Encontro Ciência 2021

À conversa com Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa

Dezoito medalhas de mérito científico, três delas para membros da Ciências ULisboa

Encontro Ciência 2021 - Dezoito cientistas recebem as medalhas de mérito científico

Dezoito medalhas de mérito científico, três delas para membros da Ciências ULisboa

Encontro Ciência 2021

O Ciência 2021 aconteceu nos dias 28, 29 e 30 de junho e juntou 860 pessoas presencialmente e 9496 online. “A Ciência que faz o Amanhã e transforma a Economia” foi o tema desta edição que contou com seis sessões plenárias, cerca de 70 sessões temáticas, 18 demonstrações, 26 posters e a atribuição de 18 medalhas de mérito científico, destaque para os professores cientistas da Faculdade - Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa (Zita). Por ocasião deste importante acontecimento surgiram três conversas com os membros da Faculdade: "a cereja em cima do bolo". 

Fernando Catarino com o Ministro
"Este tipo de encontro é muito importante”, diz Fernando Catarino, que recebeu a medalha pela mão do Ministro
Fonte Encontro Ciência 2021

Esperança foi a palavra escolhida para o futuro por Fernando Catarino, surpreendido com esta distinção, que agraciou também a sua antiga aluna Zita. Foi muito bom voltar a ouvir a sua voz ao telefone. Essa voz que um dia, em Alcobaça, alguém reconheceu. Fernando Catarino realçou essa memória para destacar essa característica – a empatia – que fazia com que os alunos o estimassem. E como disse em conversa, não era o único, realçando nomes como Carlos Almaça e Galopim de Carvalho, que não tinham medo de abordar assuntos difíceis, mas importantes.

Foi muitas vezes à Praça da Alegria – divulgar ciência foi, é e será sempre fundamental. Quando se jubilou esteve muito tempo sem voltar à Faculdade, o que não quer dizer com isso que não tenha estado atento. Enche-se de vaidade por saber que antigos alunos da Faculdade estão hoje um pouco por todo o mundo. Se voltasse ao passado não faria tudo igual, certamente seria, ou, pelo menos gostaria de ser empreendedor, e continuaria, certamente fascinado por Biologia, teria provavelmente as mesmas e outras experiências, acompanhado pela esposa e pelos dois filhos.

O Encontro Nacional com a Ciência e a Tecnologia pretendeu discutir os desafios do futuro e reunir investigadores e peritos de diferentes áreas científicas e sectores sociais e económicos, para projetar a recuperação de Portugal na próxima década.

Quem quiser e puder, pode visitar o site e assistir às sessões, que estão disponíveis no youtube. Da Ciências ULisboa destaca-se a presença dos oradores Alexandre Cabral, Vanda Brotas e Gonçalo Cosme; a demonstração do Instituto de Astrofísica e de Ciências do Espaço (IA) a propósito das 45000 observações do telescópio espacial Euclid e muitos posters submetidos por investigadores do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c), Centro de Química Estrutural, Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB), Instituto Dom Luiz (IDL), LASIGE, Centro de Ciências do Mar e Ambiente (MARE) e Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI).

“Este tipo de encontro é muito importante”, diz Fernando Catarino, cujo país convidado este ano foi a França – “pioneiro no estudo dos mares” – acrescentando que foi com muita satisfação que ouviu o nome do MARE referenciado pelo seu importante papel nesta área da ciência. A conversa com Fernando Catarino teve direito a anedotas e até uma sugestão de leitura -“Arrumar a Casa antes dos 80”, de Victor Gil.

Esperança e estímulo: palavras que inspiram o futuro

Sem falsas modéstias, com humildade. De resto parece ser uma característica das grandes pessoas. Isabel Âmbar não estava à espera da distinção e muito menos do telefonema de Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a dar conta da atribuição do galardão. Isabel Âmbar é só a primeira oceanógrafa física portuguesa.

