Entrevista com… Ana Margarida Fortes

Bioatividade de vinhos monocasta

Ana Margarida Fortes, investigadora auxiliar do Departamento de Biologia Vegetal no âmbito do programa Ciência 2008 e do centro BioFIG, respondeu à “crescente procura mundial por alimentos com compostos de atividade medicinal com relevância na prevenção de diferentes patologias”, através da identificação da bioatividade de vinhos monocasta produzidos em Portugal.

O trabalho desenvolvido, traduzido no artigo “Vinhos tintos atenuam a produção do fator de necrose tumoral α em linha celular humana de linfoma histiocítico: um estudo baseado em espectroscopia de RMN e quimiometria”, é o 22.º artigo publicado pela investigadora, o 2.º na revista científica de Ciências da Saúde, "Food Chemistry".

Neste trabalho, as castas escolhidas, por serem utilizadas em vinhos portugueses de qualidade superior, foram a Touriga Nacional e a Aragonês. No desenvolvimento da investigação estiveram envolvidas duas empresas do sector vinícola, Plansel e Esporão. João Roquette, administrador delegado da empresa Esporão, deu conta da importância do trabalho desenvolvido pela cientista, "achamos que todo o tipo de investigação científica que possa contribuir para encontrar soluções para doenças é positivo, sobretudo explorando os benefícios do vinho, produto muito querido e que está na base da atividade do Esporão". 
Fique a saber mais sobre o trabalho desta cientista na entrevista a seguir apresentada e ainda no perfil da cientista.

Ana Margarida Fortes
"A metodologia apresentada pode ser utilizada para determinar outras bioatividades associadas ao vinho ou a outros alimentos sem uso de métodos laboriosos", reforça a investigadora sobre a investigação desenvolvida
Fonte Imagem cedida por Ana Margarida Fortes

Em que contexto surge a investigação “Vinhos tintos atenuam a produção do fator de necrose tumoral α em linha celular humana de linfoma histiocítico: um estudo baseado em espectroscopia de RMN e quimiometria”?

Ana Margarida Fortes (AMF) - Surge no contexto de uma procura mundial cada vez mais agressiva por alimentos que apresentam compostos com atividade medicinal com relevância na prevenção de determinadas patologias tais como o cancro e a arteriosclerose.

Como explica o efeito de necrose tumoral? E a linha celular humana de linfoma histiocítico?

AMF - O fator de necrose tumoral que mata as células cancerígenas pode ter um efeito localizado benéfico mas quando produzido em grande quantidade pode levar à toxicidade sistémica.

O linfoma do tipo histiocítico é um tipo de cancro muito agressivo que se caracteriza por uma proliferação anómala de células do tipo histiócitos, derivadas dos glóbulos brancos.

Em que consiste a técnica de espectroscopia de RMN?

AMF - Espectroscopia de ressonância magnética nuclear, mais conhecida como espectroscopia NMR ou ainda espectroscopia de RMN, é uma técnica que explora as propriedades magnéticas de certos núcleos atómicos para determinar propriedades físicas ou químicas de átomos ou moléculas nos quais eles estão contidos.

Qual o objetivo primordial do trabalho?

AMF - Identificar a bioatividade de vários vinhos monocasta produzidos em Portugal.

Qual o seu carácter inovador?

AMF - O uso de processos de extracção simples para avaliação de bioactividade de alimentos.

 Que processos de extração foram, então, utilizados?

AMF - Trata- se da extracção em fase sólida que é uma técnica simples que permite a extracção selectiva de analitos a partir de amostras complexas após passagem sobre uma coluna.

Que conclusões pincipais foram retiradas?

AMF - Os vinhos engarrafados mais recentemente apresentam maior capacidade de atenuar a actividade do factor de necrose tumoral α. Entre as castas estudadas a Touriga Nacional e a Aragonês podem ser consideradas as mais bioactivas. Compostos fenólicos como quercetina, ácido caftárico e catequina são os que mais influenciam esta bioactividade dos extractos de vinhos.

+ Sobre as Castas Touriga Nacional e Aragonez

Touriga Nacional

- Cultivada nas regiões Dão, Douro, Alentejo;

- Casta de pouca produção, já que tem cachos pequenos;

- Os seus bagos concentram bastante açúcar, cor e aromas;

- Vinhos produzidos ou misturados com esta casta são muito equilibrados, alcoólicos e com boa capacidade de envelhecimento.

Aragonez

- Originária de Espanha, sendo conhecida neste país por “Tempranillo”;

- Na região do Douro, assume o nome “Tinta Roriz”;

- Cultivada no Douro, Dão, Ribatejo e Estremadura;

- Casta que se adapta facilmente a diferentes solos e climas;

- Os vinhos produzidos ou misturados com esta casta têm um elevado teor alcoólico, são de baixa acidez e indicados para envelhecer. São também bastante resistentes à oxidação.

Fonte: Portal Infovini – Portal do Vinho Português

Para o trabalho desenvolvido, porque foram escolhidas as castas “Touriga Nacional” e “Aragonês”? Quais as suas características?

