2. º lugar no BioMind – Make it in 24 hours! para estudantes de Engenharia Biomédica e Biofísica

Ideia para melhorar a vida das crianças com dor crónica

Inês Lima, Leonor Pires, Mariana Oliveira e Raquel Sales Rebordão apresentam IMAGI, projeto conjuga técnicas de hipnoterapia e realidade virtual

Pernas de crianças

A IMAGI pretende ser uma ferramenta prescrita pelo médico com o objetivo de reduzir a carga analgésica, mediante a criação de um ambiente virtual personalizado, que utiliza técnicas hipnoterapêuticas cientificamente comprovadas na gestão da dor

Unsplash - Ben Wicks

Inês Lima, Leonor Pires, Mariana Oliveira e Raquel Sales Rebordão, estudantes de Engenharia Biomédica e Biofísica da Ciências ULisboa, classificaram-se em 2. º lugar na 3ª edição do BioMind – Make it in 24 hours! com o produto IMAGI, um projeto que conjuga técnicas de hipnoterapia e realidade virtual com o objetivo de reduzir e controlar a dor crónica em crianças.

mARIANA oLIVEIRA
Mariana Oliveira
Imagem cedida por MO

“O que mais gosto na Engenharia Biomédica é a constante vontade de melhorar a saúde (e por isso a vida) das pessoas. Os engenheiros biomédicos podem nem sempre atuar na linha da frente, mas é graças a eles que coisas tão importantes como a implementação de próteses em amputados, reabilitação por meio de exosqueletos ou diagnósticos neurológicos avançados podem acontecer.”
Mariana Oliveira

O desejo de participar nesta competição de estudantes de Engenharia Biomédica de todo o país, organizada pelo Núcleo de Engenharia Biomédica do Instituto Superior Técnico, em parceria com a Glintt, surgiu a Mariana Oliveira de forma natural. Sempre teve especial admiração pela inovação e vontade de empreender e de criar valor em saúde.

Leonor Pires nunca tinha participado neste tipo de atividade. Decidiu concorrer para ganhar uma nova experiência.

Leonor Pires
Leonor Pires
Imagem cedida por LP

“Gosto muito das áreas da Física, da Matemática e da Biomédica, que englobam o nosso curso. Saber que um dia posso ajudar alguém, seja de que forma for, através da tecnologia é o que me motiva.”
Leonor Pires

Inês Lima também quis ganhar experiência e feedback de especialistas. Conseguir, em pouco tempo, criar valor para determinadas pessoas, numa solução economicamente exequível, fá-la acreditar que o seu futuro passará por outros desafios empreendedores.

Conselhos para outros estudantes que pretendam participar numa competição semelhante

“Acreditem nas vossas capacidades! Gostar do que fazem, estudar e ter espírito de equipa é mais que o suficiente”
Leonor Pires

“É muito importante ter a mente aberta e procurar sair fora da caixa. A inovação é um fator preponderante, mas na minha opinião o que não pode mesmo faltar é a empatia. Só nos colocando na posição do nosso público alvo é que conseguimos compreender as suas dificuldades e projetar algo que lhes traga valor.”
Mariana Oliveira

“Preparem-se porque é intenso! Podem precisar de um café ou dois, mas se o fizerem com uma boa equipa e acreditarem na vossa solução, o resultado final é gratificante. É importante pensar fora da caixa, conhecer o mercado e fazer pesquisa, muita pesquisa.”
Inês Lima

“Concorram com pessoas em quem confiem porque ajuda na divisão do trabalho e no espírito de equipa. E muito importante, divirtam-se!”
Raquel Sales Rebordão

Quanto a Raquel Sales Rebordão, o desafio de encontrar, com a sua equipa, uma resposta criativa baseada no conhecimento científico mais atual, num espaço de tempo muito curto, foi a principal razão para concorrer a esta iniciativa, que visa o desenvolvimento de ideias que solucionem problemas atuais na área da saúde.

