Opinião

Das infraestruturas de informação geográfica ao novo paradigma das “infraestruturas de conhecimento”

várias imagens de engenheiros ao computador e no terreno

O conceito de IIG está atualmente a sofrer uma mudança de paradigma para o conceito de “infraestruturas de conhecimento”

Directions Magazine
Ana Cristina Navarro Ferreira
Ana Cristina Navarro Ferreira
Imagem cedida pela autora

As infraestruturas de dados espaciais (ou infraestruturas de informação geográfica, IIG), como meio de centralização do conhecimento sobre a localização, são de extrema utilidade para a gestão do território e para o desenvolvimento económico. O acesso simples e imediato a informação, de natureza espacial, proveniente de diferentes fontes, de uma forma interoperável e para diversas finalidades, torna-se ainda mais premente perante um desastre natural, tendo sido esse um fator determinante na génese da IIG na Europa (Fonte: INSPIRE).

O geoportal INSPIRE, cuja criação foi estabelecida por uma diretiva comunitária em 2007, fornece aos utilizadores de todos os Estados-Membros serviços de informação geográfica de modo integrado, através da internet, com base numa rede distribuída de bases de dados, interligadas de acordo com normas e protocolos comuns por forma a assegurar a sua compatibilidade. Embora esta iniciativa tenha tido por base a disponibilização de informação para apoio a políticas e atividades com impacto no ambiente, rapidamente evoluiu no sentido de se tornar numa iniciativa de natureza transetorial, agregando informação relativa a outras temáticas.

Em Portugal, a publicação desta diretiva veio impulsionar o aperfeiçoamento da IIG de âmbito nacional existente, o Sistema Nacional de Informação Geográfica (SNIG), criada há mais de 30 anos, tendo sido a primeira infraestrutura desenvolvida na Europa e a primeira a ser disponibilizada na internet em 1995. O conceito de IIG, considerado no passado recente como uma forma útil de organizar informação de apoio a diversas atividades, está atualmente a sofrer uma mudança de paradigma, para o conceito de “infraestruturas de conhecimento”, as quais podem ser utilizadas para a integração, análise, modelação, agregação e disseminação de dados, bem como para a organização e partilha de dados por vários setores/organizações.

Muitos fenómenos, sejam estes naturais ou provocados pelo homem, não respeitam fronteiras administrativas, pelo que implicam frequentemente uma resposta atempada por parte de múltiplas entidades existentes numa vasta área geográfica (abrangendo por vezes até mais do que um país). Nestas situações, a existência de uma infraestrutura de informação geográfica é crítica, sendo esta extremamente valorizada quer por entidades do setor público quer do privado.

logotipo
Logotipo das comemorações

Ana Cristina Navarro Ferreira, professora DEGGE Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Páginas