Oportunidades e desafios na gestão de precisão e prevenção inteligente das doenças infecciosas

Case study RESISTIR

Projeto RESISTIR visa apoiar e implementar novos sistemas de medicina preditiva, personalizada, preventiva e participativa

Ciências ULisboa e a Maxdata Software apresentam a 26 de setembro, entre as 14h00 e as 17h45, na sala de atos, no edifício C6, os principais resultados do RESISTIR

RESISTIR

A análise de impacto económico e social efetuada durante o projeto sugere que esta problemática tenha afetado diretamente mais de 55.000 pessoas de um universo de 623.000 pessoas, originando mais de 70.000 dias de hospitalização excedentária e um custo superior a 26 M€ por ano para as unidades de saúde associadas ao projeto.

“Identificámos mais de cem casos em que não houve qualquer terapêutica eficaz disponível para controlo das infeções. Por cada ano de estudo foi estimado um custo médio de 989 anos de vida devido a óbitos associados às infeções e resistência aos antibióticos. É efetivamente um problema real que afeta o cidadão no presente, com consequências concretas para o nosso futuro próximo. Apenas com um firme compromisso social entre os cidadãos e as entidades gestoras da saúde pública, será possível juntos combatermos e vencermos esta batalha”, comenta o porta-voz do consórcio.

Ciências ULisboa e a Maxdata Software apresentam a 26 de setembro, entre as 14h00 e as 17h45, na sala de atos, no edifício C6, no campus da Faculdade, os principais resultados do RESISTIR. O projeto, iniciado em abril de 2016 e cofinanciado pelo Portugal 2020, visa apoiar e implementar novos sistemas de medicina preditiva, personalizada, preventiva e participativa e insere-se num consórcio que junta o BioISI - Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas, o LaSIGE - Laboratório de Sistemas Informáticos de Grande Escala; entidades empresariais na área de eHealth, sob coordenação da Maxdata Software e diversas instituições de saúde, como é o caso do Centro Hospitalar Lisboa Norte.

José Artur Paiva, diretor clínico do Centro Hospitalar de São João e Carlos Neves Martins, CEO do Idealmed Muscat Hospital no Sultanato de Omã e anterior presidente do Centro Hospitalar de Lisboa Norte, são alguns dos oradores do encontro RESISTIR, de acesso público mediante inscrição prévia.

“A execução do projeto excedeu todas as nossas expetativas e os objetivos propostos inicialmente. Quando desenhámos o projeto estávamos cientes do enorme desafio, riscos e complexidade tecnológica necessária para atingir os objetivos propostos. Criámos uma equipa multidisciplinar, e optámos por desenvolver um sistema praticamente de raiz em vez de adaptar plataformas existentes para os nossos objetivos. A execução do projeto foi altamente intensiva, com mais de 35 mil horas de trabalho e mais de um milhão de linhas de código produzidas pela equipa. Sem dúvida que esta abordagem intensiva e multidisciplinar foi uma enorme mais-valia, permitindo criar diversas soluções inovadoras de uma forma integrada para os principais pontos críticos do processo de produção de conhecimento nesta área. Foi inestimável a base de conhecimento que tivemos oportunidade de criar com os nossos parceiros, permitindo agregar informação curada de múltiplas fontes, desde dados demográficos, clínicos, científicos, e até informação meteorológica”, conta Ricardo Dias, investigador de Ciências ULisboa, coordenador do RESISTIR e porta-voz do consórcio.

Para a consórcio, o RESISTIR é um exemplo de transferência de tecnologia de sucesso, resultante das sinergias entre o conhecimento científico da Faculdade nas áreas da microbiologia, epidemiologia, bioinformática e sistemas inteligentes e a experiência de desenvolvimento de sistemas de informação hospitalares/laboratoriais da Maxdata, alicerçado nas necessidades e objetivos dos parceiros clínicos do consórcio alargado. O objetivo futuro passa também pela internacionalização do RESISTIR e pela produção de uma nova geração de soluções na área do conhecimento de precisão.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido recentemente pela Faculdade, o RESISTIR atingiu resultados de elevado impacto e qualidade. “O sistema permite a consciencialização e avaliação em tempo real do estado epidemiológico da unidade de saúde, como da sua área de influência. Destacam-se o desenvolvimento de métodos para a identificação automática e personalizada, ao nível do paciente e caso clínico, do nível de risco de desenvolvimento de infeção durante a estadia e a readmissão hospitalar; a criação de um sistema de sinalização do risco de desenvolvimento de resistência orientado para o paciente (patient-oriented), com funcionamento em curto espaço de tempo; e a capacidade de monitorização e alerta em curto espaço de tempo (minutos em vez de dias ou semanas), de surtos de origem hospitalar ou comunitária na área de influência hospitalar da unidade de saúde”, exemplifica Ricardo Dias, que acrescenta ainda que “as características diferenciadoras do projeto RESISTIR, colocam-no como um projeto altamente inovador na área da medicina de precisão, não existindo presentemente comparação no mercado internacional”.

