Oportunidades e desafios na gestão de precisão e prevenção inteligente das doenças infecciosas

Case study RESISTIR

Projeto RESISTIR visa apoiar e implementar novos sistemas de medicina preditiva, personalizada, preventiva e participativa

Ciências ULisboa e a Maxdata Software apresentam a 26 de setembro, entre as 14h00 e as 17h45, na sala de atos, no edifício C6, os principais resultados do RESISTIR

RESISTIR

A análise de impacto económico e social efetuada durante o projeto sugere que esta problemática tenha afetado diretamente mais de 55.000 pessoas de um universo de 623.000 pessoas, originando mais de 70.000 dias de hospitalização excedentária e um custo superior a 26 M€ por ano para as unidades de saúde associadas ao projeto.

“Identificámos mais de cem casos em que não houve qualquer terapêutica eficaz disponível para controlo das infeções. Por cada ano de estudo foi estimado um custo médio de 989 anos de vida devido a óbitos associados às infeções e resistência aos antibióticos. É efetivamente um problema real que afeta o cidadão no presente, com consequências concretas para o nosso futuro próximo. Apenas com um firme compromisso social entre os cidadãos e as entidades gestoras da saúde pública, será possível juntos combatermos e vencermos esta batalha”, comenta o porta-voz do consórcio.

Ciências ULisboa e a Maxdata Software apresentam a 26 de setembro, entre as 14h00 e as 17h45, na sala de atos, no edifício C6, no campus da Faculdade, os principais resultados do RESISTIR. O projeto, iniciado em abril de 2016 e cofinanciado pelo Portugal 2020, visa apoiar e implementar novos sistemas de medicina preditiva, personalizada, preventiva e participativa e insere-se num consórcio que junta o BioISI - Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas, o LaSIGE - Laboratório de Sistemas Informáticos de Grande Escala; entidades empresariais na área de eHealth, sob coordenação da Maxdata Software e diversas instituições de saúde, como é o caso do Centro Hospitalar Lisboa Norte.

José Artur Paiva, diretor clínico do Centro Hospitalar de São João e Carlos Neves Martins, CEO do Idealmed Muscat Hospital no Sultanato de Omã e anterior presidente do Centro Hospitalar de Lisboa Norte, são alguns dos oradores do encontro RESISTIR, de acesso público mediante inscrição prévia.

“A execução do projeto excedeu todas as nossas expetativas e os objetivos propostos inicialmente. Quando desenhámos o projeto estávamos cientes do enorme desafio, riscos e complexidade tecnológica necessária para atingir os objetivos propostos. Criámos uma equipa multidisciplinar, e optámos por desenvolver um sistema praticamente de raiz em vez de adaptar plataformas existentes para os nossos objetivos. A execução do projeto foi altamente intensiva, com mais de 35 mil horas de trabalho e mais de um milhão de linhas de código produzidas pela equipa. Sem dúvida que esta abordagem intensiva e multidisciplinar foi uma enorme mais-valia, permitindo criar diversas soluções inovadoras de uma forma integrada para os principais pontos críticos do processo de produção de conhecimento nesta área. Foi inestimável a base de conhecimento que tivemos oportunidade de criar com os nossos parceiros, permitindo agregar informação curada de múltiplas fontes, desde dados demográficos, clínicos, científicos, e até informação meteorológica”, conta Ricardo Dias, investigador de Ciências ULisboa, coordenador do RESISTIR e porta-voz do consórcio.

Para a consórcio, o RESISTIR é um exemplo de transferência de tecnologia de sucesso, resultante das sinergias entre o conhecimento científico da Faculdade nas áreas da microbiologia, epidemiologia, bioinformática e sistemas inteligentes e a experiência de desenvolvimento de sistemas de informação hospitalares/laboratoriais da Maxdata, alicerçado nas necessidades e objetivos dos parceiros clínicos do consórcio alargado. O objetivo futuro passa também pela internacionalização do RESISTIR e pela produção de uma nova geração de soluções na área do conhecimento de precisão.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido recentemente pela Faculdade, o RESISTIR atingiu resultados de elevado impacto e qualidade. “O sistema permite a consciencialização e avaliação em tempo real do estado epidemiológico da unidade de saúde, como da sua área de influência. Destacam-se o desenvolvimento de métodos para a identificação automática e personalizada, ao nível do paciente e caso clínico, do nível de risco de desenvolvimento de infeção durante a estadia e a readmissão hospitalar; a criação de um sistema de sinalização do risco de desenvolvimento de resistência orientado para o paciente (patient-oriented), com funcionamento em curto espaço de tempo; e a capacidade de monitorização e alerta em curto espaço de tempo (minutos em vez de dias ou semanas), de surtos de origem hospitalar ou comunitária na área de influência hospitalar da unidade de saúde”, exemplifica Ricardo Dias, que acrescenta ainda que “as características diferenciadoras do projeto RESISTIR, colocam-no como um projeto altamente inovador na área da medicina de precisão, não existindo presentemente comparação no mercado internacional”.

