Programa de Estímulo à Investigação

Entrevista com… Alexandre Simões

Entrevista com… Alexandre Simões
cedida por AS

Alexandre Simões, estudante do Departamento de Matemática de Ciências, é um dos oito vencedores da edição 2014 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian. O trabalho que está a desenvolver pretende dar resposta a problemas clássicos, utilizando métodos mais modernos, traduzindo-se o estudo em “Métodos topológicos para o estudo de equações diferenciais”. Fique a conhecer mais pormenores sobre este trabalho na entrevista a seguir apresentada.

Ciências - Como surge a candidatura ao Prémio Fundação Gulbenkian Estímulo à Investigação?
Alexandre Simões (AS) - A minha candidatura surge após recomendação da professora Gracinda Gomes (Departamento de Matemática, DM), que me chamou a atenção para a existência desta bolsa de Estímulo à Investigação que, de resto, eu desconhecia. Ignorava totalmente. Não teve, por isso, uma origem autónoma. Para além disso, a professora Gracinda incentivou-me a trabalhar sob a alçada da professora Carlota Gonçalves (DM). A partir daí, o processo de candidatura descolou. Falei com a professora Carlota, a qual se disponibilizou de imediato para me orientar, e apresentou-me uma proposta de trabalho ligada ao seu próprio trabalho de investigação que me interessou.

Ciências - Em que consiste o trabalho pelo qual foi distinguido?
AS -
O trabalho consiste num estudo de um problema matemático de equações diferenciais muito conhecido e com origens na Física, que é o problema de Kepler. Este problema remonta aos séculos XV/XVI, quando Kepler propôs as leis pelas quais os planetas se moviam e avançava com o cálculo das suas órbitas à volta do Sol. Posteriormente, o problema encontrou aplicações tanto na astronomia - onde permitiu o cálculo das órbitas de planetas, asteroides, cometas, entre outros - como no mundo microscópico, mais concretamente aos átomos.

Este trabalho é uma variação sofisticada destes problemas clássicos, onde os métodos matemáticos mais antigos não são suficientes para encontrar uma solução para o problema e, por isso, utilizará alguns métodos mais modernos, designadamente, métodos topológicos que dão nome ao trabalho.

Ciências - Que importância considera ter para o contexto científico em que se insere?
AS -
O projeto pretende ser mais um pequeno contributo para a investigação que tem sido feita nos últimos tempos sobre este tema.

Ciências – Quando decorrerá o trabalho de investigação?
AS -
O trabalho de Investigação terá início provável em Janeiro/ Fevereiro de 2015.

Ciências - Que aplicação prática tem ou terá este trabalho?
AS -
O trabalho é uma investigação matemática puramente teórica e o seu alcance é sobretudo académico. Face a isto, dirão talvez alguns que então uma investigação deste género é uma perda de recursos quer humanos quer materiais, no entanto, também é verdade que o conhecimento raramente é supérfluo e, sobretudo, é imprevisível onde cada fragmento de informação aparentemente inútil nos pode conduzir. Há inúmeros exemplos na história. Portanto, isto para dizer que o trabalho poderá ter aplicações, nomeadamente a problemas da Física, apesar de, no imediato, elas não serem discerníveis.

Ciências - O que o distingue dos restantes trabalhos da área?
AS -
A diferença fundamental serão as técnicas utilizadas. Procurar-se-á chegar a resultados novos utilizando técnicas novas.

Ciências - De que forma os ensinamentos adquiridos em Ciências foram/são importantes para o desenvolvimento deste trabalho?
AS -
Todo o conhecimento científico de base para este trabalho foi adquirido em cursos de Ciências. Sendo assim, a FCUL é a mãe de toda a minha eventual produção nesta área científica. Falando mais a sério, todo o meu percurso académico foi realizado aqui e, até agora, tem sido com grande satisfação que tenho sido aluno de Ciências e, evidentemente, devo os conhecimentos que tenho à FCUL e, mais concretamente, aos seus professores.

Ciências - O que significa para si esta distinção?
AS -
Esta distinção, pessoalmente, representa a possibilidade de iniciar o trabalho de investigação, dado que sou ainda um principiante de Mestrado, sendo também um incentivo à continuação dos estudos. Também, uma vez que é atribuída pela Fundação Gulbenkian, é uma distinção particularmente prestigiante. Não deixa de ser uma honra receber financiamento de uma instituição que é um oásis num país onde, infelizmente, os incentivos à cultura e à ciência são tantas vezes raros e exíguos.

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Páginas