Tecnologia e acessibilidade

Carlos Duarte integra W3C e Ação COST LEAD-ME

Teclado para invisuais

Linha e teclado Braille usado por cegos em complemento ao teclado qwerty

unsplash - Sigmund
Carlos Duarte
Carlos Duarte
Imagem cedida por CD

“A tecnologia deve poder ser usada por todas as pessoas!”, diz Carlos Duarte, professor do Departamento de Informática, investigador do LASIGE Ciências ULisboa, e recentemente membro do World Wide Web Consortium (W3C) e da Ação COST LEAD-ME -Leading Platform for European Citizens, Industries, Academia and Policymakers in Media Accessibility.

O W3C tem mais de 400 membros, nomeadamente as principais companhias de tecnologia e muitas universidades. Atualmente a ULisboa é o único membro da Península Ibérica.

Desde há vários anos que membros da atual linha de investigação em Accessibility & Ageing do LASIGE Ciências ULisboa colaboram em iniciativas do W3C, um consórcio que define as normas técnicas e orientações da Internet. Carlos Duarte integra o Advisory Committee do W3C desde junho de 2020.

“Temos participado em projetos com financiamento europeu, liderados por membros do W3C. Como resultado deste envolvimento, comecei a participar em grupos de trabalho do W3C focados na área da acessibilidade, tendo surgido interesse, de ambas as partes, em que esta participação passasse a ter um caráter oficial”, conta Carlos Duarte.

ULisboa é o único membro da Península Ibérica

O W3C cobre vários domínios relacionados com a Internet, nomeadamente nas áreas da privacidade, segurança, web semântica ou Internet das coisas.
As normas e orientações do W3C são produzidas segundo um processo de consenso da comunidade, com grupos compostos por membros do W3C e peritos convidados que produzem propostas, posteriormente revistas por outros membros e pelo público em geral até ser atingido o consenso da comunidade. Este processo tem permitido gerar normas de alta qualidade, assegurando a relevância da plataforma.

Qualquer membro da ULisboa que tenha interesse em participar nos grupos de trabalho do W3C pode juntar-se ao consórcio, contribuindo de forma ativa para a próxima geração de tecnologias web. “Estou certo que esta é uma excelente oportunidade para aplicarmos os resultados da investigação de topo que realizamos na Faculdade e na Universidade, a um ‘produto’ que tem impacto em milhares de milhões de pessoas”, salienta o informático que chegou a Ciências ULisboa em 2000, após concluir a licenciatura e o mestrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, pelo Instituto Superior Técnico.

Interesse pela acessibilidade surgiu enquanto aluno de doutoramento

Carlos Duarte concluiu o doutoramento em Informática na Ciências ULisboa, em 2008 e foi nessa ocasião que surgiu o seu interesse pela acessibilidade. O foco do seu doutoramento foi no desenho de sistemas capazes de se adaptarem às características dos seus utilizadores ou dos dispositivos em que estão a ser utilizados. Inicialmente, este trabalho não tinha qualquer relação com a temática da acessibilidade, mas a aplicação que desenvolveu para demonstrar os resultados foi um leitor de livros falados digitais.

“Este primeiro contacto com a comunidade de utilizadores cegos foi suficientemente marcante para que, daqui para a frente, quase todos os meus projetos e trabalhos de investigação fossem de alguma forma relacionados com a área da acessibilidade”, conta Carlos Duarte, que, entretanto, já trabalhou com idosos e crianças com perturbações do espetro do autismo.

Atualmente, Carlos Duarte contribui para grupos de trabalho relacionados com a definição de orientações que visam tornar a Internet mais acessível para todas as pessoas. Um dos grupos - ACT Rules Community Group - foca-se no desenvolvimento de uma interpretação harmonizada das orientações para a construção de conteúdos web acessíveis. “A nossa participação neste grupo resulta do trabalho que temos desenvolvido nos últimos 15 anos e que levou à criação e atualização de uma ferramenta automática de avaliação da acessibilidade de páginas web, disponível em qualweb.di.fc.ul.pt”, explica Carlos Duarte acrescentando ainda que noutro grupo de trabalho - Education and Outreach Working Group - está a colaborar na definição de vários curricula sobre acessibilidade web. “Esperamos que estes venham a servir de inspiração para diferentes universidades e outras instituições a nível mundial criarem ou incluírem nos seus cursos conteúdos relacionados com acessibilidade”, refere.

Carlos Duarte acredita que a tecnologia tem grande potencial para ajudar pessoas com necessidades especiais ou quem tem de interagir com eles, como é o caso dos terapeutas. Como seria previsível, nas aulas aproveita para passar a importância desta temática aos seus alunos. Grande parte das disciplinas que tem lecionado são sobre a forma como se deve projetar e desenvolver tecnologia para ser usada por pessoas com necessidades especiais.

