabalhos relacionados com os alunos de licenciatura, mestrado e doutoramento, os planos de doutoramento, as pautas, os programas, a distribuição de serviço docente, etc..Continuo a gostar do que faço.

O que é que mais gosta de fazer na unidade onde está inserida?

AB - Tudo o que faço é com satisfação, mesmo aquilo que possa não me agradar tanto. Ao longo dos anos, a trabalhar aqui, tenho aprendido muito. Gosto do trabalho administrativo e tenho um fraquinho especial por trabalhar com computadores. Agrada-me, fundamentalmente, aprender coisas novas e a ausência de monotonia, pois cada dia é diferente do anterior. Gosto do contacto com os alunos, aprende-se e ensina-se, e além do mais se tenho trabalho a eles devo. Também aprecio o relacionamento franco e aberto quer com os professores quer com os colegas.

Há alguma coisa que não aprecia na sua rotina profissional?

AB - De um modo geral, como referi, gosto de tudo o que faço, claro que há tarefas que gosto mais do que outras. A única coisa que poderia não apreciar seria estar sem nada para fazer, mas isso felizmente não acontece nem nunca aconteceu.

Na sua opinião o melhor da Faculdade é…?

AB - A existência de um bom ambiente, há espírito de colaboração entre todas as pessoas. É como pertencer a uma grande família - alunos, professores e colegas -, em que cada um tem funções a desempenhar, mas se alguém necessita de ajuda há sempre alguém que vem em auxílio.

E o melhor da Administração Pública, o que é?

AB - É o de nos permitir colaborar com o Estado, de modo a que todos possam beneficiar, de igual modo, de diferentes serviços fundamentais (Educação, Saúde, etc.), independentemente da condição social de cada um.

Se tivesse que escolher um adjetivo para se descrever, qual seria a palavra escolhida?

AB - Otimista.

Porquê?

AB - Porque na vida não nos podemos deixar levar pelo pessimismo, pois desse modo não conseguimos nada. Perante algo menos positivo, nomeadamente no que ao trabalho diz respeito, temos sempre de continuar e completar o que nos propusemos fazer. Tenho aprendido muito ao longo da vida, mesmo com as situações menos agradáveis. Devemos sempre procurar tirar lições do que fazemos, até mesmo nessas situações, pois só assim podemos evoluir e estar bem connosco e com os outros.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Fotografia de participantes na Training School

CLEANFOREST na vanguarda da compreensão dos efeitos dos extremos climáticos e poluição nas florestas Europeias

Participantes no Dia Aberto

O campus ganhou vida, cor e energia proveniente do entusiasmo dos cerca de 2000 alunos de 170 escolas de norte a sul do País.

CIÊNCIAS esteve presente nesta edição, com a participação dos docentes do Departamento de Física: Alexandre Cabral, no painel de abertura “À conversa sobre carreiras espaciais” e

Semana Internacional da Compostagem

Uma das transformações necessárias às entidades que querem progredir pelo caminho da sustentabilidade é fecharem os seus ciclos de materiais, nomeadamente o orgânico.

A VicenTuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - completou 30 anos em janeiro de 2024. Para comemorar, realizou no dia 30 de abril de 2024, a Festa da Primavera, um espetáculo de música e divertimento dedicado à comunidade de CIÊNCIAS e ao público em geral.

Celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974 da Academia das Ciências de Lisboa

A 9 de maio realiza-se a segunda de duas jornadas de debate académico e científico organizadas pela Academia das Ciências de Lisboa, que tem por objetivo ‘analisar e discutir a evolução do panorama científico português de forma prospetiv

Lançamento do projeto Barrocal-Cave marca um novo capítulo na Conservação da Biodiversidade em Portugal

O prestigiado Palácio Gama Lobo foi o cenário escolhido para o lançamento do projeto Barrocal-Cave, financiado pelo Prémio Fundação Belmiro de Azevedo 2023.

No passado dia 10 de abril, tivemos a honra de receber um grupo de estudantes e dois professores da Universidade de Leiden, na Holanda. Com um total de 40 estudantes, todos da área das bio farmacêuticas, a visita prometia ser entusiástica.

Miguel Pinto

No dia 29 de abril, Miguel Pinto visitou a Escola Básica Professora Aida Vieira, no Bairro Padre Cruz em Lisboa, para realizar oficinas de divulgação científica e atividades didáticas.

Fotografia de alguns dos oradores

O que é a sustentabilidade? Como podemos agir a nível local, procurando um impacto global? Estas e muitas outras questões marcaram a segunda edição da Semana da Sustentabilidade CIÊNCIAS, entre 15 e 19 de abril de 2024.

Páginas