Entrevista com… Ana Margarida Fortes

Bioatividade de vinhos monocasta

Cacho de Touriga Nacional ainda no estado verde
Imagem cedida por Ana Margarida Fortes

Ana Margarida Fortes, investigadora auxiliar do Departamento de Biologia Vegetal no âmbito do programa Ciência 2008 e do centro BioFIG, respondeu à “crescente procura mundial por alimentos com compostos de atividade medicinal com relevância na prevenção de diferentes patologias”, através da identificação da bioatividade de vinhos monocasta produzidos em Portugal.

O trabalho desenvolvido, traduzido no artigo “Vinhos tintos atenuam a produção do fator de necrose tumoral α em linha celular humana de linfoma histiocítico: um estudo baseado em espectroscopia de RMN e quimiometria”, é o 22.º artigo publicado pela investigadora, o 2.º na revista científica de Ciências da Saúde, "Food Chemistry".

Neste trabalho, as castas escolhidas, por serem utilizadas em vinhos portugueses de qualidade superior, foram a Touriga Nacional e a Aragonês. No desenvolvimento da investigação estiveram envolvidas duas empresas do sector vinícola, Plansel e Esporão. João Roquette, administrador delegado da empresa Esporão, deu conta da importância do trabalho desenvolvido pela cientista, "achamos que todo o tipo de investigação científica que possa contribuir para encontrar soluções para doenças é positivo, sobretudo explorando os benefícios do vinho, produto muito querido e que está na base da atividade do Esporão". 

Fique a saber mais sobre o trabalho desta cientista na entrevista a seguir apresentada e ainda no perfil da cientista.


Fonte: Imagem cedida por Ana Margarida Fortes
Legenda: "A metodologia apresentada pode ser utilizada para determinar outras bioatividades associadas ao vinho ou a outros alimentos sem uso de métodos laboriosos", reforça a investigadora sobre a investigação desenvolvida

FCUL - Em que contexto surge a investigação “Vinhos tintos atenuam a produção do fator de necrose tumoral α em linha celular humana de linfoma histiocítico: um estudo baseado em espectroscopia de RMN e quimiometria”?

Ana Margarida Fortes (AMF) - Surge no contexto de uma procura mundial cada vez mais agressiva por alimentos que apresentam compostos com atividade medicinal com relevância na prevenção de determinadas patologias tais como o cancro e a arteriosclerose.

FCUL - Como explica o efeito de necrose tumoral? E a linha celular humana de linfoma histiocítico?

AMF - O fator de necrose tumoral que mata as células cancerígenas pode ter um efeito localizado benéfico mas quando produzido em grande quantidade pode levar à toxicidade sistémica.

O linfoma do tipo histiocítico é um tipo de cancro muito agressivo que se caracteriza por uma proliferação anómala de células do tipo histiócitos, derivadas dos glóbulos brancos.

FCUL - Em que consiste a técnica de espectroscopia de RMN?

AMF - Espectroscopia de ressonância magnética nuclear, mais conhecida como espectroscopia NMR ou ainda espectroscopia de RMN, é uma técnica que explora as propriedades magnéticas de certos núcleos atómicos para determinar propriedades físicas ou químicas de átomos ou moléculas nos quais eles estão contidos.

FCUL - Qual o objetivo primordial do trabalho?

AMF - Identificar a bioatividade de vários vinhos monocasta produzidos em Portugal.

FCUL - Qual o seu carácter inovador?

AMF - O uso de processos de extracção simples para avaliação de bioactividade de alimentos.

FCUL - Que processos de extração foram, então, utilizados?

AMF - Trata- se da extracção em fase sólida que é uma técnica simples que permite a extracção selectiva de analitos a partir de amostras complexas após passagem sobre uma coluna.

FCUL - Que conclusões pincipais foram retiradas?

AMF - Os vinhos engarrafados mais recentemente apresentam maior capacidade de atenuar a actividade do factor de necrose tumoral α. Entre as castas estudadas a Touriga Nacional e a Aragonês podem ser consideradas as mais bioactivas. Compostos fenólicos como quercetina, ácido caftárico e catequina são os que mais influenciam esta bioactividade dos extractos de vinhos.

FCUL - Para o trabalho desenvolvido, porque foram escolhidas as castas “Touriga Nacional” e “Aragonês”? Quais as suas características?

AMF - Foram escolhidas por serem muito utilizadas em vinhos portugueses de qualidade superior. Dadas as suas qualidades excepcionais, são usadas em vinhos monocasta. Ambas produzem vinhos muito aromáticos. A casta Aragonês apresenta um rendimento elevado enquanto que a casta Touriga Nacional tem rendimentos reduzidos.

FCUL - Que importância assume este estudo para o meio científico em que se insere?

AMF - A metodologia seguida pode ser aplicada à detecção da bioactividade de outros alimentos.

FCUL - Quais as principais dificuldades sentidas ao longo da sua conceção?

AMF - Não foram sentidas dificuldades, uma vez que o processo de obtenção das várias fracções do extractos já tinha sido optimizado no âmbito de um projecto internacional.

FCUL - Que importância assume para o seu percurso académico e/ou profissional?

