Alumna Joana Carvalho distinguida com Medalha de Honra L’Oréal Portugal para Mulheres na Ciência e Individual Fellowships Marie Skłodowska-Curie Actions

De que forma o cérebro adulto se reorganiza para responder a situações de perda de visão?

Joana Carvalho

A jovem que iniciou os estudos na Ciências ULisboa e que trabalha desde janeiro de 2019 na Fundação Champalimaud quer perceber de que forma o cérebro adulto se reorganiza para responder a situações de perda de visão

L'Oréal Portugal

A Organização Mundial de Saúde estima que pelo menos 2,2 mil milhões de pessoas tenham deficiência visual ou cegueira e alerta para fatores como o envelhecimento da população e as mudanças nos estilos de vida, que farão aumentar drasticamente este número, nas próximas décadas.

Joana Carvalho, de 28 anos, investigadora no Grupo de Ressonância Magnética pré-clínica na Fundação Champalimaud (FC), doutorada em neurociências computacionais, pela Universidade de Groningen, na Holanda, e mestre em Engenharia Biomédica e Biofísica pela Ciências ULisboa, foi uma das cientistas galardoadas com 15 mil euros no âmbito da 17ª edição das Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para Mulheres na Ciência e com uma  Individual Fellowships Marie Skłodowska-Curie Actions, no valor de 150 mil euros.

Joana Carvalho que nunca tinha ganho nada começa 2021 com dois importantes prémios, sem esquecer que o ano passado a sua dissertaçlão foi igualmente alvo de distinção pela universidade holandesa. A jovem que iniciou os estudos na Ciências ULisboa e que trabalha desde janeiro de 2020 na FC quer perceber de que forma o cérebro adulto se reorganiza para responder a situações de perda de visão, quais os fatores que a favorecem e como se processa esta restruturação ao longo do tempo.

Joana Carvalho terminou o mestrado integrado na Ciências ULisboa em 2015 e guarda muito boas mémórias desses tempos, mencionando que a Faculdade foi uma mais-valia no seu percurso sendo responsável por este sucesso pois sempre valorizou a experiência científica. “No 3.º ano pude realizar um estágio na Harvard Medical School, em Boston. O professor Eduardo Ducla Soares ajudou-me muito nesse processo. Foi aí que tudo começou… No 5.º e último ano a Faculdade também me ajudou a ir para fora”, revela Joana Carvalho que diz ter tido uma educação muito completa, nomeadamente a possibilidade de criar uma rede de contactos na área das neurociências, salientando ainda que todos os professores do Instituto de Engenharia Biomédica e Biofisica da Faculdade são ótimos, de resto o grupo em que trabalha na FC colabora com muitos deles.

“Sabemos que o cérebro tem uma incrível capacidade de adaptar a sua estrutura e função para dar resposta a doenças, tratamentos e outras alterações, mas sabemos também que esta plasticidade diminui drasticamente após a infância”, conta Joana Carvalho cujas respostas que procura são essenciais para compreender como funciona a plasticidade do cérebro, em adultos que deixaram de ver, um conhecimento que é, por sua vez, central para definir quais as terapêuticas que podem ser mais eficazes para uma potencial recuperação da visão e para decidir qual o momento em que a sua aplicação produz melhores resultados. “Temos assistido ao desenvolvimento recente de várias técnicas e terapias, desde implantes de retina a olhos biónicos, passando pelas terapias genéticas, mas precisamos de saber mais sobre as alterações da função cerebral associadas à perda de visão, para que se possam maximizar os benefícios destas estratégias de reabilitação e restauração”, acrescenta Joana Carvalho.

