Opinião

Qual o real significado dos rankings?

pin sobre palavra credit

Sem querer retirar mérito ou importância às pontuações e sua hierarquização, devemos pensar o que consideramos qualidade numa universidade

Storyblocks
Conceição Freitas
Conceição Freitas
Imagem enviada por CF

A recente notícia da subida da ULisboa em duas das classificações (rankings) das universidades mundiais - Center for World University Rankings (CWUR) e SCImago Institutions Rankings (SIR) – é sem dúvida prestigiante. O seu posicionamento, entre as melhores do mundo e no primeiro lugar a nível nacional, deixa-nos satisfeitos e orgulhosos por sermos parte do universo que contribuiu para este resultado. Acresce que este lugar cimeiro tem sido uma constante na última década, marcada por uma consistente tendência positiva no que respeita ao CWUR e SCImago, como documentado pelo Relatório de Gestão e de Atividades 2020 da ULisboa.

Embora nos diversos rankings (e são vários) o comportamento não seja exatamente igual, certo é que a ULisboa tem revelado um excelente desempenho. Ciências, sendo uma das escolas com maior produtividade científica (em termos absolutos, mas potenciada se a produtividade for normalizada pelo número de ETI docentes e investigadores de cada unidade orgânica), responde certamente por uma grande quota em alguns dos indicadores que contribuem para as classificações obtidas.

No entanto, temos que estar bem conscientes do real significado dos rankings e interpretá-los com mente aberta. São muito diversos os critérios, indicadores e fatores de ponderação utilizados, uns mais subjetivos que outros; os métodos de recolha de dados e respetiva fiabilidade são igualmente distintos, existem assimetrias dentro de cada universidade, para mencionar apenas alguns dos fatores intrínsecos a ter em consideração. E não podemos esquecer os diferentes contextos extrínsecos, sociais, económicos e culturais que condicionam as entidades comparadas e, por vezes, as agendas poderosas que comandam estes processos.

Sem querer retirar mérito ou importância às pontuações e sua hierarquização, devemos pensar o que consideramos qualidade numa universidade, quais os critérios que privilegiamos para clarificar e perseguir os nossos objetivos de formação e investigação, reafirmando a nossa autonomia e independência científica e pedagógica.

Sem dúvida que num contexto de sub-financiamento da ciência e do ensino superior e, demasiadas vezes, de reduzido reconhecimento por parte da sociedade ou mesmo das entidades que nos tutelam, este sucesso refletido nos rankings deve-se substancialmente ao elevado empenho da comunidade de Ciências no seu todo, o que reforça o mérito das classificações alcançadas.

Conceição Freitas, presidente do Conselho Científico da Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Arthur Vieira, estudante do mestrado integrado em Engenharia Física e Emiliano Pinto, aluno de mestrado em Física Nuclear e Partículas, são os diretores da revista trimestral do Departamento de Física da FCUL e  que integra uma equipa editorial constituída por outros 16 discentes.

Challenge4you desafiou estudantes dos cinco aos vinte anos

“Aquilo que aqui aprendemos faz parte da cultura geral e todos nós devemos ter algumas ideias sobre o local onde estamos inseridos e sobre esta união de que todos fazemos parte e que tanto nos ajuda”. A declaração é da estudante e participante Adriana Pereira de 17 anos.

Para uma crítica das perspectivas recentes da União Europeia sobre o Ensino Superior

Recomendações para melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem.

Implicações no Quebramento do Gondwana e sua Correlação com as bacias da Margem Atlântico Sul e Atlântico Central

É crucial que estatísticos e investigadores em Ciências do Ambiente mantenham uma colaboração estreita, para que continuem a ser desenvolvidos métodos estatísticos e computacionais adequados que permitam dar resposta continuada aos desafios presentes e futuros.

Está disponível a edição de 2012 do JCR (Journal Citation Reports).

O trabalho de cinco investigadoras portuguesas foi distinguido no início de junho em Boston, nos EUA. O congresso mundial contou com mais de 800 cientistas de 50 países.

[Tec Labs]i – Potenciar a Inovação

“Os alunos da FCUL tiveram uma experiência única que não vão esquecer ao longo da sua vida académica e profissional”, denota Rui Ferreira, administrador do Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL.

Visita de Estudo à nova Universidade de Lisboa

“[Viveu-se um ambiente] muito propício ao debate onde o intercâmbio de ideias e de boas práticas foram muito gratificantes e uma mais-valia para os participantes e oradores do evento”, declarou Luísa Cerdeira, pró-reitora da Universidade de Lisboa e presidente do FORGES.

Álvaro de Campos

TABACARIA

O Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (DI-FCUL) vai organizar a 3 de julho deste ano a primeira edição do 

“Eu sempre gostei de fazer desenho geométrico e sempre me interessei pelos azulejos e seus painéis e pela calçada portuguesa pela sua beleza, pela arte, e porque têm potencialidades científicas, estéticas e didáticas praticamente ilimitadas”, conta o investigador do Grupo de Física-Matemática, distinguido recentemente com o Prémio Abordagem Inovadora “SOS Azulejo 2012”.

As bibliotecas do C4 e C8 têm horários alargados durante a época de exames de 1 a 29 de Junho.

Mestrados DBA 2013-2014

Investigadores do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour”

A equipa do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour” esteve reunida na FCUL, nos dias 21 e 22 de maio. Os investigadores avaliaram as ações em curso e discutiram alguns assuntos com a comunidade de end-users.

Jorge Manuel Ribeiro Rezende galardoado com o prémio “Abordagem Inovadora”

Intervenção na cerimónia de entrega dos Prémios 'SOS Azulejo' 2012:

Sessões dias 24 e 25 de junho 2013

"Gás de Xisto"?! Sim? Não? Porquê? Como? Onde?

Cerimónia de escritura do Instituto do Petróleo e do Gás

A transferência de conhecimento e tecnologia para a sociedade faz-se mediante o reforço das relações entre as comunidades científica e empresarial. Para J. M. Pinto Paixão, diretor da FCUL, esta é a oportunidade ideal para constituir parcerias suportadas no conhecimento e no exercício de uma cidadania plena.

Acções de Formação em Geologia na FCUL / 2013

Departamento de Geologia da FCUL

Informações sobre o procedimentos de escolha de ramo na Licenciatura em Geologia, 2013-14, do Departamento de Geologia da FCUL.

Alunos de Estatística Aplicada da FCUL

Atualmente, o uso e a aplicação da estatística têm a sua razão de ser não apenas na legitimação da indução, mas também na possibilidade de incorporar a incerteza nas suas conclusões: outro testemunho da sua proximidade ao real.

 

O Departamento de Informática (DI), da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), convida as empresas e instituições para o estabelecimento de Parcerias e a submeter propostas de trabalhos na área de Engenharia Informática e da Seguranç

Páginas