Alterações climáticas

“Trabalhar com esta espécie é um sonho de criança”

Peixes limpadores da grande barreira de coral australiana podem deixar de limpar

LMG

O trabalho realizado no LMG usou valores de temperatura e de pH previstos pelo IPCC para o fim do século

DBA Ciências ULisboa - Pedro Ré

Este trabalho surgiu através do projeto MUTUALCHANGE, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, no qual colaboram todos os autores do artigo e que tem como coordenador Tiago Repolho, investigador do DBA Ciências ULisboa e MARE.
Os investigadores também olharam para o funcionamento do cérebro dos peixes limpadores e perceberam que as alterações observadas estavam correlacionadas com mudanças nos níveis de neurotransmissores no cérebro (dopamina e serotonina).
​Os próximos passos da equipa passam por avaliar se outros mecanismos neurobiológicos podem estar por detrás das alterações comportamentais observadas e perceber como os parasitas, que são comidos pelos peixes limpadores, lidam com estes fatores de stress derivados das alterações climáticas. No LMG do polo da Ciências ULisboa do MARE há um grupo de investigação que estuda o impacto das alterações climáticas nos organismos marinhos.

Investigação liderada por cientistas do polo da Ciências ULisboa do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), em colaboração com investigadores da Universidade Nova de Lisboa, da Universidade de Uppsala, na Suécia e da Universidade de James Cook, na Austrália, revela como os mutualismos de limpeza marinhos lidam com o aquecimento e acidificação dos oceanos.

Neurobiological and behavioural responses of cleaning mutualisms to ocean warming and acidification” da autoria de José Ricardo Paula, Tiago Repolho, Maria Rita Pegado, Per-Ove Thörnqvist, Regina Bispo, Svante Winberg, Philip L. Munday e Rui Rosa foi publicado recentemente na revista Scientific Reports do grupo Nature.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido pela Faculdade, o estudo iniciado em novembro de 2014 demonstra que após uma longa exposição a água mais quente e mais ácida os peixes limpadores - Labroides dimidiatus - reduzem a motivação para interagir com outros peixes do recife de coral.

O trabalho realizado no Laboratório Marítimo da Guia usou valores de temperatura e de pH previstos pelo Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) para o fim do século. Estas interações são essenciais para os ecossistemas de recifes de coral, já que a sua existência modela a diversidade, abundância e recrutamento de inúmeras espécies de peixes. Perceber como as alterações climáticas podem afetar estes mutualismos é uma prioridade para a investigação marinha.

José Ricardo Paula, primeiro autor do artigo, está inscrito no doutoramento de Biologia - especialidade de Biologia Marinha e Aquacultura e sempre foi apaixonado por comportamento animal, cooperação e mutualismos - especialmente debaixo de água. Rui Rosa, professor do Departamento de Biologia Animal (DBA) da Ciências ULisboa e investigador do MARE, é o seu orientador.

“Muito do meu trabalho é feito em mergulho e já desde o 4.º ano de escolaridade básica que tenho um livro a explicar o que são esses mutualismos de limpeza (com esta mesma espécie)”, conta o investigador do polo da Ciências ULisboa do MARE, acrescentando que “estar hoje a trabalhar com esta espécie é um sonho de criança”.

José Ricardo Paula
José Ricardo Paula
Imagem cedida por JRP

José Ricardo Paula pretende perceber como as alterações climáticas podem afetar estas interações carismáticas, no futuro planeia continuar no meio de investigação. “Concorri a uma Marie Skłodowska-Curie Actions Individual Fellowships nesta última call e estou à espera dos resultados”, conclui.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O trabalho de cinco investigadoras portuguesas foi distinguido no início de junho em Boston, nos EUA. O congresso mundial contou com mais de 800 cientistas de 50 países.

[Tec Labs]i – Potenciar a Inovação

“Os alunos da FCUL tiveram uma experiência única que não vão esquecer ao longo da sua vida académica e profissional”, denota Rui Ferreira, administrador do Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL.