LEAD-ME quer mudança cultural

Recentemente, Carlos Duarte foi nomeado membro do comité de gestão da Ação COST LEAD-ME, criada com o objetivo de reunir peritos europeus de diferentes origens (academia, indústria ou legisladores, por exemplo) para partilhar preocupações e experiências, visando a promoção de iniciativas inovadoras que possam ajudar as instituições europeias a cumprir as obrigações legais relativas à acessibilidade dos média digitais.

Quatro áreas de foco da Ação COST LEAD-ME

  • Construção de uma plataforma para divulgação de tecnologia relevante para a acessibilidade de conteúdos de média digital
  • Definição de curricula para ensino e formação em acessibilidade de média digital
  • Promoção de normas que visem a padronização de tecnologia de média digital
  • Definição de prioridades estratégicas para a investigação futura em acessibilidade de média digital

“O que se espera conseguir com esta ação é contribuir para uma mudança cultural (o que também implicará mudanças ao nível da formação de recursos) que leve à criação de ferramentas para atividades profissionais ou privadas que possam ser usadas por todos os cidadãos, independentemente de quaisquer deficiências que possam ter”, esclarece.

Carlos Duarte irá participar nas diferentes reuniões e colaborar na promoção dos resultados da Ação COST LEAD-ME. A ação recentemente financiada pela CE tem início marcado para outubro deste ano. A reunião de arranque para a definição dos primeiros passos ainda não foi anunciada. A colaboração de Carlos Duarte nesta rede será certamente mais focada na definição de curricula que possibilitem a formação necessária nesta área.
A Ação COST LEAD-ME conta com 37 peritos de 23 países e com 15 membros substitutos de 11 países. A representar Portugal além de Carlos Duarte também estão Mónica Pedro e José Gabriel Andrade. Esta ação deverá estar concluída em outubro de 2024.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
ETAR

A eficiência de remoção da carga do vírus responsável pela COVID-19 nos processos de tratamento das águas residuais em Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) é uma das conclusões mais relevantes do projeto de investigação SARS Control.

microscópio

Ciências ULisboa participou na Semana Internacional do Cérebro com palestras e demonstrações em laboratório. A cientista Diana Cunha-Reis destaca a importância da atividade no que diz respeito à partilha da interdisciplinaridade existente na Faculdade junto de alunos do ensino secundário.

Sara Carvalhal no laboratório

Sara Carvalhal, investigadora no Algarve Biomedical Center Research Institute, na Universidade do Algarve, e alumna da Ciências ULisboa, é uma das quatro jovens cientistas portuguesas distinguidas na 18.ª edição das Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência.

painel de oradores e participantes

Ciências ULisboa recebeu a visita de uma delegação de representantes do ISIS Neutron & Muon Source, um laboratório pertencente ao Science and Technology Facilities Council, localizado em Oxfordshirek, no Reino Unido, e considerado de excelência a nível mundial.

Fotografia do edifício C2 Ciências ULisboa

Os membros do Conselho de Escola e do Conselho Científico da Ciências ULisboa tomaram posse esta quarta-feira, dia 23 de março, na sequência do processo eleitoral ocorrido em fevereiro e março deste ano. Para mais informações sobre as competências destes órgãos, sugere-se a consulta dos estatutos da Faculdade.

Edna Correia com uns binóculos a olhar para o horizonte

Edna Correia, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), doutorada em Biologia e Ecologia das Alterações Globais pela Ciências ULisboa, é uma das quatro jovens cientistas portuguesas distinguidas na 18.ª edição das Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência.

Tubarão

A iniciativa de cidadania europeia “Stop Finning – Stop the Trade” tem como objetivo o término da União Europeia como uma importante plataforma de trânsito para o comércio mundial de barbatanas. "Face à atual legislação, o finning foi vetado em 2003. Porém, o massacre continua", escreve Madalena Sottomayor, aluna de mestrado em Biologia da Conservação da Ciências ULisboa.

trevos-brancos

Um estudo - colaborativo e sem precedentes -, liderado por biólogos evolucionistas da Universidade de Toronto Mississauga, no Canadá, capa da Science esta sexta-feira, dia 18 de março, mostra como a urbanização está a influenciar a evolução de plantas no mundo. A investigação desenvolveu-se no âmbito do Global Urban Evolution Project e contou com a participação de quase 300 investigadores e estudantes universitários, entre eles membros da Ciências ULisboa e do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais.

planta e ácaros

Inês Fragata, investigadora do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa e do grupo de Ecologia Evolutiva do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais, é uma das cientistas distinguidas com uma bolsa do European Research Council (ERC) Starting, no valor de cerca de 2M€, no âmbito do projeto “Feedback entre a dinâmica populacional e a evolução das interações num sistema tritrófico” (DYNAMICTRIO).

João Vieira e Ivo Canela

Na Póvoa, no Cadaval, distrito de Lisboa, João Vieira, octogenário, emigrante, técnico agrícola e um entusiasta da Agroecologia, lidera um grupo informal que promove variedades crioulas de sementes, que têm vindo a desaparecer desde a sua juventude. Ivo Canelas com Rebeca Mateus, da HortaFCUL, escrevem sobre a necessidade de adotar técnicas agrícolas mais eficientes, combatendo a monopolização da agricultura.