Isabel Âmbar
Para Isabel Âmbar é fundamental continuar a investir na Oceanografia Física
Fonte Encontro Ciência 2021

“Eu, o meu marido e outros colegas conseguimos arranjar financiamento para construir o Instituto de Oceanografia, que hoje é o MARE (…) Foi muito importante para a Faculdade e não só”, comenta, mencionando que é muito importante continuar a investir nesta área, sobretudo, na observação, na modelação física, que é muito dispendiosa, diz Isabel Âmbar, cujas principais áreas de investigação passaram pela hidrologia e pela dinâmica das águas da vertente continental portuguesa, em especial no que diz respeito à água mediterrânica e aos vórtices a ela associados. Também por isso este tipo de encontro é essencial. A cientista acredita que o público, sobretudo o mais jovem, necessita de ter conhecimento do real impacto da ciência e do seu valor, talvez por isso, quando pensa numa palavra para o futuro escolha estímulo. Curiosamente, ainda que já esteja aposentada, diariamente recebe notificações a dar conta de investigadores, que continuam a ler os seus artigos.

Meta: igualdade de direitos na ciência

Terminar a semana útil ao telefone com professores que nos inspiram é outra coisa. A última conversa foi com Zita, como carinhosamente gosta de ser apelidada, e os minutos passaram sem dar conta, como sempre acontece quando se conversa com pessoas especiais. Não estava à espera da medalha, mas reconheceu o Ministro ao telefone. Esta é uma medalha que simboliza o culminar da sua carreira, de alguém que deixa uma escola e que está encantada e feliz. Mas, mesmo de coração cheio, continua a preocupar-se com os seus: “O Pedro Raposo é catedrático na Universidade de Évora. Ligou-me ontem!”, conta, entusiasmada.

Zita com o Ministro
Esta é uma medalha que simboliza o culminar da sua carreira, de alguém que deixa uma escola e que está encantada e feliz
Fonte Encontro Ciência 2021

Apesar de reformada, Zita continua muito ativa e a fazer aquilo que gosta: divulgação de ciência, sentindo-se de certa forma até mais livre. A Edições Afrontamento publicou em abril de 2021 o seu livro “Estuário do Tejo – Onde o Rio Encontra o Mar” e que motivou um workshop no passado dia 22 de junho, que contou com a sua participação, dedicado ao estuário do Tejo e às zonas oceânicas adjacentes, incluindo o Canhão de Lisboa, e às medidas de salvaguarda destes ecossistemas para a criação de projetos-piloto de intervenção a desenvolver nos próximos anos.

Quanto ao futuro da sua área de investigação na Faculdade é uma otimista, por isso quando lhe pedi uma palavra para o que há-de vir, também escolheu esperança. “Eu vejo um futuro muito promissor. Temos pessoas excelentes e em qualquer área do mundo”, conclui, deixando no entanto alguns alertas.

A fundadora e presidente da AMONET - Associação de Mulheres Cientistas diz que é preciso promover a igualdade e participação completa das mulheres cientistas residentes em Portugal em todos os aspetos da ciência, incluindo ciência, ensino, indústria e administração, sobretudo em tempos de pandemia. Paralelamente, ainda são muito poucas as empresas que empregam doutorados.

Nem de propósito, também Manuel Heitor, no seu discurso de abertura do Encontro e alinhado com a Presidência Portuguesa da União Europeia, introduziu três questões principais, consideradas cruciais na área da investigação e inovação em Portugal e na Europa: criação de emprego qualificado; ciência fundamental, “aberta” e colaborativa; carreiras de investigação.

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Ciência 2019
Imagens editadas pelo DI

De acordo com Luís Correia, professor do Departamento de Informática de Ciências, a inovação poderá levar à criação de robôs ou dispositivos, que interajam com animais que funcionam em coletivos, como rebanhos.

O seminario "Técnicas Geomáticas para o Património Cultural e Natural" realiza-se a 10 de abril de 2014, entre as 12h00 e as 13h00, no edifício C8, sala 8.2.47, no campus de Ciências.

O Departamento de Estatística e Investigação Operacional, divulga mais uma oferta de Emprego.

Vivemos um momento histórico no mundo da energia: da depleção dos recursos fósseis às alterações do clima, do impacte das renováveis ao re-desenhar dos sistemas de energia e das políticas públicas, tudo se discute num ambiente

Anfiteatro em Ciências

"Vem descobrir o mundo dos Quarks e Leptões com acontecimentos reais". Este é o mote da 10.ª edição das Masterclasses Internacionais em Física de Partículas.

