“O Círculo dos Saberes”

Entrevista com... Olga Pombo

Professora Olga Pombo, autora do livro "O Círculo dos Saberes"
Cedida por Olga Pombo

"Cada vida é uma enciclopédia, uma biblioteca, um inventário de objetos, um catálogo de estilos, onde tudo pode ser constantemente remexido e reordenado de todas as maneiras possíveis”
Italo Calvino, “Lezioni Americane - Sei Proposte per il Prossimo Millennio”

Se numa frase fosse possível ilustrar a essência e atitude perante a vida da professora Olga Pombo, esta seria a indicada. Movida pela busca incessante da riqueza do saber, Olga Pombo, doutorada em História e Filosofia da Educação pela FCUL, é docente da Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências na Faculdade e coordenadora de uma das unidades de investigação que a assiste, Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL).

A docente da FCUL distingue-se ainda por ser autora de dez livros e editora de outros 17, tendo associado ao seu currículo académico e científico um vastíssimo leque de publicações. E porque para Olga Pombo “o tempo é inexorável”, este mês (29 de outubro), prepara-se para lançar a sua mais recente obra – “Círculo dos Saberes”. Um livro inspirado em Leibniz cujo desenvolvimento se baseia na máxima de que o “círculo é a figura por excelência da unidade do conhecimento”.
Fique a conhecer os pormenores da obra bem como da apresentação oficial que irá marcar o seu lançamento na entrevista com a autora.
 

FCUL - Como surgiu a ideia de criar esta obra intitulada de “O Círculo dos Saberes”?

Olga Pombo (OP) - Este livro surge no cruzamento e no desenvolvimento de duas investigações anteriores. Por um lado, o trabalho que realizei no âmbito de um projeto da Fundação para a Ciência e Tecnologia (1999-2002), intitulado Enciclopédia e Hipertexto. Um dos resultados desse projeto foi a edição de um livro com o mesmo título, no qual publiquei três estudos sobre a história do enciclopedismo desde a Antiguidade Clássica até ao século XX. Esses estudos foram agora retomados e completados com um longo trabalho sobre o enciclopedismo filosófico (de Ramon Lull a Neurath, passando por Bacon, Leibniz, o enciclopedismo positivista e romântico); Por outro lado, uma investigação muito ampla que venho realizando desde a minha tese de doutoramento sobre um tema clássico da filosofia do conhecimento científico: o projeto da unidade da ciência, trabalho esse que desenvolvi no livroUnidade da Ciência. Programas, Figuras e Metáforas”, recentemente reeditado pela editora Gradiva (2011) em associação com o CFCUL.

FCUL - Porquê o título “Círculo dos Saberes”?

OP - Antes de mais porque este livro persegue a hipótese de um efetivo reenvio da enciclopédia à sua etimologia como círculo dos saberes. Mas também porque me parece que a rede hipertextual que nos rodeia, por mais aberta e descentrada que seja, por mais instável e inacabada, por mais complexa e nunca inteiramente atualizável que possa ser, não escapa ao sortilégio do círculo, ao seu infinito rodopio, à sua força geradora, à sua vontade de verdade, harmonia e perfeição. Penso que a imagem da capa é eloquente. Da autoria de Andreas Kaberle: Processing Flickr Group, de 2007, ela foi retirada do livro de Manuel Lima (2008), “Visual Complexity. Mapping Patterns of Information.

Ela mostra com grande clareza de que modo a complexidade acaba por remeter para a figura do círculo. Por outras palavras, estou convencida que a imagem do círculo constitui um arquétipo, uma determinação conceptual prévia a toda a investigação. Ele é uma entidade transcendental reificada que pensa antes mesmo de nós começarmos a pensar.


Fonte: Cedida por Olga Pombo
Legenda: "Este livro persegue a hipótese de um efetivo reenvio da enciclopédia à sua etimologia como círculo dos saberes", explicou a autora Olga Pombo

FCUL - A que público se destina?

OP - Filósofos, historiadores, investigadores de todas as áreas científicas, mas também informáticos, webdesigners, especialistas em teoria dos media, em visualização da informação.

