Tecnologia e acessibilidade

Carlos Duarte integra W3C e Ação COST LEAD-ME

Teclado para invisuais

Linha e teclado Braille usado por cegos em complemento ao teclado qwerty

unsplash - Sigmund
Carlos Duarte
Carlos Duarte
Imagem cedida por CD

“A tecnologia deve poder ser usada por todas as pessoas!”, diz Carlos Duarte, professor do Departamento de Informática, investigador do LASIGE Ciências ULisboa, e recentemente membro do World Wide Web Consortium (W3C) e da Ação COST LEAD-ME -Leading Platform for European Citizens, Industries, Academia and Policymakers in Media Accessibility.

O W3C tem mais de 400 membros, nomeadamente as principais companhias de tecnologia e muitas universidades. Atualmente a ULisboa é o único membro da Península Ibérica.

Desde há vários anos que membros da atual linha de investigação em Accessibility & Ageing do LASIGE Ciências ULisboa colaboram em iniciativas do W3C, um consórcio que define as normas técnicas e orientações da Internet. Carlos Duarte integra o Advisory Committee do W3C desde junho de 2020.

“Temos participado em projetos com financiamento europeu, liderados por membros do W3C. Como resultado deste envolvimento, comecei a participar em grupos de trabalho do W3C focados na área da acessibilidade, tendo surgido interesse, de ambas as partes, em que esta participação passasse a ter um caráter oficial”, conta Carlos Duarte.

ULisboa é o único membro da Península Ibérica

O W3C cobre vários domínios relacionados com a Internet, nomeadamente nas áreas da privacidade, segurança, web semântica ou Internet das coisas.
As normas e orientações do W3C são produzidas segundo um processo de consenso da comunidade, com grupos compostos por membros do W3C e peritos convidados que produzem propostas, posteriormente revistas por outros membros e pelo público em geral até ser atingido o consenso da comunidade. Este processo tem permitido gerar normas de alta qualidade, assegurando a relevância da plataforma.

Qualquer membro da ULisboa que tenha interesse em participar nos grupos de trabalho do W3C pode juntar-se ao consórcio, contribuindo de forma ativa para a próxima geração de tecnologias web. “Estou certo que esta é uma excelente oportunidade para aplicarmos os resultados da investigação de topo que realizamos na Faculdade e na Universidade, a um ‘produto’ que tem impacto em milhares de milhões de pessoas”, salienta o informático que chegou a Ciências ULisboa em 2000, após concluir a licenciatura e o mestrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, pelo Instituto Superior Técnico.

Interesse pela acessibilidade surgiu enquanto aluno de doutoramento

Carlos Duarte concluiu o doutoramento em Informática na Ciências ULisboa, em 2008 e foi nessa ocasião que surgiu o seu interesse pela acessibilidade. O foco do seu doutoramento foi no desenho de sistemas capazes de se adaptarem às características dos seus utilizadores ou dos dispositivos em que estão a ser utilizados. Inicialmente, este trabalho não tinha qualquer relação com a temática da acessibilidade, mas a aplicação que desenvolveu para demonstrar os resultados foi um leitor de livros falados digitais.

“Este primeiro contacto com a comunidade de utilizadores cegos foi suficientemente marcante para que, daqui para a frente, quase todos os meus projetos e trabalhos de investigação fossem de alguma forma relacionados com a área da acessibilidade”, conta Carlos Duarte, que, entretanto, já trabalhou com idosos e crianças com perturbações do espetro do autismo.

Atualmente, Carlos Duarte contribui para grupos de trabalho relacionados com a definição de orientações que visam tornar a Internet mais acessível para todas as pessoas. Um dos grupos - ACT Rules Community Group - foca-se no desenvolvimento de uma interpretação harmonizada das orientações para a construção de conteúdos web acessíveis. “A nossa participação neste grupo resulta do trabalho que temos desenvolvido nos últimos 15 anos e que levou à criação e atualização de uma ferramenta automática de avaliação da acessibilidade de páginas web, disponível em qualweb.di.fc.ul.pt”, explica Carlos Duarte acrescentando ainda que noutro grupo de trabalho - Education and Outreach Working Group - está a colaborar na definição de vários curricula sobre acessibilidade web. “Esperamos que estes venham a servir de inspiração para diferentes universidades e outras instituições a nível mundial criarem ou incluírem nos seus cursos conteúdos relacionados com acessibilidade”, refere.