Nesta 3.ª edição, ocorrida no final de fevereiro de 2021, participaram 20 equipas, ao todo 80 alunos de cursos de Engenharia Biomédica de todo o país. O desafio desta edição - "Como é que a prescrição de tecnologia pode ajudar na prevenção, recuperação e tratamento de patologias" – foi trabalhado em 24h. O 1.º lugar foi atribuído ao produto FALA+, representado pelos estudantes Beatriz Lago, Daniela Martins, Joana Rebelo e Ricardo Cebola. O 3. º lugar foi entregue ao produto RHEUMA, da autoria das alunas Ana Ramos, Ana Sofia Silva, Maria Inês Fonte e Simone Sá. O júri atribuiu ainda uma menção honrosa ao produto Genius Feet, pensado pelas discentes Beatriz Filipe, Inês Carvalho, Mariana Nunes e Marta Loureiro.

Os produtos apresentados pelas 20 equipas concorrentes preservam todos os direitos relativos à propriedade intelectual dos produtos por si desenvolvidos durante esta atividade.

Para a equipa da Ciências ULisboa, a maior dificuldade foi encontrar um problema que fosse relevante para a prática clínica e soluções que fossem cientificamente comprovadas tendo em conta que o desafio dado era muito amplo.

Inês Lima, Leonor Pires, Mariana Oliveira e Raquel Sales Rebordão acreditam que a IMAGI tem potencial para se tornar realidade e ponderam dar seguimento ao projeto, que foi validado por José Ignacio del Pino Montesinos, psiquiatra no Hospital Universitario Virgen Macarena, em Sevilha e Marcela Pires, pediatra no Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

Raquel Sales Rebordão
Raquel Sales Rebordão
Imagem cedida por RSR

“O que mais gosto no curso é das pessoas. Do espírito de entreajuda entre os colegas e o apoio próximo dos professores. Ter professores que se preocupam connosco e que nos ouvem.”
Raquel Sales Rebordão

A IMAGI pretende ser uma ferramenta prescrita pelo médico com o objetivo de reduzir a carga analgésica, mediante a criação de um ambiente virtual personalizado, que utiliza técnicas hipnoterapêuticas cientificamente comprovadas na gestão da dor.

Inês Lima
Inês Lima
Imagem cedida por IL

“Gosto que a Engenharia Biomédica e Biofísica esteja na interface da saúde e da inovação e que todo o nosso trabalho seja feito sempre com vista a tentar melhorar de alguma forma a saúde e qualidade de vida das pessoas.”
Inês Lima

Melhores momentos do BioMind

“A melhor parte é quando ouvimos dos especialistas que a nossa ideia, se for implementada, poderá mesmo melhorar a vida das pessoas”, diz Inês Lima, que sentiu orgulho pelo resultado final e por tê-lo feito com três amigas, que tanto admira.

Para Raquel Sales Rebordão descobrir que a ideia que tiveram ainda não tinha sido implementada, e que, portanto, tinham encontrado uma solução inovadora, foi o melhor momento da competição.

Trabalhar em equipa, criar uma boa ideia e constatar o potencial de todos os futuros engenheiros biomédicos foram para Leonor Pires as melhores experiências desta competição.

Já Mariana Oliveira, se tivesse de eleger um único episódio, escolheria o momento após a apresentação do pitch. “Ouvir profissionais de saúde considerarem que o nosso projeto poderia de facto trazer melhorias para a vida de muitas pessoas fez-me sentir orgulhosa, e de coração cheio”, conta.

E daqui a cinco anos?!

Raquel Sales Rebordão quer estar num sítio e dizer: “há cinco anos nem sonhava que poderia estar aqui!”.

Inês Lima pretende trabalhar na área do empreendedorismo na saúde.

Já Leonor Pires não gosta de pensar no que vai fazer no futuro. “A situação que vivemos hoje em dia fez-me perceber que qualquer coisa pode alterar os planos futuros de forma drástica”, diz, ainda assim, espera fazer a diferença na vida de alguém. “Vou fazer por isso”, conclui.