“Esta problemática só poderá ser controlada com o compromisso, a colaboração e envolvimento de todos os stakeholders: cientistas, doentes, médicos, farmacêuticos, unidades de saúde, órgãos de governança públicos e privados.”
Ricardo Dias

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Crianças dos 5 aos 9 anos descobrem as Ciências na FCUL

A FCUL abriu as portas do conhecimento aos alunos do Colégio Infantes de Portugal, de Palmela. Durante uma manhã, os laboratórios de Biologia e de Química e Bioquímica foram explorados por cerca de 20 crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 9 anos.

Encontra-se aberto concurso externo para o Banco de Portugal - Departamento de Supervisão Prudencial, com vista ao preenchimento de vagas de Técnico Superior para a área de supervisão

“A inovação é tipo ‘ovo de Colombo’, depois de se saber, parece fácil. Só que ‘saber’ significa um longo caminho de amadurecimento do conhecimento”, declara Maria Filomena Camões, docente do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, a propósito da atribuição da Bolsa Europeia de Excelência de Investigação.

A. M. Galopim de Carvalho num dos geoparques

O pioneiro da Geoconservação em Portugal sente-se agradado pelo reconhecimento dos mais de 20 anos de serviço em prol da preservação e salvaguarda dos geoparques, considerando o tributo um importante incentivo para a defesa territorial, para a promoção da geodiversidade e para o desenvolvimento sustentável baseado no património geológico.

Isaac Carrêlo e Rita Almeida, alunos do curso de Engenharia e Energia do Ambiente e Eva Barrocas, do curso de Biologia, viajaram até Cabo Verde para fazer parte da equipa Turtle Foundation. Durante um mês de experiências intensas, protegeram tartarugas e levaram os ensinamentos apreendidos na FCUL até à comunidade local.

Mapa

O Memorando de Entendimento celebrado com Portugal estabelece oito áreas programáticas para a respetiva alocação de verbas para 2009/2014. A abertura de concursos para Portugal deve acontecer ainda este ano.

Palestra por Jennifer de Jonge

Centro de Biotecnologia Vegetal/IBB

Evolução Tecnológica e o Cadastro Territorial Multifinalitário no Brasil

VicenTuna anima Sessão de Boas-vindas

Receber os novos alunos numa sessão de boas-vindas é uma das tradições da FCUL. Agora, o espírito da cerimónia pode ser conhecido pela voz dos profissionais e alunos que fizeram parte da última sessão, através de uma reportagem multimédia presente na página do YouTube da Faculdade, bem como na pasta de vídeos do Facebook.

Pormenor de obra de arte

Atualmente, o antigo aluno da FCUL é post-doc na Universidade Federal do Rio Grande - Fundação Universidade do Rio Grande, no Brasil, sendo responsável por projetos na área da Biologia Antártica – Biologia Polar.

Miguel Ramos

Miguel Ramos, professor do Departamento de Matemática da FCUL, faleceu esta quinta-feira, dia 3 de janeiro. O corpo será velado no dia 5 de janeiro, entre as 17h00 e as 24h00, na Capela da Igreja das Furnas, em São Domingos de Benfica, assim como no dia 6 de janeiro, a partir das 12h00, seguindo-se a missa pelas 15h00. A cerimónia de cremação ocorre no Cemitério dos Olivais.

Miguel Ramos (1963-2013)

Estão disponíveis os calendários de exames do 2º ciclo para as seguintes áreas:

- Mestrados de Engenharia Geográfica e SIG

Repórter e câmara de filmar

Após as palavras , chegam os sons e as imagens  do dia em que a FCUL voltou a fazer parte da “Rota das Vocações de Futuro” da associação EPIS. A reportagem está disponível na página do YouTube da Faculdade, bem como na pasta de vídeos do Facebook.

 

O histórico de aluno no Portal da FCUL foi atualizado e renovado.

Relembramos que pode utilizar os vários meios ao dispor para deixar comentários ou sugestões sobre os serviços da FCUL.

Bruno Almeida, doutorado em História das Ciências pela Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL e membro do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, ganha "Prémio Cultura 2012" atribuído pela Sociedade de Geografia de Lisboa.

Alunos informam-se sobre programas de mobilidade internacional

“É uma grande oportunidade que estou a ter, a Faculdade dá um grande apoio aos alunos. (…) Estou a gostar do convívio com os colegas, das aulas, das disciplinas e da cultura portuguesa”, sublinha Daniel Martins, aluno oriundo do Brasil a estudar Biologia na FCUL.

Pela 2.ª vez, o Dia Internacional proporcionou a divulgação de programas de mobilidade internacional junto dos alunos, esclarecendo dúvidas e curiosidades. Durante o acontecimento, trocaram-se experiências, conheceram-se hábitos e tradições de diferentes países e, acima de tudo, enalteceu-se o espírito de convívio em ambiente "além-fronteiras".

Candidaturas para Base de Recrutamento de Professores Auxiliares Convidados do DF

“MARAVILHAR-SE: reaproximar a criança da Natureza” 

Páginas