Central fotovoltaica do Cercal

Ciências ULisboa, FCiências.ID e Aquila Clean Energy celebram protocolo

Parceria visa garantir a monitorização do impacto da produção de energia solar renovável na qualidade dos solos e na biodiversidade

José Rebordão, Luís Carriço e Manuel Silva assinam o protocolo

O presidente do Conselho de Administração da FCiências.ID, o diretor da Ciências ULisboa e o head of development & construction da Aquila Clean Energy em Portugal assinaram o protocolo, numa cerimónia ocorrida no campus da Faculdade

Pedro Pina

Scripta manent. O que se escreve, fica, permanece.

Digital online, Rádio Campanário online (21 e 23 de outubro), Weletric online, Agricultura & Mar online, Agroportal online, Ambiente Magazine online, Green Savers online, Negócios online, Sem Mais online, Setubalense online

A Faculdade e a Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências (FCiências.ID) assinaram um protocolo de cooperação com a Cercal Power, uma sociedade da Aquila Clean Energy, a plataforma de energia renovável da Aquila Capital na Europa, dedicada ao desenvolvimento, construção e exploração da central fotovoltaica do Cercal, em Santiago do Cacém. A cerimónia decorreu a 19 de outubro no campus da Ciências ULisboa.

O protocolo, com a duração de dois anos, visa a cooperação nas áreas científicas e tecnológicas em que a Faculdade desenvolve a sua atividade e que se revistam de interesse para a empresa, nomeadamente a parceria em projetos de investigação, o acolhimento de mestrandos e doutorandos para realização de dissertações de mestrado ou teses de doutoramento, o acesso a equipamentos e infraestruturas para realização de atividades de investigação ou académicas, entre outras formas de cooperação.

No âmbito desta parceria, uma equipa da Ciências ULisboa vai realizar um estudo de monitorização do impacto da construção da central fotovoltaica do Cercal na qualidade dos solos e na biodiversidade.

Durante a fase de consulta pública do projeto, a empresa deparou-se com várias preocupações da população local, nomeadamente a preservação natural daquele território, o impacto visual dos painéis solares, a qualidade dos solos agrícolas e o aumento da temperatura ambiente. Considerando a responsabilidade social e ambiental, a equipa da Aquila Clean Energy quis aprofundar o conhecimento acerca destas questões, procurando igualmente uma maior aceitação do projeto por parte da população.

Para Manuel Silva, head of development & construction da Aquila Clean Energy em Portugal, “esta parceria com a Ciências ULisboa traduz a preocupação da Aquila Clean Energy com o respeito pelos territórios, valores naturais e locais e com a sustentabilidade. A construção da central fotovoltaica do Cercal é essencial para atingir as metas que garantam uma transição energética efetiva. Contudo, queremos também assegurar que, além de ajudar a cumprir o objetivo de descarbonização do setor eletroprodutor, esta central poderá coexistir com atividades agrícolas, em respeito pela biodiversidade local e sem consequências na temperatura ambiente. A nossa forma de atuar é sempre esta: fomentar parcerias que nos permitam criar uma estratégia de valor partilhado em todos os locais em que nos encontramos”.

A cooperação estabelecida vai permitir complementar o conhecimento já existente, com uma componente científica, acrescentando robustez ao estudo de impacto ambiental da área onde vai ser instalada a central.

A equipa da Faculdade é coordenada por Cristina Branquinho, Helena Serrano, Sergio Chozas e Fernando Ascensão, investigadores do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c); e Miguel Centeno Brito, investigador do Instituto Dom Luiz (IDL).

A parceria prevê a caraterização da biodiversidade e dos solos na área de construção. Através de metodologias de investigação científica vai ser possível caracterizar a qualidade do solo e a riqueza em termos de fauna e flora, antes, durante e depois da construção. Esse estudo permitirá compreender a situação atual e apoiar a definição de estratégias para preservação da biodiversidade local. Posteriormente, o objetivo é avaliar os impactos negativos que a construção possa ter naquele território e apresentar estratégias para os mitigar.

Embora, teoricamente, a exploração possa impactar negativamente o território, Fernando Ascensão refere que também são de esperar impactos positivos. É expectável, por exemplo, que mais espécies se instalem naquele local após a construção do parque solar, uma vez que a zona será vedada e tendo em consideração, que serão implementadas medidas favoráveis aos habitats dessas espécies. Conhecendo a biodiversidade do território, a ideia é tirar partido dela, propondo soluções para a promover e potenciar a sua preservação junto das populações.