Carlos Duarte acredita que a tecnologia tem grande potencial para ajudar pessoas com necessidades especiais ou quem tem de interagir com eles, como é o caso dos terapeutas. Como seria previsível, nas aulas aproveita para passar a importância desta temática aos seus alunos. Grande parte das disciplinas que tem lecionado são sobre a forma como se deve projetar e desenvolver tecnologia para ser usada por pessoas com necessidades especiais.

LEAD-ME quer mudança cultural

Recentemente, Carlos Duarte foi nomeado membro do comité de gestão da Ação COST LEAD-ME, criada com o objetivo de reunir peritos europeus de diferentes origens (academia, indústria ou legisladores, por exemplo) para partilhar preocupações e experiências, visando a promoção de iniciativas inovadoras que possam ajudar as instituições europeias a cumprir as obrigações legais relativas à acessibilidade dos média digitais.

Quatro áreas de foco da Ação COST LEAD-ME

  • Construção de uma plataforma para divulgação de tecnologia relevante para a acessibilidade de conteúdos de média digital
  • Definição de curricula para ensino e formação em acessibilidade de média digital
  • Promoção de normas que visem a padronização de tecnologia de média digital
  • Definição de prioridades estratégicas para a investigação futura em acessibilidade de média digital

“O que se espera conseguir com esta ação é contribuir para uma mudança cultural (o que também implicará mudanças ao nível da formação de recursos) que leve à criação de ferramentas para atividades profissionais ou privadas que possam ser usadas por todos os cidadãos, independentemente de quaisquer deficiências que possam ter”, esclarece.

Carlos Duarte irá participar nas diferentes reuniões e colaborar na promoção dos resultados da Ação COST LEAD-ME. A ação recentemente financiada pela CE tem início marcado para outubro deste ano. A reunião de arranque para a definição dos primeiros passos ainda não foi anunciada. A colaboração de Carlos Duarte nesta rede será certamente mais focada na definição de curricula que possibilitem a formação necessária nesta área.
A Ação COST LEAD-ME conta com 37 peritos de 23 países e com 15 membros substitutos de 11 países. A representar Portugal além de Carlos Duarte também estão Mónica Pedro e José Gabriel Andrade. Esta ação deverá estar concluída em outubro de 2024.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Complexo não covalente de composição [KrSF5]+ (Fig. 1), que provem duma molécula estável, [KrSF6]+ (Fig. 2), em resultado da reação direta de hexafluoreto de enxofre com crípton ionizado

Este ano comemora-se os 60 anos da descoberta da reatividade dos gases nobres nomeadamente do xénon. Nuno A. G. Bandeira, investigador do Departamento de Química e Bioquímica e do BioISI Ciências ULisboa, escreve sobre os gases nobres, suas aplicações e um estudo recente da sua autoria e de cientistas do Centro de Química Estrutural e que apresenta um novo composto de crípton.

Logotipo GMC

A primeira fase de decisões da primeira volta do Global Management Challenge 2022 terminou no passado dia 14 de junho. Em competição estiveram 206 equipas a nível nacional - compostas por estudantes, quadros de empresas ou mistas -, duas delas incluem estudantes da Ciências ULisboa.

