Geração de 1949: Carlos Nieto de Castro

Carlos Nieto de Castro

Em entrevista, Carlos Nieto de Castro diz que as empresas devem aproveitar o know how nacional para terem maior sucesso e criarem novos produtos e processos

GICD DCI Ciências ULisboa

“Todos os dias estamos a avançar no conhecimento.”
Carlos Nieto de Castro

Carlos Nieto de Castro chegou à Faculdade em 1982 com a missão de criar uma escola de Termodinâmica e Processos de Transporte. Em abril de 2019 jubilou-se. Ainda assim, o seu trabalho enquanto investigador continua: todos os dias úteis chega à Faculdade pelas 8h30/9h00.

“Quando vim para cá encontrei pessoas que ajudaram a criar dentro da faculdade as primeiras licenciaturas científico-tecnológicas”, diz, acrescentando que os estudantes de Química Tecnológica têm emprego garantido, apesar das empresas arriscarem muito pouco. “Ainda têm medo de empregar pessoas com doutoramento”, refere. Por isso, considera que “ainda há muito por fazer”, sendo necessário definir áreas estratégicas.

“Todos os dias estamos a avançar no conhecimento”, adianta. Para Carlos Nieto de Castro é muito importante defender a carreira académica.

Acredita que a mudança é que faz alterar o mundo e que os desafios atuais são enormes. Na sua opinião, nenhum país consegue sobreviver sem ter universidades competentes, com qualidade e com pessoas capazes de resolver os problemas nacionais e internacionais. Carlos Nieto de Castro diz ainda que as empresas devem aproveitar o know how nacional para terem maior sucesso e criarem novos produtos e processos. “O Governo deve apoiar o lançamento de empresas com incorporação de know how e tecnologia nacional”, comenta.

“O Governo deve apoiar o lançamento de empresas com incorporação de know how e tecnologia nacional.”
Carlos Nieto de Castro

Carlos Nieto de Castro
Em junho de 2022 foi eleito fellow da IAAM, como reconhecimento pela sua contribuição na área da termofísica de fluidos e materiais com aplicações energéticas
Fonte GICD DCI Ciências ULisboa

Em junho de 2022 foi eleito fellow da International Association for Advanced Materials (IAAM), como reconhecimento pela sua contribuição na área da termofísica de fluidos e materiais com aplicações energéticas. Na ocasião, proferiu a lição “Propriedades termofísicas de fluidos e materiais para aplicações energéticas. Do mundo macroscópico ao nanoscópico”, uma retrospetiva da sua carreira como investigador. Todo o trabalho do Grupo de Termofísica Molecular e Engenharia de Fluidos do Centro de Química Estrutural e dos seus colaboradores foram salientados nesta comunicação.

A IAAM é um partner fundamental da União Europeia (UE) para a área dos materiais e da energia. Trata-se de um stakeholder forte na definição de políticas de investigação e desenvolvimento da UE.

Nos últimos anos, a maior parte da investigação do seu grupo foi direcionada para pesquisas de ponta, que incluem líquidos iónicos, sais fundidos, nanomateriais, IoNanofluids e novos fluidos de engenharia.

“Uma das principais vantagens do nosso know-how é a possibilidade de implementar a fertilização cruzada destes campos de investigação para resolver problemas delicados, não só a nível molecular, mas também em possíveis aplicações industriais”, explica.

“Uma das principais vantagens do nosso know-how é a possibilidade de implementar a fertilização cruzada destes campos de investigação para resolver problemas delicados, não só a nível molecular, mas também em possíveis aplicações industriais.”
Carlos Nieto de Castro

Carlos Nieto de Castro apresenta exemplos, patenteados quando aplicável: Novos revestimentos espectralmente seletivos para tintas solares; desenvolvimento de novos nanofluidos de transferência de calor, tornando um coletor solar e permutadores de calor mais eficientes em termos energéticos obedecendo aos objetivos ambientais definidos pelo Agência Internacional de Energia; medição da viscosidade de novos sais fundidos e de meias para aplicações de alta tecnologia; medição da condutividade térmica do ar húmido para turbinas de alta pressão; desenvolvimento de sensores de película metálica para medições de alta temperatura in situ em incineradores.

