Temporada Portugal França 2022

Prémio Tremplin Mariano Gago para Alison Duncan e Sara Magalhães

Compreender como os parasitas prejudicam os seus hospedeiros é uma questão científica muito relevante ao nível da ciência fundamental e aplicada

Planta de tomate

É importante entender a relação dos ácaros com o seu ecossistema para conseguir prever o que vai acontecer às plantas de tomate

GJ Ciências ULisboa

“O efeito da competição e simbiose na virulência de um parasita de plantas" - um projeto coordenado pelas cientistas Alison Duncan e Sara Magalhães -, com a duração de dois anos e que irá receber um financiamento no valor de 21.000€, é um dos quatro projetos vencedores da 1.ª edição do Prémio Tremplin Mariano Gago.

Cientistas
Para Sara Magalhães o prémio simboliza uma homenagem a Isabelle Olivieri
Imagem cedida por SM

A cerimónia de entrega dos prémios acontece no próximo dia 21 de junho, na Academia de Ciências francesa, em Paris, no âmbito da Temporada Portugal França 2022, e quem o irá receber é a investigadora do Institut des Sciences de l’Evolution (ISEM) do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) da University of Montpellier, já que a professora do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa e investigadora do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c), por motivos de agenda, não pode participar na cerimónia.

Para Sara Magalhães esta distinção é muito prestigiante. “Desde a Sociologia à Física Quântica, só houve quatro grupos portugueses e franceses a serem distinguidos com este prémio!”, diz.

A cientista portuguesa refere ainda que o prémio também simboliza uma homenagem a Isabelle Olivieri (1957–2016), com quem começou a trabalhar em 2004, e que orientou o seu pós-doutoramento, no ISEM/CNRS/UM e que consistiu em estudar a evolução e plasticidade fenotípica dos ácaros, nomeadamente a relação de um ácaro com a(s) planta(s). “Estou muito feliz com este prémio. Esta colaboração com o grupo francês faz parte da minha história. Parte de mim está em Montpellier e isto acontece agora porque houve esse momento anterior. É por isso uma homenagem à Isabelle e à forma como nos ‘criou’: para a Isabelle como para nós, os seus descendentes, a ciência é uma atividade colaborativa, e devemos evitar estar em competição uns com os outros, o importante é trabalharmos com pessoas de quem gostamos para juntos irmos mais longe. Para mim este prémio é uma valorização desse espírito”, conta.

Alison Duncan
Alison Duncan irá receber o prémio no próximo dia 21 de junho
Fonte cE3c Ciências ULisboa

Após terminar o pós-doutoramento, Sara Magalhães regressou a Portugal, mas continuou a trabalhar intensamente com Isabelle Olivieri. Ambas orientaram o pós-doutoramento de Alison Duncan, entre 2013 e 2014, sobre a alocação de sexo em ácaros, realizado no âmbito do projeto “Evolução da alocação de sexo em Tetranychus urticae, uma das principais pragas agrícolas (EVOLSEXALLOC)”, financiado pela FCT e pela Agence Nationale de la Recherche (ANR). Sara Magalhães comenta a brincar, que este prémio parece ter sido feito para estes dois grupos de trabalho, que nunca deixaram de trabalhar entre si.

“A nossa colaboração até ao momento investigou o papel da competição moldando a história de vida e a evolução da virulência num ácaro - Tetranychus urticae - em plantas hospedeiras. O atual projeto irá explorar a simbiose da Tetranychus urticae (Wolbachia) e do sistema imunológico do hospedeiro, sozinho e em combinação, na mediação de resultados com um competidor interespecífico, a Trypanosoma evansi”, explica Alison Duncan, mencionando ainda que este projeto também inclui Flore Zélé, investigadora do ISEM/CNRS/UM.

Flore Zélé chegou ao grupo de Ecologia Evolutiva e ao subgrupo MITE2 do cE3c Ciências ULisboa, ambos coordenados por Sara Magalhães, em 2013, para integrar a equipa do projeto EVOLSEXALLOC e realizar o pós-doutoramento sobre a bactéria Wolbachia e a alocação sexual em ácaros.  Esteve no grupo do cE3c quase oito anos.

Sara Magalhães
“Estou muito feliz com este prémio. Esta colaboração com o grupo francês faz parte da minha história", diz Sara Magalhães
Fonte GJ Ciências ULisboa

A Wolbachia é uma bactéria importantíssima, que altera algumas características dos ácaros e pode condicionar as pragas de cultura. Nesse sentido foram feitas várias experiências, inclusivamente no âmbito da consolidator grant do European Research Council (ERC), atribuída em 2017 a Sara Magalhães para explorar o sistema biológico composto por duas espécies de ácaro-aranha - Tetranychus urticae Tetranychus evansi -, que competem pela planta do tomate, trabalho esse que também contou com a colaboração do grupo francês.

“Os ácaros são parasitas de plantas. Se olharmos do ponto de vista da teoria das interações entre parasita e hospedeiro, podemos ver que há várias propriedades emergentes, que podem sair do facto de eles próprios terem um parasita ou não. Aquilo que se chama super parasitismo, isto é, um parasita que tem outro parasita, e observar como é que isso afeta a relação entre eles e o seu hospedeiro, mas também entre eles e os seus competidores”, explica Sara Magalhães.

Já existe bastante conhecimento sobre como um ácaro interage com a bactéria Wolbachia e como os dois ácaros interagem entre si, decorrente do trabalho realizado pelos investigadores do cE3c Ciências ULisboa - Inês Fragata e Diogo Godinho -, que tentaram perceber a relação de coexistência ou competição entre estes dois ácaros e a evolução dessas interações, através de várias experiências.

Também Flore Zélé em colaboração com a investigadora do cE3c Ciências ULisboa - Leonor Rodrigues -, que fez o doutoramento sob a orientação de Isabelle Olivieri e de Sara Magalhães, fizeram várias experiências relacionadas com a evolução da relação entre o ácaro e esta bactéria.

Apesar de todo o conhecimento acumulado existem ainda lacunas nesta área e compreender como os parasitas prejudicam os seus hospedeiros é uma questão científica muito relevante ao nível da ciência fundamental e aplicada, dado o impacto que pode ter na saúde humana e animal, na agricultura e no funcionamento do ecossistema.

laboratório
Os grupos voltam a olhar novamente para duas espécies de ácaros, com e sem Wolbachia e a realizar experiências minuciosas em laboratório
Fonte GJ Ciências ULisboa

Por isso, com este projeto as equipas voltam a olhar novamente para duas espécies de ácaros, com e sem Wolbachia e a realizar experiências minuciosas em laboratório. Uma parte do doutoramento em Biodiversidade, Genética e Evolução da aluna da Faculdade - Mariya Kozak - está inclusivamente relacionado com esta temática.

“É importante entender esta relação dos ácaros com o seu ecossistema para conseguir prever o que vai acontecer às plantas de tomate”, conclui entusiasmada Sara Magalhães.

A equipa do projeto premiado conta ainda com Sarah Grosjean.

Temporada Portugal França 2022 e o Prémio Tremplin Mariano Gago

É a primeira vez que o Prémio Tremplin Mariano Gago é atribuído e o seu objetivo é distinguir e aprofundar a cooperação científica existente entre grupos franceses e portugueses.

Os organizadores do prémio receberam 59 candidaturas, 31 delas foram avaliadas com o critério mais alto.

A Temporada Portugal França 2022 assinala a cooperação entre os dois países, nomeadamente nas áreas do ensino superior e da investigação, realizando uma série de iniciativas, destaque para o workshopBioinspiração - Quando a natureza inspira a humanidade", que aconteceu recentemente no Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

Nesta edição, o júri selecionou quatro projetos. Os outros três projetos distinguidos com este galardão são "Metal-based contrast agents for specific visualisation of biomarkers in Magnetic Resonance Imaging", coordenados por Eva Jakab Toth e Mariette Pereira; "Secretomic fingerprint as Parkinson's disease early biomarker", coordenado por Thierry Galli e Nuno Raimundo; e "NanoXIMAGES", coordenado por Hamed Merdji e Marta Fajardo.     

As candidaturas apresentadas dizem respeito a programas de investigação baseados em resultados preliminares da colaboração realizada entre os grupos franceses e portugueses com detalhes objetivos e ambiciosos para o desenvolvimento desta cooperação. O valor total do prémio é 84.000€. O financiamento irá permitir entre outras atividades o intercâmbio de jovens estudantes, reforçando a colaboração entre os grupos.

Ana Subtil Simões, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Membros do Ciências em Harmonia (C-H), o projeto pioneiro de CIÊNCIAS para promoção do bem-estar entre alunos

O Ciências em Harmonia (C-H), projeto pioneiro de CIÊNCIAS, teve direito a destaque na edição de 23 de julho do jornal Público.

Ser Cientista 2024

Entre 22 e 26 de julho67 alunos do ensino secundário têm a oportunidade experienciar, durante uma semana, o que é ser cientista e como é o ambiente de investigação.

Licenciaturas CNA 2024

Vem definir o teu futuro e descobre o que temos preparado para ti. Candidata-te a CIÊNCIAS ULisboa!

Banner Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias

Já são conhecidos os vencedores da edição 2024 do Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias, organizado pela Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO).

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS)

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, foi reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS).

Verão na ULisboa em CIÊNCIAS

Foi com um sorriso na cara e com vontade de um dia regressarem, que os estudantes do programa Verão na ULisboa deixaram o campus de CIÊNCIAS, após as cerimónias de entrega de diplomas que decorreram nos dias 5 e 12 de julho.

Assinatura do Protocolo com a REDCORP

o passado dia 9 de julho a Direção de CIÊNCIAS assinou um protocolo de cooperação com a REDCORP, empresa de empreendimentos mineiros responsável pelo Projeto Lagoa Salgada.

CIÊNCIAS assinA um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms nas instalações de CIÊNCIAS, tendo sido assinado pelo Diretor da faculdade, Luís Carriço, e pela co-fundadora da startup Rede Vertical Farms, Inês Barros.

CIÊNCIAS assinou um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms, com o objetivo de instalar uma horta vertical no campus da faculdade.

Equipa do CSD Lab do BioISI

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Estrutura e Dinâmica Celular (CSD Lab) do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioIS

Diogo Rodrigues Fernandes

Diogo Rodrigues Fernandes, doutorando de CIÊNCIAS e investigador no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (

Banner O Planeta Vivo

“Temos este mundo, ou nada. E temos um grande problema se não entendermos o planeta que queremos salvar.” Esta citação de Carl Sagan é o mote do documentário ‘O Planeta Vivo’, que estreou no passado dia 3 de julho na RTP.

Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025 um telescópio made in Portugal para observar o Sol.

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Páginas