Entrevista com Elisabete Malafaia

“Sejam persistentes”

Descoberto em Portugal um dos dinossáurios carcarodontossáurios mais antigo

Sequência de vértebras caudais do exemplar de dinossáurio terópode

Sequência de vértebras caudais do exemplar de dinossáurio terópode durante os trabalhos de escavação em 2003 na jazida de Cambelas

Reconstituição da disposição dos ossos fossilizados do pé direito do exemplar de dinossáurio terópode da jazida paleontológica de Cambelas
Reconstituição da disposição dos ossos fossilizados do pé direito do exemplar de dinossáurio terópode da jazida paleontológica de Cambelas
Fonte Journal of Paleontology

A paleontóloga Elisabete Malafaia, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL) de Ciências ULisboa e da Faculdade de Ciências da Universidade Nacional de Educação à Distância de Madrid (UNED), em Espanha, é a primeira autora do artigo publicado recentemente na edição online da prestigiada revista internacional Journal of Paleontology e que apresenta os resultados do estudo referente ao conjunto de fósseis do dinossáurio terópode, descoberto em rochas datadas do final do Jurássico, na região de Torres Vedras.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido esta quinta-feira, o conjunto de fósseis do dinossáurio carnívoro indica a presença de carcarodontossáurios no Jurássico Superior de Portugal há 145 milhões de anos. Os membros deste grupo são no final do Cretácico, mais de 50 milhões de anos depois, os superpredadores dos continentes do sul.

A investigação decorreu, na sua maior parte, durante o doutoramento de Elisabete Malafaia, que após o mestrado em Geologia, ingressou em 2013 no doutoramento em Geologia, especializando-se em Paleontologia e Estratigrafia, em Ciências ULisboa, em novembro do ano passado. A Fundação para a Ciência e a Tecnologia financiou a investigação, que contou com a colaboração de uma equipa internacional de paleontólogos do IDL Ciências ULisboa e do Grupo de Biologia Evolutiva da UNED.

O exemplar descoberto nas arribas da Praia de Cambelas, da freguesia de São Pedro da Cadeira, em Torres Vedras, em 2002 e escavado nesse ano e no ano seguinte, está depositado na coleção paleontológica da Sociedade de História Natural e representa um dos registos mais recentes destes dinossáurios no Jurássico Superior de Portugal.

Os resultados desta investigação permitem conhecer melhor a evolução inicial deste grupo de dinossáurios terópodes e são uma importante evidência para entender a sua dispersão durante o Jurássico Superior na Laurásia.

Na entrevista a seguir apresentada, Elisabete Malafaia deixa alguns conselhos a quem quer seguir uma carreira nesta área, que sempre a fascinou.

Elisabete Malafaia
Elisabete Malafaia
Fonte IDL Ciências ULisboa

Como foi trabalhar com este grupo?

Elisabete Malafaia (EM) - Colaboro com este grupo de investigadores há vários anos em diferentes estudos sobre o registo fóssil de Portugal. Tem sido uma colaboração muito benéfica e gratificante.

Quais são os próximos passos da equipa?

EM - Continuamos com o estudo de diferentes registos fósseis de vertebrados, sobretudo em Portugal e Espanha.

O exemplar vai estar exposto ao público?

EM - O exemplar integrou uma exposição que esteve patente no Museu Municipal Leonel Trindade, em Torres Vedras em 2013/2014 e no Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa em 2016/2017. Atualmente os fósseis deste exemplar estão depositados na coleção da Sociedade de História Natural, mas poderão vir a integrar uma futura exposição.

Porque é que escolheu esta área de investigação?

EM - Escolhi esta área porque desde sempre tenho um fascínio por dinossáurios. Queria compreender como eram estes animais e os ambientes em que viviam, como é que interagiam com outros organismos e como foi a sua evolução. 

Que conselhos deixa aos jovens que queiram enveredar por este ramo da Geologia?

EM - Atualmente a perspetiva de trabalho em Paleontologia não é muito animadora. É uma área com uma grande precariedade profissional (como acontece, infelizmente, a outros ramos de ciências) mas apesar disso é muito compensador. O conselho que deixaria aos jovens que pensam enveredar por trabalhar em Paleontologia é que sejam persistentes e que comecem a pensar na carreira profissional que querem seguir logo desde os primeiros anos de faculdade porque como é uma área muito competitiva o curriculum vai ser determinante.


