Prémio Científico ULisboa/CGD 2019: Cláudio M. Gomes

“A promoção e reconhecimento da qualidade da investigação científica tem um impacto muito positivo dentro e fora da própria Universidade”

Rede de formação avançada na área da biotecnologia e biomedicina de amilóides pode estar para breve

Agregação amilóide na doença de Alzheimer e mecanismos neuronais de proteção

Agregação amilóide na doença de Alzheimer e mecanismos neuronais de proteção

Imagem cedida por CMG

“Esta menção honrosa representa um importante reconhecimento da qualidade da investigação realizada no laboratório que coordeno no BioISI/FCUL. Estamos há cinco anos na ULisboa e tratando-se de um prémio que valoriza o impacto e a produção científica de qualidade especificamente em publicações com afiliação pela ULisboa, este reconhecimento tem um significado muito especial para mim e para a minha equipa, por valorizar o que aqui fizemos neste período.”
Cláudio M. Gomes

Cláudio M. Gomes
Cláudio M. Gomes
Imagem cedida por CMG

“Estou muito grato por este reconhecimento que nos impele a fazer mais e melhor”, conta Cláudio M. Gomes, professor do Departamento de Química e Bioquímica e investigador do BioISI - Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas, onde é vice-coordenador da linha temática Biomedicina, a propósito da menção honrosa que recebeu no âmbito dos Prémios Científicos Universidade de Lisboa (ULisboa)/Caixa Geral de Depósitos (CGD) 2019.

Para Cláudio M. Gomes os prémios científicos e as menções honrosas são iniciativas que reforçam a centralidade da investigação científica na Universidade e por isso são muito importantes numa instituição de ensino e de ciência como a ULisboa. “A promoção e reconhecimento da qualidade da investigação científica tem um impacto muito positivo dentro e fora da própria Universidade, também sobre os nossos alunos, pelo que estes investimentos têm rapidamente um retorno muito ampliado”, refere.

Cláudio M. Gomes é doutorado em Bioquímica e coordena o laboratório de investigação Protein Misfolding and Amyloids in Biomedicine, onde investiga aspetos da bioquímica estrutural de proteínas, doenças do enrolamento proteico e bioquímica da neurodegeneração.

Cláudio M. Gomes publicou 118 artigos científicos em revistas internacionais com +3500 citações e detém um índice h de 34 (Scopus). É membro do Conselho Pedagógico e leciona na licenciatura e no mestrado em Bioquímica, coordenando este último desde 2018.

O laboratório de Cláudio M. Gomes investiga de que forma as alterações bioquímicas e estruturais em proteínas se relacionam com doenças humanas, como a doença de Alzheimer. Nestas patologias ocorre uma alteração no processo de enrolamento tridimensional, que resulta na formação de proteínas disfuncionais ou em agregados. É o que acontece na doença de Alzheimer, em que a formação, no cérebro, de agregados amilóide formados pelas proteínas Tau e amilóide beta resulta em neurodegeneração. “Estas são duas das proteínas que estudamos, e, nos últimos cinco anos publicamos descobertas importantes relacionadas sobre a forma como estes processos de agregação amilóide são regulados ao nível bioquímico e molecular. A mais significativa terá sido a identificação de um novo mecanismo de proteção mediado por proteínas da resposta inflamatória, que atuam na sinapse onde se acumulam agregados proteicos, e que verificamos atrasarem a agregação amilóide e diminuírem a sua neurotoxicidade. Esta descoberta teve impacto na comunidade científica e até nos média, e constituiu um avanço importante para a compreensão da complexidade molecular e bioquímica da Doença de Alzheimer”, explica Cláudio M. Gomes.

Equipa de Cláudio M. Gomes
Cláudio M. Gomes e a sua equipa
Imagem cedida por CMG

A equipa de Cláudio M. Gomes investiga a formação vários tipos de amilóide e o modo de atuação das proteínas inibidoras, em modelos celulares, como ponto de partida para testes em animais modelo de Alzheimer; também estão a testar anticorpos desenvolvidos anteriormente, e que atuam sobre as proteínas reguladoras e sobre o processo de agregação. “Queremos compreender os mecanismos moleculares destes processos, dado que este conhecimento é vital para desenvolver terapias que possam evitar a agregação e mitigar a doença”, conta Cláudio M. Gomes acrescentando que estão muito empenhados em gerar avanços significativos nesta área. “É para mim um privilégio estar a coordenar os esforços de um consórcio internacional composto pelos maiores especialistas em amilóides e com a participação de empresas farmacêuticas globais, no sentido de obtermos financiamento europeu que nos permita, a médio prazo, estabelecer uma rede de formação avançada na área da biotecnologia e biomedicina de amilóides”, conclui.