No âmbito do projeto alvo de distinção serão realizados exames de ressonância magnética em modelos animais de deficiência visual recorrendo a modelos matemáticos que permitem medir a atividade cerebral de forma não-invasiva, para aprofundar a resposta das redes neuronais à perda de visão. Joana Carvalho pretende ainda estabelecer quais os fatores que facilitam esta resposta (testando variáveis, como a exposição à luz, por exemplo) e perceber como estas alterações se processam ao longo de diferentes escalas temporais - desde pouco tempo a vários meses - após a perda de visão. Ao fazê-lo estará também a contribuir para novos conhecimentos fundamentais sobre o equilíbrio dinâmico entre a estabilidade que permite o correto funcionamento das redes neuronais ao longo da vida e a plasticidade de que necessitam estas redes neuronais para se adaptar à constante mudança a que somos submetidos.

Ana Subtil Simões com LIFT Consulting
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Troféu

Em 2021 a Ordem dos Engenheiros (OE) celebrou 85 anos e 152 anos enquanto associação representativa destes profissionais portugueses. Durante as comemorações, esta sociedade pública profissional distinguiu Ciências ULisboa com o Troféu OE pelo centenário da criação da licenciatura Engenharia Geográfica/Geoespacial, um dos 12 que foram atribuídos durante a Gala 85 Anos OE.

Campus da Faculdade - passagem

“O equilíbrio entre o pensamento holístico e o pragmatismo experimental, entre a intuição e a dedução, é difícil de atingir. A educação é o terreno próprio para não recearmos essa viagem”, escrevem Rui Malhó e Helder Coelho, a propósito da obra “Complexidade: implicações e políticas globais”, apresentada recentemente na Fundação Calouste Gulbenkian.

Logotipo da rubrica radar Tec Labs

Vigésima rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Shift.

1.ª edição das Medalhas de Mérito Científico REN - Ciência LP

Adyler Frota,  alumnus do mestrado integrado em Engenharia da Energia e Ambiente da Faculdade, foi galardoado este mês com o 2.º prémio das Medalhas de Mérito Científico REN - Ciência LP, na categoria jovens estudantes, pela tese “Otimização do Desempenho Ótico de amostras de silício cristalino por Metal Assisted Chemical Etching (MACE)” e que contou com os orientadores José Silva e Ivo Costa.

grupo de atletas da equipa AEFCL

A equipa de natação da AEFCL conquistou nove medalhas num total de 24 provas no Campeonato Nacional Universitário de Natação em Piscina Curta. A AEFCL conseguiu a sua melhor classificação de sempre nestes campeonatos.

 albatrozes-de-sobrancelha

Um estudo liderado por um estudante do doutoramento em Biologia e Ecologia das Alterações Globais sobre a influência da temperatura da água do mar nos “divórcios” de uma população de albatrozes demostrou, pela primeira vez, uma influência direta do meio ambiente nas taxas de separação desta espécie monogâmica.

Maria Amélia Martins-Loução

“O esforço contínuo em inovar e cruzar saberes vale sempre a pena”, diz a cientista Maria Amélia Martins-Loução, distinguida com o Grande Prémio Ciência Viva 2021.

Brochuras e outros brindes

"A comunicação gera representações sociopsicológicas que são usadas para diferenciar, reconhecer e memorizar os seus bens, produtos e serviços, tornando-os singulares." Mais uma rubrica em jeito de editorial, da autoria de Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Maria Manuel Torres com alunos

"A Matemática serve para fazer magia", comenta Maria Manuel Torres, professora do Departamento de Matemática, a propósito da sessão sobre investigação em Matemática pura, realizada no âmbito do "Encontro com o Cientista", uma inicativa do Pavilhão do Conhecimento - Escola Ciência Viva. A Faculdade recebeu a visita de cerca de 45 alunos, com cerca de 10 anos, acompanhados pelas suas professoras e auxiliares, assim como por técnicos da Ciência Viva.

Reboot - closing this endless crisis [terminar esta crise interminável]

A Reboot é uma associação sem fins lucrativos formada em outubro de 2020 com a missão de criar uma comunidade focada no combate à crise climática. Circular 2021 é o próximo evento organizado pela Reboot, e decorre a 1 de dezembro, na Aula Magna da Reitoria da ULisboa.

Todas as semanas são boas para dar a conhecer os cientistas e o que investigam, assim como os seus contributos para o avanço do conhecimento, ainda assim há semanas mais especiais que outras, como é o caso da Semana da Ciência e da Tecnologia.

