Biologia Vegetal

Artigo sobre genótipos de videira é um dos cinco melhores do Journal of Experimental Botany

Ana Margarida Fortes lidera a investigação

uvas com a doença oídio

O oídio é uma doença causada pelo fungo Erysiphe necator, com enorme impacto económico e ecológico em todas as regiões vitícolas

AMF

Transcriptional, hormonal, and metabolic changes in susceptible grape berries under powdery mildew infection” é o título do artigo classificado por John Lunn, o editor-chefe da Journal of Experimental Botany (JXB), uma prestigiada revista de investigação em plantas, como um dos cinco melhores artigos publicados pela JXB até agora.

O estudo, publicado em junho deste ano, em destaque como artigo de referência na edição n.º 18 da referida revista, em setembro passado, é liderado por Ana Margarida Fortes, professora do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa e coordenadora do grupo Fruit Functional Genomics Biotechnology (FFGB), afiliado ao Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI), polo da Ciências ULisboa.

Este artigo, presenteado com a sua publicação em open acess, operação que habitualmente tem um custo associado, é ainda assinado por outros investigadores do BioISI Ciências ULisboa - Diana Pimentel, Rute Amaro, Flávio Soares – assim como pelos cientistas Cecília Rego, do Instituto Superior de Agronomia; Alexander Erban e Joachim Kopka, do Max Planck Institute of Molecular Plant Physiology, na Alemanha; Axel Mithöfer, do Max Planck Institute for Chemical Ecology, na Alemanha; Nuria Mauri e José M. Martínez-Zapater, do Instituto de Ciencias de la Vid y del Vino, em Espanha.

O enfoque deste trabalho está no desenvolvimento de genótipos de videira que preservem características enológicas desejáveis e, paralelamente, apresentem resistência durável a uma doença designada oídio, causada pelo fungo Erysiphe necator, com enorme impacto económico e ecológico em todas as regiões vitícolas. Pretende dar resposta a um desafio emergente no atual contexto das alterações climáticas.

Ana Margarida Fortes doutorou-se em Biotecnologia Vegetal, em 2003, pela Ciências ULisboa. Coordena o FFGB desde 2018. O principal interesse de investigação deste grupo é o estudo dos mecanismos de amadurecimento de frutos, em particular, da uva e do tomate, e da resistência a fungos responsáveis por enormes perdas económicas, não só em Portugal, mas também a nível mundial. O grupo utiliza tecnologias ómicas e edição genética de molde para obter informação que possa ser utilizada na produção mais sustentável de frutos e de plantas mais resilientes, capazes de sobreviver às ameaças das alterações climáticas.

Em 2016, o grupo recebeu o prémio Inovação da Comissão Nacional da Organização Internacional da Vinha e do Vinho com o trabalho “Transcriptome and metabolome reprogrammig in Vitis vinifera cv. Trincadeira berries upon infection with Botrytis cinerea” também publicado no JXB.

Utilizando uma abordagem que assenta na Biologia de sistemas, o grupo descreveu os processos moleculares e metabólicos desencadeados em bagos da casta de videira Carignan, muito suscetível ao E. necator, o fungo causador do oídio. Apesar dos bagos em estado inicial de “pintor” - termo utilizado por agricultores, que descreve o momento em que os bagos começam a ganhar cor - evidenciarem vários níveis de resposta defensiva, o fungo consegue ter um programa de reprogramação molecular ativo e infetar estes órgãos. Este estudo permitiu identificar presumíveis compostos marcadores da infeção que poderão ser utilizados na deteção precoce da doença in loco e a realização atempada e controlada de tratamentos fitossanitários (com recurso a pesticidas e fungicidas).

O artigo foi alvo de um comentário por parte de Mareike Jezek, a editora assistente da JXB, na newsletter da revista, e faz parte de um dos (até agora) cinco artigos escolhidos pelo editor. Estas publicações são destacadas por revisores da JXB, considerando o seu importante contributo para o campo em estudo, e classificados como os melhores artigos publicados na revista. Para além da sua disponibilização, de forma gratuita, no site da revista, esta distinção dá também direito a uma ampla divulgação nos canais da JXB, permitindo uma projeção reforçada do trabalho.

O Journal of Experimental Botany é uma publicação da Society Experimental Biology, com edição da Oxford University Press, e tem como objetivo contribuir para o avanço na compreensão da Biologia Vegetal, publicando pesquisas originais, inovadoras e impactantes.

Marta Tavares, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas