Opinião

Banca da Dádiva HortaFCUL

Uma experiência socioeconómica de sucesso!

A HortaFCUL, como projeto que tenta procurar e experimentar soluções para os atuais problemas socioeconómicos, tem vindo a incorporar nas suas práticas a Economia da Dádiva.

A Economia da Dádiva (Gift Economy em inglês) é um tipo de economia alternativa à atual Economia de Mercado. De uma forma simples, neste tipo de trocas o ónus da responsabilidade do valor (€) do artigo ou serviço adquirido passa para o comprador, que faz a sua avaliação sobre o que considera justo pagar e a sua disponibilidade financeira, gerando um clima de total confiança entre quem disponibiliza e quem adquire os artigos. Será que este paradigma económico alternativo seria implementável na FCUL? Será que temos o nível “mínimo” de consciência e ética necessário?

Este novo paradigma económico, está em linha com as éticas da permacultura que servem de base ao grupo HortaFCUL e tem sido testada desde o início nas diferentes iniciativas do grupo, sob diferentes formas. Por exemplo, tipicamente, as inscrições nos cursos e workshops são efetuadas através pagamentos com valores opcionais dentro de uma dada gama, ou sob outras formas de retribuição não monetária, contribuindo desta forma para uma maior integração e justiça social. Ou seja, dado que nem todos têm as mesmas possibilidades económicas, desta forma o valor deixa de ser uma barreira á participação.

A experiência mais interessante é a Banca da Dádiva! Esta banca situada em frente à Biblioteca Central, recolhe os excedentes provenientes da Horta e convida a comunidade da FCUL a levar consigo algumas plantas a troco do valor que cada um atribui.

Apesar do ceticismo inicial, esta banca foi instalada pela primeira vez experimentalmente já no ano de 2013, sendo que as plantas são deixadas disponíveis ao público sem controlo ou supervisão por parte dos envolvidos no projeto. Esta revelou ser uma experiência muito interessante e a repetir devido à forte adesão da comunidade.

No ano de 2014, surgiu o Viveiro da HortaFCUL onde, tirando partido da característica única de totipotência celular das espécies do reino das plantas, fungos e algas (permite que qualquer célula especializada retorne ao seu estágio indiferenciado e voltar a especializar-se), promovemos a reprodução vegetativa que resulta de um processo que se inicia com a poda das plantas que se encontram na horta e posterior enraizamento no viveiro. Este viveiro permitiu manter um número elevado de plantas, criando muitos excedentes. Por outras palavras, as plantas da Banca da Dádiva são clones da HortaFCUL saídas diretamente do nosso berçário!

Assim, em outubro de 2015 surge novamente a Banca da Dádiva, desta vez em força e com um carácter mais permanente, contribuindo desta forma para fechar ciclos, sendo o rendimento obtido aplicado de novo no projeto, provando-se mais uma vez o seu sucesso.

Nesta nova etapa da Banca, tem sido observada uma enorme adesão por parte da comunidade da FCUL, sendo que as plantas disponíveis têm sido repostas semanalmente. Para compreendermos o sucesso desta iniciativa, e para que possa ser partilhado o resultado da mesma com a comunidade envolvida, decidimos registar o número e variedade das plantas disponibilizadas, assim como o valor monetário recebido em troca.

Durante quatro semanas, no final de 2015, foram colocados nesta Banca 52 indivíduos de 14 espécies de plantas diferentes. Em troca, a HortaFCUL obteve 64,51€, o que representa uma média de 1,24€ por planta. Não sendo possível saber ao certo o valor atribuído a cada planta é curioso perceber que o preço se aproxima do que é utilizado em muitas feiras e eventos em que a HortaFCUL está presente.

Com esta mudança de paradigma pretende-se demonstrar que é possível funcionar de uma maneira diferente a nível económico, criando um sistema mais justo que assenta numa base de confiança entre os intervenientes. Até á data, nunca houve qualquer ato de vandalismo, roubo e as plantas “esgotam” ao fim de alguns dias (por vezes horas).

A HortaFCUL gostaria de agradecer a todos os que têm vindo a contribuir para o sucesso desta iniciativa, não só através da aquisição das plantas como através do feedback que temos recebido e que tencionamos incorporar.