Participantes na EVT 2013, que também tinham participado no Encontro do Vimeiro em 1983

"Ross Leadbetter era amigo verdadeiro dos seus amigos, entre os quais me encontro, e é um dos gigantes da área de Valores Extremos (...)", escreve Maria Ivette Leal de Carvalho Gomes, professora emérita do DEIO Ciências ULisboa, na sequência do falecimento do professor emérito da University of North Carolina at Chapel Hill e doutor honoris causa da ULisboa.

Formação da zona de subducção de Vanuatu

Uma equipa de investigadores do Instituto Dom Luiz da Ciências ULisboa em parceria com cientistas da Universidade Johannes Gutenberg (JGU), em Mainz, na Alemanha, apresenta uma nova perspetiva para o início das zonas de subducção, contribuindo dessa forma para um maior conhecimento da teoria da tectónica de placas.

Marta Temido a dar a medalha a Manuel Carmo Gomes

Manuel Carmo Gomes, professor da Ciências ULisboa, foi um dos especialistas distinguidos com a Medalha de Serviços Distintos – grau Ouro do Ministério da Saúde. A distinção foi atribuída pela ministra da Saúde, Marta Temido, em reconhecimento pelo trabalho desenvolvido no âmbito da resposta à COVID-19.

pessoas a acenar na FCULresta

"Há um ciclo solar transformámos um relvado de 315 m2 no que pretende ser uma minifloresta densa e biodiversa. O que podemos observar passado o primeiro ano? Haverá motivos para celebrar a FCULresta?". Passado um ano desde o lançamento da primeira semente, os membros do projeto fazem um balanço de todo o processo.

Escola de Inverno na Macedónia do Norte

O cientista Tiago Guerreiro foi um dos oradores da “Winter School on e-Health & Pervasive Technologies”, a primeira escola de inverno do projeto WideHealth, e que contou com uma competição de Machine Learning, composta por 11 equipas e na qual o grupo da Faculdade alcançou o 4.º lugar e uma menção honrosa.

Logotipo da rubrica radar Tec Labs

Vigésima segunda rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Neroes.

Maria Helena Garcia e Andreia Valente no laboratório

A Something in Hands - Investigação Científica Lda. (R-Nuucell), spin-off da Ciências ULisboa, vai receber um financiamento de €75.000 para desenvolver um novo medicamento para o cancro de mama triplo negativo.

professor Miguel Centeno Brito e paineis solares no telhado da faculdade

A Schweizer Radio und Fernsehenv, uma emissora de radiotelevisão suíça, esteve em Portugal e conversou com o professor Miguel Centeno Brito sobre energia solar e transição energética em Portugal.

Rita Pestana

Rita Pestana é aluna do 2.º ano do mestrado em Engenharia Física e em março inicia um estágio no Centro de Microanálises de Materiais, em Madrid, no âmbito do seu curso e ao abrigo do Marie Sklodowska-Curie Fellowship Programme da Agência Internacional de Energia Atómica.

Obras no campus da Faculdade

Ciências ULisboa prepara-se para concluir a última fase da requalificação das condutas de distribuição de água aos seus edifícios. Este projeto da responsabilidade do Laboratório Vivo para a Sustentabilidade irá contribuir para a diminuição da pegada ambiental da Faculdade e deverá possibilitar uma poupança significativa das despesas de funcionamento associadas ao consumo de água potável.

Conceção artística da superfície de Vénus

Um estudo publicado na revista Atmosphere, liderado por Pedro Machado, professor do DF Ciências ULisboa e investigador do IA, apresenta o conjunto de medições mais detalhado e completo alguma vez feito, de um observatório na Terra, das velocidades dos ventos em Vénus paralelos ao equador e à altitude da base das nuvens.

Abstrato dourado

A 26.ª edição dos Prémios da Associação Portuguesa de Museologia galardoou “Hortas de Lisboa. Da Idade Média ao século XXI” com o Prémio Exposição Temporária e “Almada Negreiros e o Mosteiro da Batalha – quinze pinturas primitivas num retábulo imaginado” com uma Menção Honrosa do Prémio Investigação.

Logotipo da rubrica radar Tec Labs

Primeira rubrica Radar Tec Labs do ano 2022 dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade.

Imagem artística de Proxima d, o candidato a planeta recentemente detetado à volta da estrela anã vermelha, Proxima Centauri, a estrela mais próxima do Sol

Uma equipa liderada por João Faria, antigo aluno da licenciatura de Física da Faculdade e investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, detetou um novo planeta à volta da estrela mais próxima do Sol – Proxima Centauri, anunciou o Instituto, na quinta-feira passada, dia 10 de fevereiro.

anfiteatro

Os alunos da Ciências ULisboa inscritos nos exames nos dias 11 e 12 de fevereiro podem realizá-los novamente em época extraordinária. De acordo com a Direção da Faculdade não existem indícios de se ter verificado a existência de um absentismo superior ao normal nas provas de avaliação realizadas nestes dois dias.

Páginas