AMF - Permite-me enverendar pelas aplicações medicinais do consumo de uvas e vinho como complemento à actividade principal que visa investigar a complexidade dos fatores que determinam as características do bago de Vitis vinifera no sentido de obter melhor qualidade de produção e maior controlo sobre a mesma. Em última análise, pretendo fazer investigação aplicada, em particular na área da Biotecnologia Vegetal, que possa contribuir para a sociedade e para a economia do país.

FCUL - Que outras aplicações futuras poderá ter?

AMF - A metodologia apresentada pode ser utilizada para determinar outras bioatividades associadas ao vinho ou a outros alimentos sem uso de métodos laboriosos.

FCUL - Profissionalmente, tem já planos para outros projetos/estudos?

AMF - Sim, pretendo determinar, num futuro próximo, de que forma a qualidade das uvas e do vinho feito com a casta Trincadeira é afectada pela infecção dos bagos com o fungo Botrytis cinerea.

+ Sobre as Castas Touriga Nacional e Aragonez

Touriga Nacional

- Cultivada nas regiões Dão, Douro, Alentejo;

- Casta de pouca produção, já que tem cachos pequenos;

- Os seus bagos concentram bastante açúcar, cor e aromas;

- Vinhos produzidos ou misturados com esta casta são muito equilibrados, alcoólicos e com boa capacidade de envelhecimento.

Aragonez

- Originária de Espanha, sendo conhecida neste país por “Tempranillo”;

- Na região do Douro, assume o nome “Tinta Roriz”;

- Cultivada no Douro, Dão, Ribatejo e Estremadura;

- Casta que se adapta facilmente a diferentes solos e climas;

- Os vinhos produzidos ou misturados com esta casta têm um elevado teor alcoólico, são de baixa acidez e indicados para envelhecer. São também bastante resistentes à oxidação.

Fonte: Portal Infovini – Portal do Vinho Português

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Artigo de opinião realça a importância dos jornalistas confirmarem as suas fontes

“Um estudo isolado pode sempre, ser, apenas uma coincidência, uma imperfeição estatística, um acaso”, escreve Tiago Marques, professor do DBA Ciências ULisboa e investigador do CEAUL, num artigo que realça a importância dos jornalistas confirmarem as suas fontes.

Ciências ULisboa vai criar um Centro de Testes à COVID-19

Ciências ULisboa vai criar um Centro de Testes (CT) à COVID-19 no seu campus, no Campo Grande, em Lisboa. Os testes de despistagem à COVID-19 deverão começar daqui a duas semanas consistindo, numa primeira fase, em cerca de 100 análises diárias, estando  também previsto a sequenciação e o rastreamento epidemiológico.

Imagem com um ponto de interrogação

Andreia Santos, psicóloga no GAPsi Ciências ULisboa, escreve sobre os diálogos internos que se manifestam numa sensação de urgência, insuficiência e falta de controlo, que são reflexo de um sentimento de culpa. Conheça algumas dicas que podem ajudar a lidar com estas dúvidas, que são tão comuns como naturais.

Imagem gráfica da rubrica Radar Tec Labs

Terceira rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Vawlt Technologies.

Imagem gráfica do projeto "O que faço aqui?"

Rodrigo Amaro e Silva, Patrícia Jordão, Sérgio Chozas, Ana Cristina Pires e Miguel Inácio são os primeiros entrevistados no âmbito do projeto “O que faço aqui?”, lançado recentemente nas redes sociais e no site da Faculdade.

Composição fotográfica alusiva à missão da Faculdade

“Portugal pode por isso estar certo de que, nesta época de crise, toda a comunidade da Ciências Ulisboa beneficia de um ambiente de trabalho seguro e sustentável, que não compromete a qualidade da sua missão”, escreve Pedro Almeida, subdiretor da Faculdade.

Tec Labs - Centro de Inovação Ciências ULisboa

No Tec Labs – Centro de Inovação e incubadora da Ciências ULisboa são várias as empresas, spin-off, proto-company e startups a trabalhar para encontrar soluções que ajudem doentes, profissionais, unidades hospitalares e autoridades governamentais nesta “luta”, que só poderá ser vencida pelo esforço conjunto.

Skype, Zoom e Houseparty são boas apostas para combinar eventos sociais

"Socializar por meio de momentos lúdicos, rir e partilhar ideias sobre novos projetos são excelentes formas de dirigir a nossa atenção para além da preocupação. Ajuda-nos a colocar o foco da nossa energia ao serviço daquilo que nos faz bem e sentirmo-nos ligados", escreve a psicóloga Andreia Santos.

Mapa

O Centro de Física Teórica e Computacional da Ciências ULisboa participa no desenvolvimento do mapa de risco de propagação da COVID-19 por contágio comunitário em Portugal, um projeto coordenado pelas Universitat Rovira i Virgili, em Tarragona, e Universidad de Zaragoza, em Zaragoza, ambas em Espanha e que em Portugal tem como parceiros a NOS, a Data Science Portuguese Association e a Closer Consulting.

