Opinião

A importância histórica da cartografia

Mão a segurar num telemóvel com o google maps em fundo

Muitos dos atuais serviços de localização, como o Google Maps, OpenStreetMap, Bing Maps, entre outros fazem uso da Web Mercator

Unsplash - Tamas Tuzes-Katai
Ana Cristina Navarro Ferreira
Ana Cristina Navarro Ferreira
Imagem cedida pela autora

Durante séculos, a cartografia permitiu a produção de mapas com a representação da superfície terrestre e o consequente conhecimento do mundo onde habitamos. Desde os mapas mais antigos, descobertos em pinturas rupestres, passando pela primeira tentativa de produção de mapas realistas por Ptolomeu no século II d.C., e pelos avanços dos árabes durante a Idade Média, decorreram centenas de anos até ser criada uma projeção cartográfica de toda a superfície terrestre. Tal ocorreu em 1569, com a publicação do primeiro Mapa Mundo de Mercator. A projeção cartográfica por ele definida mostrava as direções de rumo constante como linhas retas, caraterística essa que veio facilitar a navegação, sendo ainda hoje usada na cartografia náutica. Aliás, muitos dos atuais serviços de localização (Google Maps, OpenStreetMap, Bing Maps, e outros) fazem uso de uma variante desta projeção (a Web Mercator).

Os mais recentes desenvolvimentos da tecnologia utilizada na aquisição, produção, armazenamento, visualização e disseminação de informação geoespacial, em paralelo com o crescente papel da cartografia no dia-a-dia e em diversas áreas de aplicação (atividades económicas, sociais e ambientais), conduziram a um renascimento da cartografia (cartografia digital). Esta rápida transformação de mapas estáticos, em papel, para uma interface digital, interativa, móvel, dinâmica e colaborativa, permitiu um acesso mais facilitado a informação geoespacial e a sua rápida utilização para a monitorização e compreensão de diferentes fenómenos, proporcionando tomadas de decisão mais céleres.

A cartografia constitui, a par com a fotogrametria/deteção remota, a geodesia, a topografia e os sistemas de informação geográfica, um dos principais setores de atividade do engenheiro geógrafo/geoespacial, contribuindo para a produção de cartografia topográfica de base. Esta cartografia serve de suporte a outras áreas de atividade, nomeadamente em projetos de engenharia, tais como a construção de edifícios, pontes, e redes viárias, e no planeamento e ordenamento do território, para a elaboração de diversos instrumentos de gestão territorial.

Logotipo
Logotipo das comemorações

 

Ana Cristina Navarro Ferreira, professora DEGGE Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Aceitam-se candidaturas de docentes para inclusão numa  Bolsa de Recrutamento, para a Área de Finanças e Economia - Secção Autónoma de Estatística, d

FCUL promove cooperação com EMBL

A passagem do diretor-geral do EMBL pela FCUL, foi registada através de uma reportagem multimédia. Fique a saber mais sobre esta visita bem como os pormenores do evento “Molecular Biology in Portugal and EMBL”!

De 8 de Julho a 30 de Agosto as bibliotecas do C4 e C8 têm alteração nos horários de funcionamento

Doctorate in Applied and Engineering Physics

Programa Doutoral em Física Aplicada e Engenharia Física

Arthur Vieira, estudante do mestrado integrado em Engenharia Física e Emiliano Pinto, aluno de mestrado em Física Nuclear e Partículas, são os diretores da revista trimestral do Departamento de Física da FCUL e  que integra uma equipa editorial constituída por outros 16 discentes.

Challenge4you desafiou estudantes dos cinco aos vinte anos

“Aquilo que aqui aprendemos faz parte da cultura geral e todos nós devemos ter algumas ideias sobre o local onde estamos inseridos e sobre esta união de que todos fazemos parte e que tanto nos ajuda”. A declaração é da estudante e participante Adriana Pereira de 17 anos.

Para uma crítica das perspectivas recentes da União Europeia sobre o Ensino Superior

Recomendações para melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem.

Implicações no Quebramento do Gondwana e sua Correlação com as bacias da Margem Atlântico Sul e Atlântico Central

É crucial que estatísticos e investigadores em Ciências do Ambiente mantenham uma colaboração estreita, para que continuem a ser desenvolvidos métodos estatísticos e computacionais adequados que permitam dar resposta continuada aos desafios presentes e futuros.

Está disponível a edição de 2012 do JCR (Journal Citation Reports).

O trabalho de cinco investigadoras portuguesas foi distinguido no início de junho em Boston, nos EUA. O congresso mundial contou com mais de 800 cientistas de 50 países.

[Tec Labs]i – Potenciar a Inovação

“Os alunos da FCUL tiveram uma experiência única que não vão esquecer ao longo da sua vida académica e profissional”, denota Rui Ferreira, administrador do Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL.

Visita de Estudo à nova Universidade de Lisboa

“[Viveu-se um ambiente] muito propício ao debate onde o intercâmbio de ideias e de boas práticas foram muito gratificantes e uma mais-valia para os participantes e oradores do evento”, declarou Luísa Cerdeira, pró-reitora da Universidade de Lisboa e presidente do FORGES.

Álvaro de Campos

TABACARIA

O Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (DI-FCUL) vai organizar a 3 de julho deste ano a primeira edição do 

“Eu sempre gostei de fazer desenho geométrico e sempre me interessei pelos azulejos e seus painéis e pela calçada portuguesa pela sua beleza, pela arte, e porque têm potencialidades científicas, estéticas e didáticas praticamente ilimitadas”, conta o investigador do Grupo de Física-Matemática, distinguido recentemente com o Prémio Abordagem Inovadora “SOS Azulejo 2012”.

As bibliotecas do C4 e C8 têm horários alargados durante a época de exames de 1 a 29 de Junho.

Mestrados DBA 2013-2014

Investigadores do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour”

A equipa do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour” esteve reunida na FCUL, nos dias 21 e 22 de maio. Os investigadores avaliaram as ações em curso e discutiram alguns assuntos com a comunidade de end-users.

Jorge Manuel Ribeiro Rezende galardoado com o prémio “Abordagem Inovadora”

Intervenção na cerimónia de entrega dos Prémios 'SOS Azulejo' 2012:

Sessões dias 24 e 25 de junho 2013

"Gás de Xisto"?! Sim? Não? Porquê? Como? Onde?

Cerimónia de escritura do Instituto do Petróleo e do Gás

A transferência de conhecimento e tecnologia para a sociedade faz-se mediante o reforço das relações entre as comunidades científica e empresarial. Para J. M. Pinto Paixão, diretor da FCUL, esta é a oportunidade ideal para constituir parcerias suportadas no conhecimento e no exercício de uma cidadania plena.

Páginas