AppEEL - Applied Evolutionary Epistemology Lab

Pormenor de obra de arte
Octávio Pinto

No Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL) nasceu, em julho de 2012, o AppEEL - Applied Evolutionary Epistemology Lab, um laboratório que visa abordar o conceito da Epistemologia Evolutiva Aplicada e que reúne uma equipa internacional e multidisciplinar.

“No nosso laboratório, focamo-nos em saber como a Síntese Expandida em particular pode ser aplicada ao estudo da evolução do comportamento humano. Na Biologia, teoria evolutiva já não é sinónimo apenas de teoria da seleção natural. De facto, para explicar a origem e evolução de certos fenómenos biológicos, têm sido propostas outras teorias, complementares e, por vezes, contraditórias. Os investigadores envolvidos nestas áreas do conhecimento têm por isso defendido que a Síntese Moderna, o paradigma padrão da Biologia Evolutiva, precisa de ser alargada, de forma a incluir teorias sobre a Simbiogénese, os Equilíbrios Pontuados, a Coevolução, etc.”, explica Nathalie Gontier, coordenadora do AppEEL.

Para os fundadores do AppEEL, este laboratório pode ser considerado o primeiro centro no mundo a reunir investigadores que estudam a evolução sociocultural a partir das teorias que formam parte da Síntese Expandida. O conselho consultivo deste novo grupo de investigação é composto pelos professores Michael Bradie e Clifford Hooker, considerados os pais fundadores da Epistemologia Evolutiva; por Niles Eldrege, o fundador da Teoria dos Equilíbrios Pontuados; Ian Tattersall, um antropólogo internacionalmente reconhecido; Douglas Zook, o antigo presidente e atual vice-presidente da International Symbiosis Society; Frank Ryan, um dos maiores especialistas na área da Simbiose; e Francisco d’Errico, um proeminente investigador em Arqueologia.
Pormenor de cúpula
Fonte: Octávio Pinto
Legenda: O AppEEL reúne uma equipa internacional e multidisciplinar e conta com um conselho consultivo composto por figuras ímpares

Um dos atuais projetos do AppEEL designa-se “Implementing the Extended Synthesis into the Sociocultural Domain” e é financiado pela fundação norte-americana John Templeton Foundation. Este projeto, iniciado em setembro de 2012, deverá estar concluído no final de agosto de 2013. Nathalie Gontier e Olga Pombo coordenam a investigação composta por uma equipa transdisciplinar e da qual fazem parte Francisco Carrapiço, investigador do Centro de Biologia Ambiental da FCUL; Luís Correia, professor do Departamento de Informática da FCUL; o médico Marco Pina e a webdesiger Márcia Belchior, ambos membros do CFCUL; Emanuele Serrelli, investigador da Universidade de Milão Bicocca, em Itália e Larissa Mendoza Straffon, investigadora da Universidade de Leiden, na Holanda.

Para Olga Pombo, coordenadora do CFCUL, o novo laboratório vai, sem dúvida, ao encontro de um dos mais importantes objetivos do CFCUL: “apoiar e promover o desenvolvimento da Filosofia das Ciências em Portugal através do estímulo e participação em projetos de Investigação nacionais e internacionais” já que, entre outros aspetos, “é interdisciplinar, isto é, procura realizar avanços teóricos em colaboração com uma significativa rede de disciplinas científicas, da Sociobiologia à Linguística, da Embriologia à Antropologia, da Genética à Primatologia, da Paleontologia à Arqueologia”.
Chão com tapete e parte de uns sapatos
Fonte: Octávio Pinto
Legenda: O projeto “Implementing the Extended Synthesis into the Sociocultural Domain” deverá estar concluído no final de agosto de 2013

A página de Internet do AppEEL pretende ser uma plataforma científica que possibilite a troca de ideias e o desenvolvimento de parcerias. Os investigadores do grupo pretendem contribuir para a formação e erudição da comunidade académica através da organização de duas escolas internacionais sobre Evolução, abertas a estudantes de mestrado, de doutoramento e de pós-doutoramento; e mediante a realização de uma conferência pública sobre a Síntese Expandida e um dia da Evolução para adolescentes. Paralelamente pretendem preparar sessões sobre Epistemologia Evolutiva Aplicada e submetê-las à apreciação da European Philosophy of Science Association e à Society for Philosophers of Science in Practice.