Otília Correia

As sociedades actuais atribuem aos bosques uma série de funções para além da sua função produtora, incluindo as clássicas como o controlo hidrológico e protecção contra a erosão, valorizam-se actualmente e cada vez mais pelo seu uso recreativo, e de conservação da biodiversidade e da paisagem, e armazenamento de carbono.

Pormenor do cartaz do concurso “Belas-Artes Liga Mouraria”

Caue Sarabia, aluno da licenciatura em Tecnologias de Informação e Comunicação do Departamento de Informática de Ciências, a fazer um minor na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, participou no concurso “Belas-Artes Liga Mouraria”, com o projeto Mudéjar, conjuntamente com mais três alunos daquela faculdade.

HisParc: Bringing physics to your neighbourhood

O projeto tem como objetivo envolver a sociedade no processo de investigação da área da Física, através da integração de detetores de raios cósmicos em universidades, escolas secundárias e museus.

Logotipos

A app teve origem no projeto QREN World Search, no qual participam Carlos Teixeira e Ana Luísa Respício, professores do Departamento de Informática da FCUL, bem como Ivo Madruga, ex. aluno do DI e Bernardo Santos, que é aluno do DI.

Imagem editada pelo DI

O projeto "Lusica - Artistas musicais lusófonos", desenvolvido pelos alunos de mestrado do Departamento de Informática de Ciências -  Carlos Barata, Farah Mussa, Gabriel Marques, Mónica Abreu e Rafael Oliveira - , no âmbito das di

Campus Solar de Ciências já tem uma página online! Quantos são os que passam todos os dias por ele e não sabem o que é?…

Energias renováveis

O Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia organiza a 27 de março, entre as 12h00 e as 13h00, na sala 8.2.47, no campus de Ciências, o seminário "Energias fósseis, o que temos e para onde vamos", proferido por Nuno Pimentel, docente do Departamento de Geologia de Ciências e investigador do Centro de Geologia da Universidade de Lisboa, desde 1989.

Ensino da Paleontologia: Novas abordagens

Candidaturas online abertas até 31 de Março!

No Dia do Patrono da Escola Secundária Stuart Carvalhais, Ciências participou nas atividades científicas da instituição com a presença de elementos dos Departamentos de Física e de Química e Bioquímica.

Pode a eficiência energética induzir práticas que levam a um aumento do consumo de energia por parte das famílias?

Henrique Costa

Henrique Regateiro Machado e Costa faleceu no passado dia 14 de Fevereiro.

Secção Autonoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL

Hasok Chang, Prémio Fernando Gil

A RIGC – Rede de Informação da Indústria do Grande Consumo, empresa de consultores especializada na realização de trabalhos de consultoria n

Consulte as ofertas de emprego do Departamento de Estatística e Investigação Operacional.

A empresa Grupo Actuarial oferece estágios remunerados na área da Estatística/Probabilidades ou Matemática.

Para mais informações consultar:

RIGC – Rede de Informação da Indústria do Grande Consumo, empresa de consultores especializada na realização de trabalhos de consultoria na área de do Grande Consumo procura Analista de Dados Júnior(m/f).

Maksen é uma multinacional organizada em unidades de negócios, a fim de prestar serviços de consultoria em estratégia e redes de negócios, sistemas de informação, engenharia e comunicação e neste momento procura

Das 121 candidaturas admitidas para avaliação no âmbito do concurso para a criação do Rnie, somente 54 foram recomendadas a integrar o roteiro, dez delas incluem a presença de Ciências, sendo que cinco são lideradas por investigadores da faculdade.

Maria Helena Florêncio, Jorge Miguel Miranda, Henrique Cabral e António Branco apresentam infraestruturas de investigação de interesse estratégico para Portugal.

Gonçalo Costa Gomes Amaral

"Não se deve deixar que a sua memória seja esquecida, pois é através de tudo o que ele passou e viveu entre nós que vai continuar a viver e a iluminar tudo aquilo que fizermos", declararam em comunicado a AEFCL e o Conselho de Veteranos de Biologia.

Páginas