Grande auditório da Faculdade com pessoas

Vale a pena recordar os 111 anos comemorados no grande auditório da Faculdade no canal YouTube, numa viagem imaginária a Marte, com a tradicional entrega de prémios e distinções e outros momentos singulares, assim como conhecer a opinião daqueles que participaram no evento.

sao jorge ao fundo e logotipo da iniciativa

“Andamentos da Ciência” é o novo ciclo de conferências da Ciências ULisboa que arranca no próximo dia 22 de junho. Nesta iniciativa, especialistas de diferentes áreas do conhecimento vão partilhar o saber sobre os temas mais atuais da sociedade, na forma de comunicações inspiradas nas palestras TED.

quatro estudantes

O Departamento de Geologia atribuiu 14 cartas de reconhecimento de mérito aos melhores alunos da licenciatura em Geologia de 2019/2020 e de 2020/2021. O Gabinete de Jornalismo entrevistou alguns dos estudantes distinguidos na ocasião. Saiba o que pensam sobre o curso que frequentaram na Faculdade e o que estão a fazer neste momento.

conjunto de pessoas no palco

Numa cerimónia realizada durante a Feira Nacional da Agricultura 2022, em Santarém, foi apresentado e contratualizado o projeto AdaptForGrazing, inscrito no Plano de Recuperação e Resiliência. O projeto é coordenado por Cristina Branquinho, professora do Departamento de Biologia Vegetal da Faculdade e investigadora do cE3c.

Praia

No próximo dia 17 de junho, na praia de Albarquel, em Setúbal, decorrem as atividades “Ida à Maré e Festa na Praia”, promovidas pelo projeto bLueTIDE. Estas atividades contam com a participação de investigadores do MARE - Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, polo da Ciências ULisboa, com o apoio da Incubadora do Mar & Indústria da Figueira da Foz.

Ato solene da atribuição do título no Centro Cultural Alcazaba de Mérida

Ricardo Trigo, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia e investigador do Instituto Dom Luiz, recebe título doutor honoris causa da Universidade da Extremadura, numa cerimónia que teve lugar no Centro Cultural Alcazaba de Mérida, em Badajoz, Espanha, no passado dia 1 de junho.

Galardoados com os Prémios Verdes

O COVIDETECT é o vencedor dos Prémios Verdes na categoria investigação. “É uma distinção que muito nos honra e que reforça o caráter inovador e visionário do projeto”, diz Mónica Vieira Cunha, professora do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa, investigadora do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c) e coordenadora científica do consórcio.

lancha hidrográfica leva os alunos para o rio

Durante o mês de maio, uma turma de alunos do 3.º ano, finalistas do curso de Engenharia Geoespacial deslocou-se em trabalho de campo até à Praia de Santo Amaro, em Oeiras, para realizar um levantamento topo-hidrográfico da praia. O trabalho constitui o projeto final da disciplina de Hidrografia, ministrada pelo professor Carlos Antunes.

Anfiteatro com os participantes da homenagem

Este ano a celebração do Dia Mundial da Terra no Departamento de Geologia foi ainda mais especial:organizaram a conferência “A evolução da Geologia costeira em Portugal e principais desafios futuros” com o objetivo de surpreender e homenagear César Andrade, professor na Faculdade há 43 anos. A reportagem inclui vários testemunhos de colegas e antigos alunos.

Joana Ribeiro, Bárbara Henriques e Filipa Carvalho no simpósio

A Sociedade Portuguesa de Doenças Metabólicas (SPDM) atribuiu uma bolsa de apoio à investigação Dr. Aguinaldo Cabral, no valor de 10.000€, a Bárbara Henriques, investigadora do Departamento de Química e Bioquímica e investigadora principal do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI), polo da Ciências ULisboa. É a primeira vez que um investigador da Ciências ULisboa recebe este prémio.

Cinco alumni e logotipo da rubrica

Esta foi a pergunta feita a cinco alumni da Ciências ULisboa durante o mês de maio. A primeira série de lives transmitidas em direto no Instagram também está disponível no canal YouTube da Faculdade. Estas primeiras cinco conversas descontraídas e enriquecedoras contaram com a presença de Eduardo Matos, Dário Hipólito, Ana Prata, Margarida Ribeiro e João Graça Gomes.

Planta de tomate

“O efeito da competição e simbiose na virulência de um parasita de plantas" - um projeto coordenado pelas cientistas Alison Duncan e Sara Magalhães - é um dos quatro projetos vencedores da 1.ª edição do Prémio Tremplin Mariano Gago.

Paisagem antártica na zona de estudo

As alterações climáticas amplificam as ondas de calor no continente antártico. Esta é a conclusão apresentada pelos cientistas Sergi González-Herrero, David Barriopedro, Ricardo M. Trigo, Joan Albert López-Bustins e Marc Oliva num artigo publicado na Communications Earth & Environment.

Alexandre M. Ramos, Francisco S. N. Lobo, Margarida D. Amaral e Sara C. Madeira

Alexandre M. Ramos, Francisco S. N. Lobo, Margarida D. Amaral e Sara C. Madeira são as personalidades da Faculdade distinguidas com os Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD) 2021. Os seus colegas Cláudio M. Gomes e Francisco Malta Romeiras também são agraciados nesta edição com menções honrosas. A cerimónia de atribuição destes prémios e menções honrosas acontece no próximo dia 28 de junho, no salão nobre da Reitoria da ULisboa.

Fernando Antunes, João Pires da Silva e Fadhil Musa

A Delox, a spin-off do Tec Labs – Centro de Inovação da Ciências ULisboa, acaba de anunciar a angariação de 750 mil euros de financiamento para desenvolver as etapas necessárias até ao início da comercialização do novo sistema de biodescontaminação.

Estrelas

Qual é o nosso lugar no Universo? A resposta a esta e tantas outras questões encontra-se no livro do astrofísico David Sobral, que em 2015 descobriu a galáxia CR7, a mais brilhante do Universo, e que está disponível nas livrarias a partir desta terça-feira e tem lançamento marcado para esta quinta-feira, 19 de maio, pelas 18h30, no campus da Faculdade, no edifício C6, anfiteatro 6.1.36.

grande auditório da Faculddade com pessoas

O livro “ESPRESSO: Uma Aventura no Deserto de Atacama”, da autoria dos cientistas Alexandre Cabral  e Nuno Cardoso Santos, foi apresentado ao público numa cerimónia ocorrida no grande auditório da Faculdade no passado dia 14 de maio. A obra bilingue e gratuita dá a conhecer a aventura tecnológica e humana da construção do ESPRESSO, com fotografias e memórias criadas no deserto mais seco no mundo, no Chile.

logotipo radar

Vigésima terceira rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a NBI – Natural Business Intelligence.

pessoas observam a exposição

“De Lisboa para os Trópicos” é o nome da mais recente exposição da Ciências ULisboa, patente no átrio do edifício C6 desde 21 de abril e que vai estar em exibição até ao próximo dia 21 de junho. A mostra itinerante de fotografias assinala o 2.º aniversário do Colégio Tropical, uma unidade transversal da ULisboa.

Logotipo CHI 2022

A principal conferência internacional dedicada aos fatores humanos em sistemas computacionais distinguiu com a classificação de melhor apresentação 25 papers, destaque para o paper "Investigating the Tradeoffs of Everyday Text-Entry Collection Methods" sobre as vantagens e desvantagens de vários métodos de introdução de texto.

Margarida Amaral

Margarida Duarte Amaral dirigiu o Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI) durante oito anos. Esta entrevista é sobre o passado, o presente e o futuro e como “o todo é maior do que a simples soma das suas partes”.

pin sobre palavra credit

Conceição Freitas, presidente do Conselho Científico da Ciências ULisboa, escreve sobre a prestigiante subida da ULisboa no Center for World University Rankings e no SCImago Institutions Rankings.

4 fotografias da envolução do terreno

Life Ribermine é o nome de um projeto ibérico responsável pelo restauro geomorfológico de minas em Portugal e Espanha. A  Associação Centro Ciência Viva do Lousal, da qual Ciências ULisboa é associada fundadora, é o único parceiro português do projeto.

Páginas