Opinião

Quando o excelente não chega...

Perfeccionismo

Torre de pedras

As pessoas perfeccionistas tendem a interpretar os erros como equivalentes a falhas nelas próprias e não somente naquilo que fizeram

Pixabay

Andreia Santos
Fonte ACI Ciências

Associada à ideia de perfeccionismo surge a luta por objetivos elevados e irrealistas. Quando perguntamos a pessoas ditas perfeccionistas: ”O que é que achou do seu trabalho?” é frequente ouvir-se respostas como: ”Podia estar melhor”. Mas se a seguir perguntarmos: “O que é que acha que seria preciso para ficar melhor?”, geralmente a resposta é um: “não sei, mas tenho esta sensação!”. Esta ideia de que há um qualquer patamar não quantificável a alcançar faz com que as pessoas fiquem presas à ideia de que há uma meta a atingir (a perfeição). Como é algo não quantificável e irrealista faz com que a pessoa se sinta constantemente insatisfeita. Como consequência, a pessoa vai focar-se na procura do erro ou da falha, e dada a excessiva exigência é possível que os encontre. Ao encontrar estes erros, mesmos que invisíveis aos olhos dos outros, a pessoa tende a sentir-se ansiosa, com sentimentos de inadequação, sentindo-se com vergonha e muitas vezes deprimida.

O maior problema relativo a “estes erros” é que as pessoas perfeccionistas tendem a interpretar os erros como equivalentes a falhas nelas próprias e não somente naquilo que fizeram. Acreditam que se os outros descobrirem estes erros vão vê-las como pessoas menos merecedoras do seu respeito e afeto.

Regra geral, estas pessoas aprenderam durante a sua vida que só serão merecedoras de afeto e aprovação por parte dos outros se tiverem um desempenho “perfeito”. Se algum dia houve por parte de outros crítica excessiva e expectativas exageradas, agora é a própria pessoa que se autocritica, o que contribui de forma negativa para a sua autoestima.

A luta pela perfeição através do controlo é muito comum. Por exemplo, é frequente vermos pessoas, de forma compulsiva, a repetirem uma técnica ou a verificarem os trabalhos vezes sem conta. Contudo estas situações levam a que estas pessoas se sintam cansadas e ansiosas. O peso é dado ao resultado e não ao processo, o que retira o prazer naquilo que estão a aprender ou a fazer.

Esta situação conduz por sua vez, à redução da capacidade de desfrutar do processo, da diversão, da criatividade, da inovação e sobretudo de nos deixarmos ir, de surpreendermo-nos. Se pensarmos em momentos “perfeitos”, ou seja com os quais nos sentimos bem, não será difícil surgir-nos memórias de momentos ou situações em que nem tudo estava pensado ou planeado, que de certa forma nos deixámos ir, sem esforço associado.

Se conhece alguém assim, mostre-lhe que tem o seu reconhecimento e afeto independentemente dos resultados do seu desempenho. Se você próprio se identifica com este ciclo, pode começar por tornar a sua vida mais leve, mimando-se, valorizando-se e aprendendo a dizer “basta” à voz que exige sem limites.

Andreia Santos, Gabinete de Apoio Psicopedagógico da Área de Mobilidade e Apoio ao Aluno de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

“ (…) Pretendo fazer investigação aplicada, em particular na área da Biotecnologia Vegetal, que possa contribuir para a sociedade e para a economia do país”, refere a investigadora da FCUL que acaba de lançar um artigo na “Food Chemistry, Ana Margarida Fortes.

Isabel Fraga Alves

A Teoria dos Valores Extremos e a Inferência Estatística daí decorrente, têm vindo a invadir de forma transversal um largo espectro de áreas aplicadas e que vão desde ciências ambientais às financeiras, numa interface din&aci

Livros e giz

Um programa alicerçado na preocupação do axiomatizar, que valoriza o “formalismo pelo formalismo”, que rejeita a possibilidade de compreensão de conceitos e procedimentos, dificulta a tarefa do professor, para além de se distanciar das orientações dos programas do Reino Unido, de Singapura e dos EUA.