AMF - Foram escolhidas por serem muito utilizadas em vinhos portugueses de qualidade superior. Dadas as suas qualidades excepcionais, são usadas em vinhos monocasta. Ambas produzem vinhos muito aromáticos. A casta Aragonês apresenta um rendimento elevado enquanto que a casta Touriga Nacional tem rendimentos reduzidos.

Que importância assume este estudo para o meio científico em que se insere?

AMF - A metodologia seguida pode ser aplicada à detecção da bioactividade de outros alimentos.

Quais as principais dificuldades sentidas ao longo da sua conceção?

AMF - Não foram sentidas dificuldades, uma vez que o processo de obtenção das várias fracções do extractos já tinha sido optimizado no âmbito de um projecto internacional.

Que importância assume para o seu percurso académico e/ou profissional?

AMF - Permite-me enverendar pelas aplicações medicinais do consumo de uvas e vinho como complemento à actividade principal que visa investigar a complexidade dos fatores que determinam as características do bago de Vitis vinifera no sentido de obter melhor qualidade de produção e maior controlo sobre a mesma. Em última análise, pretendo fazer investigação aplicada, em particular na área da Biotecnologia Vegetal, que possa contribuir para a sociedade e para a economia do país.

Que outras aplicações futuras poderá ter?

AMF - A metodologia apresentada pode ser utilizada para determinar outras bioatividades associadas ao vinho ou a outros alimentos sem uso de métodos laboriosos.

Profissionalmente, tem já planos para outros projetos/estudos?

AMF - Sim, pretendo determinar, num futuro próximo, de que forma a qualidade das uvas e do vinho feito com a casta Trincadeira é afectada pela infecção dos bagos com o fungo Botrytis cinerea.

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
ave a voar em cima do mar

Um novo estudo internacional sobre a análise do risco de exposição ao plástico por aves marinhas identifica o Mediterrâneo como a região de maior risco a nível global. O artigo foi publicado na revista científica Nature Communications e conta com 18 cientistas portugueses, entre eles quatro investigadores da Ciências ULisboa.

foto dos tres finalistas

Filipa Rocha, estudante de doutoramento na Ciências ULisboa, alcançou o 2.º lugar do Prémio Jovens Inventores 2023, atribuído pelo Instituto Europeu de Patentes. O prémio corresponde a um valor pecuniário de dez mil euros. A cerimónia de entrega de prémios decorreu esta manhã, em Valência, Espanha.

fotografia de grupo

Foi assinado um protocolo de cooperação entre Ciências ULisboa, a FCiências.ID, o cE3c e a empresa dinamarquesa Copenhagen Infrastructure Partners, que visa a investigação e mitigação dos impactos da exploração eólica offshore ao largo da Figueira da Foz.

Logotipo da ACL

Cristina Branquinho e Isabel Trigo foram eleitas em 2023 respetivamente sócias correspondentes nacionais da Classe de Ciências -  Ciências Biológicas e Ciências da Terra e do Espaço – da Academia das Ciências de Lisboa (ACL).

O projeto EDUCOAST, promovido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, desenvolve programas educacionais para diversos níveis de ensino e para profissionais, na área das geociências costeiras e marinhas, tendo como base o trabalho de campo e as práticas experimentais.

Conceção artística do telescópio espacial Euclid no espaço

A missão espacial Euclid da Agência Espacial Europeia (ESA) irá penetrar nos últimos 10 mil milhões de anos de história do Universo para tentar compreender pela primeira vez o que está a acelerar a expansão do Universo. O lançamento do telescópio espacial Euclid está previsto para 1 de julho. O telescópio vai observar durante seis anos mais de um terço do céu. A participação portuguesa na missão Euclid é coordenada pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

João Pedro e Vera no laboratório

Ciências ULisboa integrou recentemente o projeto “Autonomia 21”, um projeto da Associação Pais 21 cujo objetivo é integrar jovens com Trissomia 21 no mercado de trabalho. O dinamizador desta ideia na Faculdade foi Federico Herrera, professor do DQB e investigador do BioISI. No âmbito deste projeto, Ciências ULisboa recebeu dois jovens que estão neste momento a estagiar num dos laboratórios da Faculdade.

José Pedro Granadeiro e Rui Rebelo

A expedição Selvagens 50 organizada pelo Instituto das Florestas e Conservação da Natureza da Madeira reuniu cerca de 40 especialistas de diversas instituições, entre os quais se incluem os professores do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa, José Pedro Granadeiro (aves marinhas) e Rui Rebelo (répteis terrestres).

Conceção artística de um exoplaneta semelhante a Vénus, em órbita da sua estrela

Uma equipa de investigadores escolheu um planeta a 106 anos-luz, com 1,37 vezes o diâmetro da Terra, descoberto em 2022, para apresentar a primeira simulação a três dimensões do clima de um planeta de tipo rochoso com as características que atualmente conhecemos em Vénus.

