Dictum et factum

Andreia Santos

Andreia Santos

ACI Ciências

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de julho é com Andreia Santos, técnica superior do Gabinete de Apoio Psicopedagógico (GAPsi) da Área de Mobilidade e Apoio ao Aluno de Ciências.

Quando era criança já sabia que profissão gostaria de ter no futuro?

Andreia Santos (AS) - Quando era criança, as profissões que eu dizia que gostava de ter/ser eram: professora, ter uma papelaria (adorava a ideia de vender material escolar e atender o público), arquiteta, farmacêutica e só no secundário decidi ser psicóloga.

Como surgiu a hipótese de trabalhar em Ciências?

AS - Soube através de uma colega que tinha aberto o concurso para uma bolsa PEUL para trabalhar como psicóloga no GAPsi no ano de 2012/2013. Depois mais tarde, em 2014 tive a oportunidade de ter outra bolsa, uma Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia e posteriormente concorri ao concurso público que abriu o ano passado, estando neste momento na faculdade como técnica superior, a desempenhar funções de acompanhamento clínico, apoio aos programas de mentorado e atividades de docência.

Foi o 1.º emprego?

AS - Não. O meu primeiro trabalho foi numa escola secundária.

Há quantos anos trabalha em Ciências?

AS - Não sendo um período seguido, na sua totalidade faz quatro anos.

O que começou por fazer quando aqui chegou?

AS - Comecei por dar consultas de psicologia clínica, dar apoio nos programas de mentorado, realizar algumas palestras e apoio administrativo do serviço (email, atendimento telefónico, revisão dos conteúdos da página do GAPsi, realização de textos de autoajuda).

E agora como é o seu dia-a-dia?

AS - O meu dia-a-dia é composto, na sua maior parte, pela atividade clínica (dar consultas), realizar algumas tarefas administrativas, dar algum apoio aos estagiários que aqui realizam estágio, preparo ações de formação/workshops. Às segundas-feiras de manhã temos uma reunião de equipa. Para além destas atividades que ocorrem ao longo de todo o ano, há algumas especificidades entre o 1.º e o 2.º semestre.

Neste momento, no 1.º semestre dou aulas numa cadeira optativa, chamada Curso de Competências Sociais e Desenvolvimento Pessoal.

No 2.º semestre realizo um curso chamado PhD-Contagem final, destinado a alunos com dificuldades em terminar o seu doutoramento.

O que é que mais gosta de fazer na unidade onde está inserida?

AS - No que se refere às atividades inerentes às funções que desempenho gosto de todas elas, porque me permitem o desenvolvimento de duas áreas que eu gosto bastante, a área clínica e a área formativa. Talvez pelas minhas características pessoais, mas para mim é importante conciliar um trabalho individual com os pacientes e um registo mais dinâmico, através das aulas, workshops e intervenções em grupo, como o programa destinado aos alunos de doutoramento.

Para além das tarefas em si, sinto que o ambiente da unidade onde trabalho, tem-me permitido crescer e desenvolver competências, por ser um local onde sinto que há espaço para a proposta de novas ideias, o trabalho em si é estimulante (a diversidade de pessoas e das problemáticas que atendo) e há sempre novos desafios a enfrentar.

Há alguma coisa que não aprecia na sua rotina profissional?

AS - Não há propriamente nada que não goste.

Na sua opinião o melhor da Faculdade é…?

AS - O ambiente, a relação entre as pessoas que a compõem. A proximidade, disponibilidade e facilidade de comunicação com docentes, outros trabalhadores não docentes com os quais trabalho, com a Direção e com os alunos. Estas características facilitam a resolução de muitas situações e permitem que me sinta verdadeiramente integrada no sítio onde trabalho, característica que dou bastante valor.

E o melhor da Administração Pública, o que é?

AS - A existência de vários serviços, que a população em geral pode recorrer que, de outro modo não teria acesso. Por exemplo, a existência de serviços de apoio psicológico nas faculdades, pois muitas pessoas não teriam condições para recorrer a um serviço privado.

Se tivesse que escolher um adjetivo para se descrever, qual seria a palavra escolhida?

AS – Proativa.

Porquê?

AS - Tenho várias ideias e iniciativas que coloco em prática, seja na minha vida pessoal ou profissional.