Grupo de investigadores do HIT-CF Europe

Cerca de 502 pessoas com mutações raras de fibrose quística (FQ) foram recrutadas pelo projeto inovador HIT-CF Europe, financiado pela União Europeia através do Horizonte 2020 e que conta com a participação de Margarida Amaral, professora do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa, coordenadora do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI) e líder do grupo português neste consórcio.

Medicamentos

Ao longo dos últimos dias, vários colegas da Ciências ULisboa e de outras faculdades entraram em contacto com Manuel Carmo Gomes, professor do Departamento de Biologia Vegetal, manifestando disponibilidade para contribuir com o seu conhecimento e meios no auxílio à análise dos dados, modelação e projeção do futuro da epidemia.

O Conselho Pedagógico da Ciências ULisboa preparou um conjunto de orientações relacionadas com as ferramentas de apoio ao ensino à distância, disponíveis no site da Faculdade e que visam ajudar os professores, investigadores e alunos durante este período de tempo sem aulas presenciais, uma medida implementada no âmbito do Plano de Contingência em Ciências COVID-19.

Imagem gráfica associada ao Plano de Contingência em Ciências COVID-19

A Direção da Ciências ULisboa determinou um conjunto de medidas que pretendem contribuir para a contenção da propagação do novo coronavírus e que vigoram até ao próximo dia 27 de março, podendo ser ajustadas conforme a necessidade e a evolução da situação.

Reunião de arranque do Colégio POLAR2E

O POLAR2E tem como objetivo criar sinergias em áreas como as ciências da criosfera, a modelação climática, a ecologia de ambientes extremos, a deteção remota, a construção em ambientes extremos, a astrobiologia e a engenharia aeroespacial dentro da Universidade.

Grupo de campus ambassadors da Jerónimo Martins, de diferentes faculdades de todo o país

No ano letivo de 2019/2020, todos os estudantes da Faculdade com interesse e dúvidas quanto aos Young Talent Programmes da Jerónimo Martins (JM) poderão contactar Catarina Bernardo, por email ou via LinkedIn! A aluna finalista de Biologia da Faculdade está disponível para responder a dúvidas sobre as várias oportunidades da JM para jovens universitários.

Imagem gráfica da rubrica Radar Tec Labs

Segunda rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a UpHill.

Na sequência das orientações da Direção-Geral da Saúde e procurando evitar desta forma alarmismos desnecessários, sem descurar uma atuação prudente e responsável, Ciências ULisboa elaborou o Plano de Contingência em Ciências COVID-19.

Primeira reunião do IDEA-FAST

Tiago Guerreiro, professor do DI e investigador do LASIGE Ciências ULisboa, participa no IDEA-FAST, um projeto inovador na área da saúde digital, com um orçamento de 42 milhões de euros.

Estatística

“O CEAUL tem pessoas com uma contribuição notável para a Estatística em Portugal”, escreve o investigador Tiago Marques, a propósito do último congresso da Sociedade Portuguesa de Estatística.

Golfinhos

Que espécies encontrarão os cadetes do NRP Sagres? Que informação se esconde na cor do mar? Estas são algumas das questões a que o CIRCULARES, um projeto de ciência cidadã irá responder durante a viagem de circum-navegação, que deverá terminar em janeiro de 2021.

Ana Rita Carlos

Ana Rita Carlos, investigadora no polo da Faculdade do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c) e antiga aluna da Ciências ULisboa, é uma das quatro jovens cientistas portuguesas premiadas na 16ª edição das Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência, com um estudo sobre os mecanismos que desencadeiam as distrofias musculares congénitas.

José Cabrita Freitas e João Pinto Coelho integram o grupo de trabalho dedicado ao encandeamento por <i>laser</i> no visível, efeitos e proteção

José Cabrita Freitas e João Pinto Coelho, investigadores do Departamento de Física e do Laboratory of Optics, Lasers and Systems da Ciências ULisboa, foram distinguidos com o Scientific Achievement Award e com o SET Panel Excellence Award, pelo Conselho de Ciência e Tecnologia da NATO.

Encontro Nacional sobre Investigação em Alterações Climáticas

Mais de 500 pessoas inscreveram-se no Encontro Nacional sobre Investigação em Alterações Climáticas, uma iniciativa organizada pela Ciências ULisboa em parceria com o IDL e a CML, no âmbito da Lisboa Capital Verde Europeia 2020. O acontecimento visa debater a melhor investigação em alterações climáticas que é realizada em Portugal. O programa integra oito sessões temáticas e uma sessão de posters, com 47 trabalhos.

Comitiva da Faculdade no “Matchmaking” da EIT Health

Ciências ULisboa participou no “Matchmaking” da EIT Health. “O balanço final é bastante positivo pois foi possível obter a participação da Faculdade em duas summer schools e ainda angariar parceiros para propostas campus e innovation lideradas ou comparticipadas pela Faculdade”, refere Ana Faisca, técnica do GAI da Direção de I&D da Ciências ULisboa.

Primeira prova das OUB

Em Portugal existem atualmente 12 licenciaturas de Bioquímica com um total de 615 vagas. Leia o artigo da autoria do professor Francisco Pinto sobre o importante dinamismo desta comunidade estudantil.

Páginas