No seguimento da nomeação de Carlos Nieto de Castro como delegado nacional no Domínio da Química e Ciências Moleculares, em março deste ano, esta é a primeira reunião a ter lugar no campus da FCUL, em Lisboa.

FCUL desenvolve inquérito a antigos alunos

Conhecer o percurso académico e profissional dos alunos alumni é um dos interesses de Ciências. Para isso, a Faculdade desenvolveu um inquérito que permanece ativo no portal.

Em 2012, a Universidade de Lisboa, através do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC), participou pela primeira vez na Noite

A extraordinária comunhão entre a Geometria e a Arquitectura… volta a ser este o mote de mais um Diálogo na Exposição Formas & Fórmulas, patente no Museu de História Natural e da Ciência (MUHNAC).

Na manhã de 16 de Setembro a partir das 8h45 vai realizar-se a Sessão de Boas Vindas aos novos alunos do Departamento de Informática.

Técnicas Geoquímicas aplicadas à Exploração de Petróleo e a Problemas Ambientais

Cooperação FCUL/Univ. Federal do Rio de Janeiro. Convite à participação!

Curso de verão a realizar de 16 a 27 de Setembro de 2013 das 17H00 às 20H00.

Convénio de Cooperação Académica entre o Instituto de Geociências da USP e o GeoFCUL.

Na sexta-feira, a Direção-Geral do Ensino Superior do Ministério da Educação e Ciência anunciava que, este ano, concorreram à 1.ª Fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior Público 40419 estudantes, sendo que 37415 alunos foram admitidos.

Ivette Gomes

 A sessão especial proferida por Ivette Gomes ocorre no último dia do evento, a 11 de setembro e intitula-se “Penultimate Approximations: Past, Present . . . and Future?”.

Estão abertas inscrições para as seguintes acções de formação:

Conferência no GeoFCUL: Induced passive margin reactivation in the Gulf of Cadiz

Conferência no dia 9 de Setembro

Regina Bispo, professora do Departamento de Estatística e Investigação Operacional (DEIO) da FCUL integrou a equipa vencedora, composta também por Elisa Duarte e cuja coordenação esteve a cargo de Bruno Cecílio de Sousa e Dulce Gomes, ambos ex-alunos daquele Departamento.

A Exigo pretende recrutar candidatos com Licenciatura ou grau académico superior nas áreas de matemática ou informática, com experiência prévia em consultoria e/ou na indústria.

Imagem de uma criança

– Mas do que é que tu gostas, Ana Isabel!? Tirando o bife, o frango e as batatas fritas, de que é que tu gostas, rapariga? Não comes feijão porque enfarta e com o grão é a mesma desculpa.

O primeiro grupo do exame de Química deste ano incluiu um excerto do livro “Química 12.º ano”, editado em 2001 e da autoria de Alda Pereira e de Maria Filomena Camões.

Perfil de Alexandra Escudeiro

Nota da redação: Alexandra Escudeiro, bióloga, associada da Liga dos Amigos do Jardim Botânico e antiga aluna da FCUL faleceu no dia 15 de agosto.

Rui Malhó

As palestras e as comunicações em forma de póster foram de elevadíssima qualidade (77), facto que foi atestado pelos 230 participantes que louvaram ainda a organização do evento.

A Plataforma Moodle encontra-se em manutenção nos dias 7 e 8 de agosto.

Pedimos desculpa pelo incómodo.

Agradecemos a sua compreensão.

 

Unidade de Informática

 

Vanda Brotas

De entre as matérias que ensino, esta tem sido inspiradora, transformando discretos alunos em cientistas empenhados: “Professora, consegui a bolsa para as microalgas tóxicas, vou seguir o meu sonho…”. Este artigo foi publicado no jornal "Público" no passado dia 2 de agosto.

Estão abertos concursos da FCT para

 

Concurso para atribuição de Bolsas Individuais de Doutoramento, Doutoramento em Empresas e Pós-Doutoramento

A 3ª fase de candidaturas online decorre de 1 de Agosto até 28 de Agosto.

Páginas