3 pessoas a olhar para um campo
Prevê-se que a central seja construída até ao final deste ano e tenha uma capacidade instalada de 275 MW, permitindo fornecer energia a 141 mil casas. Os painéis serão distribuídos pelo terreno em núcleos/ilhas, de forma ajustada às características do local, e colocados a três metros de altura do chão.
Fonte Helena Serrano

A FCiências.ID já se encontra a implementar o plano de monitorização da temperatura, aprovado pela Agência Portuguesa do Ambiente. Através da instalação de equipamentos de última geração em termos de monitorização de temperatura, a equipa da Faculdade vai analisar de forma precisa os eventuais impactos da central na temperatura circundante, propondo medidas de mitigação caso estas se revelem necessárias.

“Vai ser possível estudar a alteração dos padrões causada pela central, no espaço da central e da povoação do Cercal, conforme nos afastamos; mas também no tempo, antes e depois da sua construção”, explica Miguel Centeno Brito. O investigador diz ter expectativas positivas em relação ao projeto, não só pela oportunidade de estudar uma questão ainda pouco explorada, como pela hipótese de que o impacto dos painéis seja mínimo no aumento da temperatura ambiente.

Cristina Branquinho caracteriza a parceria como muito inovadora, dada a preocupação ambiental manifestada pela empresa, e a abertura a ideias e condições impostas pelos investigadores. A professora da Faculdade conta que a empresa “aceitou as regras do jogo”, integrando três áreas de investigação da Biologia (solos, fauna e flora) e uma área de estudo substancial, com 45 pontos de amostragem. “É sempre importante trabalhar com empresas, que procuram independência e rigor, e é isso que nós temos para oferecer”, conclui.

Para Luís Carriço, diretor da Ciências ULisboa, o envolvimento da universidade no início dos processos das empresas revela que estas começam a olhar para a academia de forma diferente, reconhecendo as vantagens do conhecimento científico para o desenvolvimento dos seus projetos, nomeadamente na área das energias renováveis.

“A colaboração com a Aquila Clean Energy torna possível colocar ao serviço da sociedade o melhor conhecimento disponível e a inovação que é desenvolvida na Ciências ULisboa. Ver esse reconhecimento na sociedade e, neste caso, no ‘tecido industrial’ é muito bom para aquilo que a Faculdade quer ser. Os nossos investigadores podem trabalhar em laboratórios vivos de experimentação, cuja recolha de dados faz evoluir a ciência. A transferência de conhecimento para a sociedade é uma missão fundamental”, conclui Luís Carriço.

sala com pessoas na cerimonia
Durante a sessão, Cristina Branquinho fez uma breve apresentação sobre o trabalho a realizar no âmbito da parceria
Fonte GJ Ciências ULisboa

Marta Tavares, com ASS, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa e Aquila Clean Energy
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Assinatura do Protocolo com a REDCORP

No passado dia 9 de julho a Direção de CIÊNCIAS assinou um protocolo de cooperação com a REDCORP, empresa de empreendimentos mineiros responsável pelo Projeto Lagoa Salgada.

 

CIÊNCIAS assinA um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms nas instalações de CIÊNCIAS, tendo sido assinado pelo Diretor da faculdade, Luís Carriço, e pela co-fundadora da startup Rede Vertical Farms, Inês Barros.

CIÊNCIAS assinou um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms, com o objetivo de instalar uma horta vertical no campus da faculdade.

Equipa do CSD Lab do BioISI

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Estrutura e Dinâmica Celular (CSD Lab) do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioIS

Diogo Rodrigues Fernandes

Diogo Rodrigues Fernandes, doutorando de CIÊNCIAS e investigador no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (

Banner O Planeta Vivo

“Temos este mundo, ou nada. E temos um grande problema se não entendermos o planeta que queremos salvar.” Esta citação de Carl Sagan é o mote do documentário ‘O Planeta Vivo’, que estreou no passado dia 3 de julho na RTP.

Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025 um telescópio made in Portugal para observar o Sol.

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Vanessa Fonseca, Catarina Frazão Santos, Rita Cardoso, Cláudio Gomes, Ana Duarte Rodrigues e Paulo J. Costa posam com os prémios para uma foto numas escadas

A faculdade conseguiu obter o segundo lugar entre as Escolas da Universidade de Lisboa mais galardoadas.

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Páginas