“É para mim um privilégio estar a coordenar os esforços de um consórcio internacional composto pelos maiores especialistas em amilóides e com a participação de empresas farmacêuticas globais, no sentido de obtermos financiamento europeu que nos permita, a médio prazo, estabelecer uma rede de formação avançada na área da biotecnologia e biomedicina de amilóides.”
Cláudio M. Gomes

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A instalação de iluminação solar nas escolas remotas nas ilhas de São Tomé e Príncipe, perto do equador, na África Ocidental foi um dos objetivos deste projeto, que pretendeu contribuir para o aparecimento de um mercado local na área da energia solar fotovoltaica.

O modelo foi aplicado ao campus da FCUL mostrando que o aproveitamento da radiação solar nas fachadas dos edifícios permite duplicar o seu potencial solar.

A Qmetrics, SA, empresa de consultoria nas áreas de gestão, estudos de mercado e relacionamento com o cliente, oferece estágio profissional. O candidato deverá apresentar grau académico em

Apesar de já existir há dois anos e meio, numa altura do ano em que chegam à FCUL mais algumas centenas de novos alunos, é importante divulgar a existência do Sistema de Impressão da FCUL para alunos.

No âmbito da avaliação de unidades promovida em 2013 pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, o Centro de Matemática, Aplicações Fundamentais e

Oportunidades além-fronteiras

No decorrer do encontro entre a FCUL e o Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o professor João Graciano Mendonça Filho, responsável por este centro, em jeito de “convite” alertou: “O Brasil precisa de geólogos. Há falta de especialistas desta área no nosso país!”.

No dia 6 de Janeiro de 2014 a FCUL associa-se ao seu Departamento de Matemática para prestar homenagem à memória de Miguel Ramos, matemático e professor desta casa.

Concurso Externo - Estágios Profissionais Remunerados de Recém-Licenciados para Técnico Administrativo
REQUISITOS

Rita Zilhão

A participação interessada e com sucesso dos alunos, é um incentivo para a mobilidade académica de estudantes entre as duas universidades.

É já no próximo sábado mais uma Feira no Botânico. Não perca!

 

Para mais informações:

A principal missão do Departamento de Matemática é a da promoção do ensino e da investigação da Matemática, contribuindo para a criação e transmissão do conhecimento nesta área, bem como

Capa da Agenda FCUL 2012/2013

- Qual é coisa, qual é ela? É retangular e a cor varia normalmente todos os anos. Tem argolas e mais de 200 páginas. Pode-se usar todos os dias ou só em determinadas ocasiões. Sim, é fácil adivinhar! É a Agenda FCUL 2013/2014 e já “anda de mão em mão”…

Fórum Bolsas UL/FAD

“Numa época de crise e com falta de emprego, a solução por vezes é mais simples do que emigrar: criar o próprio emprego e gerar emprego. Este projeto "lançou-me" não só a nível académico (…) como profissional, estando neste momento a desenvolver uma empresa”, informou o antigo aluno do mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, Ricardo Santos.

 Mestrados do DEIO 2013-14

“Com um simples azulejo” é uma iniciativa do Departamento de Matemática da FCUL dirigida a alunos do 1ºciclo e 2ºciclo do Ensino Básico e destinada a explorar transformações geométricas no plano.

A experiência profissional da cientista iniciou-se na casa que a formou, a FCUL, em 1999, enquanto doutoranda. Nessa altura, exercia funções de investigadora e supervisora de projetos de alunos de licenciatura. Atualmente, o percurso profissional, “continua dentro de casa”.

Trial do Journal of Visualized Experiments

“ (…) Pretendo fazer investigação aplicada, em particular na área da Biotecnologia Vegetal, que possa contribuir para a sociedade e para a economia do país”, refere a investigadora da FCUL que acaba de lançar um artigo na “Food Chemistry, Ana Margarida Fortes.

Isabel Fraga Alves

A Teoria dos Valores Extremos e a Inferência Estatística daí decorrente, têm vindo a invadir de forma transversal um largo espectro de áreas aplicadas e que vão desde ciências ambientais às financeiras, numa interface din&aci

Livros e giz

Um programa alicerçado na preocupação do axiomatizar, que valoriza o “formalismo pelo formalismo”, que rejeita a possibilidade de compreensão de conceitos e procedimentos, dificulta a tarefa do professor, para além de se distanciar das orientações dos programas do Reino Unido, de Singapura e dos EUA.

No seguimento da nomeação de Carlos Nieto de Castro como delegado nacional no Domínio da Química e Ciências Moleculares, em março deste ano, esta é a primeira reunião a ter lugar no campus da FCUL, em Lisboa.

FCUL desenvolve inquérito a antigos alunos

Conhecer o percurso académico e profissional dos alunos alumni é um dos interesses de Ciências. Para isso, a Faculdade desenvolveu um inquérito que permanece ativo no portal.

Em 2012, a Universidade de Lisboa, através do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC), participou pela primeira vez na Noite

A extraordinária comunhão entre a Geometria e a Arquitectura… volta a ser este o mote de mais um Diálogo na Exposição Formas & Fórmulas, patente no Museu de História Natural e da Ciência (MUHNAC).

Na manhã de 16 de Setembro a partir das 8h45 vai realizar-se a Sessão de Boas Vindas aos novos alunos do Departamento de Informática.

Páginas