Grupo de alunos e professores

A 9.ª edição da final nacional das Olimpíadas Portuguesas da Geologia decorreu nos dias 3 e 4 de junho, no Centro Ciência Viva de Estremoz / Pólo de Estremoz da Universidade de Évora, com a participação de 25 estudantes vindos de diversas regiões do País, incluindo uma delegação dos Açores (São Roque do Pico).

Rádão

O professor do DQB Ciências ULisboa e investigador do BioISI Ciências ULisboa é o primeiro autor de um novo artigo publicado no jornal Physical Chemistry – Chemical Physics da Royal Society of Chemistry, onde foram estudados diferentes compostos de rádon e xénon - dois gases nobres – e onde as suas propriedades energéticas e de ligação química foram analisadas.

Fundo do oceano

Ricardo Melo, professor do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa e investigador do MARE, integra o júri do Prémio Mário Ruivo – Gerações Oceânicas. As candidaturas da 3.ª edição deste prémio decorrem até 31 de julho.

Carlos Nieto de Castro

Carlos Nieto de Castro chegou à Faculdade em 1982 com a missão de criar uma escola de Termodinâmica e Processos de Transporte. Em abril de 2019 jubilou-se. Ainda assim, o seu trabalho enquanto investigador continua: todos os dias úteis chega à Faculdade pelas 8h30/9h00. Conheça o percurso do cientista.

3 alunos numa mesa, na semana da sustentabilidade

Neste Dia Mundial do Ambiente recordamos a Semana da Sustentabilidade, organizada por núcleos de estudantes da Faculdade, com o apoio da Associação de Estudantes e do Laboratório Vivo para a Sustentabilidade.

José Guerreiro, docente do Departamento de Biologia Animal e investigador do MARE, iniciou funções esta quinta-feira, dia 1 de junho, como presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Miguel Miranda e a plateia

O professor e geofísico Jorge Miguel Miranda deu a sua última aula na passada sexta-feira, e despediu-se do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, laboratório do Estado que presidiu nos últimos dez anos.

pessoas numa sala com computadores

Esta segunda-feira, dia 29 de maio, Ciências ULisboa recebeu a visita de Oksana Zholnovych, ministra da Política Social da Ucrânia, e Miguel Fontes, secretário de Estado do Trabalho. Os governantes visitaram uma turma durante uma ação de formação do programa UPskill, com o intuito de ficar a conhecer melhor este projeto.

12 finalistas do 3 MT

Patrícia Chaves foi distinguida com o segundo lugar, na primeira edição da competição 3MT – Três Minutos de Tese dinamizada pela Universidade de Lisboa. O pódio ficou completo com Catarina Botelho, em primeiro lugar, e Matteo Pisano, em terceiro lugar, ambos do Instituto Superior Técnico. Os nossos parabéns aos vencedores e a todos os finalistas!

Auditório com pessoas

Ciências ULisboa está de parabéns! 100% dos seus ciclos de estudos avaliados no segundo ciclo de avaliação (2017-2022) foram acreditados sem condições, pelo período máximo (seis anos), pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES).

Grupo de pessoas

Entre os dias 13 e 17 de março deste ano realizou-se a excursão geológica de campo na Bacia Lusitânica (bacia sedimentar mesozóica na região centro-oeste de Portugal), a pedido da SHELL e organizada pela empresa GeoLogica (Portugal), do geólogo Pedro Barreto, antigo aluno de Geologia da Faculdade.

Jorge Miguel Miranda

No próximo dia 26 de maio, pelas 11h00, terá lugar no Grande Auditório da Faculdade a cerimónia de jubilação de Jorge Miguel Miranda, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia na Ciências ULisboa, investigador do Instituto Dom Luís (IDL) e presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

oceano

José Guerreiro, professor do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa e investigador do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), foi nomeado perito da World Ocean Assessment III junto da Division for Ocean Affairs and the Law of the Sea (DOALOS) – ONU.

Médicos avaliam funções respiratórias de bébe

Carlos Farinha, professor do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa e investigador principal do grupo de investigação em Fibrose Quística do Instituto de Biossistemas & Ciências Integrativas, foi distinguido com um financiamento de 220 mil USD (€ 204.100,57), pela associação Emily’s Entourage.

Filipa Rocha

A estudante de doutoramento na Ciências ULisboa e professora assistente no IST desenvolveu um sistema que utiliza blocos tangíveis para promover a aprendizagem digital inclusiva para crianças com deficiência visual, ensinando assim literacia digital e eliminando barreiras educativas.

cérebro

O primeiro grande modelo de Inteligência Artificial generativa para a língua portuguesa, para cada uma das variantes, do Brasil e de Portugal, gratuito, em código aberto e com acesso universal está disponível desde este mês e tem 900 milhões de parâmetros. "Trata-se de um marco histórico muito importante na preparação tecnológica da língua portuguesa para a era digital", diz António Branco, professor do DI Ciências ULisboa.

Páginas