Opinião

Rir é mesmo o melhor remédio?

rapariga a rir

O humor é universal e, simultaneamente, subjetivo

GAPsi
Samuel Silva
Samuel Silva
Imagem cedida pelo autor

Por várias vezes ouvimos dizer que “rir é o melhor remédio”. Com base nesta premissa têm surgido vários projetos, como a Operação Nariz Vermelho, programas televisivos, como “Tabu”, e estratégias para lidar com situações assustadoras ou problemáticas. De facto, o humor é uma estratégia utilizada desde sempre pelo ser humano, aplicada tanto em situações quotidianas e banais, como em situações de intensa dor, seja física ou psicológica. Porque será que o fazemos? Será este, efetivamente, o melhor remédio?

Podemos listar várias funções e benefícios que o humor pode ter. Fisiologicamente, rir tem benefícios ao nível do relaxamento muscular, circulação sanguínea e funcionamento respiratório. Quando nos rimos, dá-se um aumento de endorfinas, com função anestesiante, e uma diminuição de cortisol, a “hormona do stress”. Para além disso, o facto de o humor nos permitir restruturar a forma como encaramos as situações e “brincar com coisas sérias”, transmite-nos uma sensação maior de esperança, de invencibilidade e de controlo sobre essas mesmas coisas. Esta reavaliação possibilita-nos, assim, refletir sobre uma situação, distanciando-nos dela, e focando determinadas características da mesma. Por isso mesmo, é utilizado também face a doenças graves, ou medos existenciais como o da morte. Até em contexto académico, alunos com uma maior utilização de humor tendem a encarar os exames como sendo um desafio mais positivo, delineando também expectativas mais ajustadas na previsão da sua performance.

Portanto, o humor, enquanto estratégia, pode ter vários efeitos, ou finalidades. Por vezes, sim, podemos utilizar o humor como forma de reestruturar uma situação; mas também o poderemos utilizar como forma de evitar, ou desvalorizar um problema (o que no fundo, parte um pouco da mentalidade toxicamente positiva que nos diz que “tem de estar tudo bem”); pode ainda ser utilizado como pedra de arremesso, para atacar e ridicularizar alguém. Alguns humoristas defendem que dizer “isso não tem piada” não é legítimo, e que, ao invés disso, deveria ser dito que “eu não achei piada”. Independentemente disso, o facto de ter piada não é sinónimo de ser benéfico.

De facto, a ideia de que o sentido de humor pode facilitar o ajustamento, a gestão e a regulação emocional parece ter bastante fundamento. Mas, como, onde e como entram os limites do humor nesta questão? Sendo o humor algo universal, mas simultaneamente, subjetivo, onde traçamos a linha?

Psicologicamente falando, por um lado, faz sentido empregar o humor quando este nos ajuda a encontrar “coisas” positivas na vida, e melhorar relações com os outros. Por outro lado, quando este serve sistematicamente para agredir e ridicularizar-se a si mesmo, ou aos outros, o panorama altera. Este humor mais agressivo e autoderrotista muitas das vezes tem um efeito contrário do desejado, e pode levar a que o bem-estar pessoal e relacional decresça, impactando negativamente o suporte social e autoconfiança da pessoa. Para todos os efeitos, o humor pode diminuir o stress, mas também aumentá-lo.

O humor é sem dúvida uma ferramenta importante, mas pode tornar-se nocivo quando mal utilizado. Sim, realmente, o humor é um bom remédio, mas à semelhança de qualquer outro, apenas quando utilizado na dosagem correta.

Samuel Silva, Gabinete de Apoio Psicopedagógico
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Estão abertas as inscrições para a disciplina que promove o empreendedorismo - Projeto Empresarial. Todos os alunos de mestrado ou nos dois últimos anos de mestrado integrado podem candidatar-se até dia 16 de novembro.

A FCUL, bem como toda a Universidade de Lisboa está sem acesso à Internet desde cerca das 11:45 da manhã.

