Projeto facilita o acesso à informação geográfica por parte do cidadão e incentiva a utilização de dados abertos e de mobilidade sustentável

Estudante de Engenharia Geoespacial da Ciências ULisboa vence Esri Young Scholars Award 2024

CicLisboa disponibiliza cinco itinerários cicláveis na capital portuguesa

Imagem do Miguel Pires durante a competição ocorrida em videoconferência

O projeto Dashboard CicLisboa facilita o acesso à informação geográfica por parte do cidadão e incentiva a utilização de dados abertos e de mobilidade sustentável

Esri Portugal
Miguel Pires
Fonte GJ DCI Ciências ULisboa

No primeiro semestre de 2025/2026, se tudo correr como previsto, Miguel Pires vai ter uma experiência de Erasmus no Karlsruhe Institute of Technology, na Alemanha.
Quando terminar a licenciatura, o aluno da Ciências ULisboa pretende prosseguir os estudos no estrangeiro, gostava de fazer um mestrado na área da Engenharia Geoespacial, na Suíça ou na Alemanha. Ainda não sabe que carreira vai ter, mas pensa nisso e na sua opinião há muitas opções em aberto, que podem passar pela investigação ou por trabalhar numa empresa, por exemplo.
Até ao 12.ª ano, Miguel Pires queria estudar Física, mas nesse último ano do ensino secundário ficou com dúvidas... Quando se apercebeu que faltavam apenas duas semanas para entregar a candidatura ao ensino superior, entrou em pânico e começou a pesquisar outros cursos. Foi a mãe que recomendou a licenciatura em Engenharia Geoespacial, porque achou que era “a cara do filho”.
Miguel Pires concorreu a esta licenciatura em primeira opção e entrou. “Estes dois anos letivos na Faculdade têm sido muito bons. Eu gosto muito da parte social e das pessoas que conheci aqui. Tenho muitos amigos que nem sequer são da faculdade e vêm estudar comigo na biblioteca do C8, porque gostam muito do ambiente da Faculdade. Também gosto muito dos conhecimentos que os professores dão, especialmente em Engenharia Geoespacial. Somos poucos e os professores dão muita atenção aos alunos e estão sempre disponíveis. Para mim isso é muito importante”, conta.
Na sua opinião, a Faculdade tem um enorme potencial porque a sua oferta educativa e professores são muito bons. “A Engenharia Geoespacial é o curso da Faculdade com mais empregabilidade. É um curso muito interessante. Alguns dos meus colegas entraram no curso, em quarta ou quinta opção e, agora, adoram o curso. As pessoas adoram o curso mesmo sem terem escolhido como 1.ª opção”, declara.
Miguel Pires está no segundo ano letivo. Por ser atleta de alto rendimento está a fazer o curso em quatro anos. Começou a treinar Badminton aos dez anos e nunca mais parou. E apesar de nem sempre ser fácil conciliar as aulas com os horários dos treinos, diz que a prática desportiva é muito importante e até lhe dá outras competências, como a resiliência.
“O desporto não me afeta nada o desempenho escolar. Faço 20/25 créditos por semestre, em vez de 30, e tudo somado vai dar os quatro anos. É um conselho que dou a muita gente, mesmo que não estejam no desporto, que tenham qualquer outra atividade”, conclui.
Em dezembro de 2023, Miguel Pires juntamente com Ricardo Pereira e Tiago Ferreira, ambos estudantes da licenciatura de Engenharia Geoespacial, na Ciências ULisboa, também venceram o NextOcean hackathon, com um trabalho relacionado com a atividade de pesca ilegal.

Miguel Pires, estudante do 2.º ano da licenciatura de Engenharia Geoespacial da Ciências ULisboa, venceu a edição portuguesa do Esri Young Scholars Award e que lhe dá a oportunidade de apresentar o seu projeto Dashboard CicLisboa no maior evento de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) a nível mundial - o Esri User Conference e a Education Summit -, ambos a decorrer no próximo mês de julho, em San Diego, na Califórnia (EUA).