Mariana Oliveira frequenta o 3.º ano do mestrado integrado e também tem dificuldade em prever o futuro. “O nosso curso abre muitas portas, tanto poderei estar a trabalhar numa empresa no setor da saúde, como a concluir um doutoramento na outra ponta do mundo”, conta, acrescentando que um dia gostaria de fundar uma startup.

Em Portugal existem cerca de 500 mil crianças que sofrem de dor crónica associada a doenças como o cancro. Atualmente, o tratamento farmacológico é a resposta mais utilizada, no entanto tem custos para a saúde e qualidade de vida das crianças. A administração contínua de opioides cria resistência e dependência.

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Troféu

Em 2021 a Ordem dos Engenheiros (OE) celebrou 85 anos e 152 anos enquanto associação representativa destes profissionais portugueses. Durante as comemorações, esta sociedade pública profissional distinguiu Ciências ULisboa com o Troféu OE pelo centenário da criação da licenciatura Engenharia Geográfica/Geoespacial, um dos 12 que foram atribuídos durante a Gala 85 Anos OE.

Campus da Faculdade - passagem

“O equilíbrio entre o pensamento holístico e o pragmatismo experimental, entre a intuição e a dedução, é difícil de atingir. A educação é o terreno próprio para não recearmos essa viagem”, escrevem Rui Malhó e Helder Coelho, a propósito da obra “Complexidade: implicações e políticas globais”, apresentada recentemente na Fundação Calouste Gulbenkian.

Logotipo da rubrica radar Tec Labs

Vigésima rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Shift.

1.ª edição das Medalhas de Mérito Científico REN - Ciência LP

Adyler Frota,  alumnus do mestrado integrado em Engenharia da Energia e Ambiente da Faculdade, foi galardoado este mês com o 2.º prémio das Medalhas de Mérito Científico REN - Ciência LP, na categoria jovens estudantes, pela tese “Otimização do Desempenho Ótico de amostras de silício cristalino por Metal Assisted Chemical Etching (MACE)” e que contou com os orientadores José Silva e Ivo Costa.

grupo de atletas da equipa AEFCL

A equipa de natação da AEFCL conquistou nove medalhas num total de 24 provas no Campeonato Nacional Universitário de Natação em Piscina Curta. A AEFCL conseguiu a sua melhor classificação de sempre nestes campeonatos.

 albatrozes-de-sobrancelha

Um estudo liderado por um estudante do doutoramento em Biologia e Ecologia das Alterações Globais sobre a influência da temperatura da água do mar nos “divórcios” de uma população de albatrozes demostrou, pela primeira vez, uma influência direta do meio ambiente nas taxas de separação desta espécie monogâmica.

Maria Amélia Martins-Loução

“O esforço contínuo em inovar e cruzar saberes vale sempre a pena”, diz a cientista Maria Amélia Martins-Loução, distinguida com o Grande Prémio Ciência Viva 2021.

Brochuras e outros brindes

"A comunicação gera representações sociopsicológicas que são usadas para diferenciar, reconhecer e memorizar os seus bens, produtos e serviços, tornando-os singulares." Mais uma rubrica em jeito de editorial, da autoria de Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Maria Manuel Torres com alunos

"A Matemática serve para fazer magia", comenta Maria Manuel Torres, professora do Departamento de Matemática, a propósito da sessão sobre investigação em Matemática pura, realizada no âmbito do "Encontro com o Cientista", uma inicativa do Pavilhão do Conhecimento - Escola Ciência Viva. A Faculdade recebeu a visita de cerca de 45 alunos, com cerca de 10 anos, acompanhados pelas suas professoras e auxiliares, assim como por técnicos da Ciência Viva.

Reboot - closing this endless crisis [terminar esta crise interminável]

A Reboot é uma associação sem fins lucrativos formada em outubro de 2020 com a missão de criar uma comunidade focada no combate à crise climática. Circular 2021 é o próximo evento organizado pela Reboot, e decorre a 1 de dezembro, na Aula Magna da Reitoria da ULisboa.

