Nevaro: da adversidade nasce a ideia

Holi, o “personal trainer” da saúde mental, projeto mais recente da empresa

Francisca Canais e Rita Maçorano

Francisca Canais e Rita Maçorano são cofundadoras da Nevaro

ACI Ciências ULisboa

Holi é o nome da mais recente aplicação criada pela Nevaro, uma empresa com berço no Centro de Inovação da Ciências ULisboa, o Tec Labs. A aplicação funciona como um “pequeno cérebro”, que monitoriza a saúde mental do utilizador, ajudando na sua autogestão.

A startup da Ciências ULisboa foi fundada em 2020 por Francisca Canais e Rita Maçorano, ambas ex-alunas do mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica da Ciências ULisboa, e por Hugo Ferreira, professor do Departamento de Física, coordenador do mesmo mestrado e investigador do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB). A empresa conta ainda com a colaboração de dois alunos do Instituto Superior Técnico (IST), André Manso e Miguel Lopes e tem como lead advisor David Siqueira Magboulé.

Para conhecer melhor a história da Nevaro é preciso recuar a 2018, ano em que Francisca Canais e Rita Maçorano iniciaram a frequência do mestrado. A semente desta ideia nasceu de um trabalho para a disciplina Neurociências, cujo objetivo era utilizar tecnologias emergentes para resolver um problema na área da saúde. Tiveram então a ideia de criar um jogo de realidade virtual para o tratamento de fobias, utilizando tecnologias de neurofeedback que permitem monitorizar a resposta fisiológica do utilizador (atividade cerebral e batimento cardíaco).

holi
A Holi deteta os sinais fisiológicos através dos sensores de um smartphone
Fonte Nevaro

 

A ideia ganhou sucesso junto dos professores, tendo sido tema para as teses de mestrado de ambas. Em conjunto com o professor Hugo Ferreira, Beatriz Carmo e Ana Paula Cláudio, professoras do Departamento de Informática, coorientadoras das suas teses de mestrado, as jovens receberam o apoio necessário para a implementação técnica desta ideia. À medida que o tempo foi passando, aperceberam-se da aplicabilidade e inovação que a ideia poderia trazer ao mercado, e o projeto ganhou asas. Em 2018 receberam o apoio do Tec Labs para iniciar o desenvolvimento do projeto. Nesse ano de incubação, trabalharam afincadamente no desenvolvimento do jogo, cujo objetivo foi associar a inovação tecnológica às áreas da Psicologia e Psiquiatria, constituindo uma ferramenta completar aos métodos terapêuticos convencionais. Em contexto terapêutico, o jogo permite controlar a experiência do paciente, recriando em consultório a sensação de estar num avião, ver uma aranha, ou estar no topo de um prédio alto.

As mentoras da Nevaro classificam esses dois anos do curso, e particularmente o ano de defesa das teses de mestrado, como uma “montanha russa caótica, mas desafiante”. De Beja a Braga, passando por Lisboa, ambas estavam simultaneamente a estudar, escrever as teses, desenvolver o projeto e a participar num programa de aceleração de startups.

Da ideia embrionária nasce então a Nevaro, justamente no ano em que o primeiro caso de doença por COVID-19 chega a Portugal. Tendo em conta o momento que se atravessava, meteram mãos à obra e juntaram-se a uma equipa de estudantes de Engenharia Biomédica e Biofísica para desenvolver uma plataforma de symptom checker, cujo objetivo era monitorizar os sintomas de COVID-19. A plataforma, intitulada Nevaro4COVID, foi distribuída essencialmente em lares de terceira idade, local onde os surtos se tornaram muito preocupantes dada a dificuldade de contenção. O projeto mostrou-se bastante relevante pois permitia guardar digitalmente todos os dados dos utentes e perceber a evolução temporal do seu estado de saúde. A plataforma continua atualmente disponível online, tanto para uso institucional como para uso particular.

Por força da pandemia, viram-se obrigadas a suspender os testes-piloto da plataforma de fobias, que, entretanto, decorriam no Hospital da Luz, facto que as obrigou a interromper o projeto por tempo indeterminado.