Rui Monteiro e Daniel Lopes, guardiões da HortaFCUL
Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

O projeto foca-se em seis espécies que nidificam no Atlântico Norte, cuja ecologia e até a taxonomia são muito pouco conhecidas, por serem muito difíceis de estudar: estas aves são exclusivamente noturnas em terra, não pesam mais que 50 gramas e nidificam em pequenas cavidades em rochas ou solo.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Fotografia de participantes na Training School

Realizou-se em Portugal, mais precisamente em CIÊNCIAS, no CE3C, de a 6 a 9 de maio a training school

Participantes no Dia Aberto

O campus ganhou vida, cor e energia proveniente do entusiasmo dos cerca de 2000 alunos de 170 escolas de norte a sul do País.

CIÊNCIAS esteve presente nesta edição, com a participação dos docentes do Departamento de Física: Alexandre Cabral, no painel de abertura “À conversa sobre carreiras espaciais” e

Semana Internacional da Compostagem

Uma das transformações necessárias às entidades que querem progredir pelo caminho da sustentabilidade é fecharem os seus ciclos de materiais, nomeadamente o orgânico.

A VicenTuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - completou 30 anos em janeiro de 2024. Para comemorar, realizou no dia 30 de abril de 2024, a Festa da Primavera, um espetáculo de música e divertimento dedicado à comunidade de CIÊNCIAS e ao público em geral.

Celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974 da Academia das Ciências de Lisboa

A 9 de maio realiza-se a segunda de duas jornadas de debate académico e científico organizadas pela Academia das Ciências de Lisboa, que tem por objetivo ‘analisar e discutir a evolução do panorama científico português de forma prospetiv

Lançamento do projeto Barrocal-Cave marca um novo capítulo na Conservação da Biodiversidade em Portugal

O prestigiado Palácio Gama Lobo foi o cenário escolhido para o lançamento do projeto Barrocal-Cave, financiado pelo Prémio Fundação Belmiro de Azevedo 2023.

No passado dia 10 de abril, tivemos a honra de receber um grupo de estudantes e dois professores da Universidade de Leiden, na Holanda. Com um total de 40 estudantes, todos da área das bio farmacêuticas, a visita prometia ser entusiástica.

Miguel Pinto

No dia 29 de abril, Miguel Pinto visitou a Escola Básica Professora Aida Vieira, no Bairro Padre Cruz em Lisboa, para realizar oficinas de divulgação científica e atividades didáticas.

Fotografia de alguns dos oradores

O que é a sustentabilidade? Como podemos agir a nível local, procurando um impacto global? Estas e muitas outras questões marcaram a segunda edição da Semana da Sustentabilidade CIÊNCIAS, entre 15 e 19 de abril de 2024.

Grande Auditório durante a celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS

Mais de 500 pessoas assistiram no Grande Auditório à celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS, na passada terça-feira, 23 de abril, numa cerimónia marcada por distinções, homenagens e um balanço dos últimos meses, com os olhos postos no futuro. 

Buracos negros Gaia

Um grupo de cientistas descobriu um grande buraco negro, com uma massa quase 33 vezes superior à massa do Sol, escondido na constelação de Aquila, a menos de 2000 anos-luz da Terra, ao analisar a grande quantidade de dados da missão Gaia da ESA.

Alunos com mãoes no ar num sala de aula

É possível brincar com a Matemática e prova disso foram as várias atividades que se realizaram na Faculdade nos dias 13 e 14 de março de 2024. Março foi um mês dedicado a esta ciência, motor da sociedade. Leia a opinião de quem participou nestas atividades e ainda nas Jornadas de Matemática.

robot e criança

Ecossistema de grandes modelos de linguagem de IA Generativa para a língua portuguesa foi expandido com novas versões dos modelos Albertina e Gervásio.

Participantes da 1.ª edição do JAB

A 1ª edição do JAB, um evento inovador destinado a jovens empreendedores, organizado pela JUST - Júnior Iniciativa de Ciências ocorreu nos dias 22 e 23 de março passado e teve como foco a Educação de Qualidade, quarto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável.

Pessoas

Uma comitiva da Shanghai Ocean University (SHOU), cuja origem remonta à Escola de Pesca da Província de Jiangsu, fundada em 1912, visitou Ciências ULisboa no passado dia 25 de março. Wang Hongzhou, presidente do Conselho da universidade chinesa, elogiou o avanço da investigação realizada na Ciências ULisboa, destacando as boas práticas de gestão, interdisciplinaridade e foco na missão. Durante a ocasião, Luís Carriço, diretor da Ciências ULisboa, reconheceu a importância das relações bilaterais com a China.

Alunos dinarmarqueses junto à tabela periódica

Um grupo de 25 estudantes do ensino secundário do Egedal Gymnasium & HF, da Dinamarca, visitou a Ciências ULisboa no passado dia 21 de março.

Páginas