Aspeto dos trabalhos durante uma das fases de escavação, em 2003, na jazida paleontológica de Cambelas

Scripta manent.
O que se escreve, fica, permanece.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Carlos Miguel Farinha, bioquímico docente do DQB e investigador do BioFIG , foi premiado em junho com o Romain Pauwels Research Award, atribuído pela European Respiratory Society.

 

2ª fase de candidaturas:  15 a 22 de Julho.

O mestrado em Matemática para Professores é uma excelente oportunidade para consolidar,  recordar e aprender muitos temas relacionados com a matemática escolar.

No dia 12 de Julho foram feitas as apresentações de quatro trabalhos feitos no âmbito da disciplina de Projecto em Matemática para o Ensino do Mestrado em Matemática para Professores.

A Universidade de Lisboa e a Fundação Amadeu Dias estão a atribuir bolsas aos alunos de 1º Ciclo de qualquer área do saber, leccionado na Universidade de Lisboa e que já tenham concluído o 1.º ano curricular, ou alunos que frequentem&n

Em 18 anos, o Programa de Estímulo à Investigação premiou 34 jovens investigadores e 19 instituições da Universidade de Lisboa. Na última edição, dos oito premiados, três são jovens cientistas da FCUL. As candidaturas à próxima edição decorrem até 21 de setembro.

Cartaz do Seminário

No dia dia 16 de Julho, pelas 11H00, na sala 6.4.30, realizar-se-á um Seminário organizado pelo Centro de Investigação Operacional com o título 'Lagrangian-Based Branch-and-Bound for Two-Echelon Uncapacitated Facility Location with Single Assignment Cons

Os resultados das experiências ATLAS e CMS divulgados recentemente pelo CERN, também foram apresentados publicamente na FCUL, numa sessão organizada pela professora do Departamento de Física Amélia Maio, a responsável pela participação portuguesa na experiência ATLAS.

Apresentações dos Projectos de Física dia 19 de Julho, às 10h, na sala 8.2.17:

O que faz o profissional que passa os seus dias no laboratório? E quem se dedica a resolver equações ou a estudar animais e plantas? Cinquenta alunos da associação EPIS descobriram as respostas a estas e a outras questões.

Servidor da FCUL

O projeto de reestruturação do Centro de Dados da FCUL, iniciado em junho, deverá estar concluído no próximo mês de setembro.

Duas pessoas fazem uma experiência no laboratório

A Faculdade de Ciências abre as portas dos seus laboratórios a 50 jovens, vindos de diferentes pontos do País, para mais uma edição da “Rota das Vocações de Futuro” da EPIS.

Apesar de ser uma das áreas mais recentes da FCUL, atualmente é uma vertente da ciência portuguesa em franca expansão.

“Um trabalho que reflita sobre o passado de uma instituição, ou o passado da ciência em Lisboa ou em Portugal, é sempre algo de muito importante para repensarmos o nosso trajeto”. A afirmação feita pela historiadora das ciências, Ana Simões, a propósito de um dos muitos projetos em curso é reveladora da importância, que a preservação do património científico tem na sua vida.

Kostas Gavroglu e Ana Simões assinam o primeiro livro “Neither Physics nor Chemistry: A History of Quantum Chemistry” sobre a emergência da disciplina Química Quântica, o pretexto ideal para conversar com a autora portuguesa.

O Grupo Azevedos oferece estágio profissional remunerado a recém licenciado na área da Estatística ou Matemática. Os interessados devem enviar a candidatura para

A edição deste ano d´O Botânico, uma revista propriedade da Associação Íbero-Macaronésica de Jardins Botânicos já se encontra online.

O Centro de Informática migrou todo o sítio antigo para o novo Portal da FCUL.

O Centro de Informática colocou em produção, durante a ultima semana de Maio, um equipamento de rede central na arquitectura de comunicações da FCUL.

Na Licenciatura em Matemática (LM) da FCUL, o leque de opções do 3º ano da LM foi alargado e passou a incluir as seguintes disciplinas, que estarão já disponíveis no ano lectivo de 2012/13:

 

 

Em exibição no:

MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA

1 de Junho de 2012 a 28 de Abril de 2013

 

 

Os cadernos e as comissões eleitorais estão publicitados no portal da FCUL, assim como o Despacho D/101/2012, que integra o calendário de eleições.

A eleição do Presidente do Departamento de Física  terá lugar de 3 a 5 de Julho de 2012

Comissão Eleitoral

Informações úteis:

Constituição da Comissão Eleitoral

Páginas