O início foi atribulado, mas não o suficiente para as abalar. Sem saber que futuro a Nevaro poderia vir a ter, Rita Maçorano e Francisca Canais contam que tiveram que repensar a estratégia e a missão da Nevaro e decidiram apostar na área da prevenção da saúde mental. Um dos objetivos definidos foi desmistificar o conceito, reduzir o estigma e aumentar o conhecimento sobre o tema, tornando a saúde mental mais tangível e objetiva, fornecendo informação de forma divertida, positiva e sem tabus.

Assim nasce o Holi, “o pequenino cérebro”, como Rita Maçorano carinhosamente o trata, que toma a forma de aplicação para smartphone.

A Holi e a Nevaro já dão que falar nos meios de comunicação social, como é o caso da Rádio Renascença, Público, PC Guia, PME Magazine, Observador, media no qual as responsáveis pelo projeto publicaram um artigo de opinião intitulado “Trabalho: catalisador ou aniquilador da nossa saúde mental?”

O Holi é um “personal trainer” da saúde mental. Através de técnicas de biofeedback (derivação do neurofeedback aplicado a todos os sinais fisiológicos para além das ondas cerebrais), como a respiração e o batimento cardíaco, detetadas pelos sensores de um smartphone - microfone, câmara, leitor de impressão digital – a aplicação está programada para entender as necessidades do utilizador. Desta forma, a Holi traça uma estratégia personalizada para autogestão da saúde mental do utilizador, através da “prescrição” de exercícios de respiração, aceleramento do metabolismo, empoderamento, autoconfiança, etc..

A mais valia e inovação deste projeto é a desmaterialização e democratização do acesso. Sem necessidade de adquirir hardware específico, a Holi permite que qualquer pessoa possa ter acesso aos seus dados fisiológicos e ainda ter uma ajuda complementar na gestão da sua saúde mental.

Neste momento, a aplicação está apenas disponível para trabalhadores de empresas e instituições de saúde. Num futuro próximo, as mentoras deste projeto querem expandir a aplicação para uso individual.

A prova de fogo da Holi começa agora, com a utilização da aplicação por parte de 35 000 trabalhadores da Sonae MC, uma empresa que demonstrou muito interesse no projeto, e cuja experiência será uma grande oportunidade para analisar a adesão, o interesse, a eficácia e a usabilidade da app.

Ainda que com poucos anos de vida, a Nevaro conta já com uma rede de parceiros consideravelmente ampla, incluindo empresas, hospitais, clínicas de psicologia e psiquiatria, entre outros. Para complementar o trabalho, promovem estágios e projetos curriculares com alunos de Engenharia Biomédica e Biofísica e Engenharia Informática, colaborando com alunos no desenvolvimento de diversos projetos na Ciências ULisboa, IST e Universidade de Aveiro.

“Tem sido uma jornada desafiante porque a credibilidade de duas raparigas de 23/24 anos não é a mesma da de um homem… mas vai-se notando uma certa evolução da mentalidade das pessoas quanto à liderança feminina.” Rita Maçorano, cofundadora e CEO da Nevaro

Rita Maçorano e Francisca Canais têm “bicho carpinteiro” e já levaram o nome do projeto a diversos concursos e programas nacionais e internacionais, tendo sido distinguidas com prémios e reconhecimentos, entre os quais se destacam dois dos mais recentes: a nomeação para o prémio de “Best Startup in Portugal started by a Woman”, pela Portuguese Women in Tech e o 1.º lugar na última edição do concurso Santa Casa Challenge, que lhes valeu um prémio no valor de 15.000€, deu direito a um ano de incubação na Casa do Impacto e a presença no WebSummit 2021. Entre 2019 e 2021 tiveram a oportunidade de apresentar posteres científicos no European Congress of Psychiatry.

Com um futuro promissor pela frente no mercado das tecnologias da saúde, o objetivo da Nevaro é agora conseguir captar mais investimento e expandir o âmbito da aplicação, de modo a ser utilizada como complemento à terapêutica convencional.

 

Marcos importantes na história da Nevaro 

linha do tempo nevaro

Marta Tavares, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Rita Zilhão

A participação interessada e com sucesso dos alunos, é um incentivo para a mobilidade académica de estudantes entre as duas universidades.

É já no próximo sábado mais uma Feira no Botânico. Não perca!

 

Para mais informações:

A principal missão do Departamento de Matemática é a da promoção do ensino e da investigação da Matemática, contribuindo para a criação e transmissão do conhecimento nesta área, bem como

Capa da Agenda FCUL 2012/2013

- Qual é coisa, qual é ela? É retangular e a cor varia normalmente todos os anos. Tem argolas e mais de 200 páginas. Pode-se usar todos os dias ou só em determinadas ocasiões. Sim, é fácil adivinhar! É a Agenda FCUL 2013/2014 e já “anda de mão em mão”…

Fórum Bolsas UL/FAD

“Numa época de crise e com falta de emprego, a solução por vezes é mais simples do que emigrar: criar o próprio emprego e gerar emprego. Este projeto "lançou-me" não só a nível académico (…) como profissional, estando neste momento a desenvolver uma empresa”, informou o antigo aluno do mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, Ricardo Santos.

 Mestrados do DEIO 2013-14

“Com um simples azulejo” é uma iniciativa do Departamento de Matemática da FCUL dirigida a alunos do 1ºciclo e 2ºciclo do Ensino Básico e destinada a explorar transformações geométricas no plano.

A experiência profissional da cientista iniciou-se na casa que a formou, a FCUL, em 1999, enquanto doutoranda. Nessa altura, exercia funções de investigadora e supervisora de projetos de alunos de licenciatura. Atualmente, o percurso profissional, “continua dentro de casa”.

Trial do Journal of Visualized Experiments

“ (…) Pretendo fazer investigação aplicada, em particular na área da Biotecnologia Vegetal, que possa contribuir para a sociedade e para a economia do país”, refere a investigadora da FCUL que acaba de lançar um artigo na “Food Chemistry, Ana Margarida Fortes.

Isabel Fraga Alves

A Teoria dos Valores Extremos e a Inferência Estatística daí decorrente, têm vindo a invadir de forma transversal um largo espectro de áreas aplicadas e que vão desde ciências ambientais às financeiras, numa interface din&aci

Livros e giz

Um programa alicerçado na preocupação do axiomatizar, que valoriza o “formalismo pelo formalismo”, que rejeita a possibilidade de compreensão de conceitos e procedimentos, dificulta a tarefa do professor, para além de se distanciar das orientações dos programas do Reino Unido, de Singapura e dos EUA.

No seguimento da nomeação de Carlos Nieto de Castro como delegado nacional no Domínio da Química e Ciências Moleculares, em março deste ano, esta é a primeira reunião a ter lugar no campus da FCUL, em Lisboa.

FCUL desenvolve inquérito a antigos alunos

Conhecer o percurso académico e profissional dos alunos alumni é um dos interesses de Ciências. Para isso, a Faculdade desenvolveu um inquérito que permanece ativo no portal.

Em 2012, a Universidade de Lisboa, através do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC), participou pela primeira vez na Noite

A extraordinária comunhão entre a Geometria e a Arquitectura… volta a ser este o mote de mais um Diálogo na Exposição Formas & Fórmulas, patente no Museu de História Natural e da Ciência (MUHNAC).

Na manhã de 16 de Setembro a partir das 8h45 vai realizar-se a Sessão de Boas Vindas aos novos alunos do Departamento de Informática.

Técnicas Geoquímicas aplicadas à Exploração de Petróleo e a Problemas Ambientais

Cooperação FCUL/Univ. Federal do Rio de Janeiro. Convite à participação!

Curso de verão a realizar de 16 a 27 de Setembro de 2013 das 17H00 às 20H00.

Convénio de Cooperação Académica entre o Instituto de Geociências da USP e o GeoFCUL.

Na sexta-feira, a Direção-Geral do Ensino Superior do Ministério da Educação e Ciência anunciava que, este ano, concorreram à 1.ª Fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior Público 40419 estudantes, sendo que 37415 alunos foram admitidos.

Ivette Gomes

 A sessão especial proferida por Ivette Gomes ocorre no último dia do evento, a 11 de setembro e intitula-se “Penultimate Approximations: Past, Present . . . and Future?”.

Estão abertas inscrições para as seguintes acções de formação:

Conferência no GeoFCUL: Induced passive margin reactivation in the Gulf of Cadiz

Conferência no dia 9 de Setembro

Regina Bispo, professora do Departamento de Estatística e Investigação Operacional (DEIO) da FCUL integrou a equipa vencedora, composta também por Elisa Duarte e cuja coordenação esteve a cargo de Bruno Cecílio de Sousa e Dulce Gomes, ambos ex-alunos daquele Departamento.

Páginas