FCUL - O que pode o público encontrar nela?

OP- Uma leitura que atravessa o tempo e que, sem deixar de ser erudita, está muito atenta ao mundo que nos é dado viver.

FCUL - Que importância julga ter para o leitor que a irá receber?

OP - Gostaria que este livro mostrasse à exaustão que o novo se tece com o antigo, que aquilo que não inventámos ainda já está anunciado desde os gregos, que a rede aberta e descentrada que hoje nos cerca e constitui (estou a falar da Internet e da WWW), tem a sua matriz na ideia de enciclopédia, isto é, reenvia a um círculo que honra a nossa inteligência e o nosso sentido da beleza.

FCUL - Há algum momento/passagem que gostaria de destacar na obra? Qual?

OP - Talvez o facto de este livro se inscrever no trabalho sobre Leibniz que venho realizando há quase trinta anos. Leibniz é a grande inspiração e a figura tutelar deste livro. Ele está por toda a parte. Foi Leibniz quem pensou de forma mais profunda e radical o projecto de estruturação sistemática dos conhecimentos humanos. Foi Leibniz quem mais se bateu por uma heurística combinatória e, juntamente com Neurath, foi Leibniz quem melhor compreendeu a articulação entre enciclopédia e unidade da ciência. Gostaria ainda de sublinhar que este livro é também uma homenagem que presto à memória do professor Fernando Gil, ele mesmo um grande estudioso do projeto da enciclopédia.

FCUL - Shahid Rahman, professor da Universidade de Lille III, irá apresentar o livro. A que se deve o convite?

OP - Convidei o professor Shahid Rahman porque ele é um grande especialista sobre o modelo enciclopedista da Unidade da Ciência, diretor de uma prestigiada coleção na editora Springer intitulada “Logic Epistemology and the Unity of Science”. Foi nessa coleção que editei recentemente dois livros, juntamente com outros autores: “Otto Neurath and the Unity of Science, e “Special Sciences and the Unity of Science”.

FCUL - Esta sessão insere-se no “International Symposium of Epistemology, Logic and Language (ISELL2012)” que vai ter lugar, na FCUL, nos próximos dias 29 a 31 de outubro. Porque razão?

OP - Por uma feliz coincidência que me permite aproveitar a estadia em Portugal do professor Rahmann enquanto invited speaker do ISELL2012 e fazer a apresentação do livro no contexto de um colóquio que trabalha os grandes temas da Lógica Universal e da Filosofia da Ciência.

FCUL - Já há previsão para a realização de trabalhos futuros?

OP - Tenho quase pronto um livro em que reúno a minha lição de agregação – “Tarefas da Epistemologia e Filosofia da Ciência para o Século XXI” - e um conjunto de conferências que tenho vindo a fazer e cujo conjunto, subitamente, descubro fazer algum sentido.

Além disso, estou a terminar a coleção “A imagem na Ciência e na Arte” que dirijo na editora Fim de Século. Já estão publicados sete volumes. Dois devem sair ainda este ano e, no ano de 2013, espero que sejam publicados os restantes. Ao todo 12 volumes dos quais oito foram editados por mim.

Depois, tenho há muito tempo dois livros quase prontos que gostaria de acabar com brevidade. Só lhes falta o quase. Um é sobre Rousseau. Comecei a escrevê-lo há mais de 20 anos. O outro é sobre o “Protagoras” de Platão. Inclui um conjunto de estudos e um CD-ROM com uma versão do diálogo em hipertexto, um trabalho que, em determinada altura, contou com a colaboração de diversas turmas de alunos. São dois livros sobre paixões muito antigas. Estão prontos. Só falta despedir-me deles.

Até este momento tenho publicado mais de 100 títulos, mais exactamente, 150, sou autora de dez livros editora de outros 17. Depois disso, veremos. O tempo é inexorável.

Raquel Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
ilustração SARS-CoV-2

Um novo estudo liderado por Luís Graça, investigador principal Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM) e professor catedrático da Faculdade de Medicina da ULisboa, e por Manuel Carmo Gomes, professor associado com agregação da Ciências ULisboa, ambos membros da Comissão Técnica de Vacinação contra a COVID-19 (CTVC) da Direção Geral de Saúde (DGS), publicado em janeiro na revista científica Lancet Infectious Diseases, mostra que a proteção conferida pela imunidade híbrida contra a subvariante de SARS-CoV-2 Omicron BA.5, obtida pela infeção de pessoas vacinadas, mantém-se até pelo menos oito meses após a primeira infeção.

grupo das raparigas e uma pessoa da organização

Estudantes da Ciências ULisboa representaram a Faculdade no Digital Health Summit 2022, um encontro internacional dedicado ao futuro dos cuidados de saúde, promovido pela empresa Premivalor. Os alunos, organizados em dois grupos, apresentaram os projetos “The Golgi Printer” e “Cloudia”, tendo este último ficado classificado em 3.º lugar no concurso de projetos H-INNOVA - Health Innovation HUB, uma empresa de inovação no sector da saúde.

Salão da Academia das Ciências de Lisboa

Em 2022 a Academia das Ciências de Lisboa elegeu para a sua Classe de Ciências novos membros efetivos e correspondentes nacionais. Entre eles estão os professores da Ciências ULisboa Fernando Ferreira, nomeado membro efetivo; João Duarte e Jorge Buescu, nomeados correspondentes nacionais.

salão nobre da Reitoria da ULisboa

Oito professores e investigadores da Ciências ULisboa foram agraciados com prémios e menções honrosas, na edição de 2022 dos Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD). Errata da notícia publicada em novembro.

vários barcos no mar

Cinco docentes e investigadores do IDL participaram no consórcio do projeto NAVSAFETY, cujo principal objetivo foi o desenvolvimento de uma plataforma digital de auxílio às entidades portuárias na gestão do tráfego marítimo. O projeto, coordenado pela Universidade de Aveiro, e financiado pelo programa Fundo Azul, terminou no mês de setembro.

três pessoas a assinar o protocolo

Ciências ULisboa celebrou um protocolo de cooperação com a Câmara Municipal de Lisboa, através do Regimento de Sapadores Bombeiros e do Departamento de Desenvolvimento e Formação. A assinatura do protocolo decorreu ontem, dia 19 de dezembro, nas instalações da Ciências ULisboa.

Boia na foz do estuário do Tejo

A Rede Portuguesa de Monitorização Costeira (CoastNet) integra o Programa da Década da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável 2021-2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) e representa Portugal neste programa da ONU. A CoastNet é uma infraestrutura de investigação do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), da Ciências ULisboa e da Universidade de Évora.

aves a voar com mar em fundo

Estudo, da autoria de quatro investigadores da Ciências ULisboa, que aborda as alterações ambientais em zonas húmidas e os impactos no habitat de aves limícolas costeiras, foi publicado na revista Science of the Total Environment.

paisagem da caatinga

O Prémio Científico Mário Quartin Graça 2022, na categoria de Tecnologias e Ciências Naturais, foi atribuído a Ana Cláudia P. Oliveira, aluna do doutoramento em Biologia e Ecologia das Alterações Globais na Ciências ULisboa e investigadora do cE3c.

Estepe na Patagónia Argentina

Para avaliar o impacto do pastoreio nas regiões áridas do planeta, uma equipa internacional com mais de uma centena de investigadores, destaque para Alice Nunes e Melanie Köbel, investigadoras do cE3c Ciências ULisboa, aplicou, pela primeira vez, o mesmo método de análise em 25 países de seis continentes.

rua interior à Alameda da Universidade, na Faculdade de Ciências

A 16 de novembro de 2022 foi instalado um sensor de tubo, na entrada da rua de acesso ao edifício C7 (rua interior à Alameda da Universidade), que permite detetar a passagem de bicicletas e trotinetes. Esta instalação insere-se na atividade do projeto europeu Tr @ nsnet – Um modelo de Living Lab Universitário para a Transição Ecológica

Campus da Faculdade

A cerimónia de entrega dos Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD) 2022, acontece no próximo dia 28 de novembro, pelas 17h30, no Salão Nobre da Reitoria da ULisboa.

grupo de pessoas

Ciências ULisboa coordena projeto europeu Twinning em colaboração com a Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, e a Universidade de Tel Aviv, em Israel, e em parceria com a Universidade de Cambridge, no Reino Unido. O objetivo é promover a investigação de excelência e a formação avançada em Bioquímica e Biofísica de Proteínas, com impactos e aplicações em Biomedicina e Biotecnologia.

Ibéria Medeiros

Ibéria Medeiros, professora do Departamento de Informática da Ciências ULisboa, é a protagonista do terceiro vídeo do projeto “Porquês com Ciência”, divulgado no YouTube da Faculdade a 3 de novembro.

estantes com livros e revistas na biblioteca do C4

"September 2022 data-update for 'Updated science-wide author databases of standardized citation indicators'” divulga as bases de dados com os nomes dos cientistas mais citados a nível mundial em 2021 e ao longo da carreira. Estas bases de dados publicadas recentemente pela Elsevier têm o contributo de John Ioannidis, professor da Universidade de Stanford, na Califórnia.

A Faculdade presta homenagem a Carlos Sousa Reis, antigo professor da Ciências ULisboa nos domínios da Ecologia Marinha, Recursos Vivos Marinhos, Pescas e Ordenamento do Litoral.

grande auditório no evento de 2021

“Este é um momento de celebração da qualidade da investigação e da inovação desenvolvidas na Ciências ULisboa, a ocasião ideal para a partilha de conhecimento e para o estabelecimento de colaborações", diz Margarida Santos-Reis, subdiretora da Ciências ULisboa para a área da investigação, a propósito do Dia da Investigação.

José Rebordão, Luís Carriço e Manuel Silva assinam o protocolo

A Faculdade e a FCiências.ID assinaram um protocolo de cooperação com a Cercal Power, uma sociedade da Aquila Clean Energy, a plataforma de energia renovável da Aquila Capital na Europa, dedicada ao desenvolvimento, construção e exploração da central fotovoltaica do Cercal, em Santiago do Cacém.

Imagem de um cérebro em fundo digital

"A linha de investigação em Filosofia da Inteligência Artificial e da Computação surgiu pela primeira vez em Portugal na Ciências ULisboa, nomeadamente, no Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL), com o intuito de contribuir para um debate que interessa à sociedade no seu todo", escrevem João L. Cordovil e Paulo Castro, investigadores do CFCUL Ciências ULisboa.

logotipo do projeto

O Gabinete de Apoio Psicológico (GAPsi) da Ciências ULisboa partilhou o primeiro episódio do podcast “Chá do Dia”, no passado dia 19 de setembro. O quinto episódio deste projeto inovador já está disponível na plataforma Spotify.

Estúdio da FCCN

João Telhada é um dos protagonistas do projeto "Porquês com Ciência", nomeadamente no vídeo “É seguro pagar online com cartão VISA?”, disponível no canal YouTube da Faculdade. Para o professor do DEIO Ciências ULisboa, “a cultura científica é um aspeto essencial no progresso e desenvolvimento de um país”.

grupo de pessoas

Tom Henfrey, Giuseppe Feola, Gil Penha-Lopes, Filka Sekulova e Ana Margarida Esteves publicam na Sustainable Development, no âmbito de relatório da rede ECOLISE, da qual Ciências ULisboa faz parte.

A Faculdade presta homenagem a Henrique Manuel da Costa Guimarães, antigo aluno e professor da ULisboa, especialista em investigação sobre o ensino da Matemática.

Estátua de Alfred Nobel com flores por detrás

Os seis Prémios Nobel 2022 são anunciados entre 3 e 10 de outubro. A poucos dias de conhecer as personalidades que serão distinguidas este ano, recordamos os laureados em 2021, com a ajuda de professores e cientistas da Faculdade. Entre na breve e conheça os laureados da Fisiologia/Medicina e Física.

 

rapariga com vento no cabelo a ouvir música

"Que poder é este da música? Ela tem mesmo uma ligação com as emoções? Apesar de existirem posições contraditórias, a literatura aponta que a música é capaz de induzir emoções", escreve Marta Esteves, psicóloga no GAPsi Ciências ULisboa.

Páginas