Obituário

Henrique Manuel da Costa Guimarães (1951-2022)

Última Revisão —
Henrique Guimarães
Henrique Guimarães (2014)
Imagem cedida por Luis Saraiva, editada pelo GJ/DCI Ciências ULisboa

O Henrique Guimarães faleceu a 17 de Agosto de 2022 e será lembrado com saudade pelos muitos de nós que com ele trabalharam, colaboraram ou privaram; pela sua simpatia, afabilidade, estima e disponibilidade para construir pontes. 

Henrique Manuel da Costa Guimarães nasceu em 1951, na Póvoa de Varzim. Licenciou-se em Engenharia Electrotécnica pelo Instituto Superior Técnico em 1974, doutorou-se em 2003 na especialidade de Didáctica da Matemática pela Universidade de Lisboa (ULisboa), foi professor de Matemática no Ensino Preparatório até ao ano lectivo de 1984/85, ingressando no ensino superior na Ciências ULisboa em 1985, como professor das disciplinas de Didáctica da Matemática nos cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento, tendo aí lecionado vários anos até à criação do Instituto de Educação da ULisboa.

Henrique Guimarães era professor associado aposentado no Instituto de Educação da ULisboa, membro do Conselho Geral do Seminário Nacional de História da Matemática (SNHM) desde 2008, membro e fundador da Associação de Professores de Matemática (sócio nº 3) e membro da Sociedade Portuguesa de Matemática (sócio nº 1304). Era especialista em investigação sobre o ensino da Matemática e a sua história, foi participante activo em inúmeras iniciativas em prol de um melhor ensino da Matemática, orientador de inúmeros professores estagiários e alunos de mestrado em ensino da Matemática, tarefa que algumas vezes tivemos o privilégio de desempenhar a seu lado como co-orientadores do Departamento de Matemática. Pelo trabalho e participação conjunta com muitos matemáticos, o Henrique demonstrou-nos que a colaboração entre duas comunidades com objectivos nem sempre coincidentes, a de matemáticos e a de educadores matemáticos, não é uma quimera. 

Como membros do SNHM, lembramos as duas excelentes exposições por ele organizadas no último Encontro Luso Brasileiro realizado em Portugal, em Óbidos em 2014, sobre a obra pedagógica de José Sebastião e Silva e sobre George Pólya, e igualmente a comunicação feita no 28º Encontro do SNHM em Mértola, em 2015, sobre Sebastião e Silva e a Gazeta de Matemática. Já afetado pela doença, fez o excelente cartaz do Encontro sobre Bento de Jesus Caraça e a Biblioteca Cosmos, que se realizou em 2019, organizado pela Associação Bento de Jesus Caraça, e que é a capa do livro das suas Actas, publicadas pela SPM em 2021. Igualmente apresentou no último Encontro do SNHM, em Gouveia, em Junho passado, a comunicação "Sebastião e Silva e o Seminário de Royaumont (1959) – para um currículo ‘moderno’ de Matemática", que o Luís Saraiva se encarregou de ler.

Durante todo o período da sua doença, que se arrastou por vários anos, com múltiplas e complicadas operações, o Henrique manteve uma visão realista e positiva do futuro, nunca tendo deixado de tentar fazer o que achava importante. A doença existia e era bem real, mas havia muita coisa mais importante que o motivava. 

Era uma pessoa de cultura, no sentido que Bento de Jesus Caraça lhe dá, tinha uma atitude crítica sobre tudo o que se nos depara na vida. Os seus interesses cobriam uma vasta paleta de assuntos, desde o desporto, o cinema, a música, a literatura, as artes plásticas, aos temas sociais e políticos.  Haveria muito a dizer sobre estes temas. Limitamo-nos a referir a sua paixão pela fotografia, tendo participado desde 1994 em exposições individuais e coletivas, em Portugal e no estrangeiro (Ucrânia e França).

Fazem falta pessoas como o Henrique Guimarães, cuja personalidade e valor se impunham em si, com suavidade, sem vaidades, sem ostentações, sem organizações por detrás a empolar a sua ação e valor, contando apenas com o seu trabalho; sempre com uma palavra amiga, sempre com uma sensata apreciação da situação analisada, por mais complexa e delicada que se apresentasse. 

É um exemplo que nos deve ficar de referência. Será sempre lembrado com saudade e carinho por todos os que o conheceram.

 

Agradecemos à professora Lurdes Figueiral os elementos que nos forneceu para completarmos esta nota.

Nota da redação: os autores não seguem o atual Acordo Ortográfico.

Luís Saraiva, Carlota Gonçalves e Maria João Gouveia, professores do DM Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Páginas