Visita de Estudo à nova Universidade de Lisboa

“[Viveu-se um ambiente] muito propício ao debate onde o intercâmbio de ideias e de boas práticas foram muito gratificantes e uma mais-valia para os participantes e oradores do evento”, declarou Luísa Cerdeira, pró-reitora da Universidade de Lisboa e presidente do FORGES.

Álvaro de Campos

TABACARIA

O Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (DI-FCUL) vai organizar a 3 de julho deste ano a primeira edição do 

“Eu sempre gostei de fazer desenho geométrico e sempre me interessei pelos azulejos e seus painéis e pela calçada portuguesa pela sua beleza, pela arte, e porque têm potencialidades científicas, estéticas e didáticas praticamente ilimitadas”, conta o investigador do Grupo de Física-Matemática, distinguido recentemente com o Prémio Abordagem Inovadora “SOS Azulejo 2012”.

As bibliotecas do C4 e C8 têm horários alargados durante a época de exames de 1 a 29 de Junho.

Mestrados DBA 2013-2014

Investigadores do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour”

A equipa do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour” esteve reunida na FCUL, nos dias 21 e 22 de maio. Os investigadores avaliaram as ações em curso e discutiram alguns assuntos com a comunidade de end-users.

Jorge Manuel Ribeiro Rezende galardoado com o prémio “Abordagem Inovadora”

Intervenção na cerimónia de entrega dos Prémios 'SOS Azulejo' 2012:

Sessões dias 24 e 25 de junho 2013

"Gás de Xisto"?! Sim? Não? Porquê? Como? Onde?

Cerimónia de escritura do Instituto do Petróleo e do Gás

A transferência de conhecimento e tecnologia para a sociedade faz-se mediante o reforço das relações entre as comunidades científica e empresarial. Para J. M. Pinto Paixão, diretor da FCUL, esta é a oportunidade ideal para constituir parcerias suportadas no conhecimento e no exercício de uma cidadania plena.

Acções de Formação em Geologia na FCUL / 2013

Departamento de Geologia da FCUL

Informações sobre o procedimentos de escolha de ramo na Licenciatura em Geologia, 2013-14, do Departamento de Geologia da FCUL.

Alunos de Estatística Aplicada da FCUL

Atualmente, o uso e a aplicação da estatística têm a sua razão de ser não apenas na legitimação da indução, mas também na possibilidade de incorporar a incerteza nas suas conclusões: outro testemunho da sua proximidade ao real.

 

O Departamento de Informática (DI), da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), convida as empresas e instituições para o estabelecimento de Parcerias e a submeter propostas de trabalhos na área de Engenharia Informática e da Seguranç

Sessão de esclarecimento dia 31 de maio 2013, 11h, anfiteatro 2.4.16

Colocação por unidade curricular- informação atualizada

 

Conhece as reais causas das expulsões de 1947? Como eram as relações da Faculdade de Ciências com o Instituto Superior Técnico? Uma das últimas edições da FCUL procura responder a estas e a outras questões.

Alexandre Ribeiro, criador do jogo Fangz destacado recentemente na App Store dos EUA, voltou àquela que foi a sua instituição de ensino superior, a FCUL, para partilhar experiências, curiosidades e dificuldades vivenciadas ao longo da conceção do jogo, aproveitando para responder às dúvidas dos interessados.

Conferência por Isabel Sacramento Grilo, Department of Geological Sciences SDSU, San Diego, California. EUA.

No âmbito do Ano Internacional de Estatística, a Sociedade Portuguesa de Estatística (SPE)  e o Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa (CEAUL)  promovem uma

Visitantes e colaboradores do Dia Aberto em Ciências comentam a iniciativa que em 2013 reuniu cerca de 1400 pessoas, entre alunos do básico e secundário e seus professores.

Inquéritos Pedagógicos. 2.º Semestre de 2012-13

Os Inquéritos Pedagógicos são uma ferramenta fundamental para a avaliação da qualidade do ensino na FCUL

Páginas