Imagem abstrata relacionada com o cartaz promocional do ranking

Alan Phillips é distinguido, pelo 4.º ano consecutivo, como um dos cientistas mais citados na área da Ciência Vegetal e Animal a nível mundial, pelo Highly Cited Researchers da Clarivate Analytics, uma empresa norte-americana especializada em gestão de informação científica.

musaranho-de-dentes-brancos

Investigador do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar polo da Ciências ULisboa lidera descoberta sobre o comportamento social do musaranho-de-dentes-brancos.

Mulher escreve num quadro

Quer saber quem são os cientistas mais citados a nível mundial? Aceda gratuitamente aos dados da Mendeley, publicados na Elsevier. Portugal tem 481 cientistas no ranking referente ao impacto ao longo da carreira e 703 no ranking de 2020. Ciências ULisboa apresenta melhores resultados face a 2019.

4 pessoas com colete refletor

O Gabinete de Segurança, Saúde e Sustentabilidade da Ciências ULisboa promoveu a realização do primeiro simulacro no edifício do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente. O primeiro exercício na Faculdade ocorreu em dezembro de 2013. Até agora já foram realizados 19 simulacros.

João Carlos Ribeiro Reis, professor aposentado do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade, e investigador do Centro de Química Estrutural, faleceu no passado dia 5 de novembro. A Faculdade apresenta sentidas condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Logotipo da rubrica radar Tec Labs

Décima nona rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade.

Seringas

Ensaio da autoria dos professores Manuel Carmo Gomes e Carlos Antunes.

uvas com a doença oídio

Estudo liderado por Ana Margarida Fortes, professora do DBV Ciências ULisboa e coordenadora de um dos grupos do BioISI Ciências ULisboa, está entre os cinco melhores artigos da Journal of Experimental Botany, uma prestigiada revista de investigação em plantas.

Maria Helena Carvalho de Sousa Andrade e Silva, professora aposentada da Ciências ULisboa, faleceu aos 94 anos, no passado dia 31 de outubro. A Faculdade apresenta sentidas condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Estrutura 3D da proteína S100B

Uma equipa internacional liderada pelo cientista Cláudio M. Gomes, professor do DQB Ciências ULisboa e coordenador do laboratório PMAB do BioISI, descobriu uma nova função para uma proteína do cérebro, que atrasa a formação de depósitos proteicos causadores de demências como a doença de Alzheimer. Guilherme Moreira, estudante de doutoramento em Bioquímica na Ciências ULisboa, orientado por Cláudio M. Gomes, é o primeiro autor do estudo.

 

Flores, livro e ampulheta

"Apesar de tudo, outubro foi um rico mês e novembro promete ser igual (...) O dia de amanhã, ainda que não esteja garantido, é uma série ininterrupta e eterna de instantes e é nosso". Mais uma rubrica em jeito de editorial, da autoria de Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Cérebro

"Para cada uma destas operações interessa estudar como nos vamos conduzir, e em que direção vamos prosseguir, logo quais são os princípios das coisas especulativas e os da imaginação",  in No Campus com Helder Coelho.

crianças numa visita ao laboratório

Ciências ULisboa recebeu, no passado dia 6 de outubro, 47 alunos do 4º ano, da Escola Básica Mestre Querubim Lapa, no âmbito do programa Escola Ciência Viva do Pavilhão do Conhecimento. A visita realizou-se no âmbito da atividade “Encontro com o cientista” e teve como anfitrião o professor do Departamento de Física, Rui Agostinho.

Campus da Faculdade

A Faculdade dá a conhecer uma vez mais a melhor ciência que se faz nesta centenária instituição. O Dia da Investigação da Ciências ULisboa realiza-se a 27 de outubro, no grande auditório, sito no edifício C3 e conta com uma sessão especial dedicada às Alterações Climáticas, área de investigação onde Ciências ULisboa é líder.

Páginas