Inês Fragata distinguida com bolsa ERC Starting

Projeto DYNAMICTRIO pretende avaliar como é que a evolução das interações entre espécies afeta a capacidade do ecossistema recuperar após perturbações externas

Última Revisão —
planta e ácaros

Inês Fragata irá seguir a evolução em tempo real de um ecossistema com três espécies (planta, ácaro herbívoro e ácaro predador)

Wikimedia Commons e Koppert
Inês Fragata
Inês Fragata
Fonte DCI Ciências ULisboa

Inês Fragata, investigadora do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa e do grupo de Ecologia Evolutiva do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c), é uma das cientistas distinguidas com uma bolsa do European Research Council (ERC) Starting, no valor de cerca de 2M€, no âmbito do projeto “Feedback entre a dinâmica populacional e a evolução das interações num sistema tritrófico” (DYNAMICTRIO).

“Com este projeto queremos criar uma ferramenta que permita prever se, e de que forma, os ecossistemas conseguem responder e resistir a mudanças ambientais, como as que são geradas pelas alterações climáticas ou mudanças antropogénicas”, diz Inês Fragata.

O projeto DYNAMICTRIO pretende avaliar como é que a evolução das interações entre espécies afeta a capacidade do ecossistema recuperar após perturbações externas, usando uma combinação de modelação teórica e evolução experimental. Para tal, Inês Fragata irá seguir a evolução em tempo real de um ecossistema com três espécies (planta, ácaro herbívoro e ácaro predador), desde o ADN até às dinâmicas de ecossistemas. Também será testado o impacto de uma alta concentração de azoto (composto principal dos fertilizantes) na estabilidade/extinção do sistema.

Inês Fragata concluiu o doutoramento em Biologia, especialidade em Biologia Evolutiva, em 2015, na Ciências ULisboa e a curiosidade foi o que a levou a escolher esta profissão. O ano passado foi galardoada com uma Medalha de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência para estudar o impacto que o cádmio presente nas folhas do tomateiro tem na alimentação dos ácaros-aranha, e de que forma é que esta conhecida praga agrícola se adapta a esta alimentação. Perceber como é que o conhecimento sobre o processo evolutivo pode ajudar a parar ou abrandar processos como a resistência a antibióticos ou a pesticidas continua a ser um dos seus desafios.

Para Inês Fragata este projeto representa "um grande passo" e uma "aventura", uma vez que se trata de um reconhecimento importante e que permite estabelecer uma linha de investigação. "Para poder fazer as experiências associadas a este projeto é necessário não só uma equipa grande, mas também um espaço específico. Isto não seria possível sem este tipo de financiamento. (...) É um projeto com vários desafios, portanto estou à espera de muitos altos e baixos e definitivamente muito trabalho", diz.

O projeto DYNAMICTRIO visa perceber melhor qual é o papel da estabilidade do ecossistema no potencial evolutivo das populações. Inês Fragata espera perceber se o ecossistema é mais ou menos resiliente quando as espécies evoluem juntas. "Estudar o impacto destes processos a diferentes níveis biológicos vai permitir-nos perceber fatores importantes para a resiliência dos ecossistemas", conclui.

As bolsas ERC Starting apoiam investigadores em início de carreira, para que possam constituir equipas de investigação. Além do projeto de Inês Fragata, o ERC aprovou ainda os projetos “O impacto global da contaminação da água costeira no desenvolvimento económico”, de Alex Armand, da Universidade Nova de Lisboa; e “Fatores genéticos que permitem simbioses do microbioma: as abelhas como um sistema modelo natural”, de Waldan Kwong, do Instituto Gulbenkian de Ciência. Segundo comunicado do Governo, estes três projetos encontravam-se em lista de reserva no ERC Starting.

GJ Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas