Prémio Paleontologia e Estratigrafia de Portugal 2023

Carlos Marques da Silva coordena estudo vencedor do prémio atribuído pela Sociedade Portuguesa de Paleontologia

Carlos Marques da Silva à frente do globo do C6

Carlos Marques da Silva assina o artigo, juntamente com Bernard M. Landau, Bruno Dell'Angelo e Maurizio Sosso

GJ DCI Ciências ULisboa

O estudo coordenado por Carlos Marques da Silva, professor do Departamento de Geologia da Ciências ULisboa e investigador do Instituto Dom Luiz (IDL), venceu a 2.ª edição do Prémio Paleontologia e Estratigrafia de Portugal, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Paleontologia (SPdP) e pela empresa Chronosurveys. O trabalho, publicado no Journal of Paleontology em março de 2022, anunciou a descoberta de duas novas espécies de pequenos moluscos marinhos de idade pliocénica em Portugal.

Tudo começou no final dos anos 90, quando Carlos Marques da Silva estava a desenvolver o seu doutoramento centrado nos fósseis de moluscos gastrópodes pliocénicos de Portugal. Nessa altura decorriam trabalhos de recolha de sedimentos, numa jazida paleontológica na região do Pombal, que foram utilizados como base para o seu trabalho de amostragem destes fósseis.

No decorrer deste trabalho, o investigador conta que se deparou com exemplares fósseis de outros grupos de moluscos, nomeadamente poliplacóforos, também conhecidos como quítones. Entre os cerca de 40 fósseis recolhidos, em 2003, foi identificada uma nova espécie, que Carlos Marques da Silva e Bruno dell´Angelo, investigador da Societá Italiana di Malacologia, nomearam Ischnochiton zbyi.

Desde aí, os trabalhos em jazidas da região do Pombal intensificaram-se, tendo permitido aos investigadores recolher mais amostras de sedimentos, nas quais foram encontrados cerca de 2800 exemplares de plaquinhas dorsais isoladas (ou valvas) de quítones. Como resultado desta extensa amostragem, em 2022 foram identificadas duas novas espécies, até então desconhecidas para a ciência - Lepidochitona rochae e Ischnochiton loureiroi.

Para este trabalho contribuiu também Bernard Landau, investigador do Naturalis Biodiversity Center de Leiden e colaborador do IDL, que continuou a trabalhar em jazidas pliocénicas da região do Pombal após o seu doutoramento em Geologia, na Ciências ULisboa.

O Prémio Paleontologia e Estratigrafia de Portugal é atribuído anualmente e destina-se a galardoar artigos ou teses de licenciatura, mestrado ou doutoramento de excelência, no domínio da Paleontologia e Estratigrafia. O prémio de 2023 foi entregue durante o II PaleoPT, o segundo encontro anual da SPdP, que se realizou no dia 28 de outubro, na Lourinhã.

 

Carlos Marques da Silva fala sobre o processo que levou à descoberta das novas espécies.

 

Carlos Marques da Silva fala sobre a atribuição do prémio.

“É sem dúvida uma honra e uma grande alegria ver o nosso trabalho reconhecido.”
Carlos Marques da Silva

pessoas a vencer o premio e a menção honrosa
Nesta edição foi atribuído um prémio e uma menção honrosa, referente a trabalhos publicados em 2022
Fonte Francisco Costa | SPdP

Estudar o passado para entender o presente e precaver o futuro

Atualmente Carlos Marques da Silva continua a trabalhar na área, juntamente com Bernard Landau, realizando trabalhos de campo por todo o mundo, e tendo como foco o estudo dos fósseis de moluscos gastrópodes. Partindo da análise da sua paleobiodiversidade, os investigadores procuram perceber de que forma estes organismos se foram distribuindo pelo planeta ao longo do tempo, e de que forma esta distribuição se relaciona com as alterações climáticas, ocorridas em vários períodos desde a formação do planeta.

“Numa altura em que estamos todos preocupados com a questão das alterações climáticas (e bem!), é fundamental saber o que aconteceu no passado, para avaliar o que está a ocorrer na atualidade e tentar perceber quais as consequências dessas alterações no futuro.”
Carlos Marques da Silva

Marta Tavares, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora do Departamento de Biologia Vegetal (DBV) de CIÊNCIAS e líder do grupo Fruit Functional Genomics & Biotechnology (FFGB), visitou a Escola Secundária de Carcavelos no dia 23 de maio, quinta-feira, para assistir à apresentação de um trabalho de alun

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Páginas