“Esta problemática só poderá ser controlada com o compromisso, a colaboração e envolvimento de todos os stakeholders: cientistas, doentes, médicos, farmacêuticos, unidades de saúde, órgãos de governança públicos e privados.”
Ricardo Dias

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Prémio SAHFC 2012 - Marta Macedo

Prémio SAHFC

  A Comissão Executiva da Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências (SAHFC) atribui a anualmente o Prémio SAHFC.

O Grupo de Surdez do BioFIG-FCUL, coordenado por Graça Fialho, já analisou cerca de 400 famílias portuguesas afetadas com surdez hereditária. A primeira tese de doutoramento realizada em Portugal na área da genética da surdez foi defendida em 2012, na UL, por Tiago Matos.

Anfiteatro da FCUL

Cerca de 100 alunos de 15 escolas secundárias da zona de Lisboa participaram na 9.ª edição da ação de divulgação da Física de Partículas.

“Portugal é o principal destino dos estudantes brasileiros de graduação bolsistas do Programa Ciência sem Fronteiras.

“Acho que este tipo de ações é bastante útil porque, nesta altura, precisamos de todas as informações possíveis para podermos fazer uma escolha certa”, declara Maria Buzaglo, aluna do 12.º ano, a frequentar o curso de Ciências e Tecnologias na Escola Secundária de Pedro Nunes.

Alunos no átrio do C3

O Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional organizou uma sessão de acolhimento aos cerca de 30 novos alunos de mobilidade para o 2.º semestre.

Em 2000, a UL atribuiu o título de doutor honoris causa a Laurens de Haan. Em 2013, outro gigante dos Extremos, Ross Leadbetter, honrará a UL ao aceitar a mesma distinção. Quando a universidade honra investigadores desta importância está também a honrar-se.

O Departamento de Matemática da FCUL e o CMAF organizam dois mini-cursos de Sistemas Dinâmicos de 17 a 24 de Abril 2013. Os oradores serão Rafael Ortega da Universidade de Granada e Pedro Miguel Duarte do DM da FCUL.

Gulf Labor Markets and Migration Program (GLMMP), a joint program of the European University Institute (EUI - Florence) and the Gulf Research Center (GRC - Jeddah, Geneva, Cambridge), seeks two Research Assistants (Demographer/Statistician and Lawyer).

Rosto de Vanda Brotas

Estudar a clorofila, único parâmetro biológico visível do espaço, constitui uma ferramenta essencial para se perceber se o clima está a mudar. Este artigo foi publicado no jornal "Público" no passado dia 16 de fevereiro.

Servidor da FCUL

As ações de modernização e de alargamento do Centro de Dados da FCUL ocorreram no verão de 2012. A Unidade de Informática continua a apostar na renovação das condições tecnológicas do campus.

Ilustração de animais

A Âncora Editora define-se como uma editora generalista, que tem vindo a dedicar-se, sobretudo, à publicação de autores portugueses. Até agora A. M. Galopim de Carvalho é o autor com o maior número de livros editados.

O projecto de investigação NAADIR que envolve a Faculade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa e a Faculdade de Ciências da Universidade de L

Átrio do C6

Para os SASUL ainda é prematuro avaliar o Programa Alimentação UL, cujo orçamento se estima ser na ordem dos 192.000,00 €.

Iain Mattaj, diretor-geral do EMBL

“Estou impressionado com a energia que existe na Faculdade e o número de pessoas que aqui trabalham. Acho que estão bem organizados para trabalhar em equipa!”, declara Iain Mattaj, diretor-geral do European Molecular Biology Laboratory, depois de visitar alguns dos laboratórios da FCUL.

Logotipo da inicativa Programa Alimentação UL

O Menu Estudante custa 2,40€ e inclui sopa, prato principal, sobremesa, pão e bebida. A partir de fevereiro o Espaço Estudante, localizado no edifício C6, também vai dispor de micro-ondas permitindo dessa forma o aquecimento de refeições.

Ester Luísa Rodrigues Dias, professora jubilada do extinto Departamento de Educação da FCUL, faleceu no dia 11 de fevereiro de 2013.

Mulher simula manobra de socorrismo

As ações de formação e de sensibilização em segurança e saúde do trabalho procuram divulgar conhecimentos teóricos e práticos de maneira a prevenir acidentes de trabalho e doenças profissionais, permitindo também  intervenções eficazes e eficientes em casos de emergência.

Sala de aula com alunos sentados e tomando notas

"Os estudantes da FCUL, incluindo os estudantes de licenciatura, dispõem do background e conhecimentos certos para participar nestes módulos", esclarece Nathalie Gontier, coordenadora do laboratório AppEEL e das respetivas Escolas de Inverno e de Verão.

Rosto de Vera Carvalho

As inscrições para o programa Erasmus terminam a 10 de fevereiro. Se tens interesse neste programa de mobilidade conhece a história de Vera Carvalho, aluna Erasmus na Dinamarca.

Pormenor de obra de arte

Para os fundadores do AppEEL, este laboratório pode ser considerado o primeiro centro no mundo a reunir investigadores que estudam a evolução sociocultural a partir das teorias que formam parte da Síntese Expandida.

 

O Departamento de Matemática recebeu ontem, dia  4 de Fevereiro, cerca de 70 alunos (9º ano) do  Agrupamento de Escolas D. Miguel de Almeida - Abrantes.

Páginas