Tecnologia e acessibilidade

Carlos Duarte integra W3C e Ação COST LEAD-ME

Teclado para invisuais

Linha e teclado Braille usado por cegos em complemento ao teclado qwerty

unsplash - Sigmund
Carlos Duarte
Carlos Duarte
Imagem cedida por CD

“A tecnologia deve poder ser usada por todas as pessoas!”, diz Carlos Duarte, professor do Departamento de Informática, investigador do LASIGE Ciências ULisboa, e recentemente membro do World Wide Web Consortium (W3C) e da Ação COST LEAD-ME -Leading Platform for European Citizens, Industries, Academia and Policymakers in Media Accessibility.

O W3C tem mais de 400 membros, nomeadamente as principais companhias de tecnologia e muitas universidades. Atualmente a ULisboa é o único membro da Península Ibérica.

Desde há vários anos que membros da atual linha de investigação em Accessibility & Ageing do LASIGE Ciências ULisboa colaboram em iniciativas do W3C, um consórcio que define as normas técnicas e orientações da Internet. Carlos Duarte integra o Advisory Committee do W3C desde junho de 2020.

“Temos participado em projetos com financiamento europeu, liderados por membros do W3C. Como resultado deste envolvimento, comecei a participar em grupos de trabalho do W3C focados na área da acessibilidade, tendo surgido interesse, de ambas as partes, em que esta participação passasse a ter um caráter oficial”, conta Carlos Duarte.

ULisboa é o único membro da Península Ibérica

O W3C cobre vários domínios relacionados com a Internet, nomeadamente nas áreas da privacidade, segurança, web semântica ou Internet das coisas.
As normas e orientações do W3C são produzidas segundo um processo de consenso da comunidade, com grupos compostos por membros do W3C e peritos convidados que produzem propostas, posteriormente revistas por outros membros e pelo público em geral até ser atingido o consenso da comunidade. Este processo tem permitido gerar normas de alta qualidade, assegurando a relevância da plataforma.

Qualquer membro da ULisboa que tenha interesse em participar nos grupos de trabalho do W3C pode juntar-se ao consórcio, contribuindo de forma ativa para a próxima geração de tecnologias web. “Estou certo que esta é uma excelente oportunidade para aplicarmos os resultados da investigação de topo que realizamos na Faculdade e na Universidade, a um ‘produto’ que tem impacto em milhares de milhões de pessoas”, salienta o informático que chegou a Ciências ULisboa em 2000, após concluir a licenciatura e o mestrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, pelo Instituto Superior Técnico.

Interesse pela acessibilidade surgiu enquanto aluno de doutoramento

Carlos Duarte concluiu o doutoramento em Informática na Ciências ULisboa, em 2008 e foi nessa ocasião que surgiu o seu interesse pela acessibilidade. O foco do seu doutoramento foi no desenho de sistemas capazes de se adaptarem às características dos seus utilizadores ou dos dispositivos em que estão a ser utilizados. Inicialmente, este trabalho não tinha qualquer relação com a temática da acessibilidade, mas a aplicação que desenvolveu para demonstrar os resultados foi um leitor de livros falados digitais.

“Este primeiro contacto com a comunidade de utilizadores cegos foi suficientemente marcante para que, daqui para a frente, quase todos os meus projetos e trabalhos de investigação fossem de alguma forma relacionados com a área da acessibilidade”, conta Carlos Duarte, que, entretanto, já trabalhou com idosos e crianças com perturbações do espetro do autismo.

Atualmente, Carlos Duarte contribui para grupos de trabalho relacionados com a definição de orientações que visam tornar a Internet mais acessível para todas as pessoas. Um dos grupos - ACT Rules Community Group - foca-se no desenvolvimento de uma interpretação harmonizada das orientações para a construção de conteúdos web acessíveis. “A nossa participação neste grupo resulta do trabalho que temos desenvolvido nos últimos 15 anos e que levou à criação e atualização de uma ferramenta automática de avaliação da acessibilidade de páginas web, disponível em qualweb.di.fc.ul.pt”, explica Carlos Duarte acrescentando ainda que noutro grupo de trabalho - Education and Outreach Working Group - está a colaborar na definição de vários curricula sobre acessibilidade web. “Esperamos que estes venham a servir de inspiração para diferentes universidades e outras instituições a nível mundial criarem ou incluírem nos seus cursos conteúdos relacionados com acessibilidade”, refere.

