CIÊNCIAS circular com um campus a compostar

Semana Internacional da Compostagem

Compostagem em CIÊNCIAS

HortaFCUL

Uma das transformações necessárias às entidades que querem progredir pelo caminho da sustentabilidade é fecharem os seus ciclos de materiais, nomeadamente o orgânico. Ou seja, transformarem os seus “biorresíduos” num “biorrecurso” incorporando, por exemplo, processos de compostagem e vermicompostagem!

O conhecimento já existe há muito e CIÊNCIAS tem contribuído para o mesmo. Já houve inclusivé decisão política, através da Diretiva-Quadro Resíduos, que na sua versão de 2018, dispõe que, até final de 2023, todos os biorresíduos são recolhidos seletivamente para serem tratados adequadamente, e que Portugal prontamente internalizou através da sua Decisão de Execução (UE) 2019/1004. No entanto, na prática, são poucas as pessoas e entidades que o fazem. Em 2024, quando era expectável que 100% o fizessem, quantas entidades conhecemos que o fazem? Independente da lei, CIÊNCIAS avançou!

Na Semana Internacional da Compostagem, que em 2024 se comemora entre 6 e 10 de maio, a comunidade de CIÊNCIAS atingiu mais um marco simbólico no já longo caminho rumo a um campus sustentável: a partir de abril, todos os resíduos orgânicos produzidos quer nas cafeterias e cantinas, quer nos jardins e relvados, passam a ser a matéria-prima de um composto de elevado valor acrescentado utilizado nos projetos ativos da HortaFCUL. CIÊNCIAS fecha assim o seu ciclo orgânico interno, nutrindo com o excedente da sua produtividade os talhões de cultivo do PermaLab e da Horta Solar e o viveiro de plantas, bem como os bosques comestíveis, canteiros de aromáticas, agroflorestas, entre outras áreas verdes de alto valor ecológico repartidas também pela FCULresta, Hortinha e as duas Bioilhas. Parte do excedente é disponibilizado mensalmente na Banca da Dádiva da Horta, no edifício C5, para que a comunidade possa também usufruir deste produto. 

De acordo com o relatório HortaFCUL “Living the Sustainable Development”, lançado no início deste ano, entre 2016 e 2023 (sete anos de atividade), estima-se que o compostor de CIÊNCIAS para os resíduos de jardins recolhidos pela equipa de jardinagem produziu quase 50 toneladas de composto, o que corresponde a um volume que seria suficiente para cobrir de uma camada de castanha negra dois campos e meio de futebol. Todo este composto foi transformado com força braçal voluntária, seja dos guardiões, seja dos amigos da Horta que nos visitam nos dias de trabalhos.

Vermicompostor de CIÊNCIAS
Vermicompostor de CIÊNCIAS

Já o vermicompostor de CIÊNCIAS, com o auxílio precioso de minhocas, isópodes, larvas de insetos e outros “vermes” laboriosos, gerou perto de sete toneladas de vermicomposto com os resíduos orgânicos provenientes dos bares dos edifícios C2 e C8. Agora com a expansão desta estação consequente da recolha dos resíduos das cantinas dos edifícios C6 e C7, o PermaLab poderá vir a produzir mais de cinco toneladas de vermicomposto por ano. Para fechar este ciclo, os guardiões da HortaFCUL colaboram com o Gabinete de Segurança, Saúde e Sustentabilidade e contam com o esforço diário da Filipa Pegarinhos, do Joel Santos, do Rui Pereira, do Rafael Magalhães e de todos os funcionários da Associação de Trabalhadores CIÊNCIAS e do Clube Ciências. 

A HortaFCUL e o Laboratório Vivo de Ciências assumem, com esta pequena conquista mas plena de simbolismo, um papel para inspirar e capacitar outras instituições de ensino superior a dar os mesmos passos rumo a campus 100% compostáveis. Aproveitemos o marco para lançar uma reflexão sobre a reinvenção da função das áreas urbanas. Consideradas historicamente sumidouras de recursos produzidos fora dos seus perímetros e geradoras de uma grande fração dos resíduos, as cidades, com as ferramentas certas, poderão tornar-se fontes de recursos promotores de uma produção alimentar de qualidade e de proximidade numa era em que a alimentação mundial será um dos maiores desafios à nossa existência. 

Encaremos esta ínfima gota de água como a precursora de um rio de boas práticas no sentido de uma maior sustentabilidade.

António Vaz Pato e David Avelar, pelos guardiões da HortaFCUL
Quinze anos da HortaFCUL
Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

Páginas