A Síntese Expandida ainda é uma teoria pouco estudada. Para muitos investigadores das Ciências Humanas e Sociais é até desconhecida. “Dada a importância atualmente atribuída à Simbiogénese e à Teoria dos Equilíbrios Pontuados no seio da Biologia Evolutiva, podemos dizer tratar-se de uma obrigação científica investigar o modo como essas teorias podem contribuir para a nossa compreensão da Evolução Humana Sociocultural”, comenta Nathalie Gontier.

O que é a Epistemologia Evolutiva Aplicada?
Existe um campo da filosofia da ciência e das ciências evolutivas que pergunta de que modo as teorias da biologia evolutiva podem ajudar à nossa compreensão da evolução humana, social e cultural. Com o aparecimento da Sociobiologia, os antropólogos e os primatólogos, por exemplo, interrogaram-se de que modo comportamentos específicos da espécie humana, como a linguagem ou a arte, evoluíram em termos biológicos através da seleção natural. A Epistemologia Evolutiva Aplicada é o campo que investiga os paralelos entre a evolução biológica, por um lado, e a evolução sociocultural, por outro. Os epistemólogos evolutivos e os filósofos das ciências evolutivas dirigem a sua investigação sobretudo para a implementação da teoria da selecção natural ao domínio sociocultural. Uma infeliz consequência que daqui decorre é que a Síntese Expandida é pouco estudada, permanecendo desconhecida para muitos investigadores das Ciências Humanas e Ciências Sociais. Porém, dada a importância atualmente atribuída à Simbiogénese e à Teoria dos Equilíbrios Pontuados no seio da Bologia Evolutiva, podemos dizer tratar-se de uma obrigação científica investigar o modo como essas teorias podem contribuir para a nossa compreensão da evolução humana sociocultural.

Em que é que consiste a Teoria dos Equilíbrios Pontuados?

A teoria dos equilíbrios pontuados foi descrita inicialmente na paleontologia. Esta teoria demonstra que a evolução pode, por vezes, ocorrer mais rapidamente do que Darwin inicialmente previra, em períodos que alternam com outros de estase prolongada. Nestes períodos de estase, as espécies aparentemente não evoluem e ou demonstram mera variação ou não aparentam estar a experimentar mudanças duradouras na sua anatomia.
 

O que é a Evolução horizontal?

A evolução pode ocorrer através da fusão de espécies ou dos cruzamentos horizontais de material genético de um organismo para o outro. Todos os principais reinos da vida podem adquirir DNA externo através de transferência lateral ou horizontal. Os processos de transmissão horizontal também podem ocorrer com frequência na evolução sociocultural. Durante muito tempo, os neodarwinistas pensaram que estas trocas horizontais de material genético eram impossíveis.

Fonte: Nathalie Gontier e Marco Pina

Calendário AppEEL
14 a 18 fevereiro 2013 - Membros do AppEEL apresentam comunicações em dois simpósios sobre a natureza e o âmbito da Síntese Expandida, durante o encontro da American Association for the Advancement of Science, em Boston, nos EUA
11 a 15 março 2013 Escola de Inverno dedicada à Macroevolução, Evolução da Linguagem, Simbiogénese e Transferência Horizontal de Genes, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa
16 março 2013 - Conferência Pública Sobre Evolução, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa
16 março 2013 - Dia da Evolução para Adolescentes, no Pavilhão do Conhecimento, Lisboa
27 a 29 maio 2013 - Conferência internacional sobre Evolutionary Patterns, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa
15 a 19 julho 2013 – Escola de Verão dedicada à Filosofia da Biologia, Teoria Evolutiva Geral, Evolução Sociocultural, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa

Ana Subtil Simões e Raquel Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Vanessa Fonseca, Catarina Frazão Santos, Rita Cardoso, Cláudio Gomes, Ana Duarte Rodrigues e Paulo J. Costa posam com os prémios para uma foto numas escadas

A faculdade conseguiu obter o segundo lugar entre as Escolas da Universidade de Lisboa mais galardoadas.

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ)

Páginas