Pedro Raposo

Curador do Planetário Adler, em Chicago

Pedro Raposo -  próximo Curador do Planetário Adler, em Chicago
SAHFC

Pedro Raposo foi recentemente selecionado, na sequência de um exigente processo internacional de recrutamento, para ser o novo curador do Planetário Adler de Chicago, que atrai cerca de meio milhão de visitantes por ano.

O Planetário Adler é um sofisticado centro de ciência que inclui três salas para sessões de planetário equipadas com tecnologia audiovisual avançada, um grupo de investigação em astrofísica, um centro de imagem e visualização do espaço, um observatório, e um instituto para a história da Astronomia, o Webster Institute for the History of Astronomy. Este instituto tem a seu cargo uma das maiores e mais representativas coleções de instrumentos científicos históricos do mundo, que inclui também livros raros, mapas, imagens, modelos, e material de arquivo de importância capital para a história da Astronomia.

Na posição de curador do Planetário Adler, Pedro Raposo tem como missão promover o estudo desta coleção e o seu enriquecimento com novos itens, facilitar o seu uso para fins educativos e de investigação, e trabalhar na sua interpretação perante o grande público, através da organização de exposições, do desenvolvimento de plataformas multimédia, etc..

Pedro Raposo fez parte do grupo de alunos que frequentou a primeira edição do Mestrado em História e Filosofia das Ciências oferecido pela Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências (SAHFC) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL). Foi o primeiro estudante de pós-graduação a obter o grau de mestre em História e Filosofia das Ciências pela FCUL, em 2006. A sua tese de mestrado foi orientada por Henrique Leitão (recentemente distinguido com o Prémio Pessoa) e teve por tema o percurso do astrónomo Campos Rodrigues (1836-1919), segundo diretor do Observatório Astronómico de Lisboa, e figura de proa da Astronomia portuguesa de finais do século XIX e princípios do século XX.

Em 2006, Pedro Raposo foi também o primeiro estudante a ser galardoado com o Magellan Prize da Universidade de Oxford, que distingue projetos de estudos pós-graduados relacionados com a língua e a cultura portuguesas. O seu trabalho de doutoramento, financiado com uma bolsa de doutoramento internacional da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), teve como tema as origens do Observatório Astronómico de Lisboa, no contexto da Astronomia europeia do século XIX. Foi desenvolvido no Museu de História da Ciência da Universidade de Oxford, sob a supervisão de Jim Bennett, um dos maiores especialistas mundiais na história dos instrumentos científicos e sua musealização.

Depois de concluir o doutoramento em 2010, Pedro Raposo regressou à FCUL como bolseiro de pós-doutoramento da FCT. O projeto de pós-doutoramento tem vindo a ser desenvolvido no Centro Interuniversitário de História das Ciências e Tecnologia (CIUHCT), sob a supervisão de Ana Simões, coordenadora deste Centro, da Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências (SAHFC) da FCUL e pró-reitora da Universidade de Lisboa. O projeto incide especialmente na história dos observatórios das antigas colónias portuguesas e na importância das redes internacionais para o desenvolvimento da Astronomia portuguesa nos séculos XIX e XX.  

Pedro Raposo é detentor de um currículo variado, que inclui uma larga experiência em atividades de divulgação científica e cultural, e uma lista de publicações em que se contam artigos em revistas internacionais da especialidade, capítulos de livros, book reviews e várias comunicações por convite. Prepara-se para publicar, em 2015, um livro intitulado "O Gigante da Tapada: Campos Rodrigues e o Observatório Astronómico de Lisboa".

 

Para mais informações sobre o Planetário Adler ver:

Página: http://www.adlerplanetarium.org/

Entrada na Wikipedia, com informação histórica: 

http://en.wikipedia.org/wiki/Adler_Planetarium

Exposições: http://www.adlerplanetarium.org/exhibits/

Sobre a coleção: http://www.adlerplanetarium.org/collections/

SAHFC com GCIC
Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

Páginas