Professora Olga Pombo, autora do livro "O Círculo dos Saberes"

“Estou convencida que a imagem do círculo constitui um arquétipo, uma determinação conceptual prévia a toda a investigação”, defende Olga Pombo, docente na FCUL e autora do livro “O Círculo dos Saberes”.

Imagem ilustrativa do livro "O Círculo dos Saberes"

“A apresentação do livro seguirá um formato sério e discreto. O professor Shahid Rahman fará uma apresentação e apreciação do livro e eu agradecerei todas as suas palavras, sejam elas elogiosas, sejam críticas", afirma a autora Olga Pombo.

Trial para todos os Membros da b-on.

Pessoas a correr junto ao Marquês de Pombal

A primeira Corrida da Ciência aconteceu o ano passado por ocasião das celebrações dos 100 anos da FCUL. A edição deste ano integra-se na 2.ª Edição do AmbientALL – Universidade em Movimento.

O concurso de programação destina-se a alunos universitários e este ano junta 16 equipas, oriundas de oito instituições universitárias portuguesas. A equipa da FCUL chama-se BigO(1).

Imagem da professora Maria José Boavida

“Colega amiga”, “orientadora empenhada e humanista” e “investigadora solidária”, assim se recorda Maria José Boavida (1948 – 2012).

Desenho do campus da FCUL

As tabelas e notas científicas, assim como as regras elementares de segurança em laboratórios são algumas das mais-valias deste “livro”.

A fim de cumprir com o estabelecido no Regulamento Eleitoral, o Caderno Eleitoral para a eleição do Presidente do Departamento de Estatística e Investigação Operacional está disponível para consulta.

 O projecto CAMPUS UL realizado pelos alunos de mestrado em Engenharia Geográfica no âmbito das disciplinas de Fotogrametria Analítica e de Produção Cartográfica ganhou o segundo prémio no concurso internacional de projectos com fins educativos

lâmpada

"Criar, transferir e valorizar economicamente o conhecimento científico" é a causa primária do renovado centro de inovação, situado no campus da FCUL.

Hoje, quarta-feira, dia 10 de Outubro de 2012, registou-se uma quebra no acesso à Internet pelas 17h00 por cerca de 5 minutos.

A causa foi externa à Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e ainda não fomos informados das suas causas.

Estão abertas três vagas para bolseiros para a Unidade de Informática

Imagem do professor J. Sebastião e Silva

O Departamento de Matemática da FCUL apresenta obras selecionadas de personalidades da nossa história, nomeadamente os Compêndios de Matemática e os respetivos Guias para professores de José Sebastião de Silva, cujos direitos patrimoniais foram cedidos à Faculdade por um período de 30 anos.

Devido a uma avaria no equipamento de Videoconferência, o serviço encontra-se interrompido por tempo indeterminado. Pedimos desculpa pelo incómodo causado.

Alunos aguardam a sua vez na fila para as inscrições

Este ano, durante a 1.ª fase de inscrições, foi realizado um inquérito a 845 estudantes. De acordo com os resultados obtidos, o reconhecimento da competência científica (25%), a localização (22%) e a nota de candidatura (22%), foram determinantes na escolha da FCUL.

Abertura de Concurso para uma posição de substituição de Doutor Ciência na CFNUL na área Física Nuclear – Reações Nucleares, ver anúncio em http://www.eracareers.pt/opportunities/index.aspx?task=global&job

A FCUL dá as boas-vindas aos novos alunos, após o arranque do novo ano letivo, a 17 de setembro.

Filipe Duarte Santos - Professor Catedrático e Jubilado do Departamento de Física e Director do SIM

Imagem de perfil de Maria Filomena Camões, professora do DQB-FCUL

Maria Filomena Camões, professora do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, assina um artigo sobre a criação do Instituto Nacional de Metrologia da Colômbia e a inauguração de um laboratório do qual é madrinha.

Guiomar Evans - Prof. Auxiliar do Departamento de Física e Investigadora do Centro de Física da Matéria Condensada

A missa do 30.º dia em memória de José Manuel Pires dos Santos, professor aposentado do Departamento de Informática da FCUL, realiza-se a 11 de setembro, pelas 19h00, na Igreja da Luz, em Carnide.

Páginas