Todas as semanas são boas para dar a conhecer os cientistas e o que investigam, assim como os seus contributos para o avanço do conhecimento, ainda assim há semanas mais especiais que outras, como é o caso da Semana da Ciência e da Tecnologia.

Imagem abstrata relacionada com o cartaz promocional do ranking

Alan Phillips é distinguido, pelo 4.º ano consecutivo, como um dos cientistas mais citados na área da Ciência Vegetal e Animal a nível mundial, pelo Highly Cited Researchers da Clarivate Analytics, uma empresa norte-americana especializada em gestão de informação científica.

musaranho-de-dentes-brancos

Investigador do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar polo da Ciências ULisboa lidera descoberta sobre o comportamento social do musaranho-de-dentes-brancos.

Mulher escreve num quadro

Quer saber quem são os cientistas mais citados a nível mundial? Aceda gratuitamente aos dados da Mendeley, publicados na Elsevier. Portugal tem 481 cientistas no ranking referente ao impacto ao longo da carreira e 703 no ranking de 2020. Ciências ULisboa apresenta melhores resultados face a 2019.

4 pessoas com colete refletor

O Gabinete de Segurança, Saúde e Sustentabilidade da Ciências ULisboa promoveu a realização do primeiro simulacro no edifício do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente. O primeiro exercício na Faculdade ocorreu em dezembro de 2013. Até agora já foram realizados 19 simulacros.

João Carlos Ribeiro Reis, professor aposentado do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade, e investigador do Centro de Química Estrutural, faleceu no passado dia 5 de novembro. A Faculdade apresenta sentidas condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Logotipo da rubrica radar Tec Labs

Décima nona rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade.

Seringas

Ensaio da autoria dos professores Manuel Carmo Gomes e Carlos Antunes.

uvas com a doença oídio

Estudo liderado por Ana Margarida Fortes, professora do DBV Ciências ULisboa e coordenadora de um dos grupos do BioISI Ciências ULisboa, está entre os cinco melhores artigos da Journal of Experimental Botany, uma prestigiada revista de investigação em plantas.

Maria Helena Carvalho de Sousa Andrade e Silva, professora aposentada da Ciências ULisboa, faleceu aos 94 anos, no passado dia 31 de outubro. A Faculdade apresenta sentidas condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Estrutura 3D da proteína S100B

Uma equipa internacional liderada pelo cientista Cláudio M. Gomes, professor do DQB Ciências ULisboa e coordenador do laboratório PMAB do BioISI, descobriu uma nova função para uma proteína do cérebro, que atrasa a formação de depósitos proteicos causadores de demências como a doença de Alzheimer. Guilherme Moreira, estudante de doutoramento em Bioquímica na Ciências ULisboa, orientado por Cláudio M. Gomes, é o primeiro autor do estudo.

 

Flores, livro e ampulheta

"Apesar de tudo, outubro foi um rico mês e novembro promete ser igual (...) O dia de amanhã, ainda que não esteja garantido, é uma série ininterrupta e eterna de instantes e é nosso". Mais uma rubrica em jeito de editorial, da autoria de Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Cérebro

"Para cada uma destas operações interessa estudar como nos vamos conduzir, e em que direção vamos prosseguir, logo quais são os princípios das coisas especulativas e os da imaginação",  in No Campus com Helder Coelho.

crianças numa visita ao laboratório

Ciências ULisboa recebeu, no passado dia 6 de outubro, 47 alunos do 4º ano, da Escola Básica Mestre Querubim Lapa, no âmbito do programa Escola Ciência Viva do Pavilhão do Conhecimento. A visita realizou-se no âmbito da atividade “Encontro com o cientista” e teve como anfitrião o professor do Departamento de Física, Rui Agostinho.

Campus da Faculdade

A Faculdade dá a conhecer uma vez mais a melhor ciência que se faz nesta centenária instituição. O Dia da Investigação da Ciências ULisboa realiza-se a 27 de outubro, no grande auditório, sito no edifício C3 e conta com uma sessão especial dedicada às Alterações Climáticas, área de investigação onde Ciências ULisboa é líder.

Páginas