Carlos Duarte acredita que a tecnologia tem grande potencial para ajudar pessoas com necessidades especiais ou quem tem de interagir com eles, como é o caso dos terapeutas. Como seria previsível, nas aulas aproveita para passar a importância desta temática aos seus alunos. Grande parte das disciplinas que tem lecionado são sobre a forma como se deve projetar e desenvolver tecnologia para ser usada por pessoas com necessidades especiais.

LEAD-ME quer mudança cultural

Recentemente, Carlos Duarte foi nomeado membro do comité de gestão da Ação COST LEAD-ME, criada com o objetivo de reunir peritos europeus de diferentes origens (academia, indústria ou legisladores, por exemplo) para partilhar preocupações e experiências, visando a promoção de iniciativas inovadoras que possam ajudar as instituições europeias a cumprir as obrigações legais relativas à acessibilidade dos média digitais.

Quatro áreas de foco da Ação COST LEAD-ME

  • Construção de uma plataforma para divulgação de tecnologia relevante para a acessibilidade de conteúdos de média digital
  • Definição de curricula para ensino e formação em acessibilidade de média digital
  • Promoção de normas que visem a padronização de tecnologia de média digital
  • Definição de prioridades estratégicas para a investigação futura em acessibilidade de média digital

“O que se espera conseguir com esta ação é contribuir para uma mudança cultural (o que também implicará mudanças ao nível da formação de recursos) que leve à criação de ferramentas para atividades profissionais ou privadas que possam ser usadas por todos os cidadãos, independentemente de quaisquer deficiências que possam ter”, esclarece.

Carlos Duarte irá participar nas diferentes reuniões e colaborar na promoção dos resultados da Ação COST LEAD-ME. A ação recentemente financiada pela CE tem início marcado para outubro deste ano. A reunião de arranque para a definição dos primeiros passos ainda não foi anunciada. A colaboração de Carlos Duarte nesta rede será certamente mais focada na definição de curricula que possibilitem a formação necessária nesta área.
A Ação COST LEAD-ME conta com 37 peritos de 23 países e com 15 membros substitutos de 11 países. A representar Portugal além de Carlos Duarte também estão Mónica Pedro e José Gabriel Andrade. Esta ação deverá estar concluída em outubro de 2024.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
CIÊNCIAS assinA um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms nas instalações de CIÊNCIAS, tendo sido assinado pelo Diretor da faculdade, Luís Carriço, e pela co-fundadora da startup Rede Vertical Farms, Inês Barros.

CIÊNCIAS assinou um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms, com o objetivo de instalar uma horta vertical no campus da faculdade.

Equipa do CSD Lab do BioISI

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Estrutura e Dinâmica Celular (CSD Lab) do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioIS

Diogo Rodrigues Fernandes

Diogo Rodrigues Fernandes, doutorando de CIÊNCIAS e investigador no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (

Banner O Planeta Vivo

“Temos este mundo, ou nada. E temos um grande problema se não entendermos o planeta que queremos salvar.” Esta citação de Carl Sagan é o mote do documentário ‘O Planeta Vivo’, que estreou no passado dia 3 de julho na RTP.

Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025 um telescópio made in Portugal para observar o Sol.

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Vanessa Fonseca, Catarina Frazão Santos, Rita Cardoso, Cláudio Gomes, Ana Duarte Rodrigues e Paulo J. Costa posam com os prémios para uma foto numas escadas

A faculdade conseguiu obter o segundo lugar entre as Escolas da Universidade de Lisboa mais galardoadas.

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Páginas