Após passar o verão de 2023 a percorrer as ciclovias de Lisboa, Miguel Pires criou o projeto Dashboard CicLisboa, apresentado nesta competição no passado dia 19 de março. O aluno da Ciências ULisboa é atleta de alto rendimento de badminton pelo Clube Raquete Estrelas das Avenidas e usa diariamente a sua bicicleta. O seu projeto tem como público alvo os turistas e residentes de Lisboa, amantes do ciclismo, que desta forma têm acesso a cinco itinerários cicláveis, com diferentes pontos de interesse sobre a capital portuguesa.

O projeto Dashboard CicLisboa facilita o acesso à informação geográfica por parte do cidadão e incentiva a utilização de dados abertos e de mobilidade sustentável. Todos os itinerários podem ser feitos usando o serviço da Câmara Municipal de Lisboa Gira - Bicicletas de Lisboa.

“A Engenharia Geoespacial está muito relacionada com os SIG. Nas nossas aulas usamos muito a tecnologia ArcGIS por isso achei que era adequado concorrer a esta iniciativa. O meu primeiro desafio/motivação é aproximar os SIG da sociedade. Os SIG têm como objetivo tratar informação complicada e permitir a sua visualização de forma simples e isso é uma vantagem, porque qualquer pessoa pode visualizar essa informação de forma intuitiva. Não faz sentido os SIG ficarem apenas no domínio das academias e das empresas”, diz Miguel Pires.

CicLisboa distinguido na 1.ª edição do Dashboard Challenge 2023

Este é o segundo prémio atribuído ao Dashboard CicLisboa. Em outubro de 2023, o projeto de Miguel Pires também conquistou o prémio de "Melhor Visualização" e "Melhor Storytelling", no âmbito da 1.ª edição do Dashboard Challenge 2023. A professora de SIG na Ciências ULisboa - Cristina Catita - incentivou-o a concorrer a esta iniciativa. A este propósito, Cristina Catita refere ainda que pela terceira vez um aluno da Ciências ULisboa ganha o Esri Young Scholars Award, em 2018, foi a Carolina Rocha, e em 2023, foi a Vanessa Ferreira. "Os nossos alunos são mesmo top", diz Cristina Catita.

Miguel Pires pensou em realizar este projeto por várias razões. Por um lado, gosta muito de explorar a cidade de bicicleta. Faz cerca de cinco viagens de bicicleta por dia. Por outro, tem preocupações ambientais: não gosta de ver a sua cidade cheia de trânsito, especialmente em dias de sol.

“Antes de escolher o tema analisei se ia ter algum constrangimento de dados porque normalmente é o maior constrangimento que se tem. por causa dessa pré-análise vi que não iria ter problemas”, refere acrescentando que o tempo foi o principal constrangimento. “Tinha dois meses para fazer isto e tive que trabalhar muitas horas. Basicamente peguei na minha bicicleta e no bloco de notas e fui pelas ciclovias de Lisboa para escolher uns percursos que achasse mais interessantes. Depois juntei tudo num software e com os dados da Câmara Municipal de Lisboa construí o dashboard e a plataforma”, explica.

No futuro, Miguel Pires pretende continuar a desenvolver este projeto colaborativo com o envolvimento do cidadão, proporcionando mais itinerários, com novos pontos de interesse.

O programa Esri Young Scholars Award existe desde 2012 e visa reconhecer o trabalho exemplar de estudantes do ensino superior e investigadores de todo o mundo nas áreas das Ciências Geoespaciais. A Esri Portugal - Sistemas e Informação Geográfica organiza a edição portuguesa desta competição. Esta empresa é desde 1987 a única distribuidora em Portugal, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé da tecnologia ArcGIS, líder mundial na tecnologia SIG.

“A Engenharia Geoespacial está muito relacionada com os SIG. Nas nossas aulas usamos muito a tecnologia ArcGIS por isso achei que era adequado concorrer a esta iniciativa.