Na minha vida pessoal, geralmente tomo iniciativa de juntar as pessoas através de várias iniciativas, envolvo-me em diversas atividades como a dança ou envolvo-me em atividades que promovam o meu desenvolvimento pessoal e atividades criativas, já tive um programa de rádio no Instituto Superior Técnico, fazia bijutaria entre outras atividades.

Profissionalmente, nos momentos em que não tinha um contrato de trabalho/bolsa, desenvolvi vários projetos sozinha e com colegas e no meu trabalho atual, proponho novas ideias e procedimentos para as atividades do serviço.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

"Aquando da candidatura, o projeto estava numa fase embrionária e foi o Programa de Estímulo à Investigação da FCG que deu força e motivação para avançar”, diz Jocelyn Lochon, um dos vencedores da edição 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Information dissemination in unknown radio networks with large labels

Professor Shailesh Vaya,
Xerox Research Centre, India,

July 20 at 10h00 on room 6.3.38

O pedido de apoio à formação pós-graduada na área da Geologia do Petróleo deve ser apresentado até 15 dias úteis, após o último dia do prazo de inscrição no respetivo curso.

Já é possível solicitar a criação de Unidades Curriculares na plataforma Moodle para o ano letivo 2012/2013.

Os pedidos podem ser realizados no Portal da FCUL, após inicio de sessão.

O Centro de Informática terminou, no passado dia 12 de Julho, a migração de um equipamento central na rede da FCUL.

A excelência de sempre na construção do futuro. Escolhe um dos nossos cursos de Física, Astronomia e Astrofísica, Engenharia Física, ou Engenharia Biomédica e Biofísica. [ + ]

O “6th SPJ-OCS” realiza-se pela primeira vez em Portugal. Os organizadores do evento acreditam que “este congresso contribui para dar uma imagem do potencial científico de Portugal” nesta área.

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Os promotores do FP7 acreditam que “centenas de instituições científicas de toda a União Europeia irão apresentar propostas” e esperam captar novos participantes, nomeadamente pequenas e médias empresas, incrementando dessa forma a competitividade europeia.

Carlos Miguel Farinha, bioquímico docente do DQB e investigador do BioFIG , foi premiado em Junho com o Romain Pauwels Research Award, atribuído pela European Respiratory Society.

 

2ª fase de candidaturas:  15 a 22 de Julho.

O mestrado em Matemática para Professores é uma excelente oportunidade para consolidar,  recordar e aprender muitos temas relacionados com a matemática escolar.

No dia 12 de Julho foram feitas as apresentações de quatro trabalhos feitos no âmbito da disciplina de Projecto em Matemática para o Ensino do Mestrado em Matemática para Professores.

A Universidade de Lisboa e a Fundação Amadeu Dias estão a atribuir bolsas aos alunos de 1º Ciclo de qualquer área do saber, leccionado na Universidade de Lisboa e que já tenham concluído o 1.º ano curricular, ou alunos que frequentem&n

Em 18 anos, o Programa de Estímulo à Investigação premiou 34 jovens investigadores e 19 instituições da Universidade de Lisboa. Na última edição, dos oito premiados, três são jovens cientistas da FCUL. As candidaturas à próxima edição decorrem até 21 de setembro.

No dia dia 16 de Julho, pelas 11H00, na sala 6.4.30, realizar-se-á um Seminário organizado pelo Centro de Investigação Operacional com o título 'Lagrangian-Based Branch-and-Bound for Two-Echelon Uncapacitated Facility Location with Single Assignment Cons

Os resultados das experiências ATLAS e CMS divulgados recentemente pelo CERN, também foram apresentados publicamente na FCUL, numa sessão organizada pela professora do Departamento de Física Amélia Maio, a responsável pela participação portuguesa na experiência ATLAS.

Apresentações dos Projectos de Física dia 19 de Julho, às 10h, na sala 8.2.17:

O que faz o profissional que passa os seus dias no laboratório? E quem se dedica a resolver equações ou a estudar animais e plantas? Cinquenta alunos da associação EPIS descobriram as respostas a estas e a outras questões.

O projeto de reestruturação do Centro de Dados da FCUL, iniciado em junho, deverá estar concluído no próximo mês de setembro.

A Faculdade de Ciências abre as portas dos seus laboratórios a 50 jovens, vindos de diferentes pontos do País, para mais uma edição da “Rota das Vocações de Futuro” da EPIS.

Páginas