Carlos Nieto de Castro nasceu a 28 de abril de 1949. Entre 1959 e 1966 foi aluno do Liceu Camões. António Guterres e António Rendas, bem com Luís Miguel Cintra e Nuno Júdice, só para mencionar alguns dos mais conhecidos, foram seus colegas de curso. No Liceu Camões descobriu a Física, a Química e a Química-Física, pela mão de uma das professoras mais extraordinárias que teve - Mariana Teles Antunes Pais Dias Fernandes - licenciada em Ciências Físico-Químicas, em 1958, na FCUL, felizmente ainda viva e com saúde. A diretora do Laboratório de Química, professora do 6.º e 7.º anos (atuais 10.º e 11. º), fundou em 1965, juntamente com José Augusto Teixeira, o Clube de Física e Química do Liceu Camões, o primeiro clube científico de Portugal. Às quartas-feiras à tarde e aos sábados de manhã faziam experiências e percebiam os fenómenos físicos e as reações químicas. Carlos Nieto de Castro recorda com carinho esses tempos e a sua professora. “Foi ela que me despertou para a Química e Física”, revela.

Em 1970 foi distinguido com o 2.º Prémio Phillips Jovens Investigadores. Em 2005 foi galardoado com o Prémio de Estímulo à Excelência na Investigação. Também recebeu a Medalha de Bons Serviços da ULisboa. Segundo o Stanford University Ranking, Carlos Nieto de Castro é um dos 2% de cientistas mais citados na área da Engenharia Química, subárea de Química-Física.

Entre 21 de abril e 18 de maio de 1965, decorreu na Praça de Espanha, em Lisboa, sob a égide da Comissão de Energia Atómica dos Estados Unidos da América, a exposição “Os átomos em ação”. A mostra dedicava-se a esclarecer os visitantes sobre a utilização da energia atómica para fins pacíficos. Carlos Nieto de Castro ficou impressionado. Quis estudar radioatividade e energia nuclear. “O meu grande sonho era ir estudar energia nuclear para os EUA, mas não havia condições”, declara. Pessoas amigas aconselharam o Instituto Superior Técnico (IST). E assim foi. Carlos Nieto de Castro entrou no IST em 1966: licenciou-se em Engenharia Química Industrial, em 1971, e doutorou-se em Ciências de Engenharia (Termodinâmica Química), em 1977.

Gostou de ser aluno do Técnico. Teve professores muitos bons, nomeadamente, Jorge Calado. Foi nessa altura que decidiu que queria estudar termodinâmica. “Foi ele que me ensinou as primeiras noções… Como é que passava das moléculas para o mundo macroscópico. Foi fundamental”, refere, mencionando também os dois estágios realizados – um de seis semanas numa refinaria de petróleo em França e outro no Laboratório de Física e Energia Nuclear. “Foi uma fase criativa extraordinária”, revela. Quando iniciou o doutoramento, em 1973, passou seis semanas, durante o verão, no Departamento de Engenharia Química do Imperial College of Science and Technology, em Londres, a convite do professor Sir William Wakeham, cosupervisor, com Jorge Calado, do seu doutoramento no IST e doutor honoris causa da ULisboa.

Carlos Nieto de Castro
Carlos Nieto de Castro nasceu a 28 de abril de 1949
Fonte Ciências ULisboa

Carlos Nieto de Castro conta que teve muita sorte em toda a sua vida, não só porque foi extremamente amado, como aproveitou algumas das oportunidades para fazer coisas novas.

"Como Fernando Pessoa dizia, nós somos fruto da intensidade do que nos acontece, dos momentos inesquecíveis e pessoas incomparáveis que nos rodeiam, o que no fundo, constrói a nossa memória.”
Carlos Nieto de Castro

Sempre foi um otimista, mas neste momento preocupa-se com a falta de respeito e ternura. “Nós devemos olhar os outros. Ouvi-los. Devemos dialogar e não é isso que muitas vezes sucede”, desabafa.

Na sua opinião é preciso parar a guerra. E cita o Papa Francisco: “Nós aprendemos em qualquer altura da vida, aprendemos a identificar aquilo que não queremos que continue a acontecer”. É por isso que diz que quando se perde a humildade, a ternura ou a capacidade de dar, ouvir e dialogar, não se vai a lado nenhum. "Como Fernando Pessoa dizia, nós somos fruto da intensidade do que nos acontece, dos momentos inesquecíveis e pessoas incomparáveis que nos rodeiam, o que no fundo, constrói a nossa memória”, conclui.

Carlos Nieto e Castro é um adepto entusiasta de futebol e futsal. Aprecia a RTP2 e os programas sobre animais e natureza, transmitidos pelo Odisseia e National Geographic e a CNN, no que respeita às notícias e debates sobre assuntos atuais. Tem cinco filhos, quatro netos e uma "esposa extraordinária". Sente-se grato e feliz.

Ana Subtil Simões, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Páginas