O meu primeiro desafio/motivação é aproximar os SIG da sociedade. Os SIG têm como objetivo tratar informação complicada e permitir a sua visualização de forma simples e isso é uma vantagem, porque qualquer pessoa pode visualizar essa informação de forma intuitiva. Não faz sentido os SIG ficarem apenas no domínio das academias e das empresas.”
Miguel Pires

Miguel Pires na biblioteca do C8
“Tenho muitos amigos que nem sequer são da faculdade e vêm estudar comigo na biblioteca do C8, porque gostam muito do ambiente da Faculdade”, diz Miguel Pires
Fonte GJ DCI Ciências ULisboa

 

Ana Subtil Simões, Gabinete de Jornalismo da DCI CIências ULisboa com Gonçalo Bofill
noticias@ciencias.ulisboa.pt

A FCUL dá as boas-vindas aos novos alunos, após o arranque do novo ano letivo, a 17 de setembro.

Filipe Duarte Santos - Professor Catedrático e Jubilado do Departamento de Física e Director do SIM

Imagem de perfil de Maria Filomena Camões, professora do DQB-FCUL

Maria Filomena Camões, professora do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, assina um artigo sobre a criação do Instituto Nacional de Metrologia da Colômbia e a inauguração de um laboratório do qual é madrinha.

Guiomar Evans - Prof. Auxiliar do Departamento de Física e Investigadora do Centro de Física da Matéria Condensada

A missa do 30.º dia em memória de José Manuel Pires dos Santos, professor aposentado do Departamento de Informática da FCUL, realiza-se a 11 de setembro, pelas 19h00, na Igreja da Luz, em Carnide.

Toda a morte, mesmo a anunciada, é uma surpresa. Um misto de espanto e de descrença como se não fosse possível acontecer.

As actividades da Semana Zero do DEGGE têm lugar nos dias 12, 13 e 14 de Setembro.

Bolsas Universidade de Lisboa / Fundação Amadeu Dias

Em cinco anos, a UL e a FAD apoiaram 134 projetos. A Faculdade de Ciências distingue-se com o maior número de alunos e respetivos trabalhos distinguidos, setenta.

Apresentações públicas do Programa de Doutoramento em Biologia

Apesar do próximo ano letivo começar já dia 17 de setembro, a FCUL ainda está a receber candidaturas de alunos interessados nos seus cursos pós-graduados.

Centro de Dados da FCUL

Tal como anunciado em julho, a modernização do Centro de Dados da FCUL foi realizada durante os meses de verão e está prestes a terminar.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Fluxo de energia bancária

“O princípio de que aumentar o capital dos bancos favorece a estabilidade bancária, para além de estar errado, penaliza países como o nosso de forma ainda mais gravosa”, refere em entrevista Pedro Gonçalves Lind, um dos autores do regular article “The Dynamics of Financial Stability in Complex Networks”.

Os cidadãos estrangeiros abrangidos pelos programas “Erasmus Mundus” e “Ciência sem Fronteiras” podem ter autorização de residência em menos de 15 dias e direito à mobilidade no espaço da União Europeia.

Jardim

Através do sistema Concursos pode aceder a mais informações sobre o convite publicado no Jornal Oficial da União Europeia.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Adultos e criança em atividade da Ciência Viva no Verão

Até 15 de setembro, a iniciativa Ciência Viva no Verão percorre o País organizando mais de 1700 atividades científicas gratuitas para toda a população. As inscrições permanecem abertas até 15 de setembro, de acordo com o calendário de atividades. Nesta altura, já são mais de 20 mil os inscritos.

Nos dias 9 e 10 de Agosto a plataforma Moodle da FCUL vai estar inacessivel devido a uma manutenção de rotina.

As nossas desculpas pelos possiveis incómodos causados.

Liliana Caldeira junto aos posters

A investigação sempre foi um objetivo, que ganhou força após o prémio para melhor poster ser-lhe atribuído numa importante conferência internacional. Até ao final do ano, Liliana Caldeira, aluna de doutoramento em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, deverá defender a tese.

Pontos de interrogação

"Aquando da candidatura, o projeto estava numa fase embrionária e foi o Programa de Estímulo à Investigação da FCG que deu força e motivação para avançar”, diz Jocelyn Lochon, um dos vencedores da edição 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

Aluna entrevistada, sentada numa rocha

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

Cara do aluno entrevistado

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Páginas