Opinião

E se fosse o seu melhor amigo?

Imagine que o seu melhor amigo vinha ter consigo e lhe contava que se estava a sentir muito mal com ele próprio, por não ter feito alguma coisa que ele gostaria que fosse de outra forma. O que é que faria ou diria ao seu amigo e em que tom o faria?

Unsplash - Giulia Bertelli
Andreia Santos
Andreia Santos
Fonte ACI Ciências

É frequente falar-se sobre a relação que se tem com os outros, mas importa também falar da relação que cada um tem consigo. Tomar consciência do tipo de relação que se tem connosco pode ser muito importante, na medida em que nos ajuda a perceber de que forma andamos ou não a cuidar de nós próprios.

Uma das formas de se cuidar do próprio é desenvolver uma atitude de auto compaixão e aqui, o conceito de auto compaixão é naturalmente diferente da atitude de se ter “pena de si próprio”. A atitude de “ter pena de si próprio” tende a enfatizar os sentimentos de egocentrismo e de separação face aos outros, uma vez que a pessoa tende a considerar que aquele sentimento ou situação apenas lhe acontece a si, ao passo que, a atitude de auto compaixão é precisamente aceitar e compreender que a forma como se está a sentir é natural e partilhada por outras pessoas.

Quando se sente compaixão por outra pessoa, isso significa que, se reconhece e compreende o que ela está a sentir. Por exemplo, se essa pessoa está a sofrer por sentir que falhou ou não fez algo bem, e se sente compaixão por ela significa que se aceita aquilo que ela está a sentir, sendo natural e compreensível que se sinta assim. Contudo, por vezes, o mesmo parece não ser válido quando se trata do próprio. Perante situações como estas, muitas vezes surge um “eu crítico” que tende a punir, culpabilizar, zangar-se com o próprio, causando ainda mais sofrimento.

Em vez do julgamento e da crítica por várias coisas que foram inadequadas ou que deram poucos resultados face às expectativas que se tinha inicialmente, ter auto compaixão significa ter uma atitude de respeito e compreensão quando se é confrontado com os próprios sentimentos, em especial aqueles que provocam dor. Nestas situações, experimente perguntar: como é que eu posso cuidar de mim neste momento?

Imagine que o seu melhor amigo vinha ter consigo e lhe contava que se estava a sentir muito mal com ele próprio, por não ter feito alguma coisa que ele gostaria que fosse de outra forma. O que é que faria ou diria ao seu amigo e em que tom o faria?

Agora imagine quando você se está a sentir assim, o que é que costuma fazer a si próprio? Encontra alguma diferença? Se sim, tente perceber porquê? Que fatores ou medos tomam lugar para se tratar de um modo tão diferente? Porque é que não tenta tratar-se a si próprio como se fosse o seu melhor amigo, e ver o que acontece?

Andreia Santos, Gabinete de Apoio Psicopedagógico da Área de Mobilidade e Apoio ao Aluno de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas