Artigo na Science Immunology

Importante contributo para a compreensão da resposta imunitária humana

Sumário gráfico do trabalho

Um grupo de investigadores utilizou gânglios linfáticos, amígdalas e sangue para mostrar como as células que controlam a produção de anticorpos são formadas e atuam

Imagem cedida pelos autores
Saumya Kumar
Saumya Kumar é a primeira autora do estudo
Imagem cedida pelos autores

Um grupo de investigadores utilizou gânglios linfáticos, amígdalas e sangue para mostrar como as células que controlam a produção de anticorpos são formadas e atuam. Estes dados permitirão desenhar estratégias que controlem a regulação do sistema, podendo contribuir para a resolução de doenças autoimunes ou alergias, segundo comunicado de imprensa emitido pelo iMM.

Este estudo “Developmental bifurcation of human T follicular regulatory cells” publicado recentemente na Science Immunology, uma das cinco publicações científicas mais prestigiadas da área da Imunologia, é coordenado por Luís Graça, investigador do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM) e professor da Faculdade de Medicina (FM) da ULisboa, tem como primeira autora Saumya Kumar e contou com a participação de Válter R. Fonseca, Filipa Ribeiro, Afonso P. Basto, Ana Água-Doce, Marta Monteiro, Dikélélé Elessa, Ricardo J. Miragaia, Tomás Gomes, Eliane Piaggio, Elodie Segura, Margarida Gama-Carvalho e Sarah A. Teichmann.

Saumya Kumar desenvolve o seu trabalho no âmbito da rede europeia ENLIGHT-TEN, da qual o iMM faz parte, e é aluna do programa doutoral do Centro Académico Médico de Lisboa, sob orientação de Luís Graça, e coorientação de Margarida Gama-Carvalho, professora do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa e investigadora do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI).

Para estudar as células humanas envolvidas na produção de anticorpos após vacinação, os cientistas utilizaram uma tecnologia que surgiu muito recentemente – identificando por sequenciação todos os genes que estão ativados em cada célula individualmente. A informação assim obtida permite conhecer, com um detalhe extremamente elevado, os genes e moléculas envolvidos na regulação da produção de anticorpos. Deste modo, abre-se um vasto leque de oportunidades para tentar estimular ou inibir algumas destas moléculas com o objetivo de potenciar a produção de anticorpos em vacinas, ou diminuir a produção de anticorpos em doenças por eles causadas (como a autoimunidade ou alergia).

Para Luís Graça, quando os sistemas biológicos do organismo não são adequadamente regulados surge a doença. “É o conhecimento da regulação do organismo que permite corrigir essas situações patológicas”, diz, acrescentando que “para compreender o poder desta tecnologia devemos notar que todas as nossas células têm os mesmos genes. O que torna um neurónio diferente de um linfócito é que cada célula só está a utilizar a informação de um conjunto diferente de genes. Assim, quando após a vacinação um linfócito inicia o processo de controlar a produção de anticorpos, vai ligar alguns genes e desligar outros. Foi isto que estudámos para centenas de células simultaneamente”.

De acordo com Saumya Kumar, quando o estudo começou, há quatro anos, não havia alguma da tecnologia que os investigadores acabaram por utilizar, concluindo que o avanço tecnológico tem sido extraordinário.

O artigo publicado é um exemplo da importância da investigação interdisciplinar entre as áreas da imunologia experimental, das tecnologias de sequenciação de larga escala (conhecidas por transcritómica), e da bioinformática e biologia computacional na compreensão de processos fundamentais da biologia humana, desenvolvidas no grupo de Biologia de Sistemas do RNA do BioISI Ciências ULisboa.

Margarida Gama-Carvalho
Para Margarida Gama-Carvalho as ciências biológicas requerem a integração de equipas multidisciplinares e um forte know-how nas áreas da Bioinformática e Biologia Computacional
Imagem cedida pelos autores

Para Margarida Gama-Carvalho, “este trabalho é um exemplo extraordinário de quão poderosas são as novas tecnologias de sequenciação e os métodos de análise ao nível de célula única, permitindo fazer a reconstrução temporal e espacial dos processos de diferenciação celular essenciais às respostas de defesa imunitária, que decorrem dentro do ambiente complexo do nosso organismo, fora do nosso alcance”. A cientista acrescenta ainda que este trabalho é também uma boa demonstração de como nos dias de hoje as ciências biológicas requerem a integração de equipas multidisciplinares e um forte know-how nas áreas da Bioinformática e Biologia Computacional.

ACI Ciências ULisboa com iMM
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O grande momento do dia é a sessão solene, que inclui este ano o lançamento do segundo volume dos Professores Cientistas e a inauguração do Quadro de Honra.

Sobre Namoros e Casamentos

Jorge Buescu

Quinta-feira, dia 12 de Abril de 2012, às 18h30, na sala 6.1.36

Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Páginas