Do incêndio da Politécnica aos C´s

“Arqueologia fina” nos escombros e cinzas do velho edifício

Pessoas na Politécnica recuperam objetos no rescaldo do incêndio

Trabalhos de recuperação pós-incêndio de exemplares geológicos

Imagens cedidas por CL e LP
Rosto de César Lopes
César Lopes

Rosto de Liliana Póvoas
Liliana Póvoas

Do incêndio de 18 de março de 1978, conhecido como “o incêndio da Faculdade de Ciências” e que afetou, profundamente, o Museu Nacional de História Natural, então seu estabelecimento anexo, recordamos as precárias condições do edifício, a inexistência de meios de prevenção, os obstáculos físicos que limitaram o acesso dos Bombeiros, a falta de pressão nas bocas de incêndio, o facto de não ter sido determinada a sua causa e a notícia de reivindicação por organização de extrema-direita de atentado contra a Associação de Estudantes e, principalmente, a destruição de um importante património histórico e científico destas duas instituições.

Ainda durante o rescaldo do incêndio iniciaram-se as operações de salvamento e recuperação do que ainda fosse possível salvar e recuperar. Do lado da Geologia, funcionários, docentes e não docentes, estudantes, organizados em longas “formigas” pelas salas e corredores a que era possível aceder, partilharam aquele chuveiro permanente da água ainda quente do rescaldo do incêndio e algumas toneladas de material que foi sendo transferido de sítios de maior risco para outros mais seguros. Seguiram-se três meses de “arqueologia fina” nos escombros e cinzas do velho edifício e mais três anos de limpeza e tratamento de materiais afetados pelo incêndio.

Ainda hoje se procura recuperar informação relativa à parte que se salvou das coleções geológicas.

Entretanto, foi sendo concretizada a transferência atribulada da Faculdade em direção aos “C”, com escala na Av. 24 de Julho, e a autonomização do Museu, com a reformulação do seu programa museológico assente em património que o incêndio não podia atingir – o conhecimento e práxis científica sobre a história da Terra e da vida – assumindo, no âmbito da sua especificidade, a função social de promover literacia científica junto da população e de servir objetivos de desenvolvimento.

Pessoas na Politécnica recuperam objetos no rescaldo do incêndio
Durante o rescaldo do incêndio iniciaram-se as operações de salvamento e recuperação do que ainda fosse possível salvar e recuperar
Imagens cedidas pelo CL e LP

César Lopes e Liliana Póvoas, à época funcionários da Secção de Mineralogia e Geologia do Museu Nacional de História Natural
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz Gonalo Faria da Silva, estudante do 3. ano de Biologia.

No penltimo dia de maro realiza-se a quinta e ltima sesso do workshop destinado a preparar os estudantes para a obteno do 1. emprego.

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sesso de recrutamento em Cincias. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a insero profissional dos seus diplomados.

O evento uma organizao conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurana Informtica do DI-FCUL.

O DM est na Futurlia

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espao onde o sentimento de pertena a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictrica da atividade cientfica da FCUL inaugurada a 13 de maro. Conhea as razes pelas quais deve visitar a exposio.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lanamento do livro ainda no pblica, mas o evento dever ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Cincias da Natureza e Cincias Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer at abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presena no evento, juntamente com outras unidades orgnicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colgios doutorais em reas transversais. Opinio de Maria Amlia Martins-Louo.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de maro e organizada pelos Departamentos de Fsica e de Informtica.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro esto abertas inscries para a admisso de novos voluntrios.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avanados" com mais quatro instituies universitrias portuguesas e brasileiras.

Fotografia de alunos procuram informações junto a uma banca no átrio do C3

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estgios e Insero Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edio do curso realiza-se j em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas