Global Management Challenge

Boa sorte, Ciências!

Alunos no campus de Ciências
Eliseu Furtado

Em 2014 participam no GMC um total de 968 estudantes universitários e 839 quadros de empresas, agrupados em 423 equipas: 231 equipas de estudantes universitários, 172 equipas de quadros de empresas e 20 equipas mistas.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa participou pela primeira vez no GMC em 2011. Este ano concorrem 21 alunos divididos em cinco equipas.

ACCENTURE
José Raul Dias Sousa (team leader) | Iara de Almeida Ivo |Ana Rita Reis Machado da Silva | João Cravinho Santos | João Filipe Guilherme Rodrigues
INTRUM JUSTITIA
João Rodrigo Graça Gomes (team leader) | Daniel Vilar Jorge |André Filipe Neto Borges |Anny Caroline de Almeida Muniz | Esdras Christo Moura dos Santos
ESSILOR
José Miguel Ribeiro Valente (team leader) | José Nuno Azeredo Gomes Teixeira | Joana Isabel Canejo Machado | Ana Rita Nazário Marouço | Francisco Ferreira Verdasca Moreira Braz
DELOITTE
Francisco Martim Tomé Gonçalves do Ó (team leader) | Ricardo Jorge Silveira Antunes | Diana Filipa Guerreiro Galvão
DELOITTE
Victória Cruz de Almeida (team leader) | Mirelda da Conceição de Sousa Quaresma Neto | Elves José Augusto Mota

A competição de estratégia e gestão é uma iniciativa portuguesa, lançada em 1980 pela SDG - Simuladores e Modelos de Gestão e pelo jornal Expresso. Este ano a 1.ª volta começou a 26 de maio e termina amanhã, terça-feira, 1 de julho. As 423 equipas foram distribuídas através de sorteio por 64 grupos.

Apenas 64 equipas passam para a 2.ª volta, que principia a 15 de setembro e termina a 21 de outubro. A final nacional com as oito equipas apuradas da 2.ª volta está prevista para os dias 26 e 27 de novembro, em Lisboa. Por sua vez, a final internacional deverá ocorrer em abril de 2015, em Praga, na República Checa.

Filipa Freitas, diretora de Marketing e Comunicação da SDG, refere que ao longo dos anos a competição assistiu a “grandes mudanças, fortemente associadas à evolução da tecnologia e à atualização dos temas sempre a acompanhar a evolução do mercado”, recordando que “nas primeiras edições, os resultados, expressos num relatório de gestão, eram processados e disponibilizados às equipas sete dias depois. (…) Hoje tudo se processa em questão de minutos”.
 

João Guilherme Rodrigues
Fonte:
Cedida por JGR
Legenda: João Guilherme Rodrigues

Atualmente, o GMC está presente em mais de 30 países nos cinco continentes. O ano passado lançaram uma nova versão do simulador, com novas variáveis, nomeadamente maior sensibilização para a preservação do ambiente, a possibilidade de fazer outsourcing na produção, de expandir a fábrica, de incluir a formação como forma de retenção de talentos, de emitir e recomprar ações. “A ideia é simular esta e outras situações, de forma a melhorar o desempenho dos nossos participantes, os líderes do futuro”, conclui Filipa Freitas.

João Gomes
Fonte:
Cedida por JG
Legenda: João Gomes

Da primeira vez que concorreu ao GMC, João Gomes, de 22 anos, estava a ter a disciplina de Economia e Gestão e queria aprofundar os conhecimentos na área. “À medida que ia aprendendo os conceitos nas aulas podia testá-los nesta competição em condições realistas”, diz entusiasmado por esta forma alternativa de aprendizagem e que o fez aceitar a função de mentor. “Embora seja apenas uma competição, acredito que é importante aprofundar os conhecimentos de gestão, afinal de contas quem quiser ser um bom profissional terá de ser um bom administrador seja a gerir colegas de trabalho ou projetos”, explica o aluno finalista do mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente.

Francisco Martim do Ó
Fonte:
Cedida por FMO
Legenda: Francisco Martim do Ó

Outro team leader, Francisco Martim do Ó, de 26 anos, aluno do mestrado em Engenharia Informática, constatou desde logo que a participação no GMC seria “uma excelente oportunidade” para aplicar e consolidar alguns dos conceitos, que têm vindo a aprender, para dar à Faculdade e a eles próprios, “alguma visibilidade, através da participação num evento com esta notoriedade” e também para se divertirem. Para o colega de curso e de equipa, Ricardo Silveira Antunes, de 22 anos, “não ter um background de gestão permite ter uma visão diferente dos outros grupos, mais sistémica e abrangente”. Ricardo Silveira Antunes acrescenta ainda que “a formação em ciências nomeadamente no domínio da Matemática e da lógica fornece-nos todas as ferramentas necessárias para ter resultados interessantes neste tipo de desafios”.

Ricardo Antunes
Fonte:
Cedida por RSA
Legenda: Ricardo Silveira Antunes

João Cravinho Santos, de 20 anos, está em Ciências desde setembro de 2011, no mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente. Este ano concorre pela primeira vez ao GMC. “Decidi participar pois achei, desde início, a cadeira e o tema do concurso interessantes”, diz ao mesmo tempo que acredita tratar-se de “um complemento para perceber melhor parte da matéria da cadeira”.

João Cravinho Santos
Fonte:
Cedida por JCS
Legenda: João Cravinho Santos

O mesmo argumento foi usado por Esdras Moura dos Santos, de 23 anos. Estuante do 2.º ano de Estatística Aplicada decidiu concorrer porque “o desafio proporciona a oportunidade de fixar e aplicar os conhecimentos adquiridos nas aulas e aplicá-los em situações próximas da realidade”. Já André Borges, de 21 anos, ainda que considere a competição um complemento do curso, também tem outros motivos para participar. O estudante do mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente espera concretizar o objetivo que deixou pendente no passado: “passar à fase seguinte”.

Rita Machado
Fonte:
Cedida por RM
Legenda: Rita Machado

Rita Machado, de 20 anos, é aluna do 3.º ano do mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente, e decidiu participar no GMC porque considera o conceito do concurso “bastante interessante”, pois proporciona “um ‘cheirinho’ daquilo que é ser gestor de uma empresa”, permitindo colocar em prática muito daquilo que lhes tem sido transmitido pelos professores. Francisco Braz, de 21 anos, no 3.º ano de Engenharia Física, menciona que a formação em Ciências dá ao seu grupo “versatilidade e capacidade de ver em panorama dinâmico a competição”.

José Sousa
Fonte:
Cedida por JRDS
Legenda: José R. D. Sousa

José R. D. Sousa, de 23 anos, “não estava muito inclinado a participar no concurso pois o tempo era muito pouco”, mas os colegas convenceram-no, “dizendo que seria uma experiência sem igual”. Uma dessas pessoas foi o amigo e colega João Gomes. O aluno do 4.º ano do mestrado integrado em Engenharia de Energia e Ambiente participa no GMC pela terceira vez. “Em 2012 a minha equipa ficou em 2.º lugar, em 2013 em 4.º lugar e este ano esperamos passar à próxima fase pois na penúltima jogada (semana de 24 de Junho) estávamos no 1.º lugar e tudo indica que ficaremos em 1º lugar”, refere confiante destacando ainda “o contacto direto e próximo entre alunos e professores”, facto que tem facilitado o trabalho da sua equipa.

+Ciências +GMC

“A agilidade mental e a capacidade de cálculo desenvolvida ao longo do meu curso são, sem dúvida alguma, grandes vantagens para esta competição visto que temos que estar atentos a dezenas de variáveis. Outro fator muito importante para esta competição, e que distingue a Faculdade de Ciências, é a variedade de cursos existentes. Assim podemos criar equipas em áreas distintas como Estatística e Bioquímica, obtendo bons resultados pois cada membro trará uma nova visão sobre o jogo.”
João Gomes

“Decidimos concorrer pela nossa curiosidade crescente na gestão - fruto também da cadeira de Gestão de Projetos - e de todas as contingências inerentes à gestão de empresas e de produtos. Temos pouco contacto com estes temas ao longo do curso e achámos que era uma forma interessante de por em prática algumas noções que fomos aprendendo em cadeiras que não são da nossa área.”
Ricardo Silveira Antunes

“A nossa formação permite-nos entrar em contacto com diversas pessoas e cativar o espírito do trabalho em grupo, fatores determinantes para entender o concurso e conseguir alcançar bons resultados.”
José R. D. Sousa

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@fc.ul.pt
Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS)

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, foi reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS).

Verão na ULisboa em CIÊNCIAS

Foi com um sorriso na cara e com vontade de um dia regressarem, que os estudantes do programa Verão na ULisboa deixaram o campus de CIÊNCIAS, após as cerimónias de entrega de diplomas que decorreram nos dia

Assinatura do Protocolo com a REDCORP

No passado dia 9 de julho a Direção de CIÊNCIAS assinou um protocolo de cooperação com a REDCORP, empresa de empreendimentos mineiros responsável pelo Projeto Lagoa Salgada.

CIÊNCIAS assinA um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms nas instalações de CIÊNCIAS, tendo sido assinado pelo Diretor da faculdade, Luís Carriço, e pela co-fundadora da startup Rede Vertical Farms, Inês Barros.

CIÊNCIAS assinou um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms, com o objetivo de instalar uma horta vertical no campus da faculdade.

Equipa do CSD Lab do BioISI

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Estrutura e Dinâmica Celular (CSD Lab) do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioIS

Diogo Rodrigues Fernandes

Diogo Rodrigues Fernandes, doutorando de CIÊNCIAS e investigador no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (

Banner O Planeta Vivo

“Temos este mundo, ou nada. E temos um grande problema se não entendermos o planeta que queremos salvar.” Esta citação de Carl Sagan é o mote do documentário ‘O Planeta Vivo’, que estreou no passado dia 3 de julho na RTP.

Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025 um telescópio made in Portugal para observar o Sol.

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Vanessa Fonseca, Catarina Frazão Santos, Rita Cardoso, Cláudio Gomes, Ana Duarte Rodrigues e Paulo J. Costa posam com os prémios para uma foto numas escadas

A faculdade conseguiu obter o segundo lugar entre as Escolas da Universidade de